1. Spirit Fanfics >
  2. Disaster - Johnny - NCT >
  3. A verdade

História Disaster - Johnny - NCT - Capítulo 18


Escrita por:


Notas do Autor


Oie!

Vamos?
Então vamos!

Capítulo 18 - A verdade


Fanfic / Fanfiction Disaster - Johnny - NCT - Capítulo 18 - A verdade

A maneira que Johnny me olhou... eu não soube decifrar se era repulsa, raiva, ódio... ou tudo junto. Ou se era apenas desespero por querer saber o que de fato estava acontecendo.

Eu teria que contar, não tinha mais jeito de esconder, o desastre já havia acontecido...

Mas antes, eu precisava cuidar do meu irmão.

Assim que eles chegaram, Yuta e Taeil levaram Jungwoo pra dentro da casa de Johnny e o deitaram sobre o sofá, e eu fui atrás, desesperada

-Por favor! Eu irei contar tudo, mas me ajude com Jungwoo... ele não está acordando!! – eu estava desesperada, com a cabeça de meu irmão sobre meu colo e Suny ajoelhada, chorando sem parar.

-Yuta irá cuidar de Jungwoo e você, nos contará exatamente o que está acontecendo – Johnny falou calmo, mas dava pra ver a raiva lhe consumindo.

E então, o inesperado aconteceu.

-A culpa é toda sua... - a raiva na voz de Suny me fez ficar alerta e a olhei assustada.

-Suny... você sabe que...

-CALA A BOCA! - e minha melhor amiga deu um tapa no meu rosto que fez minha cabeça girar - nós vivemos no perigo, fugindo, por culpa sua! Seu irmão teve que vender as únicas coisas de valor que vocês tinham para pagar dívida sua! Ele foi preso por culpa sua! Eu não aguento ver Jungwoo morrer de preocupação todos os dias por você! - Suny ficou em pé e começou a chorar e a puxar os cabelos - você ainda vai nos matar! E sabe por que eu ainda estou aqui? Porque eu amo seu irmão, porque apesar de você ser uma bomba relógio, é minha melhor amiga! Mas já não dá pra suportar! Hoje foi o limite... Jungwoo... eles quase mataram o seu irmão!

Desabei no chão em prantos, ela tinha razão... eu era um erro de pessoa. Então, ouvimos a voz baixinha de Jungwoo.

-Eu...eu estou bem... não briguem – olhei para meu irmão e ele ainda estava de olhos fechados e deitado, sua expressão mostrava claramente a dor que ele estava sentindo.

Corri até ele e fiquei o abraçando e beijando seu rosto.

-Me perdoa Woo...por favor, me perdoa... - pedi entre lágrimas - eu vou procurar o Hyukjae e ele...

Então Johnny, que até o momento estava sentado em silêncio no canto da sala, junto dos outros meninos, se levantou e veio até nós.

-Quem é Hyukjae? Que porra você está pensando em fazer? Jungwoo, me desculpa cara, mas eu preciso saber agora de toda a verdade!

-Jenie... - Jungwoo falou meu nome e apertou minha mão.

-Eu estou bem...Johnny precisa saber. Eu vou contar, tudo – fiquei em pé na frente de Johnny, enxuguei minhas lágrimas com as costas da mão e olhei para todos ali na sala, Suny, Taeil, Mark, Haechan, Yuta, Taeyong e por último, olhei fundo nos olhos de Johnny – vocês provavelmente irão me odiar...e eu irei perder os amigos que fiz, irei perder de vez meu irmão e minha melhor amiga...e irei perder você - disse olhando para o Johnny – mas é justo que saibam a verdade.

-Ninguém aqui vai abandonar ou odiar ninguém. Mas sim, é justo que você nos conte o que está acontecendo. - Johnny falou e cruzou os braços.

Me senti intimidada e com medo, mas não tinha volta. Respirei fundo e comecei...

-Eu sempre fui o oposto de Jungwoo...ele sempre foi o filho exemplar, o bom menino, bom aluno, calmo... eu sempre dei trabalho para os nossos pais... e quando os perdemos naquele maldito acidente, minha cabeça pirou... eu pirei e foi um erro atrás do outro. Jungwoo se desdobrou em mil para cuidar de mim, com uma responsabilidade imensa aos 17 anos...e então, o auge da minha irresponsabilidade foi me envolver com a pessoa mais errada que existia. Lee Hyukjae. Ele faz parte de uma perigosa gangue de Busan, mas quando o conheci, não fazia ideia! Juro! Mas me apaixonei... E quando descobri sobre o perigo que ele representava, não senti medo e para piorar, topava tudo o que ele me pedia, afinal, eu queria agrada-lo. Mas numa das missões, que envolviam drogas e armas, acabei sendo pega. O chefe da gangue me colocou como cobaia e fui presa... Mas na época eu era menor de idade, então meu irmão acabou sendo preso no meu lugar. Vendemos algumas coisas e paguei a fiança e num acordo feito com a polícia, delatei todo o esquema da gangue. Hyukjae foi preso... Invadiram nosso apartamento, roubaram algumas coisas... Enfim, igual aconteceu hoje...E por isso resolvemos fugir para Seul, transferindo nossas faculdades e decididos a começar vida nova. - Respirei fundo e olhei direto para Johnny – era por isso que eu fugia de você... Era por isso que eu não queria me envolver, que eu me escondia nas roupas comuns demais, eu queria ser invisível – acabei rindo triste – e olha por quem me apaixonei... O cara mais encrenqueiro da faculdade. É como se o perigo me seguisse...o gosto pela adrenalina. Não que você seja como Hyukjae, de forma alguma! Mas estar com você me faz sentir isso, a vontade de correr o risco! Mas você estar comigo.... É fatal... Perigoso demais.

Olhei para todos os meninos e eles me encaravam perplexos e Johnny... Bom, Johnny era o Johnny...

Ele se aproximou de mim e me segurou pelos braços, me apertando.

-Por que você não contou a verdade desde o início??? – fechou os olhos e virou a cabeça para o lado, mordendo o lábio com força – POR QUE NÃO ME CONTOU A PORRA DA VERDADE????

Ele acabou gritando comigo, me chacoalhando e eu chorei ainda mais. Johnny me soltou e deu um soco na parede ao lado.

-Que inferno! Jenie, você tem noção do perigo que está correndo? Quase mataram Jungwoo!

-Eu... Tive medo, olha como você está!

-Eu? Eu estou puto! Por que se tivesse me contado a verdade desde o começo, eu teria acionado a polícia, o FBI, o Papa! Mas não deixaria esses caras chegarem onde chegaram! Que porra! Jenie, eu poderia ter protegido vocês de outra maneira! Você simplesmente mandou a merda nosso relacionamento, não confiou em mim e colocou todos nós em perigo!

-Você me odeia...

Johnny então me olhou e por um momento achei que ele não tivesse entendido o que eu havia falado.

-Princesa... Eu te amo! E exatamente por isso estou com tanta raiva! Você não confiou em mim! Tem ideia da merda que isso vai dar? Agora tenho que agir rápido, ou...

-Isso não é problema seu... Eu irei resolver. É a mim que Hyukjae quer. Eu vou até ele. – falei decidida.

Johnny começou a gargalhar, me assustando. Parou de repente e segurou no meu queixo, me fazendo olhar para ele. Seus olhos estavam duros, sua expressão me deu medo.

-Não baby... Agora a conversa é comigo. – olhou para Jungwoo e Suny – irei até o apartamento de vocês com Taeil e Mark e iremos trazer roupas e mais alguns pertences. Vocês irão ficar aqui, até que essa situação seja resolvida, certo?

-Tudo bem... – Jungwoo respondeu baixinho e retorcendo as feições de dor, já que Yuta estava passando cicatrizante em seus cortes pelo corpo.

-Yuta, Taeyong e Haechan ficam aqui com as meninas e Jungwoo. Depois que pegarmos as coisas de vocês, eu, Mark e Taeil iremos até o inferno atrás desse cara.

-Como irão achar ele? – perguntou Taeyong.

-Eu sei como. Vamos atrás de Kun – Taeil respondeu já ficando em pé, chamando a atenção de todos, especialmente de Johnny, que ainda não sabia quem era a pessoa junto com Hyukjae.

-Kun? O Qian? Não me diga que era ele... – falou Haechan.

-Era ele mesmo. Agora só não sabemos até que ponto ele está envolvido com esse traficante de Busan. – completou Yuta.

-Vocês dois tem certeza que era o Kun? Porque se for ele mesmo, Jaehyun e Lucas... Eles estão envolvidos! – Johnny parecia que ia ter um colapso, de tão vermelho e nervoso que estava. Suas mãos tremiam... assim como meu corpo todo.

-Temos sim, era ele – falou Taeil.

-Então era por isso que Lucas me dizia... Aquelas coisas – falei baixinho, num pensamento alto.

-Coisas? Que coisas? – Johnny se voltou para mim, totalmente em alerta.

-Ele dizia que sabia do que eu gostava... Eu fui tão burra! Hyukjae estava me vigiando desde que cheguei aqui... Eu tô perdida!

O desespero tomou conta de mim e comecei a chorar, olhei meu irmão e ele estava deitado, me olhando triste, com Suny ajoelhada ao seu lado, me olhando com uma certa raiva e pena... Yuta estava ajudando com os machucados, e nem me olhava direito. Mark e Taeil me olhavam sem expressão, como se estivessem analisando tudo aquilo... Haechan e Taeyong me olhavam com pena... E Johnny... Ele ainda era o mesmo Johnny impulsivo, explosivo, teimoso... E eu estava com medo de perde-lo. Eu não sabia o que ele iria fazer, mas mesmo assim, mesmo com tantas dúvidas, senti seus braços em volta do meu corpo, me consolando.

-Calma princesa... Eu irei dar um jeito, eu prometo...

*****//*****

Eu não estava entendendo aquela situação... Por que diabos Jaehyun estava sempre naquele carro preto? Ou por que de repente ele havia virado melhor amigo do Lucas? Aquele chinês não me cheirava nada bem...

Essa situação já vinha se arrastando há algumas semanas, desde que Jaehyun havia ido se encontrar com Kun naquele restaurante. O que Kun tinha proposto para ele? Aliás, o que o Qian era na verdade?

Desde que Jaehyun havia perdido aquela luta para o Johnny, ele andava estranho, misterioso e até me deixando de lado ele estava.

Nós éramos melhores amigos desde crianças, afinal, ele era meu vizinho, e na verdade era meu único amigo... e Jaehyun não tinha tantos amigos também, sempre com essa pose de valentão e briguento, poucas pessoas se aproximavam dele. Eu me aproximei porque queria proteção e ele viu em mim alguém que poderia confiar.

Quando começou com esse negócio de lutas clandestinas, eu sabia que era apenas um pretexto para desafiar o Johnny.

Johnny Seo era o cara popular de toda universidade, todos queriam ser amigos dele, mesmo ele sendo tão valentão e briguento quanto Jaehyun. A diferença dos dois, era que Johnny era sempre legal, popular e querido. E Jaehyun... bom, ele era arrogante e pretensioso.

Mas eu gostava dele como um irmão e nossa promessa de sermos amigos para sempre, estava muito balançada... tudo por causa das pessoas que ele andava se envolvendo ultimamente. Qian Kun e Lucas Wong.

Cansei de perguntar para ele e receber a mesma resposta de sempre...

-Ei Jaehyun, o que está acontecendo? Por que todas as noites você tem compromissos com Lucas? Qual é?

-Não enche Doyoung, não se meta nisso, para o seu próprio bem!

Era sempre assim...

Mas além de eu estar cansado disso, de estar sendo deixado de lado, eu sentia que algo de muito ruim estava acontecendo. Era óbvio que a bomba iria estourar nos mais fracos, Jaehyun e Lucas. Kun me parecia muito seguro de si, além do que, o cara que estava andando com eles ultimamente, me causava arrepios.

Mas hoje havia sido a gota d'água.

Eu havia saído da minha sala e fui atrás de Jaehyun, pra gente estudar juntos, jogar video game, sei lá, fazer qualquer coisa que costumávamos fazer quando saíamos da faculdade.

Andei aquele campus inteiro e nada de ver Jaehyun, até que vi Lucas e fui verificar se Jaehyun estaria com ele. Encontrei meu amigo conversando com Lucas, Kun e o cara estranho, na porta dos fundos da faculdade, na real eles pareciam discutir. Fiquei atrás do muro para ouvir do que falavam.

-Vocês dois entenderam? Fiquem a postos, esperando minhas ordens – disse o outro cara, de forma dura e grosseira.

-Mas eles estão divididos, só podem estar! Em todo canto tem sempre um deles – disse Lucas.

-Foda-se! Eu e Qian ficaremos aqui e vocês dois ficarão na saída principal. Me avisem se virem a garota saindo por lá - disse, olhando para todos os lados, como se estivesse procurando alguém. Mas... de quem garota ele falava?

-Lucas, Jaehyun, fiquem atentos, Johnny e os outros estão iguais cachorros loucos. Se desconfiarem de vocês, estamos fodidos – Kun tinha tensão em sua voz e isso me fez ficar em alerta.

-Eu quero pegar esse Johnny... e irei matá-lo com minhas próprias mãos - quando o cara de regata e feições assustadoras disse isso, senti um arrepio.

O que será que eles estavam armando? Por que queriam tanto pegar o Johnny? E essa garota? Será que era a....

-Se virmos a Jenie, a pegamos? - perguntou Lucas, sorrindo de forma maliciosa.

-Se tocar num fio de cabelo da minha garota, eu mato você - o cara mesmo sendo muito menor que Lucas, disse isso e empurrou o chinês contra o carro, deixando o Wong completamente em pânico.

-De jeito nenhum Hyukjae-si... ela é sua.

Hyukjae.... era esse o nome desse cara.

E eles queriam a Jenie, por que? Eu iria descobrir.

Dei a volta no campus, correndo na direção da saída principal, precisava falar com Jaehyun.

Quando o vi, nem me importei com Lucas, gritei seu nome bem alto.

-Jaehyun! Ei! - ele me olhou e me ignorou, continuando andando ao lado de Lucas, como se eu não fosse nada. Corri e segurei seu braço - ei, quero falar com você!

-Me erra Doyoung! - falou e se soltou de mim – vai embora daqui e não se meta!

-Mas...

-Se toca Kim! Some daqui! - Lucas falou meio entre dentes, com uma expressão que me deu medo. Mas eu não iria desistir.

Se tinha algo em que eu era bom, era ser invisível. Aprendi ao longo dos anos, tentando fugir dos garotos que implicavam comigo.

Fingi que fui embora e fiquei à espreita, apenas esperando o que eles fariam.

Da onde eu estava, pude ver Johnny e Donghyuck indo para um lado, Taeyong para outro e Yuta e Taeil não apareceram, mas deviam estar vigiando de outro lado. Lucas e Jaehyun estavam tensos e então, atenderam uma ligação. Vi apenas Lucas balançando a cabeça e extremamente nervoso, de repente entraram num carro e saíram acelerando. Eu precisava saber onde eles estavam indo...mas não tinha ideia de como faria isso.

Resolvi ir para casa e deixar pra lá, pelo menos por enquanto. Mas o destino estava me ajudando nisso. Quando cheguei na quadra de casa, vi o mesmo carro que os dois haviam saído em disparada. Me abaixei e fui na direção que eu sabia ser da janela do quarto de Jaehyun. A ajumma não estaria em casa essa hora, mas certamente se eles estivessem fazendo coisa errada, era no quarto do Yoonoh que estariam.

Paralisei quando ouvi a voz grossa de Lucas falando baixinho.

-Cara, eles querem mesmo fazer isso? Eu não imaginei que chegariam a tanto...

-Eles já pegaram o irmão dela, pelo que Kun falou, quase mataram o Kim e ainda deram uma cadeirada no Mark...

-Cara... o pior é que se a gente não fizer isso, os próximos seremos nós dois...

-Lucas... eu não sei o que fazer.

-Jaehyun, vamos obedecê-los, vamos alugar o tal lugar. Foi a ordem de Hyukjae. Eu não quero morrer.

Morrer? Quase mataram Jungwoo? Isso era muito sério. Eu ainda não sabia do que se tratava, mas de uma coisa tinha certeza, Jaehyun, meu melhor amigo, corria perigo. E pessoas que aparentemente não mereciam, também.

Eu podia ser um filho da puta, arrogante e metido a esperto, que me escondia sob as asas de Jaehyun. Mas eu não era bandido e precisava fazer alguma coisa.

Deixei minha mochila em casa e corri em direção ao único lugar que poderia ir.

*****//*****

Eu queria sumir dali! Arrumar minhas coisas e fugir, ir para bem longe dali e deixar finalmente meu irmão livre dos meus problemas, deixar que Suny viva menos tensa. Deixar Johnny ser feliz com alguém menos problemática. Desaparecer! Ou talvez deixar que Hyukjae me pegue de uma vez e me mate. Pronto, fim!

Mas Yuta, Haechan e Taeyong estavam alertas demais e não desgrudavam os olhos de mim nenhum um segundo. Jungwoo dormia sob efeito dos analgésicos e Suny estava quieta num canto, ainda sem falar comigo.

Mas todos nós acabamos nos assustando quando ouvimos a campainha tocar.

-Deixa que eu vejo quem é - falou Yuta e seguiu até a porta, abrindo um pouco – Doyoung? O que faz aqui?

-Preciso falar com Johnny, é urgente – falou o garoto num tom de voz meio apavorado.

-Johnny não está aqui e se você veio até aqui a mando do bastardo do Jung, saiba que já sabemos que ele está envolvido na merda...

-É justamente dele que vim falar – disse baixinho – Nakamoto, é urgente, acredite em mim!

-Deixa ele entrar! - gritou Taeyong.

-Vai, desembucha – Yuta o puxou e fechou a porta – fala de uma vez, Kim.

-Jaehyun e Lucas estão envolvidos com um cara muito sinistro...- Haechan o interrompeu.

-Essa é a novidade? - falou Hyuck de forma amarga.

-Não. O problema é que esse homem com cara de bandido pediu para eles fazerem algo que aparentemente é muito perigoso. Jaehyun e Lucas estão com medo. É para alugar algum lugar... desculpa não saber de mais coisa, eu ouvi isso da janela da casa do Jaehyun...

-E quis ser legal e veio correndo contar pra gente? Conta outra Doyoung, você não vale nada, assim como eles! - disse Yuta, nervoso.

-EU NÃO SOU BANDIDO, TÁ LEGAL! - falou alto demais, acordando Jungwoo – desculpa Jungwoo... eu fiquei sabendo do que fizeram com você... achei horrível... enfim, eu sei que vou me ferrar, mas eu precisava avisar, quem sabe eu consiga fazer algo que preste e impeça de uma merda maior acontecer. - olhou para todos nós e deu um meio sorriso - é isso... avisem o Johnny, ele corre perigo e Jenie, não saia daqui. O cara que está ameaçando Lucas e Jaehyun para fazerem isso, disse que você é dele.

Doyoung simplesmente falou, virou as costas e saiu da casa, nos deixando ainda mais nervosos.

-O que faremos? - perguntei tentando conter minhas lágrimas.

-Ficaremos aqui. Eu vou ligar para Taeil e passar essas informações - disse Yuta.

-Ele virá atrás de mim... - eu disse completamente desesperada.

-Confie em nós, Jenie. Ninguém vai tocar em você - disse Taeyong.

Mas alguma coisa não estava certa. Yuta não parava no lugar, com o telefone na orelha e ninguém atendia a porcaria do telefone.

-Ninguém atende... - disse baixo, depois de ter tentado umas vinte vezes ligar para Mark, Johnny e Taeil.

-Vamos esperar...vamos manter a calma – falou Haechan, mais para si mesmo que para nós.

Mas era impossível não se desesperar. Eu estava em pânico.

*****//*****

Saímos de casa e fomos direto na casa do Qian, eles tinham que estar lá...

Mas quebramos a cara. Nem sinal do chinês filho da puta e do traficante.

-Taeil, eles não estão aqui, algum palpite? - perguntei para o Moon, mas foi Mark que me respondeu.

-Vamos para o bar perto da faculdade, Kun vive por lá.

-Vamos!

E nada... eles também não estavam lá.

Continuamos andando pela cidade, buscando algum sinal do maldito carro preto, até que tive o palpite de ir no reduto da máfia chinesa de Seul. Ali tinha de tudo o que era errado, prostituição, drogas, armas, roubo...

E parado numa das esquinas estava o carro preto.

-Vamos lá. Vocês dois seguram o Qian e quem mais estiver ali, o outro cara é meu. - saímos do carro, o deixando numa distância bem razoável e seguimos até o maldito carro preto.

Eles não estavam lá.

-Ei, ali – ouvi a voz de Taeil, sussurrada, indicando o Kun e o tal Hyukjae, saindo de uma porta estreita, ambos com expressões muito sérias.

-Ele é meu.

Dei a volta pelo carro e o puxei pela regata preta, já desferindo um soco na cara dele.

Vi pelo canto dos olhos o momento que Mark socou a cara do chinês, o derrubando no chão e Taeil o prendendo com as pernas.

Hyukjae depois do susto, veio para cima de mim, querendo revidar, mas eu estava sentindo o sangue nos olhos e não dei chance para ele.

O soquei sem dó, o deixando caído no chão e só parei quando seus capangas apareceram e Mark e Taeil tiveram que os conter. Foi surgindo gente de todo lado e não era possível apenas nós três conseguir ganhar essa.

Olhei para o lado e Hyukjae havia sumido misteriosamente e seus capangas estavam vindo pra cima da gente.

-Johnny, vamos! - Taeil e Mark começaram a me puxar a contra gosto e não tive como contestar.

Entramos no carro e saímos a toda velocidade daquele lugar.

A minha ideia era bater naquele desgraçado e depois chamar a polícia, mas não deu tempo...

Mas agora eu conhecia o seu rosto e eu o pegaria novamente.

*****//*****

Dentro de um dos vários bares chineses daquele bairro na periferia de Seul, Hyukjae jurava vingança.

-Eu vou matar aquele desgraçado... aos poucos... e irei começar pela pessoa que ele ama. Irei fazer ele sofrer. - o ódio e a sede de vingaça tomavam conta de Hyukjae de uma forma que até mesmo Kun se assustava.

-Vai mesmo prosseguir com a ideia? Johnny agora viu seu rosto!

-FODA-SE! Eu quero vingança...avise Lucas e Jaehyun. Preparem o galpão, a pegaremos ainda essa noite.


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...