História D.L (Sorteio do destino) yaoi - Capítulo 12


Escrita por:

Postado
Categorias Diabolik Lovers
Personagens Ayato Sakamaki, Azusa Mukami, Kanato Sakamaki, Kou Mukami, Laito Sakamaki, Reiji Sakamaki, Ruki Mukami, Shu Sakamaki, Subaru Sakamaki, Yuma Mukami
Tags Sakamakis, Yaoi
Visualizações 96
Palavras 1.599
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ecchi, Ficção, Hentai, Lemon, Yaoi (Gay)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Então, eu sei que eu disse que hoje teria especial mas essa enrolação na história do Kou já estava me dando raiva, por isso decidi resolver a história dele antes de partir para o especial. Próximo capitulo é certeza, talvez só tenha mais dois ou três capítulos. Já tá chegando no fim só tem umas pontas soltas que ainda quero resolver. A propósito ninguém mandou perguntas e eu queria saber se vocês querem um especial diferente ou não. Se sim me digam qual e o maior numero de votos é o vencedor. Mas se o número de votos for zero a Autora vai escrever as merdas que ela costuma escrever.
Obrigado pela atenção e bora para a leitura!!!

Capítulo 12 - Kou morre??!!!


(Leiam as notas inicias e finais OK?!)

Autora on:

Doze horas, trinta minutos e.... Quantos segundos??!

Havia tantas perguntas que ainda precisavam ser feitas, e muitas outras que deveriam ser respondidas.

Mais este não era o momento para buscar respostas ou fazer perguntas, Kou estava morrendo duas vezes mais rápidos e tudo o que seus amigos e irmãos conseguiam fazer era observar, esperando que seu lado bom vencesse.

Todos pensavam, embora, não dissessem em voz alta se Kou tinha um lado bom.

Afinal, o que era um lado bom?!

Amar crianças? Cuidar de idosos? Não machucar os inocentes?

Ou ter uma alma humana?!

 Pelo simples fato dele ser uma criatura das sombras, já não mostrava que ele não era do bem? Que não havia nada em si que pudesse ser salvo?

Talvez Kou não estivesse qualificado para ser considerado uma boa pessoa segundo os parâmetros humanos. Mas ele era importante para os Sakamakis e Mukamis e agora também para os Tsukinamis. E esses iriam fazer de tudo para salvá-lo.

Mesmo que o tempo agora fosse inimigo deles, mesmo que essas inúmeras poções não fizessem efeito, não iriam desistir! Dariam o melhor de si para salva-lo.

Carla —Não há nada que vá funcionar, o melhor a se fazer é irem dormir. Vamos esperar por dois dias é o máximo de tempo em que ele ainda pode acordar, depois disso...— não quis terminar sua fala como se dizê-las fosse torná-las real, porém todos entenderam.

Shin—Os quartos de hóspedes já estão prontos, vou mostrá-los.


Quebra de tempo...

Reiji on:

Tudo está ficando cada vez mais confuso. Se Kou não sobreviver a família Sakamaki e Mukami nunca mais será a mesma, mesmo eu não tendo tanta intimidade com ele como tenho com Ruki ele faz parte da minha família agora e isso atingirá a todos. Sério não entendo quando passei a enxergá-los como amigos valiosos mas não quero perder nenhum deles.

Shu—No que você tanto pensa?! — pergunta Shu entrando no quarto. Eu achei que depois de resolver essa situação do sequestro de Kou, logo voltaríamos para casa e teríamos a oportunidade de conversar e esclarecer melhor o que somos um para o outro. Grande erro de cálculo!

Reiji — Estava pensando em tudo o que está acontecendo. Não está com sono?— tento manter uma conversa simples pois minha mente já se preocupava demais com Kou, não serei capaz de ter um diálogo intenso sobre nossa situação, agora.

Shu— Vampiros não necessitam de dormir. Se o fazem é para passar o tédio ou porque gostam de dormir, mas não preciso explicar isso para você não é? Você também é um vampiro.— Shu vai se aproximando de mim com um sorriso travesso, suas mãos abraçam minha cintura, ele enterra seu rosto na curva do meu pescoço e logo sinto lágrimas quentes tocarem minha pele. Seu sorriso era apenas para esconder as lágrimas...

Quando foi que eu já o vi chorar?...

Nunca! Mesmo quando a vila do Edgar, agora Yuma, pegou fogo, ele não chorou. Fazer isso na frente de alguém seria admitir sua fraqueza. A partir desse ponto posso presumir que ele sente mais do que só atracão por mim?!...

Dois dias depois...

Autora on:

As três famílias estavam reunidas em uma capela onde seria o funeral de Kou. Nesses últimos dias de tudo foi tentado para salvá-lo, porém este não reagira a nenhuma poção. Como último recurso tentaram até mesmo pedir ajuda a Karl que disse que não se importaria caso eles morresse, não esperavam menos dele mas dessa vez queriam estar enganados. —Eles não entendiam esses ritos humanos, se juntar em uma sala junto com a pessoa de quem você gosta morta é uma sensação desagradável até mesmo para os vampiros que outrora já foram muito insensíveis. Todos tiveram seu momento à sós com ele para se despedir até que por fim só resta Ruki para se despedir.

Ruki— Eu não quero fazer isso.—ele fala para o loiro que não podia ouvi-lo segurando sua mão em um ato desesperado — Me desculpa por favor, você estava feliz com os Tsukinamis eu não tinha nada que me meter, se você quisesse ir embora já teria ido. Meu erro não pode ser apagado apenas com um pedido de desculpas mas quero que saiba que estou arrependido. Estou arrependido de ter insistido em trazê-lo de volta, me arrependo de não ter te notado se jogar na frente acabando por receber o golpe... Por favor me perdoe por tentar matar quem você amava... Queria ter falado antes sobre meus sentimentos, que te amava e que não era como irmão.

Apenas eu quero que me perdoe, que me desculpe por tudo...


Kou on:

Não consigo enxergar absolutamente nada, tudo o que sinto é um toque quente em minhas mãos e algo sendo sussurrado em meus ouvidos

Eu te amo...

Palavras tão gentis, estão sendo ditas para mim?! Shin é sempre muito amável, gostaria de retribuir aos seus sentimentos mas Ruki é a única pessoa que ocupa minha mente e meu coração.

Eu te amo tanto que chega a doer agora que já não posso tê-lo...

É exatamente assim que me sinto em relação à Ruki-kun. Só de ver ele com outra pessoa já faz meu coração doer, mas é preferível isso a perdê-lo de vez. Contar como me sinto só fará com que ele se afaste já que ele gosta do Alex, um irmão é tudo de que ele está precisando agora.

Kou... Não consigo deixar de imaginar qual seria sua reação ao me ouvir dizer que te amo. Horrorizado talvez descreva bem o que aconteceria...

Continuo ouvindo a pessoa que achava ser Shin dizendo palavras como aquelas, o som de sua voz era bem mais profunda que a de Shin, a voz de Carla era suave porém firme. E já essa voz era grossa e profunda trazendo átona velhas lembranças, mesmo não identificando o dono da voz quero que continue falando palavras belas como aquelas. Sinto que estou me apaixonado por uma voz sem rosto, e o pior de tudo é que essa voz me é muito familiar.— O som daquela voz vai ficando cada vez mais alta e sem hesitar me sinto sendo carregado por suas palavras gentis.

Autora on:

Ruki depositou o primeiro e último beijo em Kou, porém ao abrir os olhos leva um choque ao ver olhos azuis o encarando de volta. Um minuto se passou sem que ninguém se movesse, cada um procurando a resposta do porque seus sonhos estavam se realizando assim tão de repente, talvez alucinação?! Apenas mais perguntas para qual não havia resposta. Ou assim pensavam.

Kou—Ruki-kun?— pergunta Kou na dúvida de que ele estava realmente ali.

Ruki não responde ao chamado apenas pega Kou nos braços apertando como se fosse algo que à muito perdera e agora estava reavendo.

Eu te amo! Eu te amo! Eu te amo! Eu te amo!

—  eram palavras que eram ditas apenas na mente de Ruki até que por fim...

Ruki —Kou eu te amo tanto, não me deixe de novo por favor.—implorou deixando que lágrimas descessem pelo pescoço do loiro que não entedia o que estava acontecendo. Por que havia acordado em um caixão?! E em que sentido Ruki dizia amá-lo? Eram perguntas que ele queria muito fazer mas não encontrava coragem.

Kou— É você não é?— alguns minutos depois preso naquele abraço quente, Kou consegue absorver as palavras de Ruki acendendo um clique e notando que a voz que o despertara, era de Ruki.— Eu não reconhecia a voz mas agora sei que era você quem me chamava. Me responda que tipo de amor você sente por mim?

E como resposta sentiu seus corpo ser puxado novamente mas dessa vez para um beijo apaixonado e urgente— sem pedir licença Ruki invade a boca do menor vasculhando cada detalhe que lhe era desconhecido, as mãos em torno de Kou aperta mais forte trazendo-o mais para si o máximo que conseguia.

Reiji —Estamos atrapalhando alguma coisa?— pergunta Reiji com um sorriso que Shu julgou ser inédito não podendo evitar sentir um pouco de ciúmes. Todos ali estavam felizes com a volta de Kou e por ele está se acertando com a pessoa que amava, porém os Tsukinamis deixavam a tristeza se misturar à sua felicidade pois sabiam que Kou já havia se decidido e dessa vez não tentariam impedir, não queriam mais passar pelo susto de perdê-lo novamente.

Laito —Fico feliz que tenha voltado Kou-kun mas agora você está namorando o Ruki? Nem me deu chance de convidá-lo para um ménage, e não diga que não gosta dessas coisas pois sei que é mentira.

Kou —La-Laito!— reclama um loiro totalmente vermelho.

Subaru —POSSO SABER QUE HISTÓRIA É ESSA DE MÉNAGE SEU PERVERTIDO?!!— Subaru soca a parede da capela fazendo com que um buraco aparecesse no lugar. 

Laito —Não seja assim minha bitch-chan o Reiji nunca foi tão ciumento como você.

Reiji — Não me envolva nos seus assuntos Laito.— tratou de falar quando viu a expressão de Shu sabendo que mais tarde sobraria para ele.

Kanato —Eu quero ir para casa, aqui não tem doces. Seu eu não comer um doce que seja, hoje, vou empalhar um certo noivo de sacrifício.

Ayato —Oe, porque eu quem serei empalhado se estamos aqui por cauda daquele loiro ali?—apontou para Kou.

Kanato —Porque sim.— disse simplesmente, fazendo todos rirem.

Eles ficaram mais algumas horas conversando e matando a saudade até que por fim se despediram dos Tsukinamis de forma pacífica e poram-se a caminhar trocando alfinetadas e velhas ameaças, e de repente era como se nada tivesse mudado, como se Kou nunca tivesse ido embora.

Laito —Subaru-kun o que acha de fazermos aquilo quando chegarmos em casa?—Laito como sempre fala em um tom malicioso.

Subaru —Cala boca pervertido! Acha que eu esqueci o que você disse?!!

Laito —As vezes meu Subaru-kun é tão rancoroso.— fala em tom de desistência pois sabia que hoje não conseguiria nada do albino.




Notas Finais


Gente eu preciso saber se estou ficando louca ou se alguém já passou por isso.
Eu sou uma garota, então se eu quisesse pegar algum personagem de anime homem OK, afinal eu sou uma garota. Mas é normal desejar ser um personagem de anime homem só para pegar outro personagem de anime que também é homem?! Vocês já passaram por isso né? Se não, mintam para eu me sentir melhor.
E como não tenho nada melhor pra fazer vou deixar aqui o link da minha primeira fanfic

https://www.spiritfanfiction.com/historia/de-ninja-a-noiva-de-sacrificio-12886609


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...