1. Spirit Fanfics >
  2. Do amor ao ódio >
  3. Capítulo 4

História Do amor ao ódio - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Olá meu zamores, sou eu de novo rsrsrs. Siim estou com capítulo novo na área. Quero agradecer a todos que estão lendo a fic, quem comentou, quem favoritou, enfim amo a cada um de vocês MUITO OBRIGADA!!!
Chega de discurso pois o que queremos é ler essa fic.
Boa leitura.

Capítulo 4 - Capítulo 4


MATTEO

      Minha vida não podia ser mais chata e complicada do que nunca, cara, nem o FF tá acalmando meus ânimos, minha mãe resolve me colocar em outra escola, de início odiei a idéia e perder todo o meu crédito, principalmente com as minas. Tinha já terminando o namoro com a gata da cidade vizinha até saber que ela também tava me colocando chifre com um cara bem mais velho do que eu, mas não deixei barato não, ela também não saiu ilesa desse términio, já tinha dado o troco, um par de chifres nela... um não vários.

       Mais minha vida não era só resumida em ficar, pegar, namorar, e tal, não conseguia ir muito adiante com um relacionamento, gostava de todas mais queria uma que me prendesse, que eu podesse acordar e sentir a necessidade de vê-la todos os dias, alguém que eu realmente amasse, só amei um pessoa assim, éramos novos demais, mais eu sabia que amava ela, já fazia tanto tempo que eu não a via, ainda tinha um ponta de sentimento por ela, mas não ia espera o tempo dizer se um dia íamos ficar juntos ou não, enquanto isso não chegava ia tocando minha vida do jeito que dava.

        Minha casa tava um verdadeiro campo de guerra, minha mãe trouxe um macho para dentro de casa e meu avô soube e armou um maior barraco.

       – ABRE A PORTA AGORA JULIANA! EU NÃO ESTOU PEDINDO ESTOU MANDANDO, SE VOCÊ NÃO ABRI EU VOU ARROMBAR. CRIA VERGONHA NESSA TUA CARA MULHER, UM BOM MARIDO TRABALHADOR E TU AI TRAINDO ELE, NÃO FOI ISSO QUE EU TEM ENSINEI – meu avô falou com muita raiva. – EU DISSE QUE IA ARROMBAR JULIANA...... VOU CONTAR ATÉ 3 , SE VOCÊ NÃO ABRI EU ARROMBO..... 1.... 2 .... 3... meu vô deixou a porta em pedaços e pegou minha mãe no flagra com outro homem.

SAI DESSA CAMA SEU VAGABUNDO, VISTA-SE, É UMA ORDEM, PEGA O TEU RUMO SE NÃO EU ACABO CONTIGO. O cara saiu com as calças na mão, meu vô naquele momento não era o mesmo, a raiva tinha tomando conta dele.

         Após aquele dias as coisas não ficaram como antes, mas ia melhorando aos poucos. Indo para a escola nova obrigado, não imaginava quem encontrar lá. Meu antigo amor de infância Luna valente, continuava a mesma Luna de antigamente, e a partir desse dia comecei a gosta da escola nova, por me propor ela na mesma sala.

          A gente ja se esbarrou na sala, fiquei hipnotizado ao revê-lá, naquele momento um sentimento meio estranho adentrou meu coração, mas pela reação dela acho que isso aconteceu apenas comigo, ela dirigiu a palavra a mim séria sem demostra algum tipo de sentimento nem de amor e nem de ódio, era com se eu fosse um desconhecido.

        Mais naquela semana o pior não foi aquilo e sim vê ela suspirando por um riquinho bonitão, aparência era boa, mas isso não importava, talvez ele não fosse tudo o que a aparência descrevia. Não consegui me aguentar era estranho aquilo, eu estava incomodado com uma coisa que não tinha nada haver comigo, era como se eu tivesse sentido ciúme – Se orienta Matteo, sentir ciúmes dela?! – Percebi que o amiguinho que só vivia grudado nela tava vendo meu possivelmente ataque, nessa hora tive que ser um belo ator para disfarça o que estava acontecendo para não levantar suspeitas, vi Simón fala perto de Luna, quando percebo ela me olhando de canto de olho.

        Será que ela ainda gosta de mim?! Mais faz tanto tempo isso. Eu já tive várias namoradas. Ou será que ela sente raiva de mim pelo que fiz ela passar, fui um babaca agarrando Emília na frente de Luna.

     – Matteo Balsano, o maior pegador da região, na minha humilde escola, quanta honra. – Gastón falou com um senso de humor misturado com irônica.   – Bom dia pra você também Gastón, ah... um elogio a mim, seu senso de humor hoje está impecável – falei com deboche. – E o que a vossa senhoria vai fazer essa noite? – Nada, mas se vc tiver uma opção melhor tô dentro. – Falei despreocupado. Gastón chegou na hora certa, me tirando a atenção de Luna, acho que ele não chegou a me ver olhando para ela.

     – Que tal darmos um volta pela aquela lanchonete daquele dia?! – Topo! – Concordei com ele sem pestanejar – Ótimo amigo, é bom que você tira o olho da Luna, porque eu não aguentava mais vê você babando.

      Como esse cara consegue?! Foda viu.

       Ficando sozinho com meus pensamentos malucos. Acabo agindo sem pensar, vejo uma carteira vazia atrás de Luna e vou sentar-me. O que tá acontecendo?! Meu deus o que eu tô fazendo aqui?

      - Oi Matteo! – Luna me cumprimentou tímida. – Oi Luna, vim pra porque do meu lugar tava ruim de ver o quadro. – Ah sim, deve ser ruim mesmo. – Luna falou simpática.

      Mesmo tendo trocado poucas palavras enquanto estava sendo atrás dela, e tendo achando a atitude maluca, até que deu certo, não paguei nenhum mico, ou falei besteira.              

Passei a tarde toda pensando no que havia acontecido durante o dia, principalmente Luna. Ao anoitecer daquele mesmo dia fui me arrumar para o rolê que marquei com Gastón.

         .....

     – Olha só quem está chegando Benício, Matteo Balsano, atrasado como sempre. – Gastón era um humorista sem humor. Benício era outro amigo meu era foda de mais ir pra night com eles, sempre tentando me arranjar ficante mais naquele dia recusei. Me acharam estranho mas de boa, com tanto que eu não perdesse meu mérito e não deixasse meu sentimento por Luna me domar, tava tudo dentro dos eixos. Minutos depois Gastón puxa conversa comigo.

     – Mano você tá estranho hoje, não tá marcando território, dispensou todas as meninas que pediram para ficar com você e agora você tá ai pensativo, se soube que ia ser assim não tinha te convidado, tinha deixado você mesmo em casa com seus pensamentos. É por causa da cena da luna né?! – Gastón falou sincero. – Não é possível que depois de tanto eu ainda possa gosta de Luna. – falei meio confuso. – Olha mano, como sou seu parceiro em tudo há tanto tempo, se aceita um conselho, Luna é legal, boa menina, engraçada, inteligente, mas ela não faz o tipo que você quer. Ela é séria, não é de querer rolo ou coisa do tipo e você sabe que ela frequenta igreja, muito mais do que nos que nem somos batizados. – Gastón falou sério e terminou com humor. – Ei, eu sou batizado tá?! E além do mais, não creio que Luna seja tudo isso que você diz e se for assim e eu saber realmente o que ela sente por mim, estarei disposto a mudar. – falei firme e convicto. –Você? Mudar? Por um mulher?! Meu amigo tá pra nascer quem acredite nisso – Gastón falou irônica. – Se não quiser acreditar, não acredito. – pontuei firme.
   – Luna é uma boa pessoa, não quero mágoa-la, então por isso vou com calma. 


Notas Finais


Gente já tava na hora de do Matteo ter a parte dele na fic.
O que acharam do capítulo?! Gostaram?! Gente quem tiver idéia pra fic e quiser expor, aceito todas.
Gente eu senti um pouquinho que o sentimento de Matteo e Simón é recíproco. E ele ai dispensado todas?! Será que ele está disposto mesmo?! E o que acharam desse Gastón?!
Enfim, me contém o que acharam e me digam suas opiniões sobre os capítulo.
Mais um vez agradeço a cada um que ta lendo, muito obrigado amo vcs. #FiqueEmCasa e lavem as mãos


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...