1. Spirit Fanfics >
  2. Dividindo a dor. >
  3. Sharing the love

História Dividindo a dor. - Capítulo 2


Escrita por: MinnieBaozi

Notas do Autor


ENTÃO.......................................
Depois de 3 fucking anos eu dei minhas caras aqui pra trazer esse extra que tanta gente me pediu e eu PROMETI que ia fazer. Sobre mim, vocês tem que entender que é que nem a justiça, tarda, mas não falha. (mentira falha sim)
Eu escrevi isso acho que no mesmo ano que postei o cap 1, empaquei na metade, fiquei bloqueada, e agora em uma noite aleatoriamente eu consegui escrever tudo. Pra vcs verem como são as coisas né kkhkjkjhkhj

Bom, não vou atrasar a leitura que já atrasei por 3 anos e fiquem com a explosão da bomba que eu deixei no final do primeiro cap.

Boa leitura ~ ^^ e perdoem os possíveis erros ortográficos

Capítulo 2 - Sharing the love



 

Baekhyun precisou de alguns segundos de assimilação, enquanto prendeu a respiração inconscientemente. O ar em seus pulmões foi solto, tornando este o único som audível no ambiente.

Definitivamente não, não, isso não podia estar acontecendo! Baekhyun pensava, trêmulo.

 Em todo esse tempo que conhecia o Kim, nunca imaginou que essa cena se passaria diante dos seus olhos. 

Até a noite de ontem…

— Yifan...— chamou o chinês que parecia estar tão incrédulo quanto si. — Me diz que isso é uma miragem, vamos voltar por essa porta e..

 

— Não, Baekhyun, não é uma miragem! Que caralhos significa isso?! — Yifan gritou, mirando o casal abraçado na cama.

 

Minseok estava sentando no colo de Chanyeol, tendo seus corpos cobertos pelo lençol fino de algodão. O menor tinha uma expressão beirando a surpresa e o nervosismo. E Chanyeol... Bem, Chanyeol sorria de canto, enquanto segurava a cintura de Minseok com as duas mãos.

Seu olhar foi de Baekhyun, que tinha uma expressão similar a de Minseok, para Yifan, que os encarava com uma feição raivosa.

 

O clima estava pesado, muito pesado. Baekhyun e Yifan estavam tão abismados quanto a situação pedia, e Minseok e Chanyeol não disseram uma só palavra que contrariasse a indignação alheia. 

 

Os olhos de Yifan encontraram os de Minseok, e o mesmo teve vontade de chorar. Yifan o encarava tão friamente, com seu olhar julgador, amargo e punidor. Minseok nunca quis que o chinês o olhasse assim, tudo que ele queria desde o começo era reconhecimento, era amor, carinho. Era que Yifan o amasse de todo o coração e nunca se decepcionasse consigo, mas tudo que tinha agora era um olhar de desprezo do maior e Minseok percebeu: ainda doía muito, no fundo do seu coração. Toda a animação que sentiu quando acordou foi sugada por aquele olhar.

 

E Baekhyun... Seu melhor amigo.

 

Não tinha coragem de olhar pra ele, não conseguia. Estava com medo, medo de desabar ali na frente daqueles dois e parecer fraco. Medo de ter que aguentar aquele olhar por mais tempo do que conseguia...

 

— Vamos, respondam! Que merda é essa, Minseok?! — Yifan berrou, a voz grave e cortante como vidro fez o mais velho tremer.— Por que está deixando esse filho da puta te tocar assim, vamos, sai de cima dele agora! — gritou mais uma vez com raiva e Minseok não sabia o que dizer, não sabia o que pensar.

Sim, ele choraria.

Choraria se não fosse...

— Hey, Minnie... — Chanyeol sussurrou, ignorando totalmente Yifan. — Está tudo bem, okay? Eu assumo total responsabilidade pelo que fizemos ontem. E por você, também... — disse rente ao ouvido de Minseok, causando um arrepio gostoso, mesmo naquele momento tenso.

A voz de Chanyeol era tão calma e lhe transmitia tanta segurança que o menor não reprimiu um sorriso. Ah, o olhar de Chanyeol era tão terno, tão carinhoso. Minseok sentia como se, realmente, tudo fosse ficar bem.

 

“Desde de que eu tenha Chanyeol, tudo ficará bem” ele pensou, e então não sentiu mais medo.

 

O moreno teve a audácia de beijar-lhe a bochecha com carinho, na frente dos outros dois, coisa que só enfureceu ainda mais Yifan.

— Minseok...

 

— Ele não vai a lugar nenhum, Yifan. — Chanyeol interrompeu o chinês quando este se aproximava da cama. — Ele não vai sair de cima de mim, se você não percebeu, nós dormirmos juntos. Isso está mesmo acontecendo. — Chanyeol tinha a voz calma demais pra quem havia sido pego no flagra. E de fato, estava calmo.

 

— Eu sabia... Eu sabia! Quando liguei pra você e ouvi aqueles gemidos... Yifan não quis acreditar, mas eu tinha certeza. Eu sabia que não devíamos ficar esperando, tinha certeza que se viesse aqui encontraria os dois nessas condições... — Baekhyun se pronunciou, já chorando. — Mas ainda me dói acreditar. Por que, Chanyeol? Por quê? Eu sempre dei tudo por você, sempre fui bom o suficiente, por que me trocar pelo Minseok? Eu não entendo, eu sempre...

 

— Cala a boca. — Chanyeol disse sério, interrompendo totalmente o menor.

 

Baekhyun arregalou os olhos com o tom de voz do namorado, e sentiu seus olhos embaçarem. Não era justo... Não era justo que Minseok conseguisse roubar Chanyeol de si daquele jeito, não era.

 

— Mas, Yeollie, como você...

 

— Falei pra calar a boca! Como você tem coragem de chorar na minha frente? Como tem coragem de fazer esse showzinho e esse drama? — Chanyeol gritou com Baekhyun, o vendo se encolher atrás de Yifan.

 

— Como ele tem coragem? Como o Minseok tem coragem? Aí sentado no seu colinho, como uma perfeita vadia. Todo esse tempo dizendo pra mim que não estava pronto. Foi só eu te deixar sozinho por um dia pra você ir dando pra outro cara, logo você, o tão tímido Minseok. — Yifan sentia seu sangue ferver, não mediu nem um pouco suas palavras. Minseok não podia ter feito isso. Todo esse tempo ele o desejou, ele quis possuí-lo e tê-lo daquele jeito. Minseok nunca lhe deu a brecha que precisava, por isso foi atrás de Baekhyun. Pra no fim, ele dar essa brecha pra outra pessoa... — Você não podia me trair desse jeito, Minseok, você...

 

— Oras, cale a boca, seu imbecil! — o menor disse, deixando Yifan e os outros surpresos. Minseok nunca havia levantado a voz pra Yifan daquele jeito, nunca! Era surpreendente. Mas ele estava cansado, cansado de tudo...

 

— O que você...

 

— Só cale essa boca, antes que eu soque essa sua cara estúpida. — cuspiu as palavras que guardou no fundo do seu coração, todas as vezes que Yifan o destratou. E como ele ainda tinha coragem de exigir fidelidade? 

 

— Shh, calma, pequeno. Não se estresse desse jeito por alguém como ele. — Chanyeol sussurrou em seu ouvido, tentando reprimir o riso. Não estava o repreendendo, pelo contrário, tinha adorado a atitude do baixinho. Só não queria que ele se estressasse mesmo, não com aqueles dois. — Vocês podem nos dar um minutinho? — Chanyeol encarou os dois garotos que pareciam incrédulos. Então pôs o menor ao seu lado na cama, e se levantou, deixando o lençol na cama cobrindo Minseok.

Caminhou até o closet sem se importar nem um pouco com a sua nudez, fazendo com que Minseok tivesse vontade de enfiar a cara no chão. Chanyeol era tão sem noção...

O maior voltou a cama com uma moletom como parte de baixo, mas ainda sem camisa, em suas mãos tinha uma boxer, que deu pra Minseok vestir. Diferente de Chanyeol, Minseok vestiu a roupa que lhe foi dada com certa timidez, debaixo dos lençóis.

Chanyeol roubou um selinho do menor, assim que este terminou de se vestir, vendo como Minseok realmente ficava adorável em suas roupas, parecia um ursinho. Tão lindo.

O olhar dos dois se encontraram e sorriram um pro outro. Não sabiam ao certo por que estavam sorrindo, mas estavam felizes.

O sorriso de Chanyeol sumiu completamente quando se virou pros dois traidores. Se levantou da cama, indo em direção a Yifan, que parecia querer vomitar com as carícias trocadas entre os dois.

 

— Seu filho da...

 

— É o seguinte, vacilão. — Chanyeol apontou o dedo em Yifan, sem rodeios, interrompendo o xingamento que viria do maior. — Se você chamar o Minseok de vadia de novo, eu vou quebrar a sua cara, ouviu bem? Vadia é isso aí que está do seu lado. — Chanyeol olhou pra Baekhyun, que ao ouvir isso sentiu seu coração se apertar e seus olhos lacrimejarem. — Como vocês têm coragem de vir aqui e de bancarem os humilhados? Pode parar com o teatrinho, Baekhyun, a gente já sabe que vocês dois estavam se comendo nas horas vagas. — Chanyeol olhou diretamente pro ex namorado, vendo o menor arregalar os olhos desesperadamente.

 

— Channie...

 

— E quem disse isso? Kyungsoo? Todo mundo sabe que o Kyungsoo nos odeia desde sempre, me poupe. — Yifan tentou continuar a mentira, como se tivesse razão, mesmo que estivesse explodindo de nervosismo por dentro. Precisava contornar a situação.

 

— Eu vi vocês dois juntos, Yifan... Você nem precisou pegar o recado do seu amante pra ir na casa dele me trair. — Minnie não escondeu a repulsa ao se lembrar da cena. 

Yifan ficou sem resposta, se Minseok tinha visto o que ele poderia inventar?

—  Min...— ele tirou a mão de Chanyeol de si com um tapa e se aproximou do mais velho entre os quatro, tocando seu rosto com um das mãos. — Vamos pro nosso quarto conversar sobre isso. Eu também fiquei puto com você, mas não estou mais bravo. Sei que podemos chegar num consenso se vir comigo pro nosso quarto, amor...

Yifan se interrompeu assustado com o tapa que Minseok havia lhe dado na mão. Chanyeol fez menção de se aproximar, mas desistiu quando Minseok lhe deu um olhar significativo. Ele queria fazer isso sozinho. O maior entendia e respeitaria isso.

— Minseok...

 

— Sabe, Yifan. Eu sempre achei você perfeito, desde a primeira vez que o vi. — Minseok falou com um sorriso pequeno trazendo seu olhar para Yifan. — Você era tudo o que eu queria, eu realmente me esforcei pra te conquistar, e quando eu consegui, foram os melhores dias da minha vida. — o menor se aproximou, e desta vez ele que levou sua mão ao rosto do chinês, acariciando a face com o polegar. — Te beijar, te abraçar, te observar dormindo...Cuidar de você, são coisas que sempre me deixaram extremamente feliz, meu coração sempre foi seu, Yifan. — Minseok ditou, fazendo Yifan sorrir para si triunfante, esquecendo da atitude grosseira do mais velho. — Mesmo me sentindo negligenciado nessa relação, eu sempre soube, Fan... — Minseok se aproximou ainda mais, sentindo Yifan segurar a sua cintura o trazendo para mais perto. Olhou em seus olhos novamente. — Eu sempre soube que não podia viver sem você.

 

— Minseok... — Yifan murmurou, os dois estavam tão próximos, Yifan já sentia a respiração do baixinho se chocando em seu rosto, e a ansiedade de beijar aqueles lábios. Sim, Minseok não podia viver sem ele.

 

— Eu nunca estive tão errado... — Minseok sussurrou em seu ouvido, passando direto pelos seus lábios. Yifan sentiu seu corpo todo se arrepiar ao encarar aquele sorriso travesso. — Enquanto você não for oxigênio, eu não preciso de você pra viver e nem dessa sua hipocrisia. Eu corri muito atrás, eu tentei de tudo que podia e você achou legal me trair com o meu melhor amigo. Eu demorei, sim, mas eu entendi que eu tenho valor, Yifan, e advinha só? Você não me deu o devido. Seu prazo esgotou, meu bem. E a propósito... — o menor buscou Chanyeol, enroscando seus braços em torno do mais alto. — “Sair dando” pro Chan foi a melhor coisa que eu fiz nos últimos 2 anos, e sabe por quê? — sorriu provocante, de uma forma que Yifan raramente via. — Porque ele fez do jeito mais gostoso e apaixonado que eu sei que você jamais conseguiria.

Minseok não parecia nervoso ou com nenhum remorso ao dizer aquelas palavras, e Chanyeol não pôde deixar de sorrir malicioso com a declaração do baixinho. Quando imaginaria que o Kim teria coragem de dizer essas coisas pra Yifan? Minseok era uma preciosidade mesmo.

   

— Ouviu isso, Wu? — Chanyeol debochou, pondo suas mãos na cintura de Minseok, como se estivesse dizendo que o menor o pertencia agora. — Você conseguiu ser um filho da puta com uma pessoa tão doce e apaixonante como o Min, achou mesmo que ele aguentaria sua indiferença e a sua traição escrota pra sempre? Perdeu, playboy... Perdeu.— Chanyeol não conseguia disfarçar o olhar vitorioso. — Sugiro que pegue sua foda particular e se mande daqui, e como o ano já está acabando, não vai demorar muito pra trocarmos de quarto também, seus doentes.

 

— Tira suas mãos do meu namorado, Park... — Yifan ditou entredentes, com os punhos cerrados. Não podia aceitar isso, Minseok era seu. Não podia aceitar Minseok beijando Chanyeol, ou transando com ele. Urgh, isso ele não aceitava. Todo aquele tempo esperando pra desfrutar daquele corpo delicioso...

E só de imaginar as mãos asquerosas de Chanyeol passeando pelas coxas do seu namorado...

Sim, Yifan era um puta hipócrita, mas ele parecia não se dar conta.

— Não somos mais namorados, Yifan. — Minseok disse, sem paciência. Agora ele bancaria o possessivo? — Espero que você curta sua vida de solteiro, porque eu tenho um novo alguém pra ocupar o seu lugar.

 

— Cala a boca, Minseok! — Baekhyun disse de repente, fazendo Min se assustar, por um momento esqueceu da sua presença ali. — Você não tem esse direito, não tem! Chanyeol, não faz isso comigo, não me troque desse jeito. Por favor, eu não queria...

 

— Nem se dê ao trabalho de pedir desculpas, se explicar, não faz a menor diferença pra mim. Só acho, que você deve amar muito o Yifan, pra trair seu melhor amigo desse jeito. Você é tão baixo, Baekhyun...— Chanyeol disse com a voz cortante, exalando toda sua raiva por aquele garoto que só tinha causado tristeza em si e no seu pequeno.

 

— Não, Chanyeol! — Baekhyun começou a chorar. — Eu não amo ninguém além de você, por favor, acredita em mim. — o menor disse em meio às lágrimas.

 

— Ah, é mesmo? E o que foi, então? O Yifan te fode com mais força, Baek? — Chanyeol não poupou sarcasmo e deboche em suas palavras, deixando Baekhyun cada vez mais choroso.

 

— Por favor, não fale assim... Eu só queria... Eu só queria que você olhasse pra mim, Chanyeol! Você estava distante, você não tinha mais disposição pra mim nem pra nada que envolvesse nós dois. — Baekhyun dizia entre os soluços. Não pensou que passaria por aquela situação. — Você nem sentia mais desejo por mim, me deixando na mão sempre que eu queria algo... Eu queria que você sentisse minha falta e percebesse que poderia me perder. Eu não queria ter um relacionamento como o de Yifan e Minseok, onde só uma parte dá tudo de si e a outra apenas ignora, eu não queria ser como Minseok...— Baekhyun confessou, de cabeça baixa, sem coragem de encarar o amigo. — Chanyeol, me perdoe...

 

— Você não queria ser igual ao Minseok? Você devia se envergonhar de dizer isso! Se você fosse metade da pessoa que Minseok é, você não me trairia. Você teria conversado comigo, é assim que nós sempre nos resolvemos. Eu sei que vocês estão juntos e não é de hoje, desde aquele dia do banheiro... E quer saber, Baekhyun? Você até que tem razão, eu perdi todo o interesse em você. Sabe por quê? — cada palavra de Chanyeol fazia o coração de Baekhyun se apertar.

 

— Channie...

 

— Eu perdi o interesse em você porque você não é o Baekhyun que eu conheci. Aquele Baekhyun nunca faria esse tipo de coisa, nunca desceria esse nível por um pouco de atenção. Ele não era assim... Você era honesto, jogava limpo, costumava pensar nas outras pessoas, era muito mais humano. Eu já aceitei que você não é o mesmo faz tempo, tanto que doeu bem menos do que deveria doer. Mas sabe o que me deixa indignado, Baekhyun? Você ter feito isso com o Minseok. Eu nunca vou perdoar você por magoá-lo desse jeito. — Chanyeol apertou mais ainda Minseok em seus braços, enquanto o menor só assistia seu ex amigo definhando. A que ponto Baekhyun havia chegado?

 

— Eu sabia...Sabia que você sentia algo pelo Minseok, eu sempre estive certo. Você não entende, Chanyeol! Não é justo você me trocar justo pelo meu melhor amigo, não é justo você se apaixonar justo por ele. Você está me acusando de tê-lo traído, mas ele me traiu primeiro. Ele deixou que você se apaixonasse, ele deixou que acontecesse... Eu senti raiva, eu senti muita raiva. Eu sabia que quanto mais eu seduzisse Yifan, menos atenção ele daria pro Minseok e então ele sentiria na pele tudo que eu senti por culpa dele. — Baekhyun soluçava, com a cabeça baixa. Ainda sem coragem de encarar Minseok. 

o Byun tinha se tornado alguém tão ruim e egoísta, enquanto Minseok sempre foi tão bom e solidário. Até nisso ele era melhor que si, isso era tão injusto, o fato de Minseok conseguir fazê-lo se sentir culpado com aquele olhar livre de rancor e ódio.

— Baekhyun... — Minseok sussurrou, sentindo algumas lágrimas deslizarem por sua bochecha. Não sabia se sentia mágoa ou pena do ex melhor amigo.

 

— Eu nunca imaginei que vocês chegariam a esse ponto, sempre confiei que Minseok era apaixonado demais por Yifan pra fazer esse tipo de coisa. — Baekhyun fungou, levantando seu olhar pra Chanyeol. — Pelo visto, não...

 

— Olha só pra você, Baekhyun... O que te fez ficar assim? — Chanyeol estava abismado com tamanha perversidade do ex.

 

— Channie, por favor, me perdoa. Diferente dele, eu preciso de você, você é o meu oxigênio, eu não vou aguentar ficar sem você, eu te amo!... Por favor, Channie, me perdoa, eu te imploro. — ele se ajoelhou aos pés do amado, agarrando suas pernas enquanto clamava pelo perdão do mais alto. 

 

— Me solta, Baekhyun! — Chanyeol o empurrou não com tanta força, afinal não era um bruto, mas Baekhyun continuava grudado em suas pernas declarando seu amor pelo ex. 

 

— Solta ele, Baekhyun! — Minseok ordenou, de repente sentindo raiva de tamanha petulância. Puxou Baekhyun pela camisa com força, enquanto este praticamente esperneava igual uma criança. 

Com muito custo ele conseguiu tirar Baekhyun das pernas de Chanyeol, este que se remexia raivoso nos braços do Kim. 

— Tira as mãos de mim, Minseok! — Baekhyun gritou, já em pé, depois do Kim arrancá-lo com força de Chanyeol. Seus cabelos já estavam eriçados de tanto se debater. 

 

— Então tire as mãos do meu Yeol. — Minseok disse raivoso, como nunca antes. Não acreditava que Baekhyun tinha coragem de confessar toda aquela barbaridade e ainda pedir Chanyeol de volta. Naquele momento sua pena do amigo tinha desaparecido. 

Minseok estava concentrado demais em Baekhyun pra perceber o sorriso abobalhado de Chanyeol por ouvi-lo chamá-lo de “meu”. 

— Como é que é? Seu? — Baekhyun fez uma expressão debochada. — Você tá maluco? Não foi homem o suficiente pro Yifan e acha que pode ser pro meu namorado? Só porque deu a bundinha tá se achando o…

Baekhyun se interrompeu ao sentir a ardência no rosto pelo tapa que Minseok acabara de lhe dar. Incrédulo e possesso, ele levou a mão ao local machucado, tentado a devolver a audácia. Mas no fundo, no fundo, ele sabia que não tinha esse direito depois de tudo que fez. Se limitou apenas a encarar o Kim, surpreso com a atitude do sempre amável Minseok. 

 

— Ele não é mais seu namorado. 

 

Minseok falava tão firme, deixando Chanyeol orgulhoso e chocado ao mesmo tempo, e o mesmo acontecia com Yifan. O chinês tinha gostado dessa atitude do Kim, ele ficava sexy com aquele olhar decidido e imponente. Puta que pariu, Yifan se descobriu totalmente atraído por aquele Minseok ousado. 

 

— Eu não acredito que você fez isso...— Baekhyun chorou de raiva. 

 

— Isso é o mínimo que você merece de mim, Baekhyun, seu canalha. — Minseok sentiu pela primeira vez coragem para se impor e gostou da sensação. — Você sabia o quanto me machucava a indiferença de Yifan, e mesmo eu sempre tendo sido leal a você, você transou com meu namorado na minha cara só pra alimentar o seu ego escroto? Como eu pude me enganar tanto sobre você?  

Minseok começou a derramar lágrimas de mágoa e tristeza, mas sem perder a firmeza na voz. Céus, nunca imaginaria essa situação com quem, por anos, chamou de melhor amigo. 

 

— Eu via o olhar de admiração de Chanyeol por você, Minseok! Você se diz leal mas como deixou isso acontecer? — Baekhyun só agora tirou a mão do rosto que ainda ardia levemente. — Você também não surtaria se percebesse que Yifan estava apaixonado por mim, além de já não ser mais o mesmo com você?! — ele gritou, tentando se justificar. 

— Nunca, jamais! Eu teria terminado com Yifan se percebesse esse olhar que você diz ter visto em Chanyeol comigo. Eu teria dito isso pra ele antes de qualquer coisa, mas eu nunca culparia você, Baekhyun. Tampouco trairia Yifan com Chanyeol pra me vingar dos dois. — Min soluçou, tão magoado que não cabia no peito a dor que sentia. — Eu não tenho culpa do Chanyeol ter perdido o amor por você, assim como não tenho culpa dele, em tempos de amizade, me tratar muito melhor do que o meu “namorado”, — riu irônico fazendo aspas. — jamais me tratou. Nós dois não temos culpa por sermos exatamente o que precisávamos um pro outro, não temos culpa de estarmos juntos. Agora vocês dois... — Minseok encarou Yifan, com asco. — seus nojentos, vocês vão sempre carregar a culpa de terem sido os piores e mais canalhas namorados e amigos que alguém poderia desejar, vocês se merecem! 

 

— Você vai entender um dia que tudo que eu fiz foi por amar demais, Minnie.— Baekhyun o chamou pelo apelido de sempre, causando ainda mais raiva em Minseok. 

Yifan se perguntava como ele ainda tinha coragem de dizer algo do tipo, de tentar se defender. Ele nem tinha o que dizer com relação a isso, Yifan queria sexo e Minseok não queria lhe dar isso, e era só. Gostava do baixinho? Claro, ele era extremamente amável e estava sempre dando tudo de si para Yifan. Mas não só de amor se vive a relação perfeita, pensava o chinês. 

Contudo, ele sabia que tinha sido um cafajeste canalha e não tentaria provar o contrário depois de tudo que ouviu do Kim, melhor era ficar calado mesmo. 

Diferente de Baekhyun que justificava suas atitudes em nome do amor, puff.

 

— Eu nunca vou entender, Baekhyun, e eu não preciso ficar aqui falando o óbvio. — Minseok se aproximou de Baekhyun, olhando-o nos olhos. — Eu tenho nojo e pena de você. E nunca mais quero olhar na sua cara, e nem na sua. — encarou Yifan. — Por isso, virem a cara quando cruzarem comigo pelos corredores. 

Minseok ordenou, colocando ali um ponto final na sua relação com os dois. 

— Vocês dois já sugaram bastante a energia do Minnie, agora caiam fora! — Chanyeol se aproximou do garoto ao qual estava apaixonado, o abraçando na frente dos dois, pra mostrar que estavam juntos. — Minseok já disse tudo que tinha pra dizer, agora é hora de meterem o pé das nossas vidas. 
 

Baekhyun encarou os dois com um mix de maus sentimentos, rancor, raiva, tristeza, arrependimento… Céus, queria que aquilo parasse. 

— Chanyeol, eu amo você…

 

— Chega, Baekhyun! — foi Yifan quem se pronunciou depois de tanto tempo calado. — Você perdeu, chega de se rastejar por esse babaca, pegue sua dignidade e vamos embora. — ele pôs a mão no ombro do baixinho, que o encarou em busca de consolo. Mas sabia que ele tinha razão. 

Chanyeol não cedia mais às suas manipulações e chantagens emocionais, e Minseok não era mais aquele idiota ingênuo que só pensava nos outros e nunca em si mesmo. 

Mas...

— Isso ainda não acabou... Eu vou ter você de volta, Yeol. — ditou convicto. — Vamos, Yifan. 

Chanyeol e Minseok nem acreditavam que ele tinha coragem de afirmar isso, mas estavam felizes por eles estarem indo embora. 

Yifan passou pelos dois, ainda sentindo raiva da forma que Chanyeol segurava a cintura do ex. Ele sabia que não devia, mas seu orgulho e ego eram maiores do que tudo. 

Deu um passo pra trás e se virou pra Minseok. 
 

— Você foi um ótimo namorado, Seok. — sorriu. — Só me arrependo mesmo de não ter comido essa sua bunda gostosa. Esse é meu único arrependimento. — ele riu. Queria uma última vez ver a expressão envergonhada de Minseok com as bochechinhas vermelhas, que o deixavam doido, mas a única coisa que ganhou foi um olhar de desprezo. Mesmo assim, continuou. — Ah, quem sabe se eu tivesse insistido um pouco mais aquele dia na banheira, já que você fazia de tudo pra me agradar. Quem sabe eu não tivesse tido o prazer de te ver gemendo gostoso como a vadia que você é, e então não precisaria foder outro que não fosse o meu lindo namorado. — Yifan teve a audácia de tocar-lhe o rosto com a mão se deliciando com o olhar fulminante do Kim diretamente em seus olhos. Isso o excitava. 

 

— Você tá maluco? — Chanyeol o segurou pela jaqueta com agressividade, tomando uma considerável quantidade de tecido nas mãos. — De usar essa mão e essa boca suja pra se dirigir a ele? 

 

Yifan sorriu sádico, de um jeito que Minseok nunca tinha visto. 

 

— Relaxa, cara… A putinha agora é sua, aproveita bastante essa… — e foi a vez de Yifan ser interrompido pela dor latejante em seu rosto.

Chanyeol tinha desferido um soco com tanta força, que viu sangue escorrer da boca de Yifan quando este virou-se novamente pra si enfurecido. 

— Filho da puta…

 

— Eu disse pra não falar assim dele... com essa sua boca imunda!— Chanyeol ditou entredentes. 

 

— Vamos logo, Yifan! — Baekhyun gritou, prevendo uma possível briga entre aqueles dois por causa do adorado Minseok. Revirou os olhos intensamente sentindo o mais elevado ciúmes. Ele sempre odiou como o menor tinha poder sobre as pessoas, e odiava mais ainda ele não perceber isso. Sempre tão ingênuo o perfeito Minseok. 

 

— Eu falo como eu quiser dele. — Yifan respondeu, checando se o maxilar ainda estava no lugar, olhou para o ex e sorriu.—  Afinal, é no meu pau que ele mama há 2 anos com essa boquinha gostosa.
 

— Chanyeol, não! — Minseok gritou, quando o moreno tirou o sorriso escroto de Yifan com outro soco bem dado. Seu sangue fervia só de olhar pra cara daquele crápula, e ouvi-lo falar desse jeito sobre Minnie, ainda por cima, o deixou possesso ao ponto de derrubar o chinês no chão com a força imposta no soco. 

 

— Cala a boca, desgraçado! — Chanyeol partiu pra cima de dele, no chão, desferindo outro soco na bochecha já manchada de sangue. 

Yifan, mesmo atordoado, conseguiu segurar o punho de Chanyeol que vinha novamente eu sua direção, e com a mão livre ele mesmo socou o mais novo, fazendo com que este cambaleasse um pouco e foi a deixa de Yifan para tirá-lo de cima dele. 

Chanyeol nem reparou o sangue escorrendo de sua boca, tamanha raiva que estava sentindo daquele maldito. E o sentimento era completamente recíproco. 

Partiu pra cima de Yifan ao mesmo tempo que este vinha em sua direção com sangue nos olhos. 

— Parem com isso! — gritaram Baek e Min, mas os amantes continuaram a se engalfinhar pelo chão do dormitório.

 

 

 . . .   

 

— Só depois de muito socos e de muito meu bebê pedir, eu parei de esmurrar aquele desgraçado. — Chanyeol tinha um sorriso convencido enquanto os amigos lhe encaravam com os olhos arregalados. — E foi assim que eu dei uma surra nele.

 

— E levou uma surra também, né? — Minseok completou, fazendo Luhan rir alto. 

 

— Eu sabia que alguma coisa estava estranha. — Kyungsoo desdenhou e Chanyeol se emburrou.

 

— Certo, eu apanhei um pouquinho sim, mas quem deu os dois primeiros socos? Hein, Minseok? — os braços que antes faziam carinho nas pernas do Kim, se cruzaram em chateação. — E o motivo de eu ter tomado essa atitude você nem destaca, também, muito bem. 
 

— Oh, meu bebê… — Minseok fez uma carinha extremamente fofa enquanto dava beijinhos na bochecha do outro, que se fazia de difícil. — Claro que destaco, foi pra me defender de Yifan que meu namorado tomou essa atitude tão heroica, itii malia, coisinha linda, meu Deus. — Minseok  também fez uma voz fofa ao falar com ele, e foi o necessário pra Chanyeol se desemburrar como o idiota apaixonado que era. 

Luhan e Kyungsoo se encararam com cara de “Ih, começou” e quando voltaram pro casal, já estavam aos beijos. 

 

— Eu daria e levaria quantos socos precisasse pra defender você, meu amor.

 

— Eu sei, eu sei, eu tenho o melhor namorado desse mundo. 

 

Luhan, apesar da inveja, achou extremamente fofo as declarações de amor entre um beijo e outro. E Kyungsoo, morrendo de inveja, se perguntou como eles podiam ser tão melosos. 

 

— Enfim, é uma pena termos perdido essa cena, hein, Soo? Daria de um tudo pra ver Minseok comendo o cu do Baekhyun com farofa. — Luhan suspirou triste. 

 

— Nem me fale, Lu, aquela naja falsa merecia uns socos na cara também. Eu mesmo daria. — Kyungsoo sempre desconfiou daquele sonso e daqueles dois juntos. 

 

— Aliás, ele está péssimo, reparou? Trombo com ele nos corredores, não sei se é ele mesmo ou uma múmia. — Luhan comenta se lembrando de como Baekhyun perdeu a vida depois do término e da briga com Minseok. 

 

— E o Yifan também não fica atrás, tá indo mal nas matérias, nem aparece nas festas, tá mais morto que vivo. — Kyungsoo ficara um pouco surpreso, pois não achou que aquele cafajeste fosse capaz de demonstrar como lhe afetou o término com Min. 

 

— Claro, né? Perdeu a pessoa que fazia tudo pra ele, ajudava nos estudos, escolhia as melhores roupas, arrumava o cabelo, só faltava dar comidinha na boca. — o chinês disse debochado e Kyungsoo riu. 

 

A verdade era que Yifan não tinha percebido como Minseok estava presente nos mínimos detalhes da sua vida e do seu dia. E que uma boa foda não era nem de longe a melhor coisa que ele podia  proporcionar.  Infelizmente pra ele, se dar conta disso agora era tarde demais. Oh, se era.

 

— Vocês podem parar de ficar falando desse namoro catastrófico que não existe mais? — Chanyeol chamou a atenção com a voz indignada e sorriu falso pros amigos. 

 

Minseok sorriu, achando fofo o ciúmes do namorado. 

 

— Vai foder com seu boy, Chanyeol, deixa a gente fofocar em paz. — o menor presente resmungou e Minseok deu risada imaginando que em breve começariam a discutir. 

 

— Amor, esquece isso vai.  — ele balançou as pernas no colo do mais novo, falando naquele tom dengoso que derretia Chanyeol. — Passado é passado, deixa os meninos falarem sobre, é você que tá comigo agora. — substituiu as pernas pelo corpo inteiro no colo do Park, que no mesmo instante segurou possessivo sua cintura. 

 

— É bom mesmo que ele tenha plena consciência disso. Que você é meu agora. — Chanyeol começou a passar as mãos nas coxas do menor, por cima da calça apertada, não disfarçando o olhar de desejo. 

 

— Sou sim, todo seu, amor. — o Kim começou a distribuir beijinhos pelo pescoço do Park, sem se importar com os amigos presentes. Realmente, ele não era mais o mesmo. — Que tal ouvir a sugestão do Kyung e me fazer seu naquele banheiro interditado, hein? — deu um beijinho. — Antes da próxima aula, hein? — outro beijinho. — Eu to doido pra comemorar nosso primeiro mês daquele jeito bem gostoso. — e outro beijinho provocante naquele ponto fraco de Chanyeol que era o pescoço. 

O maior deu um suspiro pesado, encarando Minseok com luxúria nos olhos. 

— Eu adoro quando você fica assim safadinho, como eu adoro. — Chanyeol sorriu tomando os lábios de Minseok em um beijo feroz, se animando ao ponto de desferi-lhe um tapa na bunda em público, que fez o Min gemer surpreso. — Porra, vamos logo antes que eu foda você aqui mesmo. 

Minseok sorriu, se levantando do colo de Chanyeol, tomando sua mão entrelaçada enquanto sorriam cúmplices. 

Kyungsoo e Luhan já sabiam o que estava acontecendo mesmo que eles estivessem sussurrando. Conheciam bem aquela expressão descarada, que bastava os namorados estarem perto pra ficarem do mesmo jeito. 

 

— A gente vê vocês na aula, meninos, até depois. — Minseok ainda teve a educação de se despedir enquanto Chanyeol, sedento, o arrastava pra dentro do prédio.

Luhan deu risada e Kyungsoo balançou a cabeça negativamente. 

 

— Pelo menos não temos mais que segurar vela. — suspirou de alívio. 

 

— E eu queria era tá assim com a pessoa que eu gosto. — Luhan suspirou de tristeza. 

 

— Nem me fale… Não vejo a hora de Jongin e Sehun se mudarem logo pra cá, senhor! 

 

Kyungsoo estava morrendo de saudades do namorado que estudava em outro campus, assim como o de Luhan. 

 

— Eu também não. — Luhan sorriu só de imaginar não precisar pegar nenhum transporte pra ver Sehun todos os dias. — Mas imagina nós seis juntos. Com o fogo no cu que cada um tem, não ia dar o que preste. — ele riu e foi acompanhando por Kyungsoo 

 

— Seria meu sonho? 
 

Kyungsoo e Luhan continuaram ali jogando conversa fora, fazendo planos de encontros triplos pra quando os meninos se mudassem pro seus campus, etc. Fizeram isso pelo resto de tempo que tinham até a próxima aula. 

Enquanto isso, Minseok e Chanyeol voltavam correndo, pra não levarem bronca. Mas já atrasados, com os cabelos desgrenhados e roupas amarrotadas, chegaram na sala.

— Desculpe, professor. É que uns garotos estavam procurando briga comigo no banheiro e Minseok me ajudou a não levar uma surra, por isso o atraso. — Chanyeol falou com a mais perfeita calma. 

 

— Meninos, vocês sabem que eu detesto brigas. — o professor massageou as têmporas. — Certo, vão se sentar. 

 

E eles vieram, discretamente de mãos dadas, sentar em suas carteiras, enquanto riam pros amigos que já sabiam o que estavam fazendo. 
 

— Essa cena me parece um tanto familiar, não é, Luhan? — Kyungsoo perguntou cínico, aproveitando a proximidade com Yifan e Baekhyun que sentavam atrás dos dois.
 

— Deveras, meu caro Kyungsoo, deveras. — Luhan deu uma gargalhada e os dois trocaram uma batida de mão, enquanto Baekhyun e Yifan transbordavam de raiva e ciúmes. — Me lembra até um ditado popular, como é mesmo, Kyung?

 

— Seria, o mundo não gira, ele capota? — Kyungsoo se fez de pensativo.

 

— Não, acho que é, quem com ferro fere, com ferro será ferido. — Luhan o acompanhou.

 

— Certeza? Porque pode ser: olho por olho, dente por dente, uma coisa assim...

 

— Ai, Soo, tem um que é sobre pagar na mesma moeda, lembra? O carma sempre vem, sei lá.

Os dois, desprovidos de compaixão, riam maldosos e irônicos ao ver a famosa "cara de cu" daqueles dois traíras. Enquanto do outro lado da sala, Minseok e Chanyeol planejavam o resto do dia de comemoração pelo primeiro de muitos meses juntos. 

E se me permitem o complemento...

É como a letra daquela música, afinal: 

 

Tudo que você faz, um dia volta pra você...
 

 


Notas Finais


E então? kkjhjjhjhjhjk gente, gostaram? decepcionei? Quem quiser dar o feedback, sinta-se a vontade, comentem tudo que acharam, to muito nervosa postando esse negócio que eu tive tanto cuidado de fazer direitinho (por isso demorei pra caralho) e num surto eu escrevi tudo e vim postar kkhjkhjkhhkj
Mas hj eu tiro um peso das minhas costas que é n dever mais atualização dessa fic kkjgjhkhhj to mto feliz

Bom, então é isso, história está finalizada, espero muito que tenham gostado. E até uma próxima. XOXO ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...