História Dinner - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Ino Yamanaka, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Dinner, Naruto, Sakura, Sasuke, Sasusaku, Sasusaku Month
Visualizações 903
Palavras 2.125
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Ficção, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Boa Noite ❤️🌼

Capítulo 1 - Jantar


 

 

 

Ela estava nervosa.

Ele havia voltado e sem vergonha nenhuma, já pedira para que ela fosse em um encontro com ele.

Um encontro.

Com Sasuke Uchiha.

Com certeza, se ela não estivesse com 23 anos, teria berrado e pulado como uma louca, dizendo que teria um encontro com o homem que sempre amou.

Mas ela se pegava sorrindo do nada, e quando atendia as crianças, estas riam por verem que ela estava corada como um tomate e logo ela tratava de esquecer o assunto, pelo menos enquanto ainda estivesse trabalhando.

Porém, Sasuke fez questão de torturá-la, marcando a data tão aguardada para o próximo final de semana.

Seriam cinco dias de tortura. E para piorar, a semana se arrastou como se o tempo parasse.

Sakura estava ficando louca.

Foi pega no flagra pela amiga, enquanto bebericava o café forte, na pausa de seu plantão que já durava 36 horas.

- Já é a quarta xícara de café em 10 minutos...Está tentando ficar bêbada ou isso tudo é sono? – Perguntou Ino enquanto pegava um pacote de biscoitos recheados.

- Os dois. – Não mentiria, estava exausta e por mais que amasse sua profissão, era cansativo.

Mas estava ali para pelo menos esquecer um pouco sobre o maldito encontro que se nagava sair de sua cabeça.

Se o café a fizesse ficar bêbada, seria melhor ainda.

- Tire 30 minutos de pausa. Eu te cubro. – Sugeriu a amiga e Sakura agradeceu.

Sempre que podiam, as duas cobriam uma a outra nos plantões e Sakura não poderia ficar mais grata por ter uma amiga como Ino.

Terminou seu café e foi até sua sala. Pegou o colchonete que sempre ficava ali e o desenrolou atrás de sua mesa e finalmente se deitando ali, se permitiu suspirar e relaxar o corpo.

Mas um barulho de sino, indicando que seu celular recebera uma mensagem a fez se irritar.

- Droga... – Se levantou e o pegou em cima de sua mesa.

“Fiz a reserva no restaurante. Agora é só esperar por sábado.

Boa noite.”

E todo seu plano sobre esquecer sobre o encontro foi por água abaixo.

Então ela iria para um restaurante com ele.

Santo Kami, ela iria explodir de ansiedade!

Um restaurante...Será que teria alguma roupa a altura? Definitivamente estava precisando fazer umas compras urgente, suas roupas estavam ficando velhas e apertadas e como quase não saía, sempre ficava em casa com suas roupas folgadas e rasgadas.

Esperava que o tal restaurante não fosse tão chique, pois iria colocar a melhor peça de seu armário, que não era lá grande coisa, visto que ela estava sem poder gastar dinheiro no momento.

 

 

 

 

O restaurante era chique.

Muito, muito chique.

Nunca havia visto nada igual. A decoração do lugar quase toda ostentada por coisas douradas, velas em castiçais prateados e lâmpadas no teto, sustentados por cristais.

Sakura se sentia uma pedinte com roupa que estava num lugar daqueles.

Sasuke estava trajado formalmente, um blazer por cima da blusa de manga cinza, uma calça jeans e sapatos esporte fino.

Sakura vestia um vestido preto estampado, com abertura abaixo da cintura e nos pés, sandálias de salto nude. Estava simples, porém, investiu no cabelo.

Com ajuda de Ino, fez um belíssimo penteado. E isso arrancou um elogio da parte de Sasuke.

Não queria ficar se martirizando por não estar a altura daquele lugar, e agora, mas calma, via que seu look não estava tão mal assim depois que lembrou quando Sasuke a olhou da cabeça aos pés e depois dissera que ela estava incrivelmente linda.

Bom, ele também estava. Muito, aliás.

Foram em direção a mesa, que ficava um pouco afastada do salão principal e Sakura abriu a boca, vendo que ali era uma área ao ar livre, com uma vista para toda a cidade de Tokyo.

Era uma varanda extensa, a mesa ficava no canto esquerdo, e na direita, a varanda continuava.

Era lindo.

- Sasuke...Que vista incrível! – Exclamou quando chegou no parapeito de concreto, observando carros e pessoas muitos metros abaixo deles.

- Sei que gosta de observar paisagens, então eu achava que você iria gostar daqui. – Disse se aproximando ao lado dela, um pouco receoso e tímido, mas não se segurou em colocar a destra na cintura fina dela.

- Sim, eu amei. – Falou um pouco vermelha, vendo que ele sabia do seu gosto por observar paisagens e se perguntava se ele sabia se ela também gostava de colocar as paisagens que via numa tela.

- Fico feliz que tenha gostado. – Sentiu a brisa fria da noite bater em seu rosto e viu a franja rosada sair de cima do olho dela.

Os olhos dela eram lindos. Era só olhar para eles e Sasuke se perdia nos verdes que ele julgava ser como duas esmeraldas.

Sentiu ela respirar profundamente e viu que ela estava corada.

Ela estava linda e estava onde deveria estar, em seus braços.

Quando a viu morder o lábio inferior, não aguentou, se aproximou e deu um beijo demorado nos lábios dela.

- Sabe muito bem o que isso me causa, Sakura. – Sussurrou, vendo que o garçom já trazia a entrada e foram em direção a mesa.

- Com tesão em um restaurante, Uchiha? – Perguntou rindo do namorado.

- Com você comigo, em todo o lugar. – Sorriu de canto e começaram a refeição.

Sasuke era amante da culinária francesa, e como entrada, pediu croque monsieur e de prato principal Bouillabaisse, sobremessa, Creme brûlée.

Sakura tinha que admitir que Sasuke sabia o que era comida boa. Não por ele ser Chef, mas por uma questão de saber o que agrada o paladar.

- Gostou? – Perguntou o Uchiha enquanto limpava os lábios com o guardanapo.

- Amei. Esse Creme brûlée estava uma delícia! – Sasuke não duvidava. Sabia que ela adorava a sobremesa e fez questão de ir até aquele restaurante pois ali habitavam os melhores Creme brûlées de toda Tokyo.

- Sabe, eu tenho uma coisa para te falar. – O moreno começou um tanto receoso, pois por mais que conhecesse a namorada, Sakura era uma mulher imprevisível.

- Coisa boa ou ruim? – Ela perguntou enquanto bebericava o vinho.

- Depende do seu ponto de vista. – Ele viu ela arquear uma sombrancelha.

- Siga em frente. – Colocou a taça na mesa e apoiou o cotovelo na mesa, segurando o rosto na destra.

- Kabuto quer abrir uma filial em Paris...E quer que eu chefie as coisas por lá. – Respirou fundo, rezando para todos os deuses que Sakura entendesse seu lado.

Ela ficou em silêncio e isso estava sendo pior do que se ela fizesse algum escândalo.

- Por favor...Fale alguma coisa... – Ele colocou a mão esquerda em cima da dela e acariciava levemente as costas da mão dela com o dedão.

-...Quando? – Ele sentiu a amargura na voz dela.

- Mês que vem. – Soltou a bomba e não pode evitar que se ela gritasse com ele, ela estaria com a razão.

- Uhm...Que bom, né? Você finalmente realizando seu sonho...Finalmente depois de trabalhar tanto...

- Sakura... – Ele a cortou, vendo que o rosto dela já estava tomado por lágrimas.

Que droga.

Ele não queria que fosse daquele jeito. Queria mais tempo com ela, afinal, tinha acabado de chegar de uma viagem e já teria que partir de novo?

Mas era seu sonho. Finalmente poderia ser o que sempre sonhou e não esperava que nada o impedisse.

Se levantou da cadeira e puxou Sakura para si. A consolou e acariciando seus cabelos, murmurou:

- Vamos para casa. Temos que conversar. – E assim deixaram o restaurante e debaixo de chuva, foram em direção ao seu lar.

No banco de trás do carro, a cabeça de Sakura estava em seu ombro e finas lágrimas ainda desciam pelo rosto dela. Sasuke limpava todas e deixava beijos castos nas bochechas dela.

Não demorou muito para chegarem ao apartamento e desceram do carro. Sasuke cobriu Sakura com sua jaqueta e foram rápidos ao entrar.

No elevador, ela ainda agarrada a ele, ela mantinha as unhas fincadas em sua nuca, como se aquilo fosse fazer ele ficar ali, ao lado dela para sempre.

Ela queria acreditar nisso.

Sasuke sabia o que aquele gesto dela representava e puxou o rosto alvo da namorada para um beijo.

Moveu os lábios, pedindo passagem para sua língua e ela cedeu. Agarrou a cintura da moça e a espremeu na parede metálica do elevador, que logo apitou avisando que eles haviam chegado no andar solicitado.

Ainda agarrados, foram em direção a porta, Sasuke sacou a chave e com um pouco de dificuldade, abriu a mesma, entrando no apartamento bagunçado dos dois e fechando a porta com um chute.

Prendeu Sakura entre ele e a porta e explorou a boca dela com fome. As mãos passeavam pelo corpo da namorada, apertando cada centímetro de pele.

Soltou um gemido quando ele apertou o seio direito por cima do tecido do vestido e logo sentiu ele fincar os dedos em sua nuca, puxando os fios róseos, fazendo seu pescoço ir para trás, expondo a pele da região, para logo ser explorada pela boca dele.

Sasuke murmurava baixinho, mas ela ouvia quando ele a chamava de linda, gostosa, e outros adjetivos que ela esquecera devido as sensações magníficas que só ele conseguia dá-la.

Sentiu o zíper do vestido abrir e logo o tecido cair sob seus pés. Sasuke se afastara para olhar o corpo da rosada, nunca se cansando de ver o quão perfeita Sakura poderia ser.

A lingerie azul lhe tinha caído muito bem. Sasuke olhava cada detalhe e puxando-a novamente para si, aos beijos, foram em direção ao quarto, deixando as roupas dele no caminho.

Empurrou Sakura no colchão macio, terminou de tirar o cinto, a calça e os sapatos. Pegou a perna de Sakura e beijando sua panturrilha, retirou as sandálias, a derrubando num canto qualquer do quarto.

Voltou a beijar as pernas da mulher que amava, e indo em direção ao lugar que ela e ele mais queriam, retirou a calcinha dela.

- Ficou lindo em você, mas na minha cama prefiro você sem nada. – E voltou a beijar a parte interna das coxas dela, arrancando um gemido que ele adorou ouvir.

Chegando aonde queria, assoprou e riu um pouco ao ver que ela estava ansiosa, tanto quanto ele, quando ela gemeu e chamou por seu nome, seguido de um “por favor” no qual ele era incapaz de negar.

Sentir o gosto doce de Sakura fazia com que todas as receitas magníficas no qual já experimentou no chinelo. Era seu sabor favorito e ele sabia que jamais iria achar sabor tão bom quanto o prazer de Sakura.

Explorou avidamente a região, ouvindo Sakura soltar palavras e gemidos desconexos, a mão dela segurando firme seus cabelos negros, pediam silenciosamente para ele continuar ali, passando a língua em seu clitóris e bombando o indicador para dentro dela.

Sentia as paredes dela apertarem seu dedo, mas não queria que ela gozasse assim.

Queria sentir aquele aperto em seu pau.

Tirou a boxer, fazendo o membro dolorido pular gloriosamente duro e logo se abaixou, deixando um beijo nos lábios de Sakura e sem aviso, a penetrar e logo fazer os movimentos de vai e vem, ouvindo ela soltar lufadas de ar em seu ouvido.

Estava com tanta fome dela que sequer se lembrou da camisinha, mas agora nada importava. Só queria explorar o corpo dela e matar a saudade.

Pelo tempo que ela estiveram sem sexo, julgou que deveria ir devagar, mas ele estava necessitado, e assim, aumentou a velocidade das estocadas, colocando as pernas dela em seus ombros e santo cristo! Como aquilo era bom!

A sentia por inteiro, cobrindo seu pau da maneira mais deliciosa possível. Ela o apertava e ele soltava rosnadas dizendo o quanto ela era maravilhosa.

Numa velocidade incrível, fazendo a cama se soltar rangidos pela madeira que arrastava levemente no chão, arremetia dentro de Sakura, já sentindo o orgasmo vir.

Aquilo estava sendo tão maravilhoso que sentia que estava fazendo o melhor sexo de sua vida. Sexo não, amor.

Se aproximou do rosto dela e dando um beijo em seus lábios, soltou o gemido que indicava seu gozo.

Ainda se movimentando dentro dela, recuperava o fôlego enquanto ambos exploravam a boca um do outro.

Foi parando aos poucos e logo ele caiu ao seu lado, a puxando para si, e sem falar nada, caíram no mundo dos sonhos.

O que eles não sabiam, é que um mês depois, um dia depois de se amarem novamente, no dia seguinte, depois que Sasuke proferisse um “Eu te amo, volto logo, eu prometo” E Sakura voltando para casa, depois de ficar enjoada o tempo todo em que ficou no aeroporto, vendo o namorado partir, descobririam que aquela noite de um mês atrás lhe trariam fruto. Que mudaria para sempre a vida dos dois.

 

Fim.


Notas Finais


❤️


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...