1. Spirit Fanfics >
  2. Distorted >
  3. Night

História Distorted - Capítulo 27


Escrita por:


Notas do Autor


O tão esperado lemon.

Nunca escrevi algo desse tipo, então fui pegando o meu conhecimento de outras fanfic, novels, mangás e manhwas BLs

Boa Leitura.

Capítulo 27 - Night


Fanfic / Fanfiction Distorted - Capítulo 27 - Night

Narrador

Bakugou desceu para uma parte rasa da praia, praticamente se escondendo atrás de duas rochas altas. Num ponto bem no meio delas, onde ainda se podia enxergar areia úmida. Naquele lugar foi onde colocou Midoriya, escorado entre as pedras. Rosto corado e assustado, roupa bagunçada, sem falar da respiração ofegante por causa da ansiedade do que poderia acontecer.

Sem falar nada, Bakugou atacou os lábios de Midoriya. Na mesma hora o esverdeado deu passagem para a língua do loiro, explorando toda a cavidade bucal do mais baixo. Izuku soltou um gemido entre o beijo quando sentiu as mãos de Katsuki tocarem diretamente sua pele, como resposta Midoriya mordeu fortemente o lábio inferior de Bakugou.

Katsuki se afastou, retirou sua camisa regata preta, em seguida segurou a camisa do esverdeado, rasgando a peça ao meio. Midoriya resmungou irritado, no entanto, foi ignorado pelo loiro que seguiu diretamente para o pescoço levemente bronzeado, marcando com chupões escuros e mordidas fortes ao ponto de sangrarem. Izuku não conseguia controlar os pensamentos, apenas respirava alto e suspirava quando o loiro lambia o sangue nas feridas.

Bakugou foi descendo as caricias, lambendo o corpo sarado do esverdeado, demorando nos gominhos marcados onde beijou e mordeu cada. Tirou a bermuda praticamente estourando o botão, expondo a roupa de banho verde clara com detalhes brancos. Admirou o volume acentuado e, devagar, lambeu por cima do tecido, arrancando um gemido manhoso do parceiro. Com um sorriso de escarnio, abaixou o calção com os dentes. Os olhos vermelhos cravados nos verdes, aos poucos libertando o mastro branco e cabeça rosada.

Grande.... Pensou com um sorriso ansioso. Sem esperar qualquer fala do esverdeado, Bakugou lambeu desde a base até a cabeça do pênis de Midoriya, recebendo um suspiro longo do mesmo. Desceu até as bolas, dando algumas sugadas antes de voltar para a glande, na qual vazava o liquido esbranquiçado que o loiro tanto gostava, ainda mais se vier daquele garoto.

Ainda com os olhos colados no rosto sardento, o loiro colocou a glande rosada na boca, chupando forte logo de cara. Midoriya segurou um grito mordendo o lábio inferior, não estava preparado. Junto com uma pequena risada, Katsuki foi descendo a boca no membro do esverdeado, chupando devagar.

Assim que chegou um pouco depois da metade do pênis de Midoriya, subiu até quase o tirar da boca, em seguida voltou a descer e assim repetindo o processo enquanto chupava com vontade. Midoriya soltava altos gemidos engasgados quando o loiro aumentou a velocidade. O som erótico do oral em conjunto com os gemidos sôfregos do esverdeado, eram uma sinfonia sensual e gostosa de ouvir, pelo menos para os dois.

Katsuki parou por um momento para respirar, observou a bagunça que era Midoriya Izuku, sentiu uma pontado no baixo ventre. Então o loiro voltou a atenção para o falo babado novamente, relaxou a garganta e acolheu o pênis em sua cavidade bucal, realizando uma garganta profunda. Essa ação fez o esverdeado arquear as costas, parecia que ele tinha visto estrelas, soltando um gemido esganiçado.

Bakugou estava amando ouvir as suplicas chorosas do parceiro, sentia seu ego nas alturas ao perceber que conseguia satisfazer aquele garoto com apenas um boquete. Claro que o loiro não poderia se manter apenas nisso, então, antes que Midoriya gozasse, retirou o pênis da sua boca. Desceu até chegar no buraco rosado, este que piscava em antecipação pelo o que viria. Sem mais delongas, Katsuki caiu de boca na entrada, adentrando com sua língua enquanto chupava.

- Espe-

Midoriya tentou falar quando Bakugou o penetrou com dois dedos, fazendo movimentos de tesoura.

Já com a paciência esgotada, Bakugou retirou os dedos. Segurou a cintura de Midoriya o colocando de quatro de forma bruta. O esverdeado deu um gritinho assustado, seguido de um gemido de prazer e dor quando recebeu um forte tapa em sua bunda.

O loiro abaixou um pouco a bermuda, expondo o membro duro e com veias saltadas, logo o posicionando na entrada de Midoriya. Devagar o loiro foi forçando entrada, sendo acolhido pela cavidade apertada e quente de Izuku. Assim que conseguiu entrar completamente, esperou um tempo até que o esverdeado se acostumasse.

Midoriya respirava com dificuldade, fazia tempo desde que fez isso, então estava consideravelmente doloroso. Quando sentiu que estava pronto, rebolou um pouco contra a pélvis do loiro, recebendo um rosnado e uma estocada bruta como resposta. Na mesma hora o loiro iniciou um ritmo acelerado e bruto, causando um prazer doloroso em Izuku, esse que soltava altos gemidos sôfregos.

- Ah aaaah... Kac-MAIS!

Midoriya teve seus braços puxados para trás até que sua costa ficasse colada no peitoral definido de Bakugou. Uma das mãos do loiro estava em seu peitoral e a outra segurava seu pulso. Sem falar nada, Katsuki deu continuidade as estocadas, surrando a entrada vermelha do esverdeado, chagava a acertar a próstata algumas vezes.

Os gemidos do esverdeado ficaram mais altos, além dos espasmos que se espalhavam pelo corpo pequeno. Minutos depois no mesmo ritmo alucinante, Midoriya gozou com fortes gatos e um grito mudo.

Midoriya teve seu corpo solto, caindo de joelhos e as mãos no chão, respirava com dificuldade. Ele pensou que tinha acabado, entretanto, teve seu corpo virado e deitado de costas. As pernas foram levantadas e postas nos ombros de Bakugou.

- O-O que...

- Pensou que tinha acabado? Ainda nem gozei.

Midoriya arregalou os olhos quando sentiu o pênis em sua entrada novamente, gritando quando o loiro entrou sem nenhuma delicadeza, acertando sua próstata em cheio. Lágrimas se formaram nos cantos dos olhos, sentia a cabeça zonza, quase todas as investidas brutas acertavam seu ponto. Parecia que ele via estrelas, não falava nada com nada, sempre pedindo por mais.

E-Estou duro.... Pensou quando olhou para baixo, sentia que poderia morrer de prazer a qualquer momento.

Passados alguns minutos, Izuku sentiu o aperto na sua cintura mais forte e as estocadas ficarem desordenadas e menos certeiras. Logo o esverdeado sentiu jatos quentes em seu interior, seguido de um gemido longo dele e do loiro.

- Ainda não gozou?

Bakugou estava em pé olhando para o esverdeado ofegante.

- E-Eu... J-Já t-tinha gozado... A-Antes...

Midoriya se arrastou até ficar sentado, com a costa apoiada em uma das rochas.

Um sorriso malicioso se formou no rosto corado de Katsuki. Ele se sentou no colo do esverdeado, rebolando lentamente em cima do pênis duro. Pegou as mãos de Izuku, colocando-as em sua cintura. Ouvia Midoriya soltar suspiros deleitosos e as mãos dele aumentarem o aperto.

O loiro então iniciou um beijo lento, ao mesmo tempo que levantava um pouco do colo de Midoriya. Segurou na base do pênis do esverdeado, o guiando para sua própria entrada. Assim que posicionou, desceu devagar, sentindo o membro o preencher de uma forma estranhamente prazerosa. Era a primeira vez que Bakugou se deixava ser o passivo e, de algum jeito, aquilo estava sendo melhor do que esperava, talvez repetisse essa nova posição no futuro.

Sem querer enrolar mais, Bakugou começou a cavalgar, inicialmente devagar e com algumas reboladas, para então aumentar a velocidade. Katsuki descansou a cabeça no pescoço marcado, enquanto mantinha as duas mãos nos ombros, dando apoio. Sentiu um arrepio quando sentiu as mãos de Midoriya descerem para a sua bunda, apertando a carne macia e firme, aumentando o ritmo das quicadas.

- É só isso que pode fazer, Deku? Eu vou precisar fazer tudo?

Bakugou sussurrou no ouvido do esverdeado, recebendo como resposta um forte aperto na cintura, seguido de uma rápida mudança de posição. Quando o loiro percebeu, estava deitado na areia molhada, as suas mãos estavam presas por uma mão do esverdeado.

Arregalou os olhos quando viu o rosto sardento, geralmente com uma expressão suave, agora dando lugar para uma mais séria. O olhar daquele garoto tinha mudado totalmente, quase nem reconhecia aquele rosto. Mordeu o lábio inferior quando Midoriya tirou o cabelo grudado na testa com uma das mãos, além de passar a língua entre os lábios, tudo com uma sensualidade inesperada.

- Não brinque com fogo, Katsuki.

Bakugou tremeu quando Midoriya mordeu forte a sua coxa. O loiro focou a visão no rosto do esverdeado e arregalou os olhos quando sentiu o pênis encaixado em sua entrada. Quando pensou em falar alguma coisa, Midoriya o penetrou de forma brusca, acertando a sua próstata no processo. Bakugou soltou um gemido alto, seguida de lágrimas que desceram no momento que Izuku iniciou a estocar devagar e forte.

Bakugou teve o pescoço atacado pelos lábios de Midoriya, ele chupava e beijava, também sussurrava frases no ouvido do loiro. Conforme Katsuki ia se acostumando, Izuku aumentava o ritmo, sempre acertando a próstata do loiro. Os dois já tinham enganchado em uma velocidade rápida e precisa. Bakugou enlaçou as pernas na cintura do esverdeado, fazendo o membro entrar ainda mais fundo.

Midoriya levantou o tronco, soltando os braços do loiro junto. Segurou a cintura fina de Bakugou, retomando as estocadas. Katsuki já não segurava os gemidos, nem sequer sabia onde segurar ou o que falar, apenas se esforçava para não gritar. Infelizmente o seu esforço foi em vão, pois quando Midoriya agarrou a ereção esquecida do loiro, masturbando na velocidade das estocadas foi o estopim para Katsuki. Ele gozou com um grito alto o nome do esverdeado. Ele parecia satisfeito com o estrago feito.

O barulho de algo sendo jogado na água cortou a linha de raciocínio dos dois.

Um vestido? Midoriya pensou quando viu a roupa não muito longe deles. Sentiu uma respiração em sua nuca, seguida de duas mãos encaixadas na sua cintura.

- Não acredito que vocês decidiram brincar sem a minha presença. Isso não foi nem um pouco legal da parte de vocês.

Todoroki sussurrou com a voz mais grave e rouca que o normal. Levou um de suas mãos até o baixo ventre do sardento, tirando o pênis de dentro do loiro. Masturbou devagar enquanto lambia próximo da orelha de Midoriya. Passou o próprio pau já duro por cima do buraco meu largo do mais baixo.

- Katsuki!

Bakugou estremeceu quando ouviu seu nome na voz séria do bicolor. O tom de ordem o excitou.

- Que foi, caralho...

Apesar do palavrão, o tom de voz do loiro estava baixo. Bakugou xingou em pensamentos essa sua submissão repentina.

- Seja bonzinho e venha chupar o Izuku. Tenho certeza que quer sentir o gosto da porra dele.

Katsuki travou na hora. Aquela situação estava muito estranha.

Enquanto o loiro tinha uma briga interna. Todoroki se posicionou, penetrando o esverdeado em avisar. Isso fez o garoto dar um grito que chamou a atenção do loiro.

- AH! Ah.... Ah.... Ah.... SHOUCHAN!!

Midoriya era segurado pelos dois braços, sabendo apenas gemer e chorar com as estocadas fortes que Todoroki dava.

- O que está esperando, Katsuki? CHUPA!

O grito autoritário do bicolor fez o loiro obedecer na mesma hora. Bakugou engatinhou até parar de frente com o pau do Midoriya, já de cara colocou todo o comprimento na boca, chupando com força.

Os três eram apenas uma bagunça de gemidos e lágrimas. Claro que com todo aquele estimulo não demorou muito até estivessem perto de seus ápices. Midoriya foi o primeiro, com um grito agudo e soluços, gozou na boca de Bakugou; o loiro o segundo a vir, ao sentir sua boca preenchida com o liquido do esverdeado, gozou sem nem perceber; Todoroki demorou mais um pouco, ainda precisou de mais algumas estocadas até finalmente despejar sua semente dentro do sardento.

Midoriya e Todoroki se jogaram no chão, ambos respirando com dificuldade. Bakugou estava tonto e sem saber o que estava acontecendo direito, deitou perto dos outros dois. Os três adormeceram lá mesmo, sendo iluminados pela lua e recebendo algumas ondas de água salgada do mar.

 

[...]

 

- O que aconteceu?- Mina perguntou enquanto era acudida por Momo.

- N-Não lembra? Quase todo mundo bebeu uma bebida estranha e ficaram que nem loucos- Momo explicou com um sorriso nervoso.

- Ainda estou esperando uma resposta- Aizawa estava com uma aura negra ao seu redor enquanto questionava Mirio.

- N-Nem eu sei o que aconteceu direito, mas assumo toda a responsabilidade!- Mirio se curvou na mesma hora.

- Pai, deixa a gente explicar...- Shinso tentou falar com o mais velho.

- Calado! Vamos ter uma conversa séria mais tarde!- Aizawa apenas olhou de canto de olha para o garoto.

- Shinso é filho do Aizawa-sensei?- Kaminari sussurrou para si mesmo, ao seu lado Kirishima chorava por causa da forte dor de cabeça.

- ACHEI O TOKOYAMI!- Iida gritou de dentro de uma caverna, onde encontrou Tokoyami preso por algumas cordas de cabeça para baixo.

- Como cheguei aqui?- Tokoyami sussurrou meio sonolento.

- Por que aquele caranguejo ta seguindo o Koji?- Jirou perguntou quando viu que para onde o garoto ia, o caranguejo azul ia atrás.

- Eu cansei de tentar entender o que aconteceu ontem, desde que acordei em cima da árvore- Uraraka resmungou com uma bolsa de gelo na cabeça.

- Alguém viu a minha calça? E as roupas do Aoyama!- Sero cavava a areia e mais afastado estava Aoyama todo coberto por uma tolha grande. Ele tremia e espirrava.

- SÓ FALTA O MIDORIYA, BAKUGOU E TODOROKI!- Momo gritou, ela tinha Hagakure nas costas.

- Como que uma festa na praia chegou a esse ponto?- All Might se perguntou com Eri no colo. O loiro acordou com Aizawa na porta de sua casa, dizendo que aconteceu um grave problema com os alunos. Claro que ele não esperava encontrar um bando de adolescentes tendo seu primeiro porre.

- ONDE TOYA TODOROKI MORA!!- Toshinori se assustou com o grito enfurecido de Aizawa. Viu o homem subir as escadas de pedra com uma expressão raivosa- Cuida da Eri. Preciso resolver uns assuntos.

- O-Ok- o loiro concordou tremendo.

- Cuidado na estrada, pai!- Eri deu um tchauzinho para o homem.

- ACHEI OS TRÊS! VAMOS PRECISAR DE MAIS ROUPAS! O VESTIDO DA IRMÃ DO TODOROKI TA AQUI TAMBÉM- Iida gritou em cima de uma rocha.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...