1. Spirit Fanfics >
  2. Diz oi, Maçãzinha >
  3. Capítulo Único.

História Diz oi, Maçãzinha - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Mais uma wangxian pra vocês <3

E só pra deixar claro, o Lan Zhan é professor, mas eu explico direitinho na fic, então espero que gostem!

Capítulo 1 - Capítulo Único.


 

Passar por uma quarentena não é exatamente algo divertido, embora seja mais seguro. Porém, ainda mais desafiador, é passar por uma quarentena com um marido extremamente hiperativo e uma criança de quatro, quase cinco, anos.

Lan Wangji nunca teve problema em passar tanto tempo em casa, gostava de sua zona de conforto, desde criança foi assim, durante sua adolescência e agora na vida adulta. Honestamente Wangji sempre teve uma vida muito boa, sendo criado pelo tio e o irmão mais velho, os Lan eram uma família antiga e conservadora, donos de uma das faculdades mais famosas e prestigiadas da China, e Wangji sempre soube que teria uma vida fácil, mas não era exatamente o que queria, não queria passar a vida toda usufruindo do dinheiro de sua família e ficar de braços cruzados.

Desde pequeno Wangji gostava de aprender, e além de aprender, gostava de anotar suas descobertas e passa-las, de alguma forma, para seu irmão mais velho, que ficava mais do que feliz em entreter o mais novo o escutando.

Nunca teve muitos amigos, então com seus 7 aninhos gostava de sentar no quintal de casa com seus coelhinhos e fingir que eles eram seus alunos, enquanto contava qualquer coisa que passava por sua cabeça. Também não era muito de falar, então usava suas próprias e poucas palavras em suas explicações e ficava contente em fingir que os coelhinhos podiam entender tudo.

Foi assim que decidiu que iria ser professor!

No ensino médio finalmente fez alguns amigos, ou melhor dizendo, fizeram amizade consigo.

Wei Ying, seu marido, havia se enfiado em sua vida sem muito esforço, pra ser honesto, simplesmente um dia decidiu que seria seu melhor amigo, e Wangji não conseguiu lutar contra isso, principalmente quando seu coração começou a bater de forma estranha toda forma que Wei Ying estava perto de si, o fazendo até mesmo questionar o irmão se talvez estivesse morrendo ou com alguma doença!

Wei Ying havia aberto seus olhos para mais possibilidades, e embora Wangji ainda seja um homem calmo e quieto, apreciava a presença dos poucos amigos que fizera com a ajuda de Wuxian.

Mas o ponto é que, embora Wangji tivesse ganhado pessoas especiais em sua vida, estava acostumado a ficar sozinho, ficar em casa e estar confortável com isso.

Já Wuxian, e o pequeno Lan Yuan, filho do casal, estavam quase indo a loucura. Wangji nunca iria entender como duas pessoas poderiam fazer tanto barulho quanto vinte!

E não ajudava que Lan Wangji havia começado as aulas online pouco mais de duas semanas. Tinha seu próprio escritório, no terceiro andar da casa, bem longe da sala de estar, do quarto de brinquedos de Yuan e a sala de artes de Wuxian. Não que gostasse de ficar longe da família, mas havia sido o próprio Wei Ying a sugerir aquilo, o mais novo sabia que podia ser bem alto às vezes, e embora fosse extremamente espontâneo, sabia seus limites e não queria atrapalhar os momentos de quietude do marido.

Lan Zhan não planejava contar ao mais novo que, mesmo do terceiro andar, às vezes ainda podia ouvir todos os barulhos que Wuxian e Yuan faziam enquanto brincavam pela casa. Pra falar a verdade, era até reconfortante.

 

Wangji sempre foi bem reservado sobre a própria vida, e embora usasse uma aliança na mão direita, não tinha certeza se seus alunos sabiam que ele era casado, pra falar a verdade, se fosse um de seus alunos, o acharia totalmente estranho e nada ‘’casável’’.

Bom, isso até na semana passada, quando, no meio de uma de suas aulas, Wuxian simplesmente entrou pela porta, e isso não seria um problema, mas junto com ele estava Maçãzinha, o burro de estimação de seu marido. Por um momento Wangji não sabia nem que reação ter, a única questão em sua cabeça era como Wuxian havia conseguido subir dois lances de escada com o animal.

— Lan Zhan, o Maçãzinha voltou!

Wei Ying falou animado, o cabelo preso num laço vermelho, embora sua franja fosse uma bagunça na frente do rosto.

— Wei Ying...

Wangji murmurou, encarando o marido.

Maçãzinha esteve doente durante alguns dias, então precisou passar um tempo num veterinário especializado em seu porte, mas aparentemente havia voltado naquele dia, e o mais novo estava tão animado que o coração de Wangji se apertava em ter que educadamente expulsá-lo de seu escritório.

— Fico feliz — Disse com um sorriso pequeno. — Estou dando aula.

Wei Ying finalmente pareceu ter entendido a situação e seu rosto assumiu uma expressão de surpresa, antes de sorrir mais largo e se aproximar do marido com o burrinho consigo.

— Diz oi, Maçãzinha, são os alunos do Lan Zhan!

Falava animado, alisando o rostinho do animal.

— Oiiiii!

Ele mesmo resolveu falar então, acenando animado para a câmera.

— O Lan Zhan é um ótimo professor, né? — Continuou. — Sejam bonzinhos com ele, viu? E lembrem-se: O comunismo é bom, o capitalismo é ruim!

— Wei Ying!

Wangji sentiu as orelhas ficarem vermelhas, e quando uma vozinha veio da porta, sentiu que havia perdido totalmente o controle da situação.

— Maçãzinha voltou!

Yuan havia gritado, esfregando os olhinhos preguiçosos, já que havia acabado de acordar.

Wuxian, finalmente sentindo a inquietação do marido, riu baixinho, movendo-se até a porta com Maçãzinha e pegando Yuan por baixo do braço.

— Tá bom, a gente já vai, boa aula pra vocês!

Disse, finalmente saindo pela porta e a fechando.

Mas Wangji demorou um tempo até finalmente fazer os alunos se acalmarem e voltarem a aula, já que agora haviam dezenas de perguntas sobre sua família.

Quem eram?

— Meu marido e meu filho.

Como eram seus nomes?

— Wei Ying e Lan Yuan.

Wei Ying tem rede social???

Essa Lan Zhan ponderou por alguns minutos, não sabia se queria que seu aluno visse as dezenas de foto que Wuxian postava de si no Instagram, tinha até uma daquelas bolinhas em destaque escrito ‘’LAN ZHAN SORRINDO’’.

— Instagram. Xianxian.

Depois disso se recusou a responder qualquer outra coisa, afinal, ainda era um professor e pretendia fazer bem seu trabalho.

()

Depois disso a participação de sua família pareceu ser algo constante, mas apenas chegavam até a porta, falavam o que precisavam e então saíam. As vezes davam um oi, mas em geral tentavam não atrapalhar tanto. O que, na verdade, acabou ajudando bastante, alguns alunos se sentiam mais próximos, conversam mais, perguntavam, e ainda que nem todas as perguntas fossem sobre a matéria que Wangji estava passando, o Lan era esperto o bastante para levar a conversa de volta ao assunto que havia planejado passar para a aula.

Em uma de suas aulas, porém, uma batida tímida veio do outro lado da porta e Wangji franziu o cenho, murmurando um ‘’Entra’’, e pôde ver a cabecinha de Yuan surgindo entre o vão da porta, os olhinhos arregalados e pidões, como Wei Ying adorava fazer se precisava pedir algo.

— Die...

O menino murmurou e Wangji suspirou, afastando a cadeira e esperando Yuan se aproximar, pegando o garoto e colocando em seu colo.

— Wei Ying foi ao mercado — Wangji explicou para a câmera. — Yuan estava cochilando.

Pegou algumas folhas brancas que tinha ali perto e algumas canetas, colocando em frente ao filho para distraí-lo, enquanto voltava a aula.

Yuan, vez ou outra, encarava a tela do iMac, voltando rapidamente a rabiscar a folha a sua frente, a linguinha pendendo pra fora, em concentração, enquanto desenhava sabe-se lá o que. Mas era o bastante para que Wangji pudesse voltar sua atenção aos alunos.

Em algum momento Yuan aproximou mais o rosto da tela, apontando para um lugar dela.

— Menino, deixa eu te ver direito.

O pequeno falou, e Wangji franziu o cenho, segurando a mãozinha do filho com delicadeza, já que este quase afundava o dedo na tela do iMac.

— A-Yuan, o nome dele é Zizhen.

— Jijen, deixa eu ver seu rosto direito, por favor?

Yuan pediu novamente, e mesmo que o Zizhen parecesse confuso, estava ligeiramente curioso e soltou um pequeno sorriso enquanto se aproximava da câmera.

— Oi?

— Oi, obrigado.

Falou novamente, voltando a atenção para o desenho. Os outros alunos pareceram inquietos depois disso, querendo entender o que Yuan pretendia ou estava fazendo.

Só souberam a resposta pelo menos 10 minutos depois, quando Wangji estava finalizando a aula e Yuan rapidamente balançou a cabeça.

— Espera, Die, espera!

Segundos depois Yuan levantou a folha onde estava desenhando todo esse tempo, mostrando aos alunos do pai que havia desenhado cada um deles, dividido em quadrinhos, como estavam aparecendo na tela.

— Olha o que eu fiz!

As reações foram imediatas, os alunos mandavam coraçõezinhos com os dedos para Yuan, que sorria orgulhoso do próprio desenho, olhando para cima, esperando a reação do pai, que sorriu para o pequeno, beijando sua cabeça.

— Ficou lindo, pequenininho.

 

Mais tarde, quando Wei Ying enfiou o celular em sua cara, gritando que:

— Lan Zhan, nossa família hitou no twitter de novo! A primeira vez foi com o Maçãzinha, e agora foi o nosso filho!

Wangji não tinha certeza o que ‘’hitar’’ significava, mas como pai, marido e professor, sentia-se feliz ao ter, não só sua família, mas também seu trabalho, sendo apreciado.

Nunca teve certeza se era mesmo um bom professor, pelo fato de ser tão sério e quieto, principalmente porque seu curso era de história. Mas Wuxian até mesmo lhe mostrou comentários de alunos antigos que falavam bem de seu ensino e a forma que fazia tudo parecer tão fácil de entender.

E, claro, com cada comentário positivo, recebia tantos beijos de Wei Ying pelo rosto que era impossível não sorrir. Com os dentes a mostra ainda.

()

A terceira vez que Wangji foi surpreendido por sua família, não foi exatamente por querer. Meia hora depois que, supostamente, deveria ter terminado sua aula, Wei Ying e Yuan entraram pela porta do escritório, o pequeno segurava uma cestinha com seus dois coelhinhos, Bichen e Suibian, e Wuxian tinha um bolo em mãos, meio torto e com uma cobertura estranha, soube de cara que havia sido o próprio marido a preparar, provavelmente com a ajuda de Yuan.

— Parabéns pra você, parabéns pra você, parabéns querido ZhanZhan, parabéns pra você!

Wuxian cantava com um sorriso no rosto, deixando o bolo em sua frente para apagar as velas. Desde pequeno seu irmão dizia que toda vez que sopramos velas de aniversário um pedido vem acompanhado, então pegou o bolo, o abaixando na altura de Yuan para deixar o filho soprá-las.

Não tinha mais nenhum pedido há muito tempo, já tinha tudo o que podia querer na vida.

Foi só então que Wuxian pareceu perceber que ainda estava em aula, e teve a decência de parecer quase – quase mesmo – constrangido.

— Oh, achei que você já tivesse terminado, Lan Zhan!

Gargalhou, a vergonha de antes já esquecida.

— Mn, estávamos discutindo algumas coisas.

— Ah, que bom, que bom!

Wuxian se aproximou do computador, abaixando-se e acenando para a tela, desconectando o fone do marido para que pudesse ouvir os alunos.

— Oi, sabiam que hoje é aniversário do Lan Zhan?

— Ele não contou pra gente!

Uma das garotas respondeu, fazendo Wuxian rir.

— Eu aposto que nem ele lembrava. — Deu de ombros.

Depois disso Wangji sentiu as orelhas arderem novamente de vergonha quando seus alunos resolveram cantar parabéns. Por sorte se despediram logo, e Lan Zhan pôde finalmente ficar a sós com sua família.

Se sentaram ali no chão do escritório mesmo, comendo bolo e vendo os coelhinhos pularem por todo o lugar.

Mais tarde fizeram uma pequena cabaninha de edredons e lençóis, infelizmente Maçãzinha não pôde participar da sessão em família, deixando apenas Suibian e Bichen para fazerem parte da noite de cinema, onde assistiram alguns dos filmes favoritos de Wangji. Não eram exatamente o estilo de Yuan e muito menos de Wuxian, e embora Lan Zhan gostasse do silêncio, não se importava em responder todas as perguntas que a família fazia.

E tinham perguntas. Muitas.

Wangji mais sentia que estava narrando o filme para os dois.

Wangji estava acostumado com a solidão desde pequeno, se apaixonou pela quietude e o barulho do vento lá fora. Gostava até de seus pés gelados, e podia devorar pelo menos uns 5 livros em menos de uma semana.

Mas, agora, Lan Zhan já não sabia mais o que era estar sozinho, porque mesmo quando estava trancado em seu escritório, as fotos em cima de sua mesa o faziam companhia, o barulho do vento não era nada comparado as risadas de Wei Ying e os gritos animados de Yuan. Já não sabia quantas meias Wuxian havia comprado em família, gostava das estampas de coelho, e não podia negar que soltou uma das risadas mais genuínas de sua vida quando Wei Ying encomendou uma meia com estampa de si mesmo e Yuan fazendo caretas. Eram as favoritas de Wangji.

E, agora, se conseguisse terminar um livro por semana já era grande coisa, mas até mesmo ler O Gatola da Cartola Tem Tudo na Cachola, era divertido, quando Wei Ying fazia as vozes.

 

-x-

 

Já fazia uns dois anos que Wuxian resolveu postar alguns vídeos de suas artes e desenhos na internet. Por algum motivo haviam gostado, aparentemente achavam engraçado a forma que conversava e dizia as coisas, gostavam de como ele incluía Yuan e fazia sempre algo diferente, não deixando os vídeos caírem na mesmice.

Então, na quarentena, Wei Ying resolveu fazer algumas lives, afinal, era inquieto, precisava se distrair, e esperava que pudesse ajudar outras pessoas também.

Naquele dia resolveu pintar um quadro, tinha a tela pronta e algumas tintas, lia comentários de seus inscritos, tentando acrescentar o máximo de sugestões que mandavam em sua pintura, queria algo bagunçado, mas que no final pudesse ser artístico.

— Ok, então agora a gente tem uma fusão de Squirtle e Charmander, caramba, o que eu posso tirar disso? Acho que pode ser um Squirtle com fogo no c—

A porta de seu estúdio se abriu de repente, Wuxian olhou curioso, franzindo o cenho ao ver Wangji passar por ela, parecendo determinado.

— Oi, Lan Zh—

De novo foi cortado, dessa vez pelo marido que o puxou pela cintura, o trazendo para perto do corpo enquanto ouvia a risada quase tímida de Wuxian.

Wei Ying ouviu um murmúrio contra seu pescoço e constatou que Wangji cantava baixinho contra sua pele, era algo que o marido gostava de fazer às vezes. Lan Zhan nunca foi muito bom com as palavras, mas o casal conseguia se encontrar muito bem através das músicas, e Wangji era um fã nato de Beatles, o que acabou puxando Wuxian junto, e o mais novo logo reconheceu a canção sussurrada em seu pescoço como ‘’Something’’ da banda.

Something in the way she moves

Attracts me like no other lover

Se sentia ser balançado de um lado para o outro de forma gentil, como se Wangji dançasse consigo com medo de o quebrar.

— Zhan Zhan...

Riu de novo, esfregando um dos braços do marido e o afastando levemente.

— Ayia, você tá muito emocionado hoje.

Brincou, dando um beijinho no nariz do mais velho.

— Eu estou em live, sabia?

Aquilo fez os olhinhos de Wangji quase dobrarem de tamanho e seu rosto tomou uma coloração vermelha que fez Wuxian gargalhar.

— Wah, não precisa toda essa vergonha, amor.

Mas Wangji não falou nada, apenas deixando um último beijo no cabelo de Wuxian e curvando-se ligeiramente para a câmera, murmurando um ‘’Com licença’’ enquanto saía do estúdio novamente, deixando o marido com um sorriso divertido no rosto.

— Lan Zhan é tão engraçado...

Wuxian murmurou, quase para si mesmo, antes de olhar para a câmera e rir baixinho.

— A gente termina amanhã, eu vou atrás do bebêzão agora.

Falou, antes de dar uma piscadinha para a câmera e desligá-la.


Notas Finais


Espero que tenham gostado, me deixem saber nos comentários! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...