1. Spirit Fanfics >
  2. D.N.A Advance: Nova Ordem do Século >
  3. Seadramon e Woodmon

História D.N.A Advance: Nova Ordem do Século - Capítulo 3


Escrita por:


Capítulo 3 - Seadramon e Woodmon


Fanfic / Fanfiction D.N.A Advance: Nova Ordem do Século - Capítulo 3 - Seadramon e Woodmon

CAPÍTULO 003

O brilho da esperança. Esta que nunca deixou que o mal vencesse. A mesma luz que fez com que os domadores antepassados tivessem êxitos incríveis mesmo sob duras provações. O sequestro da surfista mirim, Mia, não foi nada de mirabolante ou inventivo por parte dos antagonistas; contudo, como em todos os casos de perigos, foi o estopim necessário para a evolução um tanto rápida e prematura de um digimon que acabara de atingir o seu potencial mínimo passando da fase bebê para uma acima, criança.

O fato que havia acabado de ocorrer com o recém parceiro, fez os olhos típicos de uma oriunda nata do Havaí se encherem de brilho. A luz o aparelho sincronizada com a do ser na sua frente... Aumentando de tamanho. Marilyn White, mas sempre odiou o nome, só teve dois momentos de êxtase como sentia naquele momento. 1º um êxtase mórbido, mortal, sombrio e trevoso; quando o seu pai morreu e deixou tanto ela quanto a irmã mais velha órfãs. 2º no exato momento em que fizera uma manobra na crista de uma onda com 10 anos e venceu o campeonato mirim de surfe. Eis que surgiu a terceira vez, quando o seu digimon evoluiu para salvá-lo de um perigo. Parecia um tanto clichê, a menininha sendo sequestrada e alguém vinha salvá-la; só que a ´unica diferença era o “esse alguém que a salva”... Alguém que não precisa ser um príncipe encantado, que não precisa beijá-la no final do capítulo como se fosse um conto Disney.

─ Betamon digievolui para... SEADRAMON! ─ a serpente azulada apareceu imponente, ameaçadora e até divertida para a própria surfista. Óbvio que ela adorou já que seu parceiro era exatamente como ela, pelo menos por dentro.

─ Ai! Ai! Ai! Ele ficou enorme ─ exclamou Picodevimon que neste exato momento acochava ainda mais todas as partes acocháveis.

— Se-Seadramon? — indagou Mia bastante impressionada com a digievolução do seu parceiro. Foi tão incrível para ela, pois um sujeito que nem media 80 centímetros agora virou uma serpente de vários metros!

DIGIMON: SEADRAMON

Atributo: Dados;

Nível: Adulto;

UM DIGIMON SERPENTE MARINHA. NORMALMENTE ESSA ESPÉCIE VIVE LIVRE E SÃO SELVAGENS. SEU ATAQUE, FLECHA DE GELO, POSSUI MUITA POTÊNCIA CAPAZ DE CONGELAR O INIMIGO.

A cobra marinha parecia ameaçadora. Chegou a assustar a sua própria domadora, porém aquele monstro revelou-se ainda ser o doce parceiro dela.

─ Sim, Mia. Você conseguiu fazer com que eu digievoluisse mais uma vez. Eu agradeço muito. Principalmente por antes eu não passar apenas um Koromon. Agora venha, eu vou salvá-la.

─ Ela não vai a lugar nenhum. Gizamons, ataquem ele ─ falou o morcego bem ríspido.

O bando de Gizamons atacou Seadramon, mas foram todos facilmente derrotados. Picodevimon jogou suas seringas na serpente, mas Seadramon conseguiu destruí-las sem muita dificuldade com a sua cauda. O vilão ficou com muito medo, pegou o timão e saiu com o navio, fugindo como qualquer covarde. Deixou para trás seus capangas. Mia mergulhou na água. Ela sabia nadar perfeitamente dando a chance de seu parceiro realizar um ataque.

─ Você não irá muito longe ─ disse Sedramon. Ele mergulhou e foi atrás do navio. Usou a cabeçada pra virá-lo.

─ Ai o que é isso? ─ perguntou o pequeno vilão ao perceber que seu navio havia virado.

─ FLECHA DE GELO!

O golpe atingiu a embarcação que explodiu em vários pedaços congelados. A explosão foi tão intensa que jogou Picodevimon para bem longe em alto mar. Sedramon foi buscar a sua parceira que ainda estava na água. Mia subiu na cabeça do digimon e ficou em pé como se tivesse surfando. Ela aproveitou cada segundo daquela maravilhosa viagem junto do seu parceiro.

─ Ei, está gostando, Mia? ─ perguntou o digimon.

─ Amando. Obrigada, Seadramon.

Enquanto isso, na praia, os outros três digiescolhidos esperavam Mia e seu digimon. Eles viram toda a luta na costa e parabenizaram a surfista pela bravura tanto dela como de Seadramon. Agora os domadores, pelo menos depois desse acontecimento, suspeitavam que tinham uma missão a cumprir.

Seadramon voltou à sua fase criança impressionando novamente as crianças. Ele consumiu muita energia, por isso regrediu na sua forma básica. Mia aproveitou para parabenizar aos demais pelas digievoluções de seus parceiros.

─ Galera, é melhor irmos para dentro desta ilha. Quanto mais ficarmos num lugar alto melhor ─ aconselhou Ruan.

─ Tem razão, estou cansada desta praia irritante! Estou com muita fome! E quero tomar um banho pra tirar esse cheiro de bicho... ─ exigiu Rose.

─ Então vamos para dentro da ilha ─ concluiu Mia.

Os quatro jovens entraram na floresta da Ilha Arquivo. Eles queriam saber a localização da ilha, mas para isso precisariam subir numa montanha. A floresta era densa, fechada, com árvores centenárias e plantas com folhas demasiadamente grandes. Os garotos chegaram na estrada que levava para um vilarejo ali próximo.

No caminho, Ruan não aguentava mais ouvir os berros de Rose. Ela era uma burguesinha insuportável, teimosa e intolerante. Palmon tentava acalmá-la, mas não surtia efeito.

Rose era sempre assim. Quando dizia que queria algo, tinha que ser do jeito dela. Nascida numa família de berço, tradicional da Grã-Bretanha, ela teve todo o luxo do mundo. Também pudera, oriunda de uma das famílias mais influentes daquela ilha, os Archibald. Tanto a mãe quanto o pai eram duques influentes no País de Gales. Só para ter uma noção, o palácio deles era quase o mesmo tamanho que o de Buckingham. Portanto, a arrogância e o nariz empinado não era mera coincidência. Ela tinha o porquê de ser assim. O pior que nem todos engolem sapos como se fossem seus vários empregados.

─ Cale a boca! ─ gritou Ruan voltando-se contra ela.

─ Não calo. O que estou fazendo de mau? ─ replicou.

─ Você não percebe que é a única que está atrapalhando o grupo todo aqui?

─ Gente, calma ─ disse Mia ao tentar frear os ânimos de Ruan e Rose.

─ Calma nada, Mia. Essa garota fica gritando no meu ouvido! Estou por aqui disso, já chega!

─ Olha só quem fala, o espanhol que se acha o melhor do grupo. Meu querido, você não passa de um reles garoto esportista presunçoso.

─ E você de uma garotinha mimada.

─ PAREM!!! ─ gritou Mia. ─ Não veem que precisamos nos unir agora?

─ Mia, cadê o Jin? ─ Perguntou Betamon.

─ Nós não percebemos que ele tinha ido ─ disse Hagurumon

Os três foram correndo atrás de Jin e Mushroomon, que se afastaram do grupo. Eles ficaram ali parados discutindo e nem perceberam a ausência do colega.

...

Ainda em alto mar, Picodevimon ─ acreditem, ele não morreu ─ boiava na água, cansado de ter apanhado por causa dos digiescolhidos. Ele ficou à deriva, segurando-se a um pedaço de madeira do seu navio. Um outro navio, ainda maior e metálico, com o símbolo do EXÉRCITO NEGRO, aproximou-se do morcego. Ele foi socorrido pelo coronel DarkMeramon, um digimon igual ao Meramon, porém ele era azul. Este fora infectado por um vírus de computador. Podia-se chamá-lo de Blue Meramon por seu fogo ser azulado e mais quente.

─ Picodevimon, você falhou na sua missão de destruir os digiescolhidos? ─ perguntou o maior.

─ Sim, senhor coronel, eu falhei. Aqueles pirralhos ficaram fortes muito rápido ─ falou com as asas caídas e olhando para o chão.

─ Imbecil. Eu sabia que você e seu exército inútil iria falhar. Conversei com o superior e ele concordou. Merece ser punido, sabia?

─ Pu.. punido? ─ Picodevimon ficou pálido de tanto medo que sentia. ─ Ma.. mas chefe eu...

─ Acalme-se. Eu apenas o rebaixarei de sargento pra soldado. Fique tranquilo. Eu quero que você apenas me indique quem são os digiescolhidos.

─ Está bem chefe, eu farei isso.

─ Coronel, chegamos na ilha ─ avisou um outro digimon.

─ Perfeito.

...

Enquanto as coisas desenrolavam para os vilões perto da praia, Mia e sua turma encontraram Jin no vilarejo de Koromons. O vilarejo possuía casinhas pequenas como se fossem feitos de argila que cabiam um digimon em cada. Ele havia se adiantado, porque detestava brigas e preferiu ir sozinho com seu Mushroomon. Ruan ficou irritado com o japonês e quis brigar, mas quando viu as frutas que os Koromons estavam oferecendo, esqueceu de tudo e abocanhou quase tudo. Rose também comeu e seguida pelos os outros, além dos digimons.

─ Muito obrigada Koromons. Eu não sei como agradecer à altura ─ disse Mia.

─ Mia, eu quero pedir desculpas pelo meu sumiço. Mas me entenda, eu detesto brigas. Meu pais brigaram muito no passado e acabaram se divorciando. Hoje vivo com minha mãe.

Jin era o único, além de Mia, pragmático. Era até mais humilde que a própria surfista. Preferia ser reservado do que ser espalhafatoso. Sofreu muito com as brigas diárias e a separação dos pais, portanto odiava discussões acaloradas. Com seu QI mais alto, ele poderá até ser de grande ajuda aos colegas.

─ Nossa, Jin. Que loucura. Eu sinto muito por isso, sinto mesmo.

─ Aproveitando a nossa conversa, eu tenho um tablet aqui comigo na mochila ─ o garoto tirou o aparelho e mostrou.

─ O quê? Você tinha um tablet, mas não avisou pra nós? ─ perguntou Ruan irritado.

─ Eu me esqueci, e mesmo assim ele não está funcionando. Não carreguei ele. A bateria esgotou.

─ Mas que inutilidade desse noob!

─ Não fale assim dele! Você não se dá conta que está querendo brigar conosco? ─ interrompeu Mia agora brigando com Ruan.

Ruan Castillo. O mini atleta do seu colegial lá de Madri. Com apenas 11 anos ganhou essa soberba depois de ser o titular no time de futebol da sua classe e ainda por cima o capitão. Presunção era apenas as qualidades desse espanhol com os neurônios tão picantes quanto uma pimenta malagueta.

─ Olha só quem fala. A última a chegar no grupo e já quer ser a líder ─ desdenhou.

─ Ruan, não brigue ─ implorou Hagurumon.

─ Eu desisto ─ falou a morena. ─ Pelo menos respeite os Koromons?

─ Mia, deixa ele. Apesar de tudo, ele vai entender que errou.

─ Puxa Rose, você foi muito humilde agora ─ disse a morena.

─ Puxa vida. Alguma coisa vem se aproximando ─ alertou um Koromon olhando para o céu.

Os digiescolhidos olharam atentamente para o céu e viram uma coisa estranha vindo na direção deles. Olharam mais ainda e concluíram que era um abelha gigante. Porém, os digimons avisaram que se tratava de um Flymon selvagem bastante perigoso. Eles correram em disparada para se salvarem. O inseto jogou seus ferrões venenosos, mas não atingiram os garotos. Betamon tentou usar a descarga elétrica, porém não surtiu muito efeito; Palmon usou a Hera Venenosa, mas nada acontecia, Hagurumon tentava jogar suas engrenagens, mas também nada aconteceu. Flymon assustou os Koromons que entraram em suas pequeninas casas. O enorme digimon queria destruir as moradias dos Koromons, mas Jin se meteu na frente e foi quase ferido por um ferrão do Flymon. Mushroomon enfureceu-se e o digivice do garoto brilhou. Uma nova digievolução iria acontecer.

─ Mushroomon digievolui para... WOODMON!

O cogumelo vivo aumentou um pouco, mas não drasticamente como Betamon. Agora parecia mais um tronco vivo. Jin sentiu um orgulho do seu parceiro. Não importava se ele seria um pedaço de pau velho ou um cavaleiro com uma armadura de ouro, ou seja, o que valia para o japa era a sua amizade com o digimon e consequentemente vê-lo ficar mais forte.

DIGIMON: WOODMON

Atributo: Vírus;

Nível: Adulto;

UM DIGIMON PARECIDO COM UM PEDAÇO DE ÁRVORE, SEU ATAQUE DE MADEIRA FAZ COM QUE ELE JOGUE VÁRIOS PEDAÇOS DE MADEIRA ATINGIDO O INIMIGO E UM ATAQUE MÚLTIPLO.

─ ATAQUE DE MADEIRA! ─ o ataque atingiu Flymon que saiu dali deixando os garotos e os digimons em paz.

Após a ida de Flymon, os Koromons puderam ficar em paz.

─ Que massa, Woodmon. Você evoluiu. Obrigado por salvar a minha vida ─ agradeceu Jin.

─ Não foi nada hehe.

Os garotos agradeceram pela recepção dos Koromons. Os digimons rosados disseram que se eles fossem visitar a cidade dos brinquedos poderiam ser bem recebidos por Monzaemon, o prefeito da cidade. Então todos foram na direção norte, que dava diretamente à cidade dos brinquedos.

─ Os nossos digimons estão ficando fortes ─ afirmou Mia.

─ Eu sei. Gostei muito que meu Mushroomon digievoluiu.

─ Não fale assim, eu fico sem graça ─ disse Mushroomon.

─ Só falta você, Hagurumon.

─ Sim, Ruan. Eu vou ficar mais forte pra você.

─ Rose, e eu? Eu vou evoluir?

─ Sei lá, Palmon ─ disse ríspida como sempre. ─ Eu tô com vontade de fazer uma coisa.

─ O quê? ─ perguntou a digimon.

─ Tomar um bom banho, comer uma comida bem caprichada e chique, vestir os meus vestidos de...

─ AH NÃO!!! ─ exclamaram os outros três.

─ Ai! Seus insensíveis!

Então eles continuaram por uma estreita estrada de terra a caminho da cidade mais próxima. Conforme foram orientados, a cidade de Monzaemon. O que será que aguarda os digiescolhidos daí em diante? Eles terão uma resposta para suas perguntas? E o inimigo vai atacar?

...

Picodevimon voou até ver a localização exata das crianças. Retornou para a base em que o seu superior estava.

─ Senhor DarkMeramon, são aqueles lá ─ avisou Picodevimon depois de ver as crianças através de uma luneta.

DarkMeramon estava num outro ponto da floresta que dava para ver os digiescolhidos andando. Claro que diminuiu o seu calor ao máximo para não colocar fogo nas plantas.

─ Hum, eles são apenas quatro. Será fácil derrotar todos ─ disse vendo com a mesma luneta.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...