História Divided - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Personagens Personagens Originais
Visualizações 5
Palavras 3.739
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ficção, Ficção Científica, Luta, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Demorou mas o capitulo 4 chegou, boa leitura.

Capítulo 4 - Informações


Finalmente o grande dia chegou, 5 dias se passaram e como a garota ordenou, Daniel iria fazer a sua parte do "Acordo". Para isso ele foi capaz de acordar 5:00hrs da manhã, na verdade ele não tinha conseguido dormir, e guardou tudo que precisava dentro da mochila, o cilindro/machado, as submetralhadoras e 2 pentes de munição, depois guardou seu material escolar dentro da mochila e nem ele mesmo sabia como tinha guardado tudo isso.

         Disfarçar foi o mais dificil pois o nervosismo tomava conta dele, mas fez tudo o que sempre fazia antes de ir para escola com uma certa naturalidade, o que não era ruim mas no entanto devia aprender a atuar melhor. No caminho acertou os ultimos detalhes do plano com Dante.

"Tudo bem, nós conseguimos fingir bem"- Pensou Daniel aliviado.

"Mas ainda não acabou, temos o dia inteiro pela frente".

"Tá, vamos lembrar o plano".

"Certo. Bom, já dissemos a Suzan que iremos dormir na casa do Paul, depois iremos ter que convencer o próprio a confirmar isso, só pro caso de Suzan ligar, ai nós vigiaremos o alvo até termos certeza de atacar e então extraimos as informações dele e entregamos para Invader e ficaremos livres, pronto".

"Esse plano é horrivel".

"Com esse seu pessimismo nós não vamos conseguir".

''Só estou sendo realista".

            Chegando na escola, ele viu que os valentões caçoavam de um garoto, Jeremy o nerd da sala. Cerca de 3 deles faziam graça com o garoto e tambem viu o material do mesmo espalhado pelo corredor do lugar, todos ali presentes riam da cena como se ela fosse parte de um filme de comédia.

             O "Show" só acabou quando Brad o Lider dos valentões o trancou dentro de um armario e pisou em cima do material do garoto. Daniel sabia a senha do armario do garoto e destrancou o permitindo sair dali.

-Valeu Daniel te devo uma- Jeremy saiu mancando do armario, talvez a zoação tivesse ido um pouco longe demais. O garoto pegava o material do chão e Daniel o ajudava pegando junto com ele- Animais.

-Eu não sei como você aguenta isso, eu teria ido até o diretor e os denunciado.

-Tá maluco ? Se eu fizesse isso eles me quebrariam na porrada.

-Sei - Daniel devolveu material do garoto - Por acaso, você viu o paul ?

-Deve estar na biblioteca.

-Biblioteca ? Você tem certeza ?

-Eu o vi indo pra lá.

-Ótimo, obrigado.

             Daniel se dirigiu até a biblioteca, mas esperava que o nerd tivesse se confundido pois nunca viu Paul sequer entrar na biblioteca e esperava não encontra-lo lá. No caminho viu uma figura familar que era inconfundivel para ele, era Chloe com mais alguem em cima dela, era Brad.

"Ms que porra ?"- Daniel estava surpreso.

"Pelo visto ele já encontrou mais alguem para infernizar".

         Daniel observou a cena por alguns segundos e viu que ele não a deixava ir embora, quando ela tentava ir ele ficava em sua frente. O que deixou Daniel com raiva.

"Você não vai fazer o que estou pensando né ?" Disse Dante.

"Vou".

"Então quebra ele na porrada".

           Daniel andava em sua direção com as mãos fechadas preparando-se para o que iria acontecer, o garoto pegou Brad pelos ombros eo empurrou, o valentão ficou surpreso pela atitude inesperada dele mas não iria se deixar intimidar.

-Sai de perto dela Brad.

-Daniel- Exclamou Chloe.

-Conhece ele linda ?- Chloe fez uma cara feia ao ouvir o linda.

-Daniel não precisa eu já ia embora- Disse Chloe segurando os braços de Daniel.

-Ia embora ? Porque eu vi que ele não estava te deixando ir.

-Eu só estava batendo um papo com a garota, não tinha nada pra você se meter seu idiota.

-Repita isso quando eu quebrar a sua cara.

         Brad se aproximou e desferiu um soco mas Chloe segurou o golpe e levou seu breaço até as costas como se o estivesse redendo, depois ela o jogou em um armario e ele caiu no chão sem entender nada.

-Mas que porra ?- Gritou Brad.

-Mexa comigo ou com algum de meus amigos e você vai se ver comigo, entendeu ?- Disse Chloe imponente.

-Vai se fuder, vão se fuder eu vou embora- Brad se levantou e seguiu seu caminho-Esquisitões.

"Uou o que acabou de acontecer ? Parece que nossa amiga tambem é uma ninja"- Disse Dante animado.

"Parece que ela fez mais do que um passeio".

-Daniel você esta bem ?- Perguntou por perguntar.

-Eu poderia ter dado uma surra nele.

Chloe se aproximou e pôs a mão em seu ombro.

-Não você não poderia.

-Você parece minha irmã falando assim.

Chloe deu um sorrisinho sincero.

-Você pode me explicar como aprendeu aquilo ?

-Depois eu tenho que ir pra aula.

-Certo.

Chloe adentrou o corredor mas ela se virou e fez um tchauzinho para Daniel, o mesmo tratou de devolver o gesto.

            Retornando ao objetivo Daniel foi rapidamente a biblioteca e viu que Paul realmente estava lá, ele estava sentado em uma mesa com três garotas muito bonitas. Como sabia da regra de fazer silêncio em chamou Paul em um tôm em baixo mas alto o suficiente para feze-lo ouvir, então ele  se dirigiu até Daniel com uma cara feliz.

-Daniel eai- Disse Paul muito feliz.

-Se eu não estivesse vendo isso eu nunca acreditaria- Sarcasmo- Paul está em uma biblioteca !

-Shhh- Paul colocou o dedo a frente a boca.

-O que foi ?

-Tá vendo aquela garota bem ali ?- Paul apontou para a garota que estava conversando- Aquela é Jessica Johnson.

-E ?

-E ? Ela só é uma das garotas mais bonitas da escola, e hoje consegui fazer ela falar comigo nós estamos conversando a bastante tempo.

-Que bom.

-Quer vir ? Te apresento as amigas dela, mas já aviso: É dificil decidir quem é a mais bonita.

-Não talvez na proxima, na verdade eu quero conversar em particular.

-Pode ser depois ? Tô ocupado.

Daniel considerou isso.

-Conversaremos depois então beleza ?

-Beleza.

 

John estava em casa, tinha acabado de comer e estava lavando os pratos. Estava pensando na vida quando o seu celular começou a tocar, deixou tocando pois se fosse importante ligaria de novo, e o celular tocou de novo.

-Merda - Disse John já irritado.

Ele pegou o aparelho de cima da mesa e verificou o número, não esperava receber que aquele número ligase para ele.

-É bom que seja importante.

Ele atendeu o telefone.

-Alô ?

-John a quanto tempo !- Disse a voz do outro lado da linha.

-O que você quer Vincent ?

-Vejo que não mudou nada nesses anos.

John deu uma bufada pois sabia que Vincent entenderia a mensagem.

-Ok ranzinza como sempre.

-Ainda bem que entende a mensagem.

-Certo, você pode vir aqui na DCG ?

-Por que eu tenho que ir a DCG ?

-Para falar do nosso amigo em comum.

John sabia que tinha que ir a DCG atualizar Vincent sobre o "amigo" mas não estava nenhum pouco afim de ir.

-Eu estou ocupado posso ir amanhã ?

-Se o que estiver fazendo for muito importante.

-Sim é muito importante- Mentiu.

-Tudo bem, mas quero você aqui amanhã cedo.

-Certo.

         Desligou o celular e o jogou de volta em cima da mesa, não queria ter que falar mas era obrigado. Pelo menos tinha um dia para pensar no que ia falar.

-Vincent seu desgraçado.

 

-O que você quer que eu faça ???- Paul não acreditava que Daniel pediria isso dele.

-Quantas vezes vou ter que te falar ? Só quero que ligue pra Suzan falando que vou dormir na sua casa hoje.

-Só ?

-Sim, por que ?

-Daniel eu te conheço a tempo suficiente para saber que está planejando algo.

"E de novo Paul leitor de mentes descobre nossas intenções"- Zombou Dante.

-E o que você acha que estou planejando ?

-Nada de bom.

-Qual é ? Eu sempre te apoio quando está planejando algo.

-Mas o que eu já fiz é em apoio a humanidade.

-Bater fotos das meninas trocando de roupa por acaso apoiou a humanidade em algo ?

-Apoiou na formação de novos pôrnos.

-Vai se fuder.

Os dois estavam sentados na frente da escola Daniel implorava mentalmente que Paul aceitasse logo antes que Chloe aparecese.

-Eu não quero nada que me deixe encrecado com a sua irmã, você sabe que sou tarado nela.

É verdade, Paul desde a primeira vez que foi na casa de Daniel nunca mais conseguiu esquecer Suzan, depois daquele dia ela foi o motivo para várias visitas dele.

-Pensei que já tivesse superado isso.

-Não tem como superar, ainda mais aquela-Daniel o interrompeu fazendo uma cara feia- Desculpe.

-Vai me ajudar sim ou não ?

-Eu vou, mas só se me contar o que tá tramando.

-Tá, eu conheci uns grafiteiros.

-E ?

-E eles fazem uns grafites a noite, arte noturna, fugir da policia você sabe.

-É por isso que a Suzan não pode saber ?

-Exato ela me mataria se soubesse.

Eu pensei que fosse algo pior.

-Mas não é.

-Ah e têm mais uma coisa.

-O que ?

-Precisso daquele seu moletôm com capuz.

Paul abriu a mochila e tirou de dentro o moletôm preto e o deu para Daniel.

-Não suja ele de tinta, gosto desse moletôm.

-Seu pedido é uma ordem.

Daniel guardou o moletôm dentro da mochila e levantou.

-Te devo uma.

-Me ajuda a conquistar a sua irmã.

Daniel mostrou o dedo do meio para Paul, o mesmo deu uma rizada.

-Te vejo amanhã Paul.

Daniel saiu da escola direto para o local que tinha visto nos documentos de Invader.

 

Daniel estava espiando um restaurante de comida chinesa que segundo os documentos o alvo sempre ia aquele lugar, ou seja não tinha como perde-lo.

          Seu nome era Charles Gunter, careca, porte fisico forte, e era facil acha-lo pela tatuagem de um dragão preto na bochecha direita. O dragão preto era uma marca registrada dos Black Dragons e era para indentificação, a pessoa podia tatua-lo no lugar que quisese.

          Nos papeis dizia que Charles era um membro que tinha orgulho de estar nos Black Dragons tanto que tatuou o símbolo no rosto, o que era uma burrice.

          Finalmente depois de tanto esperar o alvo saiu do restaurante e imediatamente Daniel começou a perseguilo, sempre se certificava de manter uma distancia segura do alvo até encurrala-lo. Charles ia de atravesando becos ainda mais escuros e desertos até que o garoto decidiu que era hora de interroga-lo. Ele se aproximou mais do alvo que notou sua presença ali parando de andar imediatamente.

-Quem é você ?- Perguntou o alvo.

-Não te interessa quem sou, quero falar com você.

-Falar comigo ?

-Sim.

-Você é muito corajoso de estar aqui, me diga trabalha na DCG ?

-Não eu sou independente.

-Essa é nova.

-Eu preciso falar com você e vai ser por bem ou por mal.

-Hahaha, você só tem coragem- O alvo se virou para ver Daniel- Mas é burro.

-Burro ?

-Sim, eu notei que estava me perseguindo e te trouxe para esse lugar, por que aqui vou ter a liberdade de te matar.

Ele avançou em uma velocidade assustadora para cima de Daniel, o segurou pelo pescoço com uma só mão e o encostou em uma parede.

-Vocês humanos me enojam- Apertou ainda mais o pescoço de Daniel- Mandar uma criança fazer serviço de adulto.

Daniel pegou o cilindro que estava no bolso da calça, se transformou e cortou o braço de Charles que foi obrigado a se afastar.

-Que ?

Ele olhou para Daniel ou melhor Dante e não acreditou no que estava vendo.

-Um Dividido !!!

-Isso ai.

-Merda eu não posso fugir.

Um tentâculo igual a uma lamina saiu de seu braço desepado, e outro saiu de seu ombro direito e seus olhos e dentes se transformaram.

-Então terei que te matar.

Ele correu em direção a Dante e tentou acerta-lo com o tentaculo do ombro, mas não o acertou e ficou com tentaculo preso no chão. Dante correu em sua direção tentando lhe dar um soco, mas o têntaculo se soltou e o acertou o jogando contra uma parede.

"Dica: Nunca corra em direção a um Granim "-Daniel disse.

         Charles veio em alta velocidade e tentou acertar a cabeça de Dante com a "Lâmina" mas graças a um pensamento rapido revidou com o machado, as armas se seguravam fortemente mas o garoto foi mais forte e acertou a machadada. Mas Charles recuou mais uma vez, temendo pela vida tentou correr um pouco mais longe e Dante disparou as submetralhadoras as balas acertaram as pernas do Granim.

          Ele caiu no chão e Dante pulou em cima dele cortando seus braços, cortou o braço normal e o braço transformado, e lhe deu dois socos no rosto. O pegou pela gola da camisa e deixou em uma parede.

-Merda o que você quer ?

-Saber sobre o Black Dragons.

-Eu não vou falar nada.

-Não vai ?

Dante enfiou o dedo dentro do buraco da bala na perna de Charles o fazendo gritar.

-Desgraçado.

-E agora será que vou ter que cortar as duas pernas tambem ?

-Não eu conto.

-Espere.

Dante o gravador no bolso e o ligou.

-Comece falando sobre os negócios dos Black Dragons.

-Os negócios ?

-Sim, como funciona ?

-É simples os Granins que quizerem comprar Lûmia tem que trazer orgãos humanos.

-Orgãos humanos ? Vocês estão usando humanos como moedas de troca !

-E o que esperava garoto ? temos que ter uma moeda de troca.

Irritado Dante deu mais um soco em seu rosto.

-E o que mais ?

-Nós damos os orgãos para outras gangues e assim vai, ganhamos dinheiro e Lûmias com isso.

-E o que mais ?

-Isso é tudo o que eu sei.

-Ótimo.

"Eu vou mata-lo".

"Que ?"

"Se ele viver vai espalhar o nosso segredo".

"Não Dante"

"Vai me agradecer depois".

-Ultimas palavras ?

-Vai se foder.

"Não" Daniel não queria.

-Descanse em paz.

Dante levantou o machado e finalizou o Granim partindo sua cabeça em dois, uma grande quantidade de sangue jorrava pelo cenário, o garoto saiu dali nervoso porém como se nada tivese acontecido. Daniel pegou o celular e ligou para o "Número desconhecido".

           

 Já eram 5:00 hrs da manhã, a cidade já estava começando a despertar, Invader mandou Daniel a encontrar no mesmo beco da primeira vez e ali estava ela com um moletom com capuz azul.

-Aqui está o gravador.

Ele devolveu o gravador, ela ligou o gravador e o deixou perto do ouvido se certificando que estava tudo certo.

-Bom, muito bom. Mas e os documentos, ninguem pode saber deles.

-Eu vou colocar fogo neles.

-Ótimo.

-Falta você.

Ela pegou o celular do bolso e colocou o video e depois o apagou.

-Ele tambem foi apagado do meu computador.

-Ótimo.

-Bem você está livre, agora seguiremos nossas vidas e nunca mais nos encontraremos.

Mas Daniel não queria isso, não, ele queria saber no que estava se metendo e tinha achado uma brecha.

-Por que precisa das informações ?

-Não te interesa, se manda.

-Não agora eu quero saber.

Daniel segurou seu braço e pegou o cilindro e imediatamente a hacker começou a se desesperar.

-Me solta, senão...

-Senão o que ? Vai contar pra todo mundo ? Ninguem acreditaria em você.

Ela não tinha saida mas graças a um pensamento rápido deu uma joelhada na barriga de Daniel e saiu correndo. Daniel correu atrás dela, ela era mais rapida e tirou a mascara na correria dificultando as coisas, Daniel perdeu ela de vista mas teve uma ideia. Subiu em um prédio através da saida de incêndio e achou a garota.

        Ela estava parando de correr acreditando que Daniel a tinha perdido de vista, mas não deixou ter atenção em nenhum instante e notou que estava sendo seguida. Com certeza não era Daniel o porte fisico era incompativel, ele era magro e alto e não tirava os olhos dela.

        A garota rapidamente desviou para a esquerda em um beco e correu até a saida dele, mas ao chegar o homem estava alí, como ele havia chegado tão rápido ? A não ser que...

        Ela notou a situação em que estava e saiu correndo mas o homem com uma incrivel velocidade a pegou pelo pescoço e a levantou sem se esforçar, ele a colocou contra a parede do beco e analisava seu corpo dos pés a cabeça enquanto ela tentava tirar sua mão em seu pecoço.

-Nossa você é tão linda- Ele tinha uma voz rouca, era um adolescente de aproximadamente 19 anos, ele tinha um sorriso sádico estampado no rosto.

-Me...me...solta...-Ela tinha dificuldade para falar.

-Eu não entendi o que disse ?-Estava debochando- Sabe eu normalmente não mato durante o dia, mas você me atraiu. Esse seu corpo é lindo, é totalmente dentro dos meus padrões.

-Eu...Eu...-Já estava desmaiando pela falta de ar.

-Não apague, eu quero você acordada para me ouvir dizer qual parte do seu corpo eu adorei. Eu admito suas pernas são lindas- Uma grande quantidade de sáliva escorria de sua boca- Por favor, por favor, faça o som que eu adoro quando eu fizer isso.

       Uma espécie de garras cresceram em suas mãos.

-Agora.

       Ele enfiou as garras na perna direita da garota, fazendo a garota gritar muito alto, ele estava tentando arrancar sua perna e estava conseguindo, mas uma figura passou de razante e cortou seu braço fora.

-Ahhhhhh caralhooo.

A garota caiu no chão mas viu que a figura era Dante.

-Por que sempre tem um esquisitão atrás de garotas indefesas ?

-Você vai me pagar, vai me pagar por me atrapalhar.

-Cai dentro esquisitão.

Dante correu e pulou em sua direção com o machado pronto para matar, mas a garota não pode ver nada pois havia desmaiado.

 

       Lentamente ela foi abrindo os olhos, só sentia um vento calmo em sua direção vindo de um ventilador de mesa, ouvia o som dos passaros. Estava deitada em uma cama e estava coberta por um lençol, como ela havia parado alí ? Deu uma olhada pelo lugar, era um quarto de homem o que não era um bom sinal, olhou para a sua direita e viu Daniel dormindo sentado em uma cadeira perto dela.

"Merda ele me trouxe aqui ? Eu tenho que fugir". 

       Tirou o lençou e viu a perna enfaixada, obviamente cuidou dela, a perna doía cada vez que se mexia mas não podia desistir, saiu da cama e tentou andar mas sentiu uma grande dor na perna e caiu no chão. Daniel acordou imediatamente com aquilo e viu a garota caida a pegou pelo braço e guiou de volta para a cama.

-Aonde estou ? Por que cuidou de mim ?

-Calma uma pergunta de cada vez.

-Certo, aonde estou ?

-Em um lugar seguro.

-Lugar seguro ?

-Sim eu te trouxe para a casa de um amigo meu, depois que quase morreu para aquele Granim.

-Por que cuidou de mim ?

-Você pode não acreditar mas eu não te quero morta.

-Tem razão eu não acredito.

-O Granim tentou arrancar sua perna e isso causou uma grande perda de sangue, eu te trouxe o mais rápido que pude e eu e meu amigo cuidamos de você.

Ela tocou o lugar enfaixado.

-Osso estava fora do lugar então o colocamos de volta, depois estocamos o sangramento ai costuramos e enfaixamos sua perna.

-Tudo isso ?

-Nah, você aprende isso nas aulas de medicina do colégio.

Ela encarava a perna.

-Como está a perna ?

-Recuperando. Obrigada por e salvar e cuidar de mim.

-Disponha.

-Presumo que tenha um interesse por trás disso tudo certo ?

-Sim, eu quero saber o que foi que eu fiz. Eu matei um homem...

-Granim.

-Que seja, descubro que humanos são moedas de troca em uma espécie de comercio, e presumo que tenha muito mais coisa ai.

-Sim você tá certo, tem muito mais coisa ai.

-Eu sabia.

-Quer saber de tudo agora ?

-Sim.

-Os Granins formaram um tipo de comércio de comida, a lûmia como eu te disse é um aliimento precioso para eles. Alguns Granins vira a chance de fazer dinheiro nisso, antigamente era: " Traga o que queremos e lhe daremos a comida". Esse sistema existia a anos e parecia que não iria mudar, mas alguns grupos decidiram mudar a moeda de troca para orgãos humanos. O membro que você matou fazia parte de um desses grupos, os Black Dragons fazem esse tipo de coisa.

-Mas o Granim não sabia de praticamente nada.

-Sim ele foi uma perda de tempo.

-Parece que você não tem muita coisa.

-Sim, e aquele Granim era minha chance de descobrir algo, mas ele era inútil.

-Mas ele disse que os orgão vão passando de gangue pra gangue.

-Sim e isso é intrigante, mas pensarei nisso quando tiver ido embora.

-Eu queria falar com você sobre isso.

-Hã ?

-Eu estive pensando se poderiamos nos aliar.

-Não sem chance.

-Pense bem, nós dois queremos saber o que está acontecendo, e cada um de nós tem suas vantagens.

-Tem razão, você a força e eu o cérebro.

-Exato.

-Como posso saber se você é confiavel?

-O meu amigo lá embaixo, eu não disse quem você é para ele.

-Tem mais ?

-Eu não contarei sobre você para ninguem, e espero que você faça o mesmo sobre mim.

-Eu honro a minha palavra.

-Espero que sim, então parceiros ?

-Com uma condição: Eu não vou te dizer meu nome.

-Certo.

-Parceiros ?

-Parceiros.

Os dois apertaram as mãos assim formando uma parceria.

 

Estava chuvendo muito naquela manhã, Glass City perdia um pouco as suas cores por isso mas continuava bela, gigantesca e misteriosa. Um certo  carro esporte preto acabara de estacionar na garagem da DCG e seu dono andava pelo prédio tendo várias recordações da época que trabalhava lá, mas não estava ali para relembrar os velhos tempos. Ele pegou o elevador que se dirigiu até o escritório do diretor da DCG, a secretária não precisava da identificação do homem pois conhecia o ser, ela avisou o diretor de sua chegada. John passou pela porta do escritório do diretor, Vincent estava lhe esperando.

-Pontual como sempre- Disse Vincent olhando o relógio.

-Vamos acabar com a enrolação e partir logo pro que interessa ?- John irritado..

-Tudo bem- Vincent estendeu a mão para a cadeira do outro lado da mesa- Sente-se.

John sentou na cadeira, já sabendo o que iria acontecer.


Notas Finais


Continua no próximo capitulo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...