1. Spirit Fanfics >
  2. Disobedient - Teen Wolf >
  3. Miguel Stilinski Hale

História Disobedient - Teen Wolf - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


Segundo capítulo realocado amores ❤

Boa leitura 😉

Capítulo 2 - Miguel Stilinski Hale


Fanfic / Fanfiction Disobedient - Teen Wolf - Capítulo 2 - Miguel Stilinski Hale

“ As vezes é bom sentir dor... Você nunca sabe se está vivo ou sobrevivendo. Os momentos que forem tristes vão te derrubar. Vai doer, vai doer porque é importante... – Ashley Rose”


O dia naquela estranha cidade estava para começar, o sol aparecendo e fazendo desaparecer todos os vestígios da escuridão da noite passada. Os raios solares entraram pela janela despertando – me de meu sono. Não que eu conseguirá dormir muito.

Os pesadelos nunca me deixavam. Toda vez que dormia isso acontecia, deitada no chão em cima de jornais semi nua. Era assim que minha mãe me mandava dormir. como se eu fosse um bicho de estimação.

Quando abri os meus olhos pude perceber que ainda chovia um pouco. Pequenas gotas de água que caia pelo Jardim e molhava a grama. Sempre gostei da chuva, Me trazia uma sensação tranquila. Fazia bem ao meu emocional, pois durante muito tempo ela foi a minha ouvinte e minha melhor amiga.

Não poderia jamais ter como esquecer a humilhação que um dia eu passei.

Não querendo pensar muito nisso me levantei, escolhi a roupa e fui tomar banho para ir a escola. Esperava fazer pelo menos uma amizade lá. Estava confiante. Pois mal cheguei e já ganhei um vizinho amigável. Isso me deu esperanças. Estava decidida a visita-lo depois da escola.

Minha roupa era um pouco gótica mais eu gostava de me vestir assim. Rock sempre foi minha paixão e se vestir como uma era demais divertido. Era um Jens rasgados, All star, uma camisa do Red hot chili peppers e um casaco listrado na cintura. O cabelo prendi em um pompom e passei um batom negro nos lábios. Estava pronta! Pensei alto. Peguei minha mochila, celular, e as chaves da picape.

Quando estava abrindo a porta do carro uma voz muita conhecida me chamou:

- Bom dia Ashley!

Sorri já virando e encontrando aquele rapaz de ontem.

- Bom dia Stiles! – lhe respondi contente

Ele vestia calças jeans, camisa cinza, e um casaco quadriculado aberto. Mais oque me chocou foi que ele estava acompanhado de uma garota de sua idade. Eu lembrei dele comentar que tinha filhos. Mais como aquela garota se parecia tanto com ele e com aquele homem carrancudo de ontem?

- Bom dia querida! Vejo que já estava de saída, desculpe te prender aqui – ele disse puxando a garota – Essa aqui é minha filha! Manuela Stilinski Hale! Eu estava indo levar ela na escola mais ela não deixa! Onde já se viu isso? – ele disse indignado envergonhando a filha.

- Papai quer parar com isso!? Eu não tenho mais 10 anos... – Ela sussurrou em seu ouvido.

Eu me matava de tanto rir com a cena, era hilário ver que os pais ainda eram assim tão protetores.

- Me desculpe filha mais você não vai ir pra escola sozinha hoje! Não depois do bandido que apareceu essa semana. – ele bateu o pé

- Mais pai...

- Sem mais Manu!

Vendo que a menina ia rebater sugeri:

- Senhor Stilinski, deixa ela ir comigo então! Nós vamos na minha picape e não tem perigo. Aliás o senhor não vai precisar caminhar até a escola com ela. – sorri

Stiles pensou um pouco e concordou

- Tudo bem – Manuela deu pulos de alegria – Mais eu vou querer o pacote completo! Nada de shopping e venha direto pra casa ouviu Manu?

Manuela hesitou

- Tudo bem papai agora deixa a gente ir se não vamos chegar atrasadas! – Manu berrou

- Tudo bem, tchau meninas! Boa aula!

- Tchau senhor Stilinski até mais tarde!

- Até logo papai!

E assim ele voltou a floresta rumo a sua casa. Não deu nem dois minutos e Manuela já gritou em euforia:

- Você definitivamente é minha nova melhor amiga! E Shii não tem discussão. Cara eu nem sei como te agradecer. Sério você me salvou de um mico tremendo – Ela bufou sorrindo. Era possível isso?

Eu ri

- Nha tá tudo bem. E de qualquer forma eu jamais iria recusar sua amizade! – Ashley riu e Manu lhe acompanhou – Sou Ashley Rose muito prazer!

- Muito prazer em te conhecer Ashley! Agora acho melhor nós irmos. Se meu pai pega a gente aqui ele me mata – ela fez uma cara medrosa muito engraçada.

- Entendo seu lado, então vamos – Abri a porta do carro e destravei a porta do carona.

E assim nós duas fomos.

No caminho para a Beacon Hills high school, conversávamos alegremente sobre nossas vidas. A maior parte era sobre Manu. Pois eu dissera que não tinha muita coisa em que pudesse contar, minha vida sempre foi muito monótona e sem graça. Então preferi que minha recém nova amiga falasse bastante. Percebi com o tempo que ela era muito parecida com o pai, pele leitosa com pintinhas e mais tagarela do que a boca. A única diferença era que possuía cabelos negros e seus olhos não eram castanhos mais sim verdes.

Como o tal Derek... pensei

Será possível ter nascido uma criança entre dois homens? A natureza permitia algo dessa magnitude?

Assim que chegamos a escola descemos do carro e caminhamos juntas até o corredor dos armários.

- Ashley eu estou super atrasada pra aula. Humm nos vemos no refeitório?

- Humm, claro tudo bem!

- Então até depois amiga

- Até depois Manu

Manu saiu correndo até sua sala me deixando pra trás. Quando voltei meu olhar para o armário respirei fundo antes de fecha-lo e ir para a aula.

Levei algum tempo olhando o mapa que eu pegará com um monitor para encontrar a sala, não era difícil memoriza-lo. A questão nem era essa. Era que eu sempre fui muito difícil perante a muitas pessoas. Isso tinha que mudar...

Parei em frente a porta.

- Tudo bem.. respira fundo... não é como se tudo fosse dar errado no seu primeiro dia aqui não é? – tentei inutilmente me convencer disso.

Quando entrei todo mundo parou pra me olhar, dei um tímido “Oi" e todos me cumprimentaram de volta. Estranhei isso... não era pra todo mundo me ignorar? Não era assim que normalmente acontecia?

- Ah você deve ser a senhorita Rose a nova aluna. Estou errado? – O professor me chamou, na seu estava tão na lua que demorei alguns segundos para processar.

- S-sim... – Minha voz falhou

- Bem pode se sentar ali – ele indicou uma carteira que estava vazia. Dei graças a deus por isso. Não estava nem um pouco a fim de dar de cara com algum problemático meio retardado... Já não bastava as caras e bocas que eu havia notado que quando entrei na sala.

A aula ocorreu normal, sem problemáticos retardados ou bolinhas de papel pros lados. Parecia que a Beacon Hills High School não era como as escolas de onde eu morava. Que alívio...

.

O Sinal tocou e eu andei acompanhada de duas meninas até o refeitório. Não falei com ela e nem elas falavam comigo. Só estava as utilizando como guia pois não sabia onde era o refeitório.

Quando entrei, procurei com os olhos por Manu. Encontrei ela acompanhada de um menino...

Ou talvez parecia um

Manu estava sentada em uma mesa e conversava com ele. Ela falava mais olhava ao redor. Aposto que me procurando e o rapaz fala com ela. Resolvi me aproximar e acabei para Manu que me viu:

- Ashley oi amiga! Desculpe não te esperar na porta do refeitório como prometi. Mais olha eu já pequei sua comida! – Ela se desculpou sempre tão generosa

- Não se preocupe com isso. Humm atrapalho? – perguntei me referindo ao rapaz

Manu respondeu

- Claro que não amiga imagina. Ah já apresentando. Miguel essa é a minha mais nova amiga Ashley Rose! Rose esse é meu irmão Miguel! Eu tinha te falado dele – Ela nos apresentou

- Ahm muito prazer em te conhecer ! – tentei ser gentil mais ele não fez nada além de balançar a cabeça em confirmação de que me ouvia.

Manu percebeu o clima tendo e voltou a tagarelar como sempre. Eu nem prestava atenção, estava mais atenta ao seu irmão. E meia deus! Ele não era de se jogar fora ele usava uma calça Jens de coro, coturnos, uma blusa estilo regata, e uma jaqueta também de couro com detalhes metálicos. Em seu pescoço um crucifixo e uma pulseira com um pingente de lobo no qual assim que eu pus meus olhos ele mexeu a mão jogando o pingente pra dentro da manga da jaqueta. Olhei para seu rosto e ele me fitava intensamente.

Desviei o olhar

- Será depois da aula e papai quer que eu chame alguém! Aí eu mereço – Manu reclamou de alguma coisa o qual eu nem sabia qual era.

- Do que está falando Manu? – resolvi entrar no assunto pois eu estava sentindo o olhar do Miguel em mim queimando meu rosto.

- Papai quer eu leve algum amigo meu para a festa de noite de lua cheia hoje! Mais eu falei pra ele que não tinha amigo nenhum. – Ela bufou irritada e em seguida sorriu e brilhou os olhos – Ashley?

- Sim? – respondi tentando desviar do olhar daquele garoto. Porque ele me olhava como seu eu fosse uma prato de comida que ele está louco para devorar?

- Topa ser me convidada para a festa de noite de lua cheia que meu papai quer fazer? Porfavorzinho – Merda eu teria que ver esse garoto mesmo novamente?

- Tudo bem mais que horas tem que estar lá? – perguntei chorando por dentro. Porque eu aceitei mesmo?

- Depois da aula...

- Como é?

- Bom é depois, aii desculpa tá? Eu fiquei desesperada! Meu papai é muito chato com isso! – Ela parecia querer morrer.

Miguel riu. Para tudo ele riu?

Foi aí que eu notei melhor seu rosto.

Ele tinha um rosto bonito, sem marca. Sua boca era bem desenhada e seu tom de pele era moreno. Ele se parecia muito com o marido do Stiles, o tal Derek. Mais a diferença era que seus olhos eram de um castanho claro incrível, seu cabelo era negro e estava perfeitamente penteado.

Um deus Grego! Eu não queria parar de olhar.

- Para de tanto drama maninha. Você sabe que papai sempre quis que você arrumasse uma amizade, é por isso que ele inventa essas festas – Mano!!! Que voz linda! Para de Babar Ashley se controla! Pensei. A voz dele era grossa e rouca, típica voz de galã de novela.

Pena que o sinal trocou quebrando todo o meu encanto.

- Meu Deus precisamos ir! Já acabou o intervalo fazem 10 minutos! – Manu exclamou irritada e saiu correndo.

Não me deixa sozinha com ele sua doida!

Olhei rapidamente para ele que já estava se levantando e tentei fazer o mesmo, mais fui rápida demais e quase cai no chão se não fosse dois braços musculosos me segurando e me erguendo do chão.

- Olha como levanta Garota, poderia ter de machucado – Seu tom foi rude

Não me senti bem com isso. Então respondi:

- Obrigada e eu estava com pressa foi por isso que levantei rápido e cai pra sua informação – falei pausadamente e falhada mente.

Ele me olhou e deu dois passos até mim e eu recuei por medo, ele era dez vezes mais alto que eu.

- Se fosse apenas isso eu deixaria você ter se arrebentando caindo no chão. Então pra sua informação eu sugiro apenas que agradeça e fique calada. – Quebrei me encanto por ele dois segundos. Que idiota.

- Então porque não deixou eu me arrebentar? – o desafiei

Ele hesitou ainda me fitando e disse antes de afastar:

- Não sei

E saiu a passos rápido pra longe indo pelo corredor.

Fiquei alguns minutos absorvendo aquilo. Se ele não queria me ajudar porque me impediu de cair? Porque ele parecia me olhar como se eu fosse uma iguaria que ele estava doido para provar? Tinha muitas falhas nessa história e eu queira saber porque.

Depois de me recuperar joguei a bandeja de comida intocada no lixo e caminhei apressadamente para a minha próxima aula tentando miseravelmente Deletar Miguel Stilinski Hale de minha mente.

Eu estava com a cabeça tão cheia desse garoto que o tempo passou igual água de uma torneira. Quando dei por mim já era hora da saída e a sala já estava praticamente vazia. Quanto tempo eu estava ali em meus devaneios?

Assim que fui para o pátio encontrei Manu e Miguel ao lado da moto que julguei ser dele que por coincidência estava estacionada ao lado de minha picape.

- Oi Manu! Então... vamos? Ah deixa eu te perguntar essa roupa serve? – Apontei para o meu estilo “Gótica Rockeira” ela sorriu mais parecia relutante com algo.

- S-sim ela serve amiga mas... Miguel? – ela se virou pra ele e eu fiquei sem entender

Ele olhou feio para a irmã então já notei que ela entendeu que ele não foi com a minha cara. Então se ele quer jogar esse jogo que seja. Também vou

Manu bufou

- Esse tapado nunca aceita uma ajuda – Miguel deu um rosnado. Ele também!? Igual ao pai... Então eu não ouvi errado. Oque estava acontecendo aqui? – Ashley?

- Ahm sim oque foi ? – Me perdi com aquilo que eu ouvi

- A moto do meu queridíssimo irmão Miguel não está ligando... você pode levar ele também no seu carro até a nossa casa? Por favor amigaaaaaaaa – Ah então o bonitinho precisava da minha ajuda agora?

- Claro Manu! Ele pode ir sim, aliás eu sei alguma coisa de motores, posso dar uma olhada nela se quiser – Sorri debochada

Miguel me olhou surpreso. Obviamente que ele achava que eu diria um grande e alto não. Se enganou bebê.

Manu sorriu contagiante. Era tão fácil deixar ela feliz.

- Nossa isso é demais! Assim o meu pai não vai precisar pagar o concerto dela! Você sabe que ele já está bravo com você sobre o carro dele não é? – Manu provocou o irmão e Miguel respondeu novamente com um rosnado. Era só eu que notava aquilo?

Manu deu de ombros. Ela deu de ombros? Então ela também ouvia...

- Bom vamos então apara aquela festa... – Manu terminou entrando na picape.

Assim que ela fechou a porta ele se aproximou de mim e eu recuei já prevendo outra palavra rude. Por mais que eu estivesse bancando a durona antes ele me dava medo.

Isso não passou despercebido por ele:

- Obrigado

- Pelo oque? – decide me fazer de burra

- Por me ajudar com a moto. – ele respondeu sério

- Não fiz isso por você. Fiz pela minha amiga que em pediu a ajuda. – respondi também seria – Pois fique sabendo, se Manu não tivesse me pedido e sim você eu teria respondido não

Ele continuou me fitando, só que dessa vez deu um sorriso de canto mostrando os caninos. Que dentes eram aqueles ? Pontiagudos...

Ele se aproximou de mim e recuei rapidamente de medo.

- Você têm medo de mim. – isso não era uma pergunta.

Merda. ele realmente havia notado.

- Não – fui firme – Não tenho motivos

E andei até a traseira da picape abrindo a porta para ele colocar a moto.

Ele levantou a moto com tanta facilidade que parecia de brinquedo, a colocou com cuidado e amarrou com a corda que tinha ali, depois eu fechei a porta e quando abri a porta do motorista ele disse em meu ouvido.

- Sim você têm motivos.

Fingi que não ouvi e esperei ele entrar no carro para irmos até a casa de Manu.


“ Nunca deixe de notar as entrelinhas. Sempre vai ter algo escondido por elas. Note, pois talvez você possa estar deixando um detalhe importante para trás. Acredite. Eu sei... – Ashley Rose”



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...