História Dívidas - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Gintama, Sailor Moon
Personagens Abuto, Gintoki Sakata, Isao Kondo, Kagura, Kamui, Kotarou Katsura, Makoto "Lita" Kino / Sailor Jupiter, Personagens Originais, Rei "Raye" Hino / Sailor Mars, Sagaru Yamazaki, Shinpachi Shimura, Shinsuke Takasugi, Shouyou Yoshida, Sougo Okita, Tatsuma Sakamoto, Toushirou Hijikata
Tags Drama, Gintama, Gintoki, Hijikata, Katsura, Kotarô, Policial, Sakamoto, Sakata, Shinsuke, Takasugi, Tatsuma, Toshirou
Visualizações 6
Palavras 1.014
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Ficção, Policial, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - 4


Makoto explicou tudo o que tinha acontecido. A arma, o tiro, Takasugi e sua teoria de que tudo estava planejado.

- De alguma forma, isso foi planejado. Não é um assalto comum, Takasugi foi alvo de uma tentativa de homicídio. – Makoto disse enquanto os outros ouviam atentamente. Estavam todos em pé em volta da cama, Katsura se mostrou o mais interessado entre os três.

- Espere. Takasugi era para estar morto por agora? – Katsura perguntou, ainda não acreditava em suas palavras. Não aquilo, não de novo. Mudaram de cidade para fugir dos problemas, para tentar uma vida nova sem todo o passado que quase destruiu suas vidas e agora parecia que tudo se repetia.

Antes de replicar o que Katsura disse, Makoto fechou os olhos, respirou fundo e pensou mais um pouco sobre sua teoria.  Realmente tudo se encaixava, parecia levar a esta conclusão: Takasugi era para estar morto. Ela só balançou a cabeça, confirmando o que Katsura tinha dito, e institivamente ela mordeu a unha do polegar.

O mundo pareceu desabar, mas Katsura continuou de pé. Os problemas que teve passar para salvar o amigo foram muitos, não só ele, mas também Gintoki. Os dois estavam fartos de tudo e decidiram mudar de cidade, vindo para a cidade natal de Gintoki, onde eles poderiam se sentir seguros. Takasugi foi junto, queria fugir da família e daqueles amigos que o enganaram durante muito tempo. Ele se sentia culpado por tudo que aconteceu com o três, se culpava intensamente e decidira nunca mais se envolver.

- Zura? – Gintoki notou o rosto pálido de Katsura, mas ao ouvir “Zura” pareceu mudar de postura.

- Não é Zura! É Katsura! – Exclamou.

Gintoki riu da reação de Katsura, lembrou os velhos tempos em alguns becos da velha cidade.

- Cara... Pesado. E agora? Você vai tomar esse caso? Lembra a última ve...

- Não me lembre disso, por favor. – Makoto cortou Rei e os dois ficaram sem entender.

- Desculpa, mas Makoto, a situação parece a mesma.

Katsura e Gintoki se entreolharam procurando entender o que estava acontecendo entre as duas. Gintoki ouviu de “Toshi” a mesma coisa, e a amiga alertando parecia algo muito mais profundo do que ele poderia imaginar, ou poderia sim, já vivera tudo com os três.

- Rei, eu tenho certeza dessa vez! Confie em mim, até mesmo Toshi confiou dessa vez... – Ela pegou a mão da amiga que estava do seu lado direito e a olhou. Rei confirmou com a cabeça e uma enfermeira apareceu no quarto.

- Vocês são amigos de – ela conferiu a prancheta que carregava – Takasugi Shinsuke?

- Sim. – Katsura foi o primeiro a se pronunciar.

- A situação que se encontrava era grave, a bala deixou estilhaços, mas a cirurgia ocorreu dentro daquilo que esperávamos. Ele passa bem no quarto 392, mas ainda está desacordado. Está recebendo um pouco de oxigênio para ajudar na recuperação. A situação está sobre controle.

- Obrigado, por nos avisar. – Gintoki foi até Katsura que estava do lado esquerdo de Makoto e colocou a mão nas costas do amigo, confortando-o. Tudo o que a enfermeira contou aliviou Katsura, mesmo sendo pouco. As memórias que ele reviveu, tanto boas quanto ruins, o deixaram em choque. Ele ficava repetindo em sua cabeça “Isso. De novo. Não”.

- SAINDO DESSE ASSUNTO, QUEM É ESSE CARA? Vocês perguntam sobre Toshi e agora eu quero saber sobre esse all white ai. – Makoto tentou quebrar o gelo que tinha se instaurado.

- É bonito, dirige bem, mas parece ser rebelde. – Rei respondeu observando Gintoki.

- AGORA VOCÊ DIZ QUE EU SOU BONITO! – Gintoki se estressou com Rei. – NO CARRO ERA “NUNCA DARIA *UMA* CHANCE!!” MAS DEPOIS QUASE ME DEU UM BANHO BABANDO EM CIMA DE MIM! – Gintoki pareceu imitar Rei no carro. Katsura riu daquilo.

- AI SÓ FALA QUEM É TU.  E PAREM DE GRITAR, TÃO ACHANDO QUE TÃO AONDE? – Makoto gritou, contrariando tudo o que tinha falado.

- Sakata Gintoki, a seu dispor, madame. – Gintoki pegou a mão de Makoto e a beijou.

- Alexa play womanizer. – Makoto virou para Rei, mas ninguém entendeu a piada POP. – Vocês não – ela riu – conhecem womanizer? Vazei. – Fingiu que iria se levantar e Katsura realmente acreditou, prendeu-a nos braços com suas mãos e por isso acabou se aproximando da garota.

- Você não pode sair, ordens. – Katsura falou sério e olhando nos olhos de Makoto. Ela, por sua vez, não conseguiu respirar por estar tão perto dele. O cheiro de seu perfume pode ser sentido por ela e seu grande cabelo liso tocava a pele de Makoto. Era tão gostosa a sensação de seus cabelos em sua pele. Gintoki percebeu toda a situação e logo correu para o lado de Rei.

- Você viu o que eu vi? – Gintoki cochichou para Rei e ela soltou um risinho. – Ela ta super vermelha e o idiota não se toca.

- Da alguns dias que tudo se conserta para os dois. – Rei cochichou de volta e riu. – Engraçado foi na adega, ela tava dando pulinhos de alegria conversando com ele, parecia uma adolescente.

- Não acredito que Zura já conquistou alguém, eles já...

- ELES ACABARAM DE SE CONHECER! TA LOUCO? – Rei gritou e Katsura e Makoto olharam diretamente para o all white e ela. Katsura se afastou de Makoto e ela finalmente pode respirar tranquilamente. – Nada gente, tudo ok! – Ela faz o sinal de joia.

- Ta bom, ta bom. Vocês vão ficar por aqui? Esperaram por Takasugi? – Makoto conseguiu formar uma frase, algo que Rei achou que ela seria capaz depois do movimento de Katsura.  – Vocês poderiam ficar em frente ao quarto dele, ou sei lá.

- Iremos. – Katsura deu o primeiro movimento se virando para a porta e indo a abrir, mas ela foi aberta por outro enfermeiro que avisava que Takasugi finalmente tinha acordado.

- Trezentos e noventa e dois, não esqueçam! – Makoto berrou para os três que saiam do quarto e soltou mais outro gemido de dor. Ela levou a mão ao rosto e respirou fundo. – Dessa vez eu estou certa, eu tenho certeza e vou provar isso.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...