1. Spirit Fanfics >
  2. Dimensões Opostas >
  3. Acordo

História Dimensões Opostas - Capítulo 17


Escrita por:


Notas do Autor


Créditos da imagem para o/a artista: @ceejss

Boa leitura <3

Capítulo 17 - Acordo


Fanfic / Fanfiction Dimensões Opostas - Capítulo 17 - Acordo

~




Você e eu

Sasuke

Você conseguiu ler...

... O que está no meu coração?

O único que pode aguentar todo esse ódio...

... Sou eu.

Eu irei carregar o peso do seu ódio e morrerei com você.

Quando morrermos, estaremos livres dos nossos fardos...

... E finalmente poderemos nos entender no próximo mundo.

Se eu morrer, nós dois morremos, Sasuke.

Porque você é meu amigo.

Porque você é meu amigo.

Sou seu amigo.


Naquela noite, Sasuke havia sonhado.



=~°-^-°~=


O alarme tocou. Sem enrolar muito, se levantou da cama e foi se arrumar para a escola. Aquela sensação chata... Desceu as escadas e procurou algo na geladeira para comer de café da manhã. Depois de um tempo, ouviu alguém bater na porta de sua casa, era Kankuro junto com seus outros dois irmãos e Tenten mais atrás. Pegou sua mochila, colocou seus sapatos e foi para a escola.

- Hey Sasuke, por que faltou ontem? – Kankuro o questionou –

- Não foi nada demais.

- Tem certeza? Sua cara está péssima e seu sumiço causou uma certa... Confusão ontem...– Tenten disse enquanto se aproximava de Sasuke para olhar seu semblante –

- Ele já disse que não é nada, devia estar em um dia ruim, só isso. – Temari deu de ombros. O Uchiha sempre tinha uma expressão meio tediosa, nada de novo. Não era comum ele faltar, nem um pouco, mas mesmo assim não é algo que mereça tanta atenção. Ele está ali e está bem, então está tudo ok. – Acho que vocês deveriam se preocupar mais com as provas. A professora de Física falou que vai passar um simulado, ou seja, está nos preparando para algo terrível...

- Vish! Nem me fala... Passei o dia de folga ajudando meus pais na loja, não tive tempo nem de fazer o dever que ela passou para casa... – Tenten fez uma expressão tristonha e cansada –

Sasuke costumava a andar atrás do grupo que ia conversando mais a frente, ele ficava quieto pensando e os outros não se incomodavam. Sinceramente não fazia ideia do porque eles insistiam em continuar o chamando para irem todos juntos á escola, também não se incomodava com isso só não entendia para que proposito queriam o Uchiha ali já que ele, presente ou não, não fazia nenhuma diferença.

Gaara diminuiu a velocidade dos passos e alcançou Sasuke que andava com os fones no ouvido e as mãos nos bolsos do moletom.

- Hm... Eu fiquei sabendo o que aconteceu com seu irmão... Desejo melhoras. – O Uchiha tirou os fones para ouvir Gaara –

- Ficou?

- Não quero que me interprete mal mas acabei ouvindo, sem querer, Karin falando no celular sobre.

- Karin? Por que a Karin sabe disso?

- Bem... Ela faz estágio no hospital, certo?

- Ah, sim. Tem razão.

- Hm... Ela ficou mal quando você “sumiu”.

- Eu “sumi”?

- Ela ligou para mim no meio da tarde de segunda perguntando se eu sabia onde você estava. E logo depois ninguém te viu até hoje. Por isso ficamos preocupados. Batemos hoje na sua porta para ver se achávamos algum responsável seu já que ontem não achamos ninguém.

- Eles não sabem sobre o Itachi, né?

- Não, isso é meio particular... Não contaria para eles e, pelo visto, nem Karin.

- Karin não é de deixar a matraca fechada. – Sasuke estreitou os olhos já imaginando quem estava por trás disso –

- Talvez ela ainda tenha um pouco de bom senso.

- Talvez... – O Uchiha não ia terminar a frase, falou mais para si do que para Gaara, mas mesmo assim foi interrompido por um grito –

- SASUKE!! – E falando nela... Karin veio correndo até estar de frente para o moreno com a boca entreaberta e os olhos um pouco arregalados. Ele até tinha esquecido que encontravam com ela no meio do caminho para a escola... A menina ficou pouco tempo o encarando até começar a tagarelar – AONDE FOI QUE VOCÊ SE METEU?? COMO PODE SUMIR DO NADA NAQUELE LUGAR??? VOCÊ SABE O QUÃO PERIGOSO AQUILO PODE SER?? O OROCHIMAR_ – Sasuke a olhou firme após ouvir o nome daquele homem –

- Você falou sobre isso com o Orochimaru?

- É óbvio que sim! Eu vi você desaparecer do nada! É claro que eu falei com ele! Ele poderia fazer algo para_

- Idiota... – O Uchiha a olhou raivoso – Quando você vai parar de se meter na minha vida?

- Hey, Sasuke, ela só estava preocupada com você, não a trate assim. – Temari colocou a mão no ombro de Karin a afastando de Sasuke enquanto se posicionava ao lado dela –

- Aah Tema, Karin que ficou toda desesperada sem motivo algum. Fica stalkeando tanto que acaba tento miragens sobre ele hahahah – Kakuro disse tentando descontrair o clima –

- E-EU NÃO S-STALKEIO NINGUÉM! – Karin corou se mostrando raivosa enquanto mexia em seus óculos para tentar disfarçar sua timidez –

- Ah não? E quem foi que viu_ – Tenten ia contar algo mas Karin rapidamente tampou a boca da outra com suas mãos impedindo dela falar qualquer coisa –

- Não é porque você é minha amiga que eu não posso te estrangular aqui e agora!! – A ruiva diz a-me-a-ça-do-ra e Tenten fica es-pan-ta-da. –

Aquilo tudo fez Sasuke lembrar que havia prometido a si mesmo que nunca mais voltaria naquela escola e mesmo assim lá estava ele. A aparição da Karin fez lembrar os motivos de não querer mais estar naquele lugar. É estranho mas imaginava que, na hora em que se prometeu isso, estava totalmente pessimista, não estava mais sentindo toda aquela raiva que sentiu naquele momento... A escola agora tinha memórias boas, memórias essas que esperava cobrir as ruins para faze-lo seguir em frente.


=~°-^-°~=


Durante as aulas, nada de muito especial aconteceu. Tiveram aula de Física e a professora marcou o dia que passaria o temido simulado que valia alguns pontos e serviria como treino para a prova. Sasuke passou o recreio junto com Sai ouvindo o que ele tinha feito no dia de folga e o que aconteceu ontem, nada de interessante para resumir, marcaram de almoçar juntos. As aulas seguintes não foram muito produtivas, na verdade foram bem entediantes, revisão de matéria é algo meio inútil quando já se sabe tudo, várias horas de sua vida gastadas com professores falando coisas óbvias.

Quando o sinal da saída tocou, Sasuke foi até Karin e perguntou o que exatamente Orochimaru sabia sobre o caso do seu irmão. Tinha certeza que ele já estava sabendo sobre e estava com receio do que aquele homem poderia fazer, se aproveitando da situação.

- Sasuke-kun, você sabe que Orochimaru-sama tem total permissão para saber sobre a maioria dos pacientes do hospital, principalmente se for o quadro em que seu irmão se encontra.

- Então ele já sabe de tudo?

- Ele me ligou ontem pedindo para eu ir ver... Bem, desculpa, eu não devo falar sobre isso. – Sabia, Sasuke sabia que a ligação que Karin tinha recebido e que Gaara acabou ouvindo era de Orochimaru. O que ele queria com o seu irmão? –

- Como assim algo sobre o meu irmão não deve ser me dito?

- Éé... E-eu realmente não sei se tenho permissão para falar sobre. – Karin abaixou a cabeça evitando olhar os olhos de Sasuke meio amedrontada –

- O que você quer dizer com isso? Você não sabe??

- Sasuke-kun...

- Enfim, não esperava nada tão útil vindo falar com você, não sei nem porque eu vim perguntar. Só avise ao Orochimaru que se ele tentar algo com meu irmão... – Karin olhou novamente os olhos do moreno e os sentiu tão... Pesados... Sua áurea tinha mudado, ele estava a assustando. Aquele não parece o Sasuke que ela conhecia. Karin arregalou um pouco os olhos, surpresa e apreensiva – Vou dar fim a ele com minhas próprias mãos. – Sasuke virou as costas e saiu da sala –

- Karin, o que ouve? Sasuke-kun brigou com você de novo? – Tenten se aproximou da ruiva colocando sua mochila nas costas –

- Ele... Eu nunca vi ele assim...


=~°-^-°~=


Sasuke e Sai estavam sentados em lados opostos da mesa. No meio, uma churrasqueira embutida na mesa com alguns pedaços de carne assando em cima e, ao lado da churrasqueira, um pato com os bifes finos de carne cru.

- Então, quando eu te liguei antes, você falou que estava passando o dia de folga com um amigo?

- Ah, sim. Não foi nada demais.

- Na real é bem estranho para falar a verdade. Karin é meio fofoqueira e fala muitas mentiras mas quando se trata do Orochimaru-sama ela não se atreve a falar algo equivocado. Ela leva bem a sério aquele homem. – Sai era meio estranho mas ele sempre analisava bem as coisas, as vezes isso era péssimo – Ela ficou aparentemente em pânico quando você sumiu, falando algo sobre “beco” e “não te achar mais”.

- Você deve ter entendido errado.

- Não, não. Ela pediu inclusive para Orochimaru-sama entrar em contato com Danzou-sama falando que poderia ser um tipo de ataque, um ninja de alguma vila inimiga teria te sequestrado, já que você é um dos últimos sobreviventes do clã criador da vila.

- Intrometida, para que tudo isso? Tentando levar algo assim para o Hokage?

- Obviamente Orochimaru-sama não a ouviu e deu uma bronca nela por isso. Mas até que faz um pouco de sentido... Seria um prêmio para as outras vilas terem um Uchiha em suas mãos levando em consideração os dias de hoje.

- Odeio ser tratado como um objeto, como se eu fosse uma relíquia que Konoha deve proteger apenas por capricho. – Sasuke girou os olhos – Como você ficou sabendo disso?

- Sobre ela quase surtar por algo assim? Bem, ela não tem meu número mas Kankuro me ligou me perguntando de você estava bem e falando sobre ela. Te mandei um monte de mensagens e você não me respondeu. Te liguei e você e, felizmente atendeu. Não me deixou falar tudo e desligou na minha cara, pelo menos pude me certificar que você estava bem.

- Algo normal – Sasuke deu de ombros – Não gosto de falar no telefone.

- Pois é. Estava treinando sobre vigilância de Danzou-sama e um outro Ambu falou a ele que Karin estava tentando se comunicar com ele. No final, Danzou-sama entrou em contato com Orochimaru-sama. Ontem de manhã antes das aulas, Suigetsu estava falando sobre a bronca que ela levou pelos corredores.

- A verdade é que todo mundo que tem contato com aquele homem se torna uma cobra asquerosa também. – Sai deu seu sorriso bizarro de costume provavelmente concordando com a afirmação –

- Você está sendo bem cruel mas acho que entendo seu ponto. – Sai levou um pedaço de carne já frita a boca – ... Cara, você sabia que o rato-canguru pode passar a vida toda sem beber água? Descobri ontem quando fui para a biblioteca antes do treino.

- Como está indo o treino?

- Não posso dar muitos detalhes. Depois que entrei na Ambu Ne, estive recebendo um tipo de treinamento desde o início mas agora, graças a uma mudança de planos, eles mudaram totalmente o meu treino. Por isso que o próprio Hokage e líder da Ne, Danzou-sama está tendo que me supervisionar.

- Você fala sobre essa... Ne tão normalmente que as vezes é estranho.

- O que quer dizer?

- Ninguém aqui de fora sabe realmente o que acontece lá dentro e vocês não podem falar sobre mas claramente não é algo eticamente bom que acontece lá dentro.

- Eu não sei do que você está falando. – Aquele sorriso falso novamente – Mas tenha em mente que as vezes, pelo bem da vila, algumas coisas devem ser feitas, mesmo não sendo “eticamente boas”.

- Isso é bem relativo, não acha?

- Não sou eu que sou o Hokage. – Aquele sorriso... –

- Você acha que o Hokage deveria fazer o mal para um pequena parte da vila para preservar a outra grande parte?

- Não cabe a mim responder isso.

- É, você tem razão. – Sasuke deu de ombros levando um pedaço de carne a boca, assoprando antes –

- Seu irmão, como está?

- Hm, ficou sabendo também?

- Danzou-sama se preocupa com o bem-estar do clã fundador da vila.

- Sei... Eu não sei muito bem. Itachi nem Shisui me falam direto sobre essa doença, acho que eles tentam não me preocupar... O que claramente não funciona. Não posso fazer nada sobre então não exijo esclarecimentos. Vou visitar eles mais tarde no hospital. Por algum motivo Shisui não desgruda dele e isso me preocupa um pouco mais do que deveria.

- Acha que ele está piorando?

- Se fosse isso Shisui já teria chamado meus pais. Não acho que seja isso... Na ligação ele estava falando embolado e com pressa, isso me deixou com raiva.

- De qualquer forma vai entender tudo mais tarde. Vem, come, vai esfriar.


=~°-^-°~=


Depois do almoço, Sai disse que iria a biblioteca, ele passava bastante tempo lá lendo livros de curiosidades ou de autoajuda. Sasuke seguiu seu caminho para o hospital.

Chegando lá, falou com a recepcionista que pediu seus dados e informou o quarto em que Itachi estava.

Subiu os andares de elevador. Pela janelinha da porta, viu seu irmão deitado em uma cama, dormindo, usando roupas brancas do hospital com um fio conectado em seu braço direito ligando a uma bolsa de soro.

Deu duas batidinhas na porta, abrindo-a em seguida, com medo de acordar Itachi, e logo viu Shisui sentado e dormindo em uma poltrona, ao lado de uma mesinha. Ele estava com olheiras, devia ter passado a noite em claro. Em suas mãos tinha duas folhas de papel, provavelmente dormiu enquanto lia. Em cima da mesa tinha um envelope pardo vazio, uma garrafa de água e um montinho de copos plásticos.

Sasuke deu uma olhada em Itachi para ver aparentemente como ele estava. Sentiu um alívio ao ver o rosto do irmão novamente e mesmo assim tristeza por todo o estresse que causou ao desaparecer do nada. De certa forma também sentia culpa, não sabia como sua doença funcionava direito, nunca se interessou por medicina e pretende passar longe na seleção dos ninjas médicos, e Itachi e Shisui também não se empenhavam em explicar, mas só o fato de ter causado uma confusão e de não estar ali no memento em que ele passou mal já era um grande conflito em sua cabeça que o levava a pensar até que tinha certo nível de culpa por ela se manifestar novamente...

Chegou perto de Shisui para ver se conseguia ler o que estava escrito nas folhas que ele mantinha na mão, poderia ser algo falando do quadro atual de Itachi. No mesmo momento o mais velho sentiu a aproximação de Sasuke e, por extinto, fez um movimento brusco com os braços em posição de defesa, fruto dos treinamentos ninja.

- Oh, Sasuke? Que surpresa, você me assustou. – Shisui falou com uma voz meio embriagada de sono. Piscou os olhos algumas vezes fazendo eles se acostumarem com a luz da sala, pegou um copo descartável em cima da mesa, o encheu de água e deu alguns goles – Estou feliz em ver você de novo, que bom que conseguiu voltar. – Ele estava visivelmente cansado, não mostrava tanta animação quanto gostaria –

- Como estão as coisas por aqui? – O mais novo sentou na outra poltrona que tinha no outro canto da sala –

- Bem, não aconteceu nada demais enquanto esteve fora. Fiquei sabendo pela vizinha que uma menina e um menino foram até nossa casa procurando por você, não estávamos lá e eles não deixaram recado. Pedi alguns dias de folga do trabalho para ficar com Itachi, precisei pedir pessoalmente ao Hokage, Danzou-sama. Hmm... Não sei se fiz certo mas não comuniquei seus pais sobre isso e espero que Danzou-sama não o faça.

- Por que não?

- Bem... – Shisui amassou levemente os papeis em suas mãos sem nem perceber –

- Ele está pior?

- Não... Não é isso... Quando eu te liguei, não sabia muito bem o que estava acontecendo. Ele começou a ter dificuldades para respirar, vomitou algumas vezes e estava tonto. Liguei imediatamente para a emergência do hospital e a ambulância chegou poucos minutos depois enquanto eu tentava acalmar ele. Estamos indo para o hospital as pressas e foi quando eu te liguei.

- Por isso você estava falando coisas sem sentido...

- Quando chegamos no hospital, levaram ele para uma sala e pediram para eu esperar do lado de fora. Decidi ir ao meu chefe pedir alguns dias de folga e encontrei Danzou-sama fazendo uma vistoria na minha sede da polícia. Pedi a autorização dele. Quando voltei para o hospital... Os médicos pediram algumas informações sobre ele e eu comentei da doença... O problema é que eles falaram que não havia sido a doença que causou tudo aquilo...

- Como??

- Envenenamento. Foi o que os médicos disseram.

- Ele foi envenenado?

- Não sabemos ainda que tipo de veneno foi esse, ainda estão pesquisando, de qualquer forma, deram um antídoto para ele e estamos aguardado algum efeito. Até agora não houve nenhuma melhora mas o veneno também não avançou mais mas... Os médicos disseram que isso é temporário, logo o antídoto dado não conseguirá mais conter e o veneno vai voltar a se espalhar caso não achem um antídoto definitivo. Desde ontem a noite, quando ele finalmente dormiu, não acordou mais.

- Merda, isso é preocupante... Você está acordado a noite toda vigiado ele?

- ... Eu não sei quem fez isso a ele, não posso simplesmente deixa-lo a própria sorte... Mesmo assim acabei pegando no sono sem nem perceber, que merda...

- Não tem nem ideia de quem tenha sido?

- Sasuke, sou um policial. Não posso culpar pessoas porque é o que acho. E, de qualquer forma, a verdade é que não tenho ninguém em mente.

- Itachi sempre foi muito respeitado e admirado por todos, quem faria algo assim?

- É o que estou me perguntando a noite inteira... Talvez esse “respeito” e “admiração “ sejam os grandes problemas.

- Hm... Inveja, entendi. Mas Itachi não é de nenhum cargo cobiçado ou algo assim, não tem um motivo para terem inveja dele. – Sasuke soltou um suspiro profundo – ... Shisui, eu estou aqui. Pode dormir agora.

- Peço perdão pelo meu estado atual... Assim que possível, colocaremos nossa conversa em dia, ok?

- Certo.


=~°-^-°~=


Enquanto Shisui dormia, Sasuke lia um livro aproveitando o silêncio da sala ouvindo apenas, de vez em quando, passos de pacientes, médicos, enfermeiros do lado de fora, no corredor.

Estava em uma posição péssima. Seu pescoço já estava doendo de tanto tempo abaixado. Levantou a cabeça para se alongar e reparou nas folhas que antes estavam na mão de Shisui e agora em cima da mesa ao lado do mesmo.

Soltou um suspiro cansado, não teve a melhor noite de sono possível, na verdade nem sabia se havia dormido... Levantou da poltrona e foi até as folhas, ligou a câmera do celular e tirou foto das mesmas. Shisui claramente não estava em suas melhores condições também. Era estranho vê-lo tão preocupado ao ponto de parecer desesperado. Ele provavelmente não sabia direito o que estava acontecendo ou não sabia explicar. Era só olhar Itachi, ele aparentemente estava bem... Deveria se preocupar mais? Ou melhor, deveria perguntar a algum médico por mais informações?

Hm... Seria o sensato a se fazer. Mesmo assim ainda estava meio estranho isso tudo.

Como era possível uma pessoa estar a quase dois dias no setor de emergência com o quadro de envenenamento e não saberem nem do que se trata? Pesquisando um veneno? Quem teria a capacidade de criar um veneno desconhecido pelos médicos? Estavam em tempos de guerras, os melhores médicos estavam dando suporte em outros lugares mas, mesmo assim, estava muito suspeito.

Por um momento lembrou do que Gaara lhe disse e da conversa que teve com Karin no final da aula.

Karin. Será que ela sabe de algo? Por que ela estava falando com Orochimaru sobre Itachi? Era isso que ela quis dizer quando falou que “Orochimaru tinha permissão de saber sobre os pacientes, principalmente no quadro em que seu irmão se encontra”, quadro de envenenamento.

Orochimaru... Orochimaru... Ele é um... Químico e Biólogo . Essa história estava cheirando mal demais. Mas não, não é possível que aquele cara tenha feito algo assim... Ele pelo menos tem algum motivo para isso? De qualquer forma tudo aponta para ele e é mais que óbvio que tem o dedo dele nessa história!

- Sasuke?

- Hm? Acordou, Shisui? – O mais novo foi despertado dos seus pensamentos –

- Está aqui a muito tempo? Por quanto tempo eu dormi?

- Umas três, quatro horas.

- Perdão, te fiz esperar esse tempo todo...

- Esquece isso, de qualquer forma pouco tempo assim não é o suficiente para ningué_

- Oh não, não! Eu estou bem! Já passei muito mais tempo acordado em várias missões. É uma pena você ter voltado e ver Itachi nesse situação...

- Ele está vivo, isso que importa. Você está cuidando dele, estou tranquilo. Acho que você deveria esfriar a cabeça um pouco também.

- Não se preocupe comigo. – Shisui olhou o relógio em seu bolso – Vish, já são quase sete horas da noite, melhor voltar para casa.

- Sim, sim. Eu vou indo. Antes de ir para casa tenho uns assuntos para resolver, preciso passar em lugar primeiro.

- Hmm... Algo importante?

- Não é nada demais. Vou indo. Se Itachi acordar diga que amanhã estarei de volta.

- Certo.


=~°-^-°~=


Estava andando pelos corredores indo para a saída do hospital. Ouviu risadas tão altas que era quase impossível não notar as três meninas paradas na frente de uma porta branca, usando jalecos brancos e conversando distraídas.

Duas mulheres aparentemente um pouco mais velhas que Sasuke, que nunca tinha as visto na vida, e uma mais nova de cabelos vermelhos tentando segurar a risada.

Se aproximou das meninas. Coincidência ou não, mesmo não sendo tão surpreendente, parece que tudo mesmo o levava para Orochimaru.

- Hey, Karin.

- Hm? S-SASUKE-KUN? – Ela se assustou. Para que tanto escândalo? Segurou seus óculos ainda no rosto e começou a mexer nele sem motivo nenhum – A-ah me desculpa! Eu n-não esperava te ver aqui!

- Meu irmão está internado muito longe daqui.

- A-Ah mas é claro!

- Eu quero falar com você.

- Wooow – As outras duas mulheres insinuavam coisas, com feições maliciosas, enquanto ouviam a conversa, sem qualquer educação –

- V-vocês! Parem com isso! Vão terminar seus turnos, idiotas!

- Ui hahaha Ok, ok, só não se esquece de nos apresentar seus “amigos” depois hihihi – Se afastaram aos risos –

- Hmm... – Karin estava desconfortável –

- Quero falar com Orochimaru.

- Orochimaru-sama? Você?

- Onde ele mora?

- Hm, agora ele está em um laboratório fora da vila.

- Onde exatamente?

- B-bem, isso é meio difícil de responder, tem várias entradas na verdade.

- Karin, eu só quero saber uma simples coisa, não complique e me responda rápido.

- E-eu... – Ela suspirou tentando organizar as palavras em sua cabeça – Meu turno acabou tem uns cinco minutos, se você me esperar enquanto pego minhas coisas, posso te levar aonde ele está.

- Certo. – Sasuke se sentou na primeira cadeira que encontrou –

- Certo?.... Tipo... Você.... Comigo??

- Karin... – Girou os olhos, irritado. –

- Oh! Tá bom, tá bom! Eu volto em poucos minutos!! – A menina se animou e foi literalmente correndo ir buscar suas coisas –

Poucos minutos depois, Karin voltou, já sem o jaleco médico e com uma bolsa cheia em seus ombros, chamou Sasuke e saíram do hospital.

- O laboratório de Orochimaru-sama é fora da vila mas não muito longe. – A ruiva se adiantou a dizer quando estavam a poucos metros do portão principal da vila –

- ... – Na verdade isso era bem estranho. Por que Orochimaru teria um laboratório fora da vila em tempos tão perigosos como esses? O normal seria se aproveitar da segurança da vila... O único motivo que conseguia enxergar para tal decisão era algo meio óbvio, sem proteção e, ao mesmo tempo, sem vigilância. Para ele não querer que saibam o que fazem ali deve ser porque não é algo eticamente correto, se bem que, julgando pela personalidade do Hokage, acho que “ética “ é o que menos importa. Com a fama e a confiança que Orochimaru obteve, ninguém pensava em desconfiar dele, ele tira vantagem total disso. –

Não sabia se estava fazendo o certo ou se estava indo direto para o ninho de uma cobra. Fora da vila e indo para um lugar que não conhece... Deveria ter avisado para Shisui... Não, esquece isso.

- Éé... Sasuke-kun? Sobre segunda, quando te vi no beco... – Karin tentou puxar assunto –

- Tsk – Estalou a língua no céu da boca, irritado – De novo isso. Já falei para tomar conta da sua vida.

- Hey! Eu não estava te vigiando ou algo assim!... T-tinha esquecido de entregar um trabalho na hora da saída e tive que voltar para a escola... Hm... Acabei te achando no meio do caminho, de frente para o beco. Te vi entrando, achei estranho mas quando virei a esquina você já não estava mais lá.

- Não era eu e não é da sua conta o que eu faço.

- Sasuke-kun! Eu não estou inventando coisas! Fiquei preocupa_ -- Ela mesma se interrompeu – .. Está vendo? É por isso que pedi ajuda ao Orochimaru-sama! Estamos em tempos de guerra, ele te ofereceu ajuda! Você deveria ser grato_

- Você é irritante. Não meta esse desgraçado na minha vida.

- I-irritante?...

Depois disso a menina se calou e ficou de cabeça baixa o resto do caminho.

Ter Karin ao seu lado enquanto ia falar com aquele homem era reconfortante até. Tinha a impressão de que ele não tentaria nada com Karin presente, mesmo que não confiasse nela também.

Que imbecil, não é possível que estava com receio de ver Orochimaru. O que estava acontecido consigo?

Aquilo que aconteceu no banheiro... Orochimaru nunca tinha feito algo daquele tipo mas sempre o olhou estranho. No começo, quando chegou em Konoha no começo daquele ano, apenas odiava a presença daquele cara e assim foi seguindo... Mas, depois daquilo....

Não sabia se estava preparado para isso, mesmo assim não ia deixa aquela cobra ter esse “poder” sobre ele. Sasuke não ia se entregar ao medo.


=~°-^-°~=


Seguiram uma estrada estreita em meio as árvores. Não sabia que deveria estar ali, parecia um lugar muito bem escondido para ser algo “aprovado pela vila”. Talvez fosse estratégia de defesa contra invasores mas ainda sim era muito suspeito uma entrada no formato de uma cabeça de cobra gigante com a boca aberta feita de pedras azuladas em meio a uma floresta.

Entrando na boca da cobra, havia uma escadaria que levava a um corretor subterrâneo. As paredes feitas de pedra, possuíam desenhos repetitivos do que parecia o corpo de uma cobra. O corredor era um tanto escuros, haviam apenas algumas velas acesas localizadas dentro de recuos no alto das paredes.

Logo começou a aparecer portas de madeira escura fechadas. Karin continuou andando mais a frete, sem se importar em explicar nada. Sasuke apenas a seguia, sem questionar nada.

A menina foi diminuindo a velocidade dos passos até parar de frente para uma porta branca. Deu duas batidas e abriu a porta. Sasuke pode ver, sobre os ombros dela, Orochimaru de costas e sentado, mexendo em um computador. Um outro homem ao seu lado, em pé lendo alguns papeis, era Kabuto, seu professor de Química, quando Karin abriu a porta ele virou para os recém chegados.

- Orochimaru-sama, retornei do estágio, nada à relatar. Trouxe comigo Uchiha Sasuke.

- Uchiha Sasuke? – Orochimaru se virou para olha-los –

- Irei me retirar por agora. – Karin se curvou para seu mestre respeitosamente, deu meia volta sem olhar para o Uchiha e seguiu andando o corredor até entrar em uma das portas –

Sasuke nunca tinha visto Karin tão séria e respeitosa, era um pouco surpreendente.

A sala era toda branca em tons claros e bem iluminada, diferente do resto do lugar ou, pelo menos, diferente do corredor. Tinha duas outras portas que ligavam ela a algum outros lugares. Mesas cheias de papeis, um monte de aparelhos que nunca tinha visto na vida e nem imagina para o que serviam, uma maca, armários, frascos de química, estantes de livros...

- Sasuke-kun – Orochimaru abriu aquele sorriso de merda – Que visita agradável. Imaginei que entraria em contato comigo alguma hora. Por favor, sente-se. – Kabuto trouxe para perto uma cadeira e ofereceu silenciosamente para o mais novo. Sasuke apenas deu dois passos até adentrar a sala, ficou parado na porta ignorando o convite – Bom, o que lhe trás aqui? – Orochimaru sabia muito bem, isso era óbvio, e mesmo assim perguntou –

- O que você fez ao meu irmão? – Sasuke estreou os olhos, irritado –

- Que pergunta rude. Me surpreende você achando que eu faria algo tão cruel assim. – Ele estava brincando, estava brincando com Sasuke –

- Se você tentou algo com meu irmão, eu juro que vo_

- Sabe Sasuke-kun, quem você pensa que eu sou? Você acha que meus venenos são apenas para dar um “sustinho” como aquele? Para mim, relacionar o meu trabalho com um trabalho mesquinho como aquele é pior que uma ofensa. Você ainda é muito imaturo. – Orochimaru pela primeira vez parou de sorrir e falou sério, sem ironia. Não sabia se podia confiar naquela declaração. –

- Está mentindo.

- Entenda como quiser. – Voltou que aquele sorriso debochado – Se é só isso que deseja, por favor, se retire. Estou ocupado. – Voltou a digitar e olhar a tela cheia de planilhas no computador. –

- O que você sabe sobre aquele veneno? – Sasuke perguntou ao Sennin –

- Hm, o suficiente.

- É possível remove-lo?

- Bem, isso depende. Não ser tão perigoso não quer dizer que seja simples.

- Quer dizer que não é fácil criar um antídoto?

- Um antídoto? Teoricamente é fácil, o problema são os materiais.

- Os materiais são raros? Você sabe criar?

- Quantas perguntas, Sasuke-kun. Não sente vergonha? – Sasuke estreitou os olhos novamente – Eu não me importo com o seu irmão e não vejo motivos para te ajudar.

Orochimaru estava o provocando e Sasuke sabia disso. Mesmo agora sabendo que o veneno não iria matar Itachi, e que era apenas para dar um “susto” ainda temia o mesmo motivo. A doença de seu irmão já exigia muito dele, não sabia direito a gravidade mas tinha certeza que, nos piores dos casos, algo ruim aconteceria. Não podia correr esse risco.

- O que você quer?

- Hmm... Isso é uma pergunta um tanto interessante. Existe muitas coisas que eu quero... A questão é quais delas você conseguirá me proporcionar? Vale a pena ajudar você e trair a quem fez isso ao Itachi-kun apenas por algum favor que você possa me prestar? – Falou a ultima frase com a língua passando entre os dentes –

- “Trair”? Você sabe quem fez isso a ele?? – Sasuke se aproximou involuntariamente de Orochimaru –

- Você é muito ingênuo, Sasuke-kun – O mais velho uma risada soprada, ainda o provocando. – Não consegue ver além daquilo que te cerca! – Estava falando de sua área de conforto? Por algum motivo lembrou de Naruto – Não acha patético?

- O que você quer?

- Duas coisas, por enquanto. A primeira é que você venha até mim sempre que eu te chamar e se submeta aos testes que eu mandar você fazer.

- O que? Que tipo de “testes” são esses??

- Não há nada a temer, Sasuke-kun. Apenas quero pesquisar sobre algo em você que me interessa e muito.

- Tipo o que?

- A segunda coisa direi mais tarde. – Ignorou a pergunta do mais novo – O que você me diz?

Tinha receio e estava totalmente desconfortável com aquilo. Orochimaru era nojento, não conseguia confiar nele. O que lhe garante que ele vá mesmo preparar o antídoto? E se ele mesmo tenha feito o veneno? E que tipo de condições eram aquelas?

Uma coisa é certa. Ele com certeza sabia quem tinha feito isso e era alguém que confiava nele. Se ficar por perto dele conseguirá descobrir quem foi e, se ele tentar algo, estaria pronto para conseguir provas irrefutáveis que o incriminem. Além de tudo isso, não é como se tivesse muita opção para quem pedir ajuda...

- Eu aceito. Mas se tentar algo, eu mesmo te mato.

- Estou ansioso por isso.


=~°-^-°~=


Orochimaru mandou Kabuto ir procurar os matérias que já tinham para o antídoto. Ele disse que não teriam tudo no laboratório e por isso teriam que sair para coletar. Havia plantas que só cresciam em determinados lugares ou países e isso levaria um pouco de tempo até acha-las. Estava contando com a força de Itachi para esperar esse tempo. Suigetsu acabou sendo chamado para ser o ajudante enquanto Kabuto estava fora.

Sasuke pretendia ir embora mas, como tinha concordado com as condições de Orochimaru, teve que ficar para fazer o tal “teste” que havia dito antes. Já estava começando a ficar tarde, o Sennin havia lhe dito que levaria apenas uma hora ou um pouco mais. Mandou Sasuke se deitar na maca presente na sala. Um aparelhinho ligado a um fio foi fixado ao lado de sua testa, o fio era conectado com uma maquina que tinha uma tela um tanto pequena.

- O que é isso? – Sasuke pergunta –

- Você não vai entender. – Suigetsu diz enquanto coloca outro aparelho parecido em seu pulso. –

- É um marca-passo subcortical, medirá sua a atividade elétrica cerebral. Suas ondas cerebrais.

- Eu disse que você não ia entender – O menino de cabelos brancos-azulados deu de ombros –

- Para que você está medindo isso?

- Bem, é uma longa história mas talvez você já saiba um pedaço dela. Suigetsu, traga Karin aqui.

- Okey. – Se retirou da sala –

- Sasuke-kun, você sempre foi meio intrigante para mim. – O mais velho se virou em direção ao Uchiha – Eu inventei esse marca-passo tem alguns meses e uso uma versão menor e portátil diariamente em mim mesmo para testar a capacidade e corrigir qualquer erro que ocorra. Ainda é muito cedo para tirar qualquer conclusão mas ele está funcionando perfeitamente bem.

- O que isso tem haver comigo?

- Não se apresse. Sempre que eu ficava menos de um metro de você, o aparelho começava a captar impulsos incomuns, fracos pela distância mas incomuns. Pesquisei um pouco sobre... – Orochimaru estreitou os olhos – Mas não achei nada demais. Precisava testar isso, saber o que era.

- Você é nojento.

- Peço perdão pela abordagem de segunda-feira, no banheiro. Você não deixaria eu me aproximar e fixar o aparelho de outra forma.

- Fixar o aparelho? Você tem noção do que fez?? – Sasuke se levantou rápido da maca fazendo os fios presos a ele balançaram bruscamente –

- Tomaria mais cuidado com meus equipamentos se eu fosse você. – o Uchiha o olhava incrédulo. Orochimaru simplesmente não se importava com o que tinha feito a ele – Tentei conversar para te convencer mas nem isso você permitiu, tive que tomar decisões não tão éticas, caso contrário você não ficaria quieto. – Deu de ombros. –

- Você, você... – Não estava acreditando na cara de pau daquele homem, não tinha nem palavras que pudessem desabafar a raiva que estava sentindo –

- Você está atrapalhando meu trabalho, Sasuke-kun. Estou tentando ser gentil mas geralmente não sou tão paciente. – O mais velho deu um suspiro e voltou com aquele sorriso perverso – Finalmente tenho sua presença e posso fazer meus testes com mais precisões. Deite-se e aguarde, não vai demorar.

Karin deu dois toques na porta pedindo licença e adentrou no cômodo.

- Karin, quero que você conte o que exatamente aconteceu na segunda-feira, depois da aula.

-“Exatamente”? – A menina olhou Orochimaru buscando confirmação, ele só balançou a cabeça – Estava voltando para casa mas Orochimaru-sama me ligou falando que o marca-passo que havia colocado em Sasuke-kun estava captando algo estranho, ele imaginava que alguma coisa estava acontecendo. Voltei correndo e achei Sasuke-kun no meio do caminho olhando e entrando em um beco. Ele começou a cambalear e do nada, quando pisquei, não o vi mais lá. Comuniquei tudo ao Orochimaru-sama...

- Prossiga. – O mais velho incentivou –

- Achei o marca-passo no chão, no local em que havia sumido. Acabou que ele recebeu uma carga tão grande que não aguentou e pifou... Fiquei um pouco preocupada e interpretei coisas erradas, fui inconveniente ao tentar envolver Danzou-sama sem antes questionar Orochimaru-sama... – Karin olhou para baixo, envergonhada – Fomos ao local verifica-lo mas não encontramos nada demais.

- Antes do aparelho quebrar, conseguiu captar uma quantidade de energia gigantesca que desestabilizou todo o sistema desse laboratório. Havia acontecido algo e não sabíamos o que era. Por precaução, colocamos um marca-passo mais potente, e consequentemente maior, no local juntamente com uma câmera de vigilância. – Orochimaru completava a história – Ontem a noite o sistema captou uma onda absurda e quase que outro marca-passo se quebra. Com as imagens que a câmara conseguiu, depois de leve apagão que não filmou exatamente tudo, vimos você saindo do beco como se nada tivesse acontecido.

- Com a roupa do colégio e um casaco laranja que nunca te vi usando... – Karin falou baixo fazendo um biquinho –

Noite passada estava tudo muito escuro e chovendo, Sasuke não reparou em nada de diferente naquele beco como uma câmera ou algum outro aparelho ali perto.

- Você tem algo a me dizer sobre, Sasuke-kun? – Orochimaru se virou para o mais novo –

- Não.

- Tem certeza? Isso é algo um tanto... Peculiar...

- Não tenho nada a te falar e nada que eu queira que saiba.

- ... – Orochimaru o olhou desconfiado logo dando de ombros – Certo, você que sabe. – Voltou a teclar rapidamente em seu computador. –

Sasuke não estava nem um pouco afim de falar sobre Naruto ou qualquer coisa relacionada. Pode ser uma escolha errada ou até mesmo egoísmo mas não confiava em ninguém ali daquela sala o suficiente para falar algo tão “pessoal”. Aquele universo não tem nada a ver com ninguém além de ele, não tinha um porque convincente para fazer isso.

Alguns minutos se passaram desde então mas ninguém insistiu mais em faze-lo falar qualquer coisa sobre o incidente. Em algum momento, um apagão de alguns poucos segundos e depois uma das maquinas começou a apitar. Karin correu para ficar ao lado de Orochimaru juntamente com Suigetsu que entrou na sala como uma bala. Eles três tampavam a visão da tela para Sasuke.

- Quem é....? – Suigetsu questionou, antes de conseguir completar a frase ouviu um gemido de dor vindo da maca –

Sasuke estava se encolhendo em volta da própria mão. Uma dor quase insuportável não o deixou nem pensar antes de qualquer coisa.

- Sasuke-kun? Você está bem? Quer ajuda? O que houve?? – Karin foi até onde o Uchiha estava o oferecendo ajuda, preocupada. – Orochimaru-sama! Ele não está bem!

Orochimaru ignorava a menina e digitava freneticamente no computador, mandou Suigetsu verificar o sistema de energia para ver se não tinha sofrido nenhum dano, ele logo voltou afirmando que não havia nenhuma lesão.

- Ele desmaiou? – Suigetsu voltou a olhar a tela de antes –

- Parece que sim. – Orochimaru respondeu a pergunta – Onde está Kabuto?

- Ele foi ao hospital, deve voltar só amanhã.

- Hm... Isso foi um pouco inesperado. Terei que mudar um pouco meus planos... Sasuke-kun, como está? – Se virou em direção ao citado –

- Não me subestime, isso não foi nada...

- Entendo. Bom, você está liberado. Vá para casa.

- Quê?

- Você não é mais necessário por hoje, te notificaremos quando precisarmos de sua presença novamente.

- ... Que seja. – Karin removeu os aparelhos ligados ao Uchiha enquanto ele se levantava –

- Aliás, Sasuke-kun, lembra da segunda coisa que eu queria te pedir? Bom, por acaso já ouviu falar em alguém chamado Senju Hashirama?

- ... Não. Nunca ouvi falar.

- Acredito que um dia esse nome cruzará seu caminho. Preciso simplesmente que você me traga algum tipo de material genético desse homem.

- Para quê?

- Não acho que essa informação seja útil a você.

- Tanto faz.

- Não precisa ter pressa quanto a isso, só lembre que você fez um trato comigo. Se por acaso não cumprir sua parte... Não será só a sua vida que estará em minhas mãos. – Seu rosto ficou sério –

- Apenas tente. – Sasuke também disso sério. Não iria se submeter a ameaças ainda mais se forem vindas daquele homem. Por outro lado, Orochimaru voltou com aquele sorriso sínico. Já estava cansado daquele lugar, estava saindo da sala –

- Ah! Só mais uma coisa. – Orochimaru o chamou novamente – Não se esqueça de passar pelo beco antes de ir para casa. Suigetsu, o acompanhe até estarem dentro dos portões da vila.

- Beco? – Sasuke questionou mas o mais velho já tinha dado as costas indo para outra sala –

- Eu?? Por que sempre eu? – Suigetsu protestou –


=~°-^-°~=


Chegando aos portões, Suigetsu, depois de tagarelar o caminho inteiro reclamando de algo, deu as costas e voltou. Sasuke teve que dar explicações aos guardas vigilantes sobre o que estava fazendo fora da vila aquele horário. Quando foi liberado, seguiu o caminho para casa. Para passar pelo beco precisaria sair um pouco da rota mas não se importou muito com isso... Queria verificar algo.

No final não achou nada demais lá além de um monte de lixo espalhado pelo chão. Acabou percebendo uma caixinha branca e lisa fixada no chão, com um pouco de poeira em cima, provavelmente o marca-passo de Orochimaru mas não se lembrou de procurar pela câmera.

Já estava cansado, foi um dia cheio, só queria ir para casa. Chegando lá, abriu a porta e reparou em mais dois pares de sapato na entrada, logo ouviu barulhos rápidos descendo as escadas, era Shisui.

- Sasuke!! Onde você estava? Enfim, que bom que voltou. – Shisui falava enquanto mexia em sua mochila – Comprei dangos para você e Itachi. Se não quiser, eu como – Soltou uma risadinha – Vou passar a noite com ele no hospital, estou com pressa, não quero deixar ele sozinho. – Fechou a mochila e se pôs á frente de Sasuke – Amanhã você tem aula, coma alguma coisa e não perca a hora amanhã. Bom, tenho que ir. Se cuida! – O Uchiha mais velho colocou os sapatos e abriu a porta. – Ah! Aliás tem uma surpresinha lá em cima para você! – Fechou a porta com pressa –

Era bem óbvio com quem Itachi pegou a mania de ser tão animado as vezes. Pelo menos estava bem melhor em comparação com o estado que o viu antes, no hospital. Talvez ele tenha pensado sobre o que disse de “esfriar a cabeça”.

Pegou a sacola com dangos em cima da mesa. Shisui comprou dangos porque Itachi finalmente acordou? Que bom. Mas.... Doce... Não gostava de doces... Ouviu um barulho vindo do segundo andar. Surpresa?.... Shisui não inventou de adotar um cachorro do nada, né? Esperava sinceramente que não, não duvidava mais de nada. Subiu as escadas, curioso, acabou levando a sacola com o doce junto sem nem perceber. Girou a maçaneta da porta de seu quarto com a mão da marca que ainda doía e logo viu a porta do banheiro semiaberta.

- Sai? – Chutou o nome da primeira pessoa que veio em sua cabeça e foi respondido com tosses e uma descarga – Mas que porra....? – Quando abriu a porta do banheiro, viu uma cabeleireira loira debruçada sobre o vaso sanitário. – N-Naruto? O que... O que está fazendo aqui??




~


Notas Finais


Hey hey pessoinha rsrssr
Como está a quarentena de vocês? Espero que esteja tudo bem do lado daí!

Demorei bastante para escrever mil perdões, pesquisei um bucado e tive que revê alguns eps e ler alguns artigos científicos (para ser sincera entendi naaada rsrars)
Primeiramente gostaria de dizer que não sou uma profissional em Química, Física ou Medicina (minha mamis já foi enfermeira então ela me ajudou um tiquinho, obg mãe (˘̩̩̩ε˘̩ƪ) ). Tentei explicar da forma mais simples que achei sem dar muitos detalhes, até porque isso é uma história e não um artigo científico e, se nem os cientistas entendem bem sobre essa parte da ciência, quem sou eu para entender.
Prevejo que Orochimaru me dará bastante trabalho ˉ﹃ˉ

As frases em itálico no começo do cap foram tirados do próprio anime. Eps: 215 e 216 (Naruto Shippuden)

Espero que tenham gostado e agradeço imensamente pelos 100 favoritos. Essa é minha primeira história e me sinto muito feliz vendo minha evolução com a escrita e desenvolvimento da história e vendo que pessoas apareciam o que faço, é o que me faz querer continuar! Muito obrigada mesmo ೭(˵¯̴͒ꇴ¯̴͒˵)౨

Continuem se cuidando e cuidando de sua família! Estamos todos juntos e vamos superar esses tempos difíceis!

Xoxo ( •ˇ₃ˇ•)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...