1. Spirit Fanfics >
  2. Dionisyus Moto Club Jungkook >
  3. Capitulo 4 por Jungkook

História Dionisyus Moto Club Jungkook - Capítulo 4


Escrita por:


Capítulo 4 - Capitulo 4 por Jungkook


Fanfic / Fanfiction Dionisyus Moto Club Jungkook - Capítulo 4 - Capitulo 4 por Jungkook

 

Os olhares eram intensos sobre mim, eu me sentia cada vez mais sufocado e preso dentro daquela enorme sala cheia de móveis antigos de madeira maciça. Abaixei meu olhar e pude sentir o longo suspiro de alívio vindo de Dae Jung. Vi de relance uma leve curva se formar em seus lábios, mas não era um sorriso animado ou até mesmo feliz, era um sorriso pesado, cheio de intenções. Não socar a cara dele foi um esforço enorme.

- Bom, então vamos finalizar isso logo, temos muitas burocracias para serem resolvidas - disse em um pigarro - Temos uma unanimidade, como conselheiro e o membro mais antigo do clube, irei fazer a transferência do patch para Dae Jung, se não se importarem faremos isso de forma íntima, apenas com os membros locais, em respeito aos últimos acontecimentos e também com a família Jeon que está em luto. - Eun Ho era um cara tranquilo e sempre aparentou ter mais idade do que realmente tinha, usava sempre suas mesmas calças escuras e botas surradas, seu charuto sempre esteve no bolso direito da camisa, um cara simples mas sempre muito acolhedor, sua feição era sempre tranquila e serena, suas rugas e expressões mostram que passou por muita coisa nessa vida mas sempre seguiu com um leve sorriso. Hoje toda aquela feição calma estava distorcida em uma expressão tensa e nada acolhedora.

Logo após as palavras de Eun Ho, todos se levantaram e começaram a agradecer e parabenizar Dae Jung, aquilo me enoja.

Sai da sala e encontrei a minha mãe na porta me esperando, ela estava tão abatida que doía vê-la dessa forma.

-Jungkook, temos que ir - ela disse, enquanto lágrimas escorriam seu rosto

Por um momento esqueci que ainda estávamos no meio do velório do meu pai. As pessoas estavam se dispersando e ficaram apenas os membros da nossa sede, aos poucos foram se juntando em volta do corpo velado de Jeong e me dei conta que ainda tinha que enterrar meu pai.

Começaram a mover seu caixão para dentro do carro funerário, enquanto alguns membros iam escoltando até o local. Quando chegamos, tomei a frente e segurei em uma das alças, Eun Ho se posicionou do outro lado e mais dois membros tomaram a parte de trás, assim o levamos até o seu descanso eterno. Quando a terra começou a cobrir, eu me fiz uma promessa, diante da honra de meu pai que iria realizar o sonho dele, ia fazer daquele um clube digno, digno de orgulho.

A chuva começou devagar, pingos finos, enquanto o sol se escondia dentre as nuvens, eu sabia que a partir de agora eu iria ter que esconder todos os meus sentimentos para não dar nenhuma brecha, eu iria fazer de tudo para realizar aquele sonho, nem que isso custasse tudo que tinha.

[...]

8 anos depois

20 de janeiro de 2019

Coreia do Sul - Seul - Itaewon

Oficina Dionysus, especializada em reparo de grandes motos e carros antigos, situada em um dos bairros mais populares de Seul, clientes dos mais variados tipos e gostos, era uma loucura, todo dia com projetos e reparos diferentes, motos para colecionadores e até mesmo para corridas clandestinas, isso não importava, desde que pagasse certo. Era aqui que eu passava a maior parte do meu dia, entre um concerto e a administração do local, além da paixão pelas motos trouxemos a sede do clube para uma grande casa ao lado, que junto abriga um pub bar.

Pude juntar uma boa quantidade de dinheiro para investir nesse negócio e reformar toda a oficina, tocar algo decente para lavar a culpa que sentia do que fazia após o horário comercial.

- JK - Jimin se aproximava com uma ferramenta na mão - Esqueceu isso no escritório, depois perde e fica me xingando - disse me entregando a chave de fenda

- Se você não perdesse tanta coisa por ai, talvez eu não te xingaria tanto - retruquei

Jimin trabalhava comigo na oficina, entrou como sócio e me ajuda com a parte administrativa. Taehyung também, é um dos gerentes e organiza os projetos de restaurações, ele entende bastante de mecânica e adora aumentar sua coleção de motos. J Hope ajuda na montagem, ele realmente é muito bom nisso. Namjoon fez faculdade, se formou em literatura e língua inglesa, fez trabalhos por fora como tradutor. Yoongi se afundou no mundo de programação de sistemas, banco de dados e essas coisas virtuais. Todos tiveram sucesso em tudo que fizeram, investiram e tiveram ótimos retornos, apesar do saldo bancário ser alto, ninguém vivia no luxo, gostamos da simplicidade e nos sentimos satisfeitos em ter apenas algumas motos para esbanjar. 

Todos os dias após as 18hrs, nos encontrávamos no bar, antes de ir para as reuniões do clube, bebíamos uma ou duas cervejas enquanto conversamos, até aqui tudo parecia ser algo normal visto de fora jovens entre seus 24 a 26 anos tomando uma cerveja depois do expediente, era realmente isso que eu queria que fosse minha rotina.

Passos largos e pesados se aproximavam de nós, uma silhueta alta sombreou a nossa volta e nós sabíamos que estava na hora.

- Vamos, já vai começar - disse Lee

Lee era um homem de 25 anos, sua feição era sempre fechada e muito séria, e ficava ainda pior quando era algum assunto relacionado ao Dionysus, ele entrou um pouco depois da morte do meu pai e foi ganhando a confiança de todos graças aos feitos pelo clube. Ficou próximo de Dae Jung e logo pegou seu patch de Sargento de Armas.

-Não era um dever seu como vice presidente chamar os membros? - disse Jin

-Eu tenho mais o que fazer do que ficar chamando marmanjo para reunião, todos sabem a hora e o lugar - retruquei e ele levantou a mão em sinal de rendição

-Não está mais aqui quem perguntou! - respondeu Jin

-Às vezes nem todos sabem a hora. - disse Jimin acenando para a porta de entrada.

Namjoon entrou todo desengonçado, deixando sua mochila em qualquer lugar e colocando seu colete por cima da blusa branca toda amassada.

-Se eu não te conhecesse, diria que você estava em um motel, mas como sei que isso é pouco provável, estou bem curioso para saber o que anda te atrasando tanto para chegar aqui - perguntou Yoongi

Yoongi era um cara quieto, nunca se metia na vida de ninguém, mas essa era a segunda semana que Namjoon perdia a hora para quase tudo e se ele não se organizar, Dae Jung vai começar a encher o saco.

-Talvez ele estava com uma garota, com essa roupa toda amassada, safadinho hein Jooniee - disse Taehyung provocando

-Não acredito que o coração de Kim Namjoon, todo centrado e focado foi tomado - retrucou Jimin - Nós temos que comemorar - disse levantando sua lata de cerveja.

-Não é pra tanto. - disse Jin - Nós deveríamos brindar o dia que alguém conseguir selar Jeon Jungkook, esse sim seria um brinde memorável, vou até fazer um coraçãozinho com as iniciais em crochê para celebrar.

-Aaaish, desde quando eu virei o assunto? - retruquei

-Desde quando você não vale nada, Jungkook - respondeu Namjoon- Você nunca esteve com alguém de verdade.

-Olha, se me lembro, todas eram bem de verdade, com todas aquelas curvas e olha aqueles belos pares de pei -

-CHEGA! - Namjoon me cortou - Ninguém quer detalhes - ele bufou

- Eu quero e o nome delas também! - Jimin respondeu com um sorriso malicioso 

Namjoon deu um peteleco na cabeça do Jimin, apesar da aparecencia fofa o nosso "sexy mochi" era um belo de um safado. 

 -Você só sabe dormir com elas e quando enche o saco, cai fora, nunca passou de uma noite, quando vai criar vergonha na cara? - Namjoon disse me olhando sério.

- Não preciso de mais uma preocupação, já tenho muitas por aqui - respondi - Sem contar que nenhuma nunca me despertou nada demais além de desejo carnal, e mesmo se despertasse eles ficariam guardados, juntos dos outros.

-Ui, falou o insensível - disse Taehyung acompanhado de algumas gargalhadas.

-Mas você se acha o engraçadinho, vamos ver quem vai rir quando eu contar seus segredinhos - disse cutucando seu ponto fraco.


- Não se atreva, Jungkook - Taehyung me fuzilou com os olhos.

-O que você faz de tão ruim assim, Tae? Não vai me dizer que chora vendo filmes românticos - disse Yoongi

Todos riram, afinal Taehyung era muito sensível e solta lágrimas por qualquer motivo. 

Dae Jung apareceu na porta da grande sala, nos espreitando e aguardando a entrada de todos os membros. Me senti tenso, eu odeio essa cobrança em cima de mim, como se fosse babá de todos.

Respirei fundo e fechei a cara, me levantei e olhei para os garotos.

-Vamos, temos que entrar - e segui em direção a sala de reuniões.


Aos poucos entramos todos, depois da mudança de prédio ganhamos uma sala espaçosa, móveis novos e uma mesa de madeira enorme. Na ponta principal sentava Dae Jung como Presidente, no seu lado esquerdo ficava Lee como Sargento de Armas e do seu lado direito, estava eu, Jungkook como Vice Presidente. Foram alguns anos para eu conseguir essa posição, passei por muita merda para chegar até aqui, engoli tudo e escondi junto das minhas angústias, nutrindo elas a cada dia para que eu possa ir cada vez mais longe, até chegar ao meu objetivo.

- Bom, parece que tivemos uma semana tranquila por aqui rapazes, sem nenhum problema aparente, certo? - Dae Jung disse me encarando.

-Sim, foi uma semana até calma demais, tivemos sucessos em todos os carregamentos e encontramos algumas gangues locais para firmar novas parcerias - respondi enquanto acendia um cigarro

- Entrei em contato com alguns amigos do exército e recebi uma proposta interessante - Dae Jung disse em um largo e animado sorriso - Se tudo der certo, vamos levar um grande carregamento para o Japão.

- Japão?? Você ficou louco Dae Jung? - sem perceber dei um soco na mesa estremecendo todos os copos que estavam em volta, os membros me encaravam.

-Eu sei que isso é um serviço um pouco mais complexo, mas vai nos render milhões de wons, podemos ficar tranquilo por um tempo até o próximo. - respondeu Dae Jung

- Próximo? Nós nem fizemos o primeiro, não votamos a favor disso - retruquei - Você sabe como estão as gangues no Japão, não é qualquer pessoa que entra lá com um caminhão cheios de armas e sai distribuindo na vizinhança rival. Você tem noção do perigo? E se a polícia nos pegar, vamos todos presos, porra! - minhas mãos tremiam, isso já estava passando dos limites.

- Nós vamos ter tudo esquematizado,  pensei que essa seria uma boa oportunidade para começarmos a expandir para um outro país. Meus amigos são ex-militares, eles possuem contato dentro da polícia. - respondeu enquanto ascendia seu charuto fedido - E ainda podemos ganhar uma boa grana com isso.

Eun Ho se manteve quieto durante toda a reunião, ele não esboçava nada, uma feição totalmente neutra. Desde que Dae Jung assumiu ele aprendeu a ser alguém imparcial dentro da sala de reunião, se pronunciava apenas quando seus conselhos eram pedidos, o que passou a ser algo pouco recorrente.

- Então, devemos votar? Quem é a favor? - perguntou Dae Hung 

Lee levantou a mão e disse sim ao novo carregamento, depois foi a vez de Seo Joon concordar, Siwon levantou a mão sinalizando mais um sim, Jisung apenas concordou. A votação parou em Namjoon, que olhava fixo para mim com o maxilar travado, eu sabia que me rebelar agora seria uma loucura, tendo em vista que metade da mesa já deu seu sim e com certeza Dae Jung já deve ter ido atrás da opinião de outras filiais, envolvendo tanto dinheiro assim, eu não teria chance nem se comprasse toda a fidelidade deles. Apenas fiz que sim com a cabeça para que ele entendesse o recado, enquanto era observado pelos outros garotos.
 

-Sim - disse Namjoon, seguindo com a votação.

Yoongi era o próximo, ele estava nervoso, seus pés batendo no chão em um ritmo acelerado, suas mãos cruzadas apoiadas em cima da mesa e sua cabeça baixa mostravam que eles provavelmente já estaria contando até 100 para não sair socando Dae Jung. Yoongi era um cara tranquilo, digamos que chegava ser fofo até certo ponto, não se metia na vida de ninguém, mas quando ficava com raiva era como se tornasse outra pessoa, já o vi lutando com espadas, socando caras até ficarem irreconhecíveis, ele assume sempre o papel justiceiro, querendo passar sempre alguma lição importante, seja em um discurso ou socando a cara da pessoa até ela entender, ele nunca fica com raiva sem motivo. Ele já foi ao médico uma vez, falaram algo sobre transtorno de personalidade, Yoongi nunca levou a sério já que isso só acontecia com gente que ele julgava merecer o que recebia, e até agora foi isso o que realmente aconteceu. O apelidamos de Agust D quando está assim, e eu sabia bem que ele já estava quase no ponto de assumir essa sua versão.

Jin pousou sua mão em sua cabeça, dando um leve toque e se aproximou do seu ouvido sussurrando alguma coisa. Yoongi respirou fundo e levantou a mão sinalizando seu sim. Jin como sempre salvando uma parte da nossa humanidade.
 Hoseok foi o próximo e apenas fez que sim com a cabeça, Taehyung também levantou sua mão, concordando com o que era pedido. Jimin abaixou a cabeça e mordeu o canto do lábio, como se quisesse impedir algo de sair da sua boca e levantou a mão sinalizando outro sim. Jin olhou para Namjoon que mantinha a mesma feição séria e apenas suspirou fundo, levantando a mão dizendo que sim. Eun Ho se pronunciou, acenando com a cabeça outro sim. A fileira ao meu lado, todos concordaram e pareciam ansiosos para saber quando começamos a operação.

- Então é unânime, está na hora do Dionysus lucrar e crescer ainda mais, tenho certeza que Jeong ficaria muito feliz vendo o quanto o seu clube está dobrando de tamanho e sustentando tantas famílias, ele com certeza gostaria muito de ver essa evolução - disse tocando em meu ombro

Quando Dae Jung tocou no nome do meu pai, associando ele a essa sujeira que ele nos enfiou, um nó se formou em minha garganta, eu não conseguia digerir aquilo. Comecei a respirar fundo, um, dois, três, respirei fundo de novo e fui voltando aos poucos com a minha cara fingida, usava ela todas as vezes que precisava agradar Dae Jung, me acalmei e forcei um leve sorriso.

Eun Ho se levantou, pegou um cigarro e o acendeu.

- Bom senhores, se não temos mais nada a discutir, estou indo nessa, já não tenho mais esse pique de vocês - disse em uma risada forçada 

- Claro Eun, te ligarei depois passando o que vamos precisar para essa operação. - completou Dae Jungun Ho acenou em resposta e saiu da sala. 

Dae Jung pegou seu martelo e deu um leve toque na mesa, anunciando que a reunião estava encerrada. 

Levantei da cadeira o mais rápido que pude, indo em direção a porta. Namjoon me parou antes que pudesse sair. 

- Não absorva o que ele disse, continue respirando fundo quantas vezes for preciso - ele disse em consolo. 

-Hoje, eu acho que vou precisar de uma boa bebida, então acho bom você me acompanhar - disse em um sorriso de canto. Namjoon sabia que não podia me negar isso, ainda mais depois da merda que tive que ouvir. Jimin se aproximou, passando o braço em meu pescoço acelerando nossos passos.

 -Vamos jungoo, hoje você pode beber até cair, prometo te deixar em casa, só não garanto que vamos chegar inteiros - disse em uma risada gostosa. Jimin era o tipo de cara que sabia cuidar de um amigo, nas melhores e piores situações. Ele me viu passar por muita merda, me viu fazer muita merda e sempre esteve ali me ajudando da sua maneira. Não só ele, como todos os meus irmãos, porque nossa amizade foi além do que um mero amigo faria, eles viraram meus irmãos e eu faria tudo por eles.
Hoseok veio ao meu lado enlaçando seu braço em meu pescoço junto do de Jimin, se pendurando e fazendo a maior folia.

 - Kookieee, já pode descer o soju, nós estamos precisando. Vamos ter uma noite animada pelo menos - disse no seu maior sorriso, era realmente muito acolhedor ter todo o seu carinho.

- Será que podemos fazer menos barulho? Isso vai incomodar o presidente - perguntou Taehyung enquanto acendia um cigarro, em uma feição séria forçada.

 Jimin e Hoseok pararam e começaram a se olhar, fizeram um breve silêncio e todos estouraram em uma longa gargalhada.

 - É disso que eu estou falando - completou Taehyung acompanhando a gargalhada dos meninos.

- Por favor, não me façam passar vergonha de novo, não quero subornar ninguém para aparem fotos de vocês pelados no meio da rua - disse Yoongi revirando os olhosJin e Namjoon apenas concordavam com Yoongi, já que eram os que menos davam trabalho em uma situação como essas. 

Continuamos andando até a entrada do bar e comecei a procurar por uma mesa desocupada, o bar estava bem movimentado. 

Meu olhar parou quando vi uma mulher, ela não devia passar dos 1,60, usava um sobretudo vinho e um coturno preto, sua blusa estampava sua preferência por rock internacional. Seu cabelo era médio e chegava na altura dos ombros, era um castanho acinzentado. Ela tinha um rosto tão delicado, suas feições eram diferentes de tudo que já tinha visto, apesar da delicadeza em seus traços, eles traziam um ar sensual, quando ela se virou encontrei meu olhar com o dela e foi ali que vi a mulher mais linda que já encontrei em toda a minha vida, seu olhar em um castanho mel era profundo, sensual e transmite uma sensação estranha e desconhecida de paz. 

Quem era essa mulher?

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...