História Discovering Love - GabLipe - Capítulo 22


Escrita por:

Postado
Categorias Felipe Neto
Personagens Felipe Neto, Personagens Originais
Tags Bruno Correa, Felipe Neto, Gablipe, Gabriel Araújo, Luccas Neto
Visualizações 187
Palavras 1.200
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Ficção, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Saga, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 22 - "O que está acontecendo com esse menino?"


Fanfic / Fanfiction Discovering Love - GabLipe - Capítulo 22 - "O que está acontecendo com esse menino?"

Pov Gabriel

Estamos no carro, quase chegando ao nosso destino, estou olhando atentamente pra estrada, porém sinto um olhar pesar fortemente sobre mim, olho pro lado e o Felipe estava virado pro meu lado me olhando com uma cara estranha, já até sei no que ele está pensando.

- Não Felipe, nem pense em me chupar agora - ele bufa e para de olhar pra mim e eu volto a olhar pra frente.

- Felipe : Eu já estou ficando entediado aqui dentro Gabriel, eu preciso de alguma coisa pra fazer o tempo passar rápido - pego o celular dele que estava no porta luva e o entrego - isso não vai adiantar nada.

- Calma amoxinho xá xá chegamos - falo com uma voz de bebê e ele revira os olhos.

- Felipe : Você já está falando isso há vin... - coloco um dedo na frente da sua boca, o impedindo de terminar sua fala.

- Você está ouvindo isso? - ele nega com a cabeça - é o silêncio, você poderia colaborar com a existência dele! - recebo tapas no braço e dou risada - tá, já chegamos - estaciono o carro e tiro o cinto.

- Felipe : Amém, mas chegamos aonde?

- Não sei - ele me olha confuso - eu não sei Feh, nunca vim aqui e nem sei do que se trata.

- Felipe : Ah que legal, aí entramos e tem várias pessoas fazendo macumba lá dentro - abro a porta e saio do carro, ele faz o mesmo e vêm pro meu lado.

- Relaxa, um amigo me indicou, não deve ser um lugar ruim - pego em sua mão e entrelaço nossos dedos, começando a andar em direção a entrada do local.

- Felipe : Do jeito que a maioria dos seus amigos são, só pode ser um puteiro - entramos no local e era um lugar aberto e enorme que parece ser algum parque, apenas continuamos andando tentando encontrar alguma coisa ou alguém.

- Claro que não, se fosse eu já teria vindo antes - ele me olha sério e para de andar - eu tô zoando amor, vamos andar logo porquê assim vamos embora mais cedo, não aguento mais esse lugar.

- Felipe : Não seu besta, o que é aquilo ali? - ele aponta pra um local que tinha várias pessoas de branco - falei que ia ter gente fazendo macumba aqui - dou risada.

- Vamos lá perguntar onde a gente está - começo a puxar ele em direção as pessoas.

- Felipe : Só você mesmo pra me tirar de casa e me trazer pra um lugar que nem você sabe onde é... E ainda vai me levar pra perto de um monte de desconhecidos, sendo que eles podem ser assassinos e nos matar.

- Para de ser paranóico Feh - chegamos perto dos caras e ele nos olha com curiosidade - eai irmãos beleza? Qual é o nome desse lugar que estamos aqui agora aqui? - o Felipe bota a mão na própria testa e começa a movimentar a cabeça em sinal de negação, TALVEZ eu tenha me embolado um POUCO com as palavras.

- Xxx : Parque da Catacumba - ouço o Felipe rir do meu lado e me seguro pra não rir também.

- Valeu cara - demos as costas pros caras e andamos um pouco antes de começarmos a rir, por quê? Porquê somos trouxas, só tem essa explicação.

- Felipe : Olha eu não vim aqui atoa, alguma coisa de útil vamos ter que fazer nesse lugar, e depois eu vou matar você e o seu amigo - vejo algumas placas e aponto pro Felipe - TIROLESA, VAMOS.

- Eu não vou na tirolesa nem fodendo - ele começa a me puxar, ignorando totalmente o que eu tinha falado - Felipe porra, eu não gosto dessas coisas.

- Felipe : Para de ser medroso homem - reviro os olhos.

- Não é melhor a gente ficar ali no matinho conversando e sendo um casal fofo e romântico? - ele me olha com cara de pensativo.

- Felipe : Não - volta a andar, me puxando - chegamos.

- Eu sou gordo Felipe, você não conseguiu entender isso ainda? - ele começa a conversar com o cara que cuidava da tirolesa, que riu do que eu havia falado, olho pro moço mais atentamente, sinto que já vi ele em algum lugar.

- Xxx : Que isso cara - ele estica seu braço em minha direção pra que eu o cumprimentasse - prazer, me chamo Caio, Caio Duarte - o olho surpreso, claro que eu o reconheci, ele é irmão da Manoela.

- Felipe eu lembrei que a gente tem que fazer uma coisa muito importante em casa, vamos embora agora - ele me olha bravo.

- Felipe : Será que tem como você parar de ficar inventando desculpas? Você não precisa ir, eu vou sozinho - ela andou mais pra frente e o Caio começou a colocar os equipamentos de segurança nele, ou pelo menos eu acho que colocou, eu estou com muito medo dele fazer alguma coisa de propósito com o Feh - me encontra lá no carro, medroso.

- FELIPE EU ESTOU FALANDO SÉRIO, PARA COM ISSO - eu ia me aproximar dele mas o Caio o empurra.

- Caio : Relaxa cara, ele vai ficar bem - ele da uma risada debochada e eu o olho bravo - você acha mesmo que eu faria alguma coisa de ruim pra ele aqui? Sendo que você poderia me denúnciar e o caralho todo?

- Eu acho bom você não fazer nada de ruim pra ele em nenhum lugar - me aproximo dele, fazendo que o mesmo ficasse um passo da beirada, qualquer movimento o faria cair.

- Caio : Vai fazer o que? Me matar? Tenta! - seguro em sua camisa com força, mas obviamente não o empurro, apenas o puxo pra trás e o jogo no chão.

- Eu não vou mais perder meu tempo com você - digo bravo, começando a andar em direção a saída.

Pov Felipe

Quebra De Tempo

Chegamos em casa já faz um bom tempo, estou no escritório vendo a repercussão que aquele vídeo havia dado, a maioria me apoiou, até ganhei mais inscritos, mas lógico que tem aquela minoria, que na maioria das vezes são pais, falando "não vou deixar meu filho assistir mais esses irmãos neto, porquê se não ele vai crescer viado" essas pessoas me dão sono.

O Gabriel está no meu, ou melhor, no NOSSO quarto, ele está um pouco apreensivo e nervoso, eu até tento ajuda-lo, mas ele não quer me falar o que aconteceu, aí realmente fica difícil.

Ouço o barulho da porta se abrindo e olha pra trás, vendo o Bruno entrar com um sorriso enorme no rosto.

- Bruno : FINALMENTE MEU CASAL SE ASSUMIU - ele começou a dançar e eu dou risada.

- Bruno, você sabe o que aconteceu com o Gab? - falo sério e ele me olha sem entender - ele tá estranho desde manhã, e não quer me falar o que aconteceu.

- Bruno : Quer que eu tente conversar com ele? - afirmo com a cabeça e ele sai do estúdio.

O que está acontecendo com esse menino? 


Notas Finais


Inhai genty :3

Eu vou postar uma one de GabLipe no wattpad 15:00

Do nada mesmo... q

❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...