História Divine Move - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Percy Jackson & os Olimpianos, Teen Wolf
Personagens Derek Hale, Mieczyslaw “Stiles” Stilinski, Percy Jackson, Thalia Grace
Tags Drew+stiles, Revelaçoes, Segredos, Semideuses, Sterek
Visualizações 55
Palavras 1.680
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Ficção, Lemon, Luta, Mistério, Slash, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


CHEGAY.
Cap cheio de mistérios? Nah, eu não sei fazer mistério '-'.
Boa leitura!

Capítulo 4 - Capítulo 4


Licaon observou seu informante passar pelos lobos espalhado próximos da fronteira de Beacon Hills, o homem lobo pendeu sua cabeça para os lados e deu um sorriso, esse que poderia ser considerado sádico, louco e estratégico, os lobos rosnaram e latiram para o informante que se encolheu.

Os olhos castanhos escuros, quase pretos chegaram ao primeiro dos lobos de uma forma temerosa, Licaon escutou com prazer a saliva sendo engolida de modo lento, o medo tentando ser disfarçado, o lobo riu e se inclinou para frente.

- Como eles estão?- pediu vendo a pessoa coçar a garganta.

- Estão bem, focados em seguir aquele lunático semideus e a namoradinha bonita. -respondeu com dificuldade. - Licaon esperou com paciência o informante terminar de relatar toda a trajetória diária do Pack McCall-Hale.

- Bom. - Licaon sentiu vontade de revirar os olhos ao obter informações não importantes. - AGORA VÁ. -gritou e seus lobos latiram alto, o informante correu entre  as árvores.

O lobo virou-se para sua tenda e passou lentamente pelas cortinas amarelas cor de ouro, dentro de um vidro transparente com uma tranca de ouro puro, as assas pretas repousavam majestosamente, tinham quase dois metros de envergadura, a tonalidade preta deixava as penas brilhantes ainda mais bonitas.

Aos olhos humanos, aquelas asas poderiam ser comparadas as de um anjo, não eram, Licaon sabia, pertenciam a um demônio. O lobo abriu o cadeado com delicadeza e passou a mão pelas penas pretas com delicadeza, elas pareciam ter vida própria, sem mexiam pelos seus dedos, como se ansiassem voltar  ao dono verdadeiro.

- Em breve...- sussurrou fechando o cadeado.

***

A próxima vez que encontraram Drew e Stiles foi em uma cafeteria do centro da cidade, o Pack ainda tentava se recuperar de toda aquela merda de um homem lobo se dissipando em pó dourado logo depois de morrer.

Para Derek era ainda mais difícil de esquecer, Stiles estava um delícia, e ele estava duramente comprometido com uma menina linda, isso fazia Derek ficar depressivo, Stiles era seu, um verbo conjugado no passado, que quase nunca indicava algo que voltaria.

Eles estavam sentados na mesa do canto, a mais discreta, porém mais grande mesa, sem chamar a atenção, contando que a cafeteria estava quase vazia, tirando o casal, a senhora do caixa e duas atendentes.

Derek se empurrou ao lado de Drew desconfortavelmente enquanto o esto do Pack se arrumava no sofá vermelho, Drew empurrou uma xícara de café para Derek e lhe deu um daqueles sorrisos brilhantes que a deixava mais bonita.

- Olá. - ela sussurrou sem chamar a atenção dos outros que estavam mais entretidos em encarar Stiles comer um bolo como algo místico.

- Olá...?-ele sussurrou de volta, saiu mais com uma pergunta.

- Você, você parece com o seu pai, mas os olhos...- ela balançou a cabeça.- Os olhos são da sua mãe. 

- Conheceu meu pai.- Derek afirmou tomando um gole de café.

- Seu pai me salvou...- a oriental confirmou. -...se não fosse por ele eu seria mais uma das adolescentes drogadas de Manhattan, eu teria uns quatro ou cinco filhos e seria viciada em crack e provavelmente teria morrido antes dos dezenove. - Drew confessou, Derek percebeu que não era mentira, era isso que Drew se tornaria. - Seu pai salvou muitos de nós, mais de metade das pessoas daquele acampamento estão vivas por causa dele...

- Como ele as salvava? - Derek nunca soube da vida de seu pai, claro, Felipe era um ótimo homem, mas seu passado era distante, nenhum dos pais falava sobre ele, ou qualquer coisa relacionada.

- A maioria de nós, semideuses é abandonado pelos pais quando as coisas estranhas começam a acontecer, os monstros começam a aparecer, seu cheiro fica mais forte e você fica paranoico, seus pais te largam na rua por conta própria, as chances são maiores porque você começa a se desesperar e seu cheiro aumenta, as ruas te deixam maluco e você se descuida, é morto em dois toques, tive sorte de chegar aos 22 e estar inteira. - ela confessou.- Eu e Stiles temos sorte de termos 22 anos, esse era o trabalho do seu pai, ele saia pelas ruas de Manhattan e nos procurava até o amanhecer, ele sempre nos achava...-ela limpou as lágrimas com as costas das mãos, sem perceber que o Pack ouvia sua história. -...seu pai me achou quando eu tinha sete anos, em um ponto de prostituição ao norte de Manhattan. Ele pagou por duas noites, naquela noite ele me levou para o acampamento...-Stiles interrompeu a história respirando fundo.

- Cheiro de  morte.- o "humano" sussurrou.

- Eu não sinto nada. - Lydia confessou.

- Não está morto ainda, ferido, talvez morra em uma ou duas horas. -sussurrou ainda olhando pela janela da cafeteria. 

- Vamos busca-lo? -pediu Drew, Stiles balançou a cabeça em afirmação.

- É meu trabalho. - respondeu por fim.

***

Stiles conduzia o Pack pelas entre as árvores da reserva, os lobos franziam as sobrancelhas, Stiles só tinha os olhos fechados e seguia o cheiro que ele havia identificado. O cheiro parecia não existir, até o cheiro de sangue se espalhar pelo ar e infestar o nariz de todos, era um cheiro forte de ferro, o sangue era novo.

- Socorro. -o sussurro baixinho chegou aos ouvidos dos lobos. - Socorro...

Mais a frente, escorada em uma árvore estava uma menina, ela tinha cabelos pretos e olhos extremamente azuis, Liam conhecia a menina, ela fazia as aulas de Biologia com ele toda terça-feira, na faculdade local.Seu abdômen estava aberto, com marcas de garras em linhas horizontais, seus órgãos estavam meio expostos, era um grande milagre aquela menina estar viva.

- Socorro. -ela sussurrou e cuspiu um pouco de sangue. Stiles se abaixou do lado dela com delicadeza e segurou a mão da menina, seus dedos se entrelaçaram quando ele a apoiou corretamente com delicadeza.

- Você é um anjo?- ela sussurrou olhando para ele entre as lágrimas.

- Não, não querida, eu não sou um anjo. - ele sorriu gentilmente. 

- Eu posso transforma-la. - Scott quebrou o silêncio que se seguiu. - Vai salva-la, tem que salvar. -ele parecia quase desesperado.

- Pare Scott, pare, ele está bravo com você, salvando pessoas que devem morrer. Pare, o fio da vida dela já foi cortado, não há como remendar um fio da vida. - os olhos escuros de Stiles voaram para Scott com uma intensidade arrebatadora.

- Eu preciso, preciso salva-la. - Scott choramingou.

- Não Scott você não precisa, Alisson está ali, não está. -ele apontou para a morena. - Ela voltou a vida, pare de tentar ser o herói quando você é o monstro. - Stiles gritou e logo sua mandíbula rangeu com força, sua cabeça se voltou para a menina quando ela gemeu com dor.

- Esta doendo, faça parar. Por favor. -ela olhou em suplica para Stiles. - Você é um anjo, não é, você é meu super-herói. -Stiles sorriu e passou as mãos no rosto dela.

- Qual seu nome? -pediu com carinho.

- Amber. -sussurrou.

- Eu posso ser super, mas eu não sou herói* Amber. Me conte sobre você. -o homem sentou ao lado da menina a apoiando com o braço, segurando o sangramento com as mãos.

- Eu tenho 19 anos, minha irmã se chama Ana Clara, e eu tenho um irmão mais velho chamado Victor, minha mãe deve estar preocupada comigo agora, eu...eu devia ter ficado em casa hoje, ela, ela me disse pra não sair. -a menina soluçou fracamente e seu corpo começou a gelar, Stiles podia sentir a vitalidade saindo de seu corpo,a alma estava indo, era uma sensação horrível, o semideus podia sentir tudo, as forças que a menina usou para falar estavam todas esgotadas, ela não conseguiria mais falar, Stiles falou.

- Meu melhor amigo se chama Percy, a gente se conhece desde que eu tinha 15 anos, nós quase fomos mortos milhares de vezes, mas a gente ria disso, porque nós estávamos juntos, quando a gente tinha 16 anos, nós tomamos banho em uma lago amaldiçoado, as 17 nós fomos sequestrados juntos, aos 19 eu fui padrinho de casamento dele e ele foi o meu, aos 20 nós fomos a melhor família do mundo, agora, aos 22 ele nem sabe onde eu estou, mas eu sei que ele iria ao inferno somente para me procurar.- o menino contou e sorriu, a menina soluçou mas sorriu.

- Ele, ele é um bom amigo? -ela pediu com dificuldade, Stiles via como ela estava ao ponto de fechar os olhos.

- Eu o chamaria para esconder um cadáver se precisasse. - Stiles sorriu.

- Então ele é um ótimo amigo.

- Sim, ele é. Agora durma Amber, está na hora. -ele sussurrou e a menina assentiu e fechou os olhos, os lobos escutaram o coração começar a parar lentamente, até não cobrar uma batida, Stiles parou por um momento e ajeitou o corpo melhor,

- Você tem um novo melhor amigo. Eu sempre fui seu melhor amigo. - Scott rosnou.

- Por Zeus, uma menina acabou de morrer na nossa frente e você está preocupado com as minhas amizades? - Stiles passou as mãos pelo cabelo.

- Você acabou de deixar suas digitais na cena de um crime. - Lydia ralhou. - Seu material genético está em tudo por aqui.

- Eu nem sequer tenho DNA, deuses não tem sangue, tem icor, eu preciso de dois códigos genéticos pra ser formado, mas como o meu pai é um deus, eu tenho apenas metade, minhas digitais não vão ficar aqui.

- Eu acho que nós temos algo diferente com que nos preocupar. - foi Erica quem falou. - O DNA não importa, não agora.

Os lobos viraram para olhar para onde Erica olhava, era um conjunto de cinco árvores grandes e bonitas, o tronco era grosso e tinha uma casca grossa, agora Stiles podia ver aonde o sangue da garota tinha sido usado, em letras garrafais estavam um nome.

Derek.

- Começou. - o sussurro de Drew quebrou o silêncio. - Eles estão caçando.

 


Notas Finais


* Sim, eu citei Deadpool e se reclamar eu coloco as falas do filme, brincadeira brincadeira, mas o Deadpool é um grande filósofo KAKAK.

Tem alguma lógica em semideuses terem metade do material genético?
Tbm não sei.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...