História Divina Commedia - Capítulo 2


Escrita por: e sparkook

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Anos 60, Bottom!jeongguk, Comedia Romantica, Crossdresser, Divina Commedia, Jk!enfermeiro, Jm!capitão, Koojung, Parkhoseokzinha, Repostada, Rock In Roll
Visualizações 259
Palavras 1.981
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Fluffy, Lemon, LGBT, Musical (Songfic), Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Cross-dresser, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura ♥

Capítulo 2 - Sun Hee, muito prazer!



  Os olhos do Park ainda encaravam o moreno de cabelos cumpridos dançando na pista de dança, pior ainda era saber que ele estava nos braços de Hoseok, um dos seus imediatos mais chegados.


Deixou que mais uma dose de tequila descesse por sua garganta antes de tombar o corpo robusto em uma das banquetas que tinham ali, os olhos castanhos escuros fixos no corpo sinuoso do moreno. Ainda tinha as palavras alheias rondando sua cabeça, as dúvidas do porquê fora dispensado também... Que saiba não fizera nada errado, ou o tempo que passou no mar perdeu o jeito com as mulheres?! Não, aquilo não, se fosse, não teria algumas delas no seu pé.


Mas Jimin apenas queria o moreno que estava nos braços de Hoseok, que ainda assim mantinha, vez ou outra, os olhos vagando até onde Jimin estava... Ah, e ele percebeu bem aquilo.


Sorrindo, o Park buscou mais uma dose enquanto no fundo tocava mais uma música do Elvis... Esta caindo como uma luva naquele momento.


We're going up, we're going down

(Nós estamos subindo, nós estamos descendo)

We're going up, we're going down

(Nós estamos subindo, nós estamos descendo)

Any way you want let it roll

(Do jeito que você quiser deixar rolar)

Yeah yeah yeah

(Sim sim sim)

You got me doing what you want to me

(Você me pega fazendo o que você quiser)

Oh baby what you want me to do

(Oh querida, o que você quer que eu faça?)


Jeongguk sorriu ao perceber os olhares do capitão sobre si, era errado fazer aquele tipo de joguinho, ainda mais quando sabia que o outro — provavelmente — já estaria de compromisso com outra pessoa. Contudo era gostoso saber que tinha alguém tão lindo como o capitão era interessado em si, gostava dos olhares quentes do outro sobre ele.


— Hoseok-ah? — chamou rente ao ouvido do irmão, tendo o rosto desde virado em sua direção no mesmo instante. — Sabe o real motivo do capitão da marinha ter rompido o noivado?


— Jimin? — questionou duvidoso, vendo o mais novo dar de ombros indicando que não sabia o nome do capitão. Hoseok também deu de ombros. — Aparentemente ele foi traído, encontraram a ex-noiva dele no quarto do irmão. E bem, não foi uma feliz visão para a Senhora Park.


Jeongguk deixou que seus olhos se arregalassem com as palavras que ouviu seu irmão dizer, não acreditava que o próprio irmão de Jimin poderia ter feito algo tão... Tão sem escrúpulos como fez.


— Sorte de ele já estar saindo com outra. — sussurrou baixinho, tanto que Hoseok ao menos ouvira. — Preciso beber algo, me leva até o bar? — fez bico, sabendo bem que o irmão não resistia quando fazia manha.


O mais velho riu baixinho, enganchando o braço musculoso na cintura fina do irmão, levando-o até o bar, próximo demais do capitão ao ver de Jeongguk.


Cada um pediu uma bebida diferente, com Hoseok policiando o que Jeongguk beberia, não queria que o irmão bebesse demais, sabia muito bem a peça que era um Jeon Jeongguk bêbado.


Jeongguk bebeu todo o líquido amarronzado, sentindo-o queimar em sua garganta, fechou os olhos com força e proferiu um grunhido baixinho, adorando o sabor que ficava depois de ingerir a bebida. Assim que deixou os olhos abrirem, os focou onde Hoseok tinha de estar, contudo não o achou ali, na verdade não sabia sequer onde ele estava e pior ainda: no seu lugar estava Jimin, o capitão bonitão da marinha.


O infeliz que não saía da sua cabeça desde que o vira pela primeira vez mais cedo, sorria tão malditamente sedutor que Jeongguk sentiu as pernas bambearem no mesmo instante. Não poderia ser a bebida, acabou de tomar sua primeira dose! Então o que seria aquela sensação estranha subindo? Estava tão fraco assim para a bebida?!


— Serei dispensado de novo se eu tentar pagar uma bebida para você, gracinha? — indagou sorrindo daquele jeito que Jeongguk descobriu ser o que fazia suas pernas perderem a consistência.


Jeongguk deixou mais um sorriso nascer enquanto encara o capitão com ambas as sobrancelhas erguidas, poderia muito bem mandar ele cair fora e o deixar em paz, mesmo que em seu âmago torcesse para que Jimin não saísse, ainda tinha que lidar com o fato do outro ser comprometido. Achava, pelo menos.


— Eu posso ser incrível e deixar você me pagar uma bebida, capitão. — deu de ombros, ajeitando o laço em seus cabelos e passando — talvez propositalmente — a língua entre os lábios, porque era divertido ver os olhos escuros de Jimin acompanhar o movimento. Riu nasalado. — Contanto que pare de me chamar assim. É realmente desagradável, e não abrange toda a minha beleza. Minha avó costuma dizer que diminutivos são quase que desculpas para não dizer a verdade. — encarou um Jimin risonho, não resistindo e acabando por sorrir também. — Ande, não me faça desistir e deixar você e essa sua cara linda sozinhos. Me pague uma bebida!


Jimin gargalhou, logo pedindo ao barman mais uma rodada para si e o moreno bonito ao seu lado.


— Não me disse o seu nome. — comentou o capitão, virando o copo de vidro de uma vez e fechando os olhos quando sentiu o líquido queimar.


— Sun Hee, muito prazer. — brincou, piscando os olhos rapidamente e sorrindo com uma das mãos em frente a boca. Jimin revirou os olhos, sorrindo de lado e vendo o outro rir alto. — Jeongguk, Jeon Jeongguk. — estendeu a mão, na intenção do outro a apertar. Contudo Jimin não fez isso, repentinamente puxou Jeongguk pela mão estendida, fazendo com que o corpo do de cabelos longos se chocasse com o seu, para que depois deixasse um selar longo na bochecha esquerda do Jeon. — Ah!


Jimin respirou fundo, inalando uma quantidade grande do perfume alheio, sentindo seus pelos se eriçarem e suas pupilas dobrarem de tamanho novamente. O perfume de Jeongguk era delicioso demais, assim como a pele era macia e quente contra seus lábios; sentia que poderia agarrá-lo ali, mesmo que soubesse que levaria uma tapa ou coisa pior em troca. Então apenas se afastou e focou os olhos nos do outro, os vendo dançar trêmulos, parecendo envergonhados pelo que acabou de fazer.


— Me desculpa, eu não consegui resistir boneca. — disse baixo, e mesmo com o som alto da música, Jeongguk pôde ouvir muito bem as palavras alheias. — Você acha que agora seria uma boa te chamar para dançar? — arriscou novamente, vendo o moreno se recompor e dar de ombros.


— Você é muito saidinho, mal me paga uma bebida e já quer me ter nos braços. — riu erguendo o dedo e fazendo que não. — Não mesmo, ainda mais sua noiva ou namorada, ou o que você é aquela garota na marina são, pode chegar e armar um barraco. E eu odeio confusão. — mentiu risonho, encarando as unhas enquanto tinha um Jimin confuso ao seu lado.


— Namorada? — indagou, buscando na memória o que pôde ter dado aquela ideia ao moreno... Jinhwan! Jimin gargalhou alto, chamando a atenção de Jeongguk e o fazendo franzir o cenho, achando que o outro tinha enlouquecido de vez. — Não me diga que me deu aquele fora por conta da minha irmã!


E novamente Jeongguk arregalou os olhos, deixando que um rubor avermelhado tomasse conta de suas bochechas quando assimilou de quem Jimin estava falando. A irmã dele, tinha ignorado e provocado o capitão por conta da irmã dele!


— Estou me sentindo a pessoa mais idiota do mundo, então trate de me pagar outra bebida, porque eu não quero que no meu atestado de óbito esteja escrito: morreu de vergonha. — disse rápido demais, corado e tentando não gaguejar por conta da vergonha.


Escutou Jimin rir mais um pouco antes de puxá-lo para seus braços. — Huh?!


— Ao invés de uma bebida, eu vou matar a minha vontade, já que você foi tão mau comigo. — fez charme, puxando o moreno à pista e deixando que a música os levasse. — Vamos, eu sei que você dança muito bem. Me mostre o que sabe, gracinha.


You got me peepin', you got me hidin'

(Você me pega espiando, você me pega escondendo)

You got me peep hide hide

(Me pega escondido espiando, escondendo escondendo)

Any way you want to let it roll

(Do jeito que você quiser deixar isso rolar)

Yeah yeah yeah

(Sim sim sim)

You got me doing what you want me

(Você me pega fazendo o que você quer)

Baby what do you want me to do

(Querida o que você quer que eu faça)


Jeongguk sorriu e começou a dançar, ao som da guitarra viciante e da voz mega — talvez até ultra, Jeongguk amava aquele cara em demasia — sensual e gostosa de ouvir.


Sentindo as mãos do capitão apertarem sua cintura enquanto giravam e sorriam um para o outro, Jeongguk vez ou outra cantarolava a canção que na sua voz se tornava ainda mais atrativa a Jimin.


E no último refrão, Jimin o puxou para si, encarou-o nos olhos e sussurrou rente a boca alheia.


— Querida o que você quer que eu faça? — a voz era rouca demais para a pequena queda que Jeongguk descobriu ter pelo maior, ainda mais quando o hálito quente e o cheiro gostoso da bebida que o mais alto ingeriu atingiu seu rosto, o fazendo fechar os olhos e raspando os lábios contra os de Jimin.


— Me beija. — sussurrou, os lábios rosados pelo gloss labial raspando ligeiramente contra os do outro, provocando uma onda de arrepios pelo corpo de ambos e quando Jimin agarrou mais firmemente o corpo do outro não teve outra...


Ele o beijou.


Jimin tomou os lábios alheios com força, não era algo calmo, mas também não era rápido demais para que ao menos sentissem o gosto alheio. Era algo bom e gostoso, o sabor do álcool que ingeriram mais cedo predominava, entretanto ainda podiam sentir a leve textura um do outro tão bem que era insanamente delicioso.


Deslizou a língua pela boca do Jeon, enquanto sua destra vagou pelos fios negros do mesmo, os puxando levemente e tendo a outra na cintura do moreno. Jeongguk agarrava-se a Jimin como podia, perdido demais nas sensações que tomava seu corpo ao ser beijado tão deliciosamente pelo outro; o capitão o tocava tão bem que era tão embriagante.


A música terminava de tocar quando o ar fez falta, obrigando os dois no meio da pista temerem descontentes e afastarem-se.


Jeongguk deixou que sua cabeça repousasse no peito do capitão, enquanto respirava com certa dificuldade e sorria, mas sorria tão grandemente que sentia as bochechas doerem em demasia.


— Seu charme não adiantou de nada. — comentou Jimin, erguendo o rosto corado do moreno e depositando um selar nos lábios — agora — vermelhos. — Ainda consegui beijar você, gracinha.


— Então isso era tudo o que queria? Um beijo meu Capitão? — fingiu indignação, desferindo tapas no peito do mais alto e rindo. — Que mau você é.


— Eu não sou do tipo galanteador, não espere que eu seja o tipo romântico incurável. Estou bem longe disso. — disse, passando os dedos com alguns anéis pelos cabelos e arrumando a jaqueta de couro. — Sou mais como um cara que sabe onde pode se meter, o tipo que observa e enxerga a hora certa de atacar.


— E eu sou o tipo de presa que não se deixa levar tão facilmente, Capitão. — sorriu de canto, aquele mesmo sorriso que Jimin descobriu ser o que vinha antes de um tremendo fora. — Então tente mais duramente na próxima, porquê dessa vez ficará apenas no beijo mesmo. Garanhão.


Com isso riu um pouco da cara frustrada do outro, deu as costas e rumou para perto de seus amigos. Sentou-se no colo de SeokJin, e por não deixar de ser como era, deu um leve selinho no mais velho, os olhos grudados em Jimin o tempo todo.


Park resmungou alguns bons palavrões antes de voltar ao bar, pedindo mais uma rodada e pensando em como tinha se encantado tão rapidamente por alguém assim.


Maldito Jeon Jeongguk!


Notas Finais


Antes de tudo: obrigada @JeonJikookmin por betar a fanfic szsz vc está sendo um anjinho me ajundando com isso ❤

Agora: espero que tenham gostado ❤
Beijão e até a próxima!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...