1. Spirit Fanfics >
  2. Direto ao Topo(ASL) >
  3. Afundando em Atlantis

História Direto ao Topo(ASL) - Capítulo 4


Escrita por: Calsdlupus

Capítulo 4 - Afundando em Atlantis


Fanfic / Fanfiction Direto ao Topo(ASL) - Capítulo 4 - Afundando em Atlantis


 Ace On

 
 Se passou uma semana desde o trato com Akainu, ele me chamou duas vezes já, mas parece que não vai acabar tão cedo.... Tenho que fingir que não sinto nada e está tudo bem, mas as coisas vão piorar agora que o Pai vai voltar pra casa.... Droga, eles são perceptivos igual o Sabo, vão perceber que tem algo de errado, mas diferente do Sabo que me deu espaço, eles são meus pais e não admitem que eu esconda nada deles.... Mas ninguém pode saber.... Vou achar um jeito, eles devem chegar a qualquer momento

 Ao ouvir a porta de casa abrir vou correndo pra a sala, preciso fingir estar animado pra isso, mas ao chegar lá.... Apenas vi Sabo entrar, era quase de noite e os moveis faziam sombras grandes e escuras por toda a sala, o Sol jazia laranja em sua imensidão

 - Ué? Eles não iam vir hoje? O pai devia por voltar pra casa.... - Eu falo meio decepcionado... sentindo uma pontada de tristeza no peito

 - De onde veio essa tristeza? Devia estar feliz... menos gente tentando descobrir seu segredinho - Sabo fala irritado, mas em seguida suspira e vem até mim com os olhos no chão, ao chegar em minha frente ele me abraça e fica assim durante um tempo.... até eu começar a ouvir seus soluços - Idiota!

 - O que ouve?? Meus pais não estão bem?? O que aconteceu com meu pai?? - Eu falo preocupado

 - Eles foram pra a casa dos Newgate, não aconteceu nada "com eles", eles tinham uns assuntos a resolver lá, ai o Newgate e ele concordaram que eles deviam ficar alguns dias lá - Sabo fala me abraçando mais forte, como se não quisesse me perder, enquanto tudo escurecia enquanto chegávamos ao anoitecer

- Então.... O que ouve? - Eu falo preocupado

- Você.... Não me abandonaria, né? - Sabo fala com a voz emaranhada

- Que? - Eu falo confuso e assustado, o tão decidido, o tão confiante, o inquebrável Sabo que tem um coração de ferro.... chorando? O que poderia ser tão grande para seu coração falhar a batida? para rachar o inquebrável? para ferir seu sua tão alta autoestima, sua forte armadura rachou, seu grande e poderoso castelo.... ruiu? - Nunca de abandonaria! Vou estar sempre aqui... Sabo, o que tá acontecendo?

 - Te sinto cada vez mais distante, te vejo se afastar, não confia mais seus problema a mim.... nossa irmandade.... tá se desfazendo... Eu sinto isso, Ace... Por favor, não me abandona!! Nada mais faria sentido sem ter você e o Luffy como irmãos... Por favor!! Não vai embora!!  Não quero que isso despedace desse jeito... se nossa irmandade ruir, eu vou junto, se quebrar, eu quebro junto, se se desfazer, vou me desfazer junto! Por favor Ace.... não deixa esse sentimento morrer desse jeito..... - Sabo fala desesperado, não contendo as lágrimas, enquanto me abraça como se eu quisesse fugir e ele não pudesse deixar

- Eu.... Olha.... quando tudo estiver acabado.... juro que te conto.... Mas.... agora não dá... Mas isso nunca faria eu abandonar vocês.... é por vocês! Por isso você ainda não pode saber.... é um assunto... delicado.... Ok? - Eu falo me sentindo muito culpado por estar fazendo Sabo se sentir assim

 Com minhas palavras Sabo suspira pesado, e logo se recompõem, mas ainda com seus olhos vermelhos e com cara de choro, diz: - Vou fazer algo para comer.... Vai querer o que?

- Qualquer coisa tá bom - Eu falo sorrindo pra ele, mas meu sorriso era claramente falso

 


Quebra de tempo 


  Eu e Sabo comemos sossegadamente, até ouvir a campainha tocar, vou até a porta curioso e ao abrir a porta vejo Marco, ele dá um sorriso lindo, e aproxima seu rosto do meu, mas eu dou alguns passos pra trás, impedindo seu beijo de alcançar o meu rosto, o deixando sem entender 

Ao me afastar, eu falo meio incerto: - Vem, Sabo preparou algo pra a gente comer, mas tem o suficiente pra você também - Eu falo, sem olhar nos olhos do Marco 

- Eerrr.... Entendi, hahaha, tá achando que eu vou roubar comida da sua boca, é? - Marco diz tentando descontrair, mas não conseguindo tirar o tom magoado da voz 

- Hm - Eu respondo seco..... Não quero tratar ele mau.... mas não consigo não ser assim.... pensar no que eu fiz.... quero distância dele.... me sinto nojento o quanto mais ele é gentil comigo, eu não mereço isso.... Não te mereço, Marco.... 

Assim ele entra na cozinha me seguindo, sentamos e comemos, enquanto ele me fitava com olhos preocupados, e trocava olhares duvidosos com Sabo, que demonstrava também não saber do que se tratava..... Por que eles tinham que se preocupar tanto comigo? Por que não posso simplesmente ser ignorado e que eles finjam que eu não existo? Por quê? Por quê? 

Enquanto eu ainda comia, senti o celular vibrar e vi mensagens do Akainu.... Droga.... 

  - Parece que veio aqui por nada, Marco - Eu falo frio e rude 

- Hmm..  Hum? Como assim, Amor? - Marco fala me olhando com seus olhos outrora tão alegres, felizes e brincalhões, e agora tristes, magoados e machucados - Eu fiz algo de errado? 

  Até Sabo sentiu um aperto no peito com aquela frase... era óbvio que a culpa não era de Marco, mas ele não fazia ideia.... Podia se ver ódio refletindo no rosto do Sabo, seus olhos pareciam que matariam qualquer um no primeiro sinal de quem era o responsável, enquanto cada célula do meu corpo murmurava em culpa 

- N..Não..... só..... Eu vou ter que sair..... - Eu falo sentindo meu estômago revirar em nojo, ao perceber que eu estava dispensado meu namorado, a pessoa que eu amo, só pra ficar a sós com outro..... acho que isso não tem como piorar 

- Eu te levo! Vamos juntos, se tiver um problema resolvemos juntos também! Não é? Como sempre fizemos! - Eu fala com incerteza na voz, parecendo meio desesperado por estar perto de mim, ele sabia que tinha algo errado comigo, queria me ajudar, estar ao meu lado como sempre esteve.... mas dessa vez não dá..... 

- Não, Marco..... Eu vou sozinho... É coisa de uns amigos.... Não tem porquê você se intrometer - Eu falo seco 

- Mas.... E..eu posso achar uma forma de ajudar! - Marco fala desesperado, ficando de pé, se levantando da cadeira a minha frente na mesa da cozinha 

- Marco..... - Droga... me dói muito ter que dizer isso - É minha vida! E eu não preciso de você me ajudando agora! Só preciso que vá embora e me deixe em paz! 

Assim eu escuto o estrondo e Sabo quebrou a mesa em um soco, seus olhos fechados com força e cenho franzido mostravam que ele estava completamente puto, como poderia não estar? Ele também tem namorado, Kid teve sérios problemas em uma briga a meses atrás e teve de ir para outro país por causa da família, eles não se veem nem se falam desde então.... E eu estou aqui, mandando o cara que eu amo embora, sem mais nem menos, me machucando e machucando ele com isso, e Sabo já sabe que o que quer que seja que eu estou fazendo é por ele e pelo Luffy.... 

Nossa Irmandade parece prestes a desabar, meu romance e do Marco está sendo jogado no lixo e eu estou me afundando em um redemoinho, vendo tudo ser levado e não fazendo nada, pois eu sou uma das coisas que está sendo levado, estou me despedaçando por dentro, é como se eu estivesse morrendo aos poucos 

Marco, com os olhos agora sem vida e completamente destruído por dentro olhava com os olhos arregalados para o chão, ainda em choque pelo que eu disse, seus olhos começam a se encher de lágrimas e ele vai embora as pressas 

Assim eu troco de roupa, e vou o mais rápido que posso ao encontro de Akainu..... tentando me controlar para não desabar, só posso me permitir isso quando eu estiver sozinho

 Ao chegar lá, sabia que tinha demorado demais e acabaria o fazendo esperar.... e isso era uma de sua enorme lista de regras "Não me faça esperar"

 

Quebra de tempo - Luffy On

 

 Eu estou com uma sensação muito ruim a dias, estou preocupado, é como se algo de ruim estive por vir..... Sinto que Sabo e Ace precisam de mim, Yamato contou que Roger deixou de ser o Rei do Inferno, e eu sei.... que de algum modo tem ligação com isso, sinto que algo esta afligindo Ace.... Já pedi varias vezes pra ir velos, mas Raylegh não deixa, tentei fugir várias vezes, mas só recebo castigos, brigas, resmungos e socos

 Mas ele não vai me impedir por muito tempo!! Não! Eu vou ir até eles, eles são meus irmãos e precisam de mim!! As vezes me pego chorando no meio da noite, e sei que Ace e Sabo se encontram na mesma situação, estou sentindo a dor deles comigo... Estou sentindo nossa irmandade ruir e isso tem me deixado com muito medo.... pois prometemos que ela nunca acabaria...... enquanto estivéssemos vivos, preciso ir logo.... por favor, Sabo..... Ace..... aguentem firme, eu vou chegar o mais rápido que conseguir.... por favor, fiquem vivos até lá



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...