História Distant - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin)
Tags Jimin!top, Yoongi!bottom, Yoonmin
Visualizações 179
Palavras 1.709
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Slash, Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Aparentemente a minha pessoa num aguenta o fogo no cool que já saí postando hot deles por aqui né nom? Aproveitem, nas notas finais tem um treco pra ser lido, considerem, coloquem Serendipity pra ler na vibe e boa leitura!

Capítulo 3 - Serendipity


Fanfic / Fanfiction Distant - Capítulo 3 - Serendipity

Isso não é apenas coincidência

Saímos de um dia cheio e o Jiminie estava cabisbaixo o tempo todo, é claro que nas entrevistas e sessões de fotos ele era apenas sorrisos, mas eu sabia e os outros sabiam, que aquele ali não era o nosso Minnie, era o Jimin da BigHit, o que jamais esboçaria um pingo de tristeza mesmo quebrado por dentro. Dentro do dormitório ninguém ousou falar com ele, Namjoon veio até mim dizendo que eu deveria fazer isso primeiro, já que não era surpresa pra mais ninguém que estávamos atados pelo amor que nos unia - e só um pouquinho doidos pra tirar o atraso de dois dias sem transar – então fiz o que era certo, abri a porta do nosso quarto e vi ele de costas pra mim sentado na cama.

Apenas, apenas eu pude sentir isso

O mundo inteiro está diferente do que era ontem

Apenas, apenas com sua alegria

Fechei a porta atrás de mim e fui ao seu encontro calmamente, vi seu corpo encolher e sabia que nesse momento ele estava segurando suas mãozinhas por culpa da ansiedade e estresse. Contornei a cama ficando em sua frente e me abaixei olhando seu rosto cabisbaixo encontrando seu olhar que demonstrava pânico e, sabendo que pode confiar em mim, vi ele desabar e cobrir seus olhos tentando conter seus soluços enquanto tremia. Suspirei e coloquei minha mão sobre a sua canhota fazendo um carinho ate ele ceder e deixar eu puxar sua mão para mim, beijei cada um dos seus dedos, do mindinho ao dedão, tirei os três anéis que os adornavam e pus sua palma em meu rosto, beijando-a e em seguida devolvi sua mão para seu colo. Levantei devagar e beijei demoradamente sua testa descoberta saindo do ósculo apenas para colocar seus anéis na cômoda e voltando a ficar sentado de joelhos no chão vendo que ele abaixou sua outra mão e já não tremia e nem soluçava apenas fungava e deixava as lágrimas caírem.

Quando você me chamou

Eu me tornei sua flor

Como se estivéssemos esperando

Nós florescemos até nós sofrermos

- Yoongi-Hyung… - Coloquei dois dedos em seus lábios o impedindo de falar e sorri

- Me deixa cuidar de você? - Tirei meus dedos e o vi assentir, respirando fundo e me olhando triste – Merdas acontecem Minnie e eu estarei aqui pra cuidar de você em cada merda que te deixar mal. - vi uma lágrima solitária escorrer por sua face e fiz questão de deixar um beijo em seu rosto limpando-a repetindo o gesto no canto da sua boca enquanto ele fechava os olhos. Peguei sua outra mão e fiz o mesmo gesto de carinho que a outra havia recebido. Com um lenço molhado tirei sua pouca maquiagem devagar colocando uma máscara facial que eu sei que ele gosta em seguida.

Talvez seja uma providência do universo

Tinha que ser assim

Você sabe, eu sei

Você sou eu, eu sou você

Fiz um carinho em sua nuca e deixei um beijo casto em seus lábios, sorri quando vi o biquinho que se formou e tirei sua camiseta desabotoando-a calmamente olhando seu peitoral desnudo e amorenado com admiração. Alguém poderia me dizer como Park Jimin não ganhou nenhum prêmio por esse corpo incrível? Eu me sinto levemente invejado e excitado só de olhar! Enfim, foco, preciso tratar ele como ele merece/precisa! Levantei puxando sua mão e o abracei forte, sentindo seus braços me envolverem e suas mãos acariciarem meus cabelos enquanto as minhas o apertavam com força e carinho de uma mãe, embora minhas intenções não fossem nem de perto como as de uma mãe. Encaixei meu rosto na curvatura do seu pescoço e respirei fundo, inalando seu cheirinho de colônia cítrica vendo ele se arrepiar.

O tanto que meu coração palpita, eu me preocupo

O destino está com inveja de nós

Assim como você, eu estou tão assustado

Quando você me vê

Quando você me toca

- Eu te amo Jimin. - Senti seu abraço ficar mais apertado e quentinho – Vou precisar te soltar pra tirar essa máscara. - O aperto não reduziu – Não é por nada não, eu te amo de qualquer jeito, mas uma máscara que me lembre o Michael Jackson e não o meu namorado não vai conseguir me deixar duro. De jeito nenhum. - Ele riu e desfez o abraço tirando aquela máscara do rosto

- Aigoo Yoongi! Por que... - Puxei ele para um beijo enquanto o deitava na cama, ficando por cima me ajeitando para ficar no seu colo e coloquei meus braços em cada lado de sua cabeça.

- Amo sua risada… - Beijei sua bochecha – Amo seu sorriso… - Beijei sua outra bochecha – Amo esse seu corpo que faz o meu ficar no chinelo... – Beijei sua testa – Eu amo você. E vou fazer o possível pra te ver bem. - Beijei seus lábios – Quer me contar o que aconteceu?

- Tive um pesadelo, nós terminávamos e você me evitava, ai quando acordei você não estava do meu lado então peguei o celular e vi que o PD pediu por mensagem pra que não interagíssemos além do necessário, pois tinham muitas pessoas comentando e o Bangtan poderia ficar com o “nome sujo”… A partir dai você viu o que aconteceu, evitei você como pude e só eu sei o quanto me doeu aquilo tudo de uma vez – ele desviou o olhar – Desculpa Yoongi, eu devia ter contado. Me sinto um idiota.

- Devia ter contado sim, por Line, mensagem e até pessoalmente. Você não é um idiota Jiminie, eu entendo a parte de você me afastar por que o PD pediu (N.A.hu3)… Mas sobre o pesadelo realmente não tenho como não me sentir ofendido – fiz a melhor cara de ator de dorama desapontado olhando pra ele – É sério mesmo que você me acha inteligente ao ponto de terminar com você por causa do que o grupo, fandom ou a minha família possa pensar? Jimin, eu vou te mostrar o quanto eu sou burro por você e nem vou precisar falar nada, só gemer.

O universo se move para nós

Não houve nem uma pequena falta

Nossa felicidade era pra ser

Por que você me ama, e eu te amo

Ele sorriu pra mim enquanto eu tirava minha camiseta, com uma rapidez que, honestamente? Atrapalhou mais do que ajudou. Após tirar aquela merda ataquei seus lábios carnudos mordendo, sugando, lambendo enquanto minhas mãos apertavam seus braços e ele finalmente entendeu que eu queria ser apertado, de uma forma igualmente nada carinhosa, em todo meu corpo. Após um tempo nos beijando -A.K.A. nos atacando como animais – saí de cima dele para tirar minha calça e cueca e ele após fazer o mesmo pegou o tubo de lubrificante e deixou em cima do colchão. Meus amigos e amigas, que corpo gostoso que o Park Jimin tem como dono oficial, eu não sei se eu reclamo do meu corpo ou se chupo o pau dele! Bom, segunda opção.

Você é minha penicillium

Me salvando

Meu anjo

Meu mundo

Eu sou seu gato cálico

Aqui pra te ver

Me ame agora

Me toque agora

Puxei seu corpo pra perto e abocanhei seu membro como se nunca mais fosse chupar um pinto na vida colocando o que podia e quase me afogando – veja o desespero – masturbando o que ficou pra fora com a canhota enquanto minha destra dava atenção pro meu íntimo que ansiava bem mais do que minha mão – É que, minha mão é grande, mas a mãozinha e a boca de Park Jimin sabem cuidar dali melhor do que eu em todos meus dez anos de punheta – enquanto movia minha cabeça no vai e vem mais desesperado e babado do ano. Ouvi sua risada baixa e senti os dedos dele puxarem meus cabelos coordenando o ato de uma forma que agradava ambos, fazendo minha canhota ficar apoiada em sua coxa, o movimento ser suave e gostoso e eu finalmente poderia focar melhor no que minha destra estava fazendo. Quando eu senti que ele ia gozar ele me tirou do membro dele, fazendo um sonoro “ploc” ecoar pelo dormitório.

Apenas deixe-me te amar

(Deixe-me te amar, deixe-me te amar)

Apenas deixe-me te amar

(Deixe-me te amar, deixe-me te amar)

Ele me deitou na cama e se encaixou por cima de mim, sorriu sacana e pegou o lubrificante melando todo seu íntimo para depois me preparar do jeitinho que só ele sabe fazer, acertando meu ponto “sem querer” e focando com os dedos bem ali enquanto abria e fechava os mesmos dentro de mim. Um verdadeiro filho de uma mulher digna de elogios, porém com um filho puto pra caralho.

Desde a criação do universo
Tudo estava destinado
Apenas deixe-me te amar
(Deixe-me te amar, deixe-me te amar)

Após a preparação demorada, ele entrou com tudo e esperou pacientemente – leia-se me provocando mordendo o bico do meu seio e lambendo – para que eu estivesse pronto. Rebolei num sinal mudo para que ele continuasse fodendo minha vida por que eu ia gostar, e foda-se a dor no meu cu depois, seus movimentos eram friamente calculados, focavam na minha próstata com tanto afinco que eu tinha esquecido que prometi gemer e não gritar como estava fazendo. - Namjoon vai me matar… - Eu esqueci qualquer regra de etiqueta enquanto gemia seu sobrenome e gritava seu nome, apertando seu corpo que ondulava conforme eu rebolava ouvindo seus gemidos obscenos que xingavam de gostoso pra baixo fazendo meu íntimo pulsar por mais e ganhando a atenção que eu tanto queria ali. Sua mão direita masturbava no ritmo das estocadas me fazendo gozar em nossos corpos logo em seguida, após um tempo foi sua vez me preenchendo e me abraçando deixando dois seres com tique de limpeza – A.K.A. nojinho de meleca – levemente enojados.

- Merda, estamos melados, não tem uma transa que não acabe no banho! - rimos baixinho, ele saiu de dentro de mim e foi caminhando até o banheiro e eu… Nem vou falar nada.

- Consegue andar hyung? - olhei com a melhor cara de bunda que possuía – Fica assim não, o Jiminie vai cuidar de você. - Me disse sorrindo enquanto me ajudava a levantar.

Deixe-me te amar, deixe-me te amar

Deixe-me te amar, deixe-me te amar.


Notas Finais


Como eu disse lá em cima, eu não aguento terminar uma história tendo tanto hot deles na cabeça, que eu passo pro LibreOffice e posto aqui. A fic está dita como terminada porém, vindo de mim ela provavelmente não está, sendo que a tarada aqui ama postar coisices e essa fic tem servido bem pra isso. Não vai sair do universo que está, não vai ter colegial, ou ABO (amo esse gênero, mas quero escrever algo que chegue perto da realidade fujoshi que me consome a alma: eles no BTS, com problemas reais e dramas reais) nada que exija muito do meu cérebro fujoshi, não quero perder muito sangue pelo nariz. No mais, um beijo da Tia Bia e até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...