História Do not disturb! - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Edinson Cavani, Zlatan Ibrahimovic
Personagens Edinson Cavani, Personagens Originais, Zlatan Ibrahimović
Tags Cavani, Padrasto, Zlatan
Visualizações 57
Palavras 1.398
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oiii meus amores!
Espero que gostem, e não me matem heheh
Beijos e boa leitura!!

Capítulo 15 - Sala de jantar.


Esperei os últimos convidados saírem e então tranquei as portas. Estava louca para tomar um banho e me jogar na cama... 

 

-Zlatan? -Disse ao não encontrar ele em volta.- Com licença, vou para onde foi o Zlatan? -Perguntei a um dos empregados que limpavam a casa. 

-Acho que ele subiu...

-Certo, obrigada! -Subi as escadas correndo e o procurei em cada cômodo. Será que ele saiu sem me avisar?- Zlatan? Onde você se enfiou? -Disse ao entrar no meu quarto sem ter respostas. 

 

Duas mãos me envolveram e me puxaram para dentro do banheiro, gritei e sua mão tampou minha boca. 

 

-Quem você achou que poderia ser? -Zlatan disse baixinho e me soltou rindo. 

-Zlatan! Não faz isso comigo! -Ri e ele me beijou. 

-Zlatan não tirou os olhos de você o dia todo... -Beijou meu pescoço.- Estava linda...

-Você também! -Nos beijamos e meu telefone tocou.- Vou atender. -Sai de perto e ele bufou. 

 

Peguei meu celular e atendi a chamada, era um número desconhecido. 

 

-Alô? 

-Esqueceu que tem pai? -Escutei sua risada alta e ri junto. 

-Pai! Que saudades! -Sorri. 

-Eu e seu irmão também estamos com saudades. Quando vem nos visitar? 

-Pai, tem tanta coisa acontecendo na minha vida... Eu queria que você e o Pedro viessem passar alguns dias em casa, o que acha? 

-Não querida, claro que não posso! Sua mãe não aceitaria me receber em sua casa, e eu também não quero vê-la. 

-Eu me mudei! Venham, por favor... 

-Se mudou?! Mas que legal, querida... Olha, anote meu número e vamos conversar durante essa semana, tá bom? 

-Ok! Mas pense nisso, estou com saudades de vocês...

-Certo, nós vamos! Só precisamos marcar uma data e... Eu me casei. Queria que soubesse... 

-Você... Você se casou! Que bom... -Tentei parecer feliz, mas na verdade eu não estava. Queria ver minha mãe e meu pai juntos novamente, e ele nem me chamou para a droga do casamento! 

-Você vai adorar a Mitch, ela é incrível! -Ri. 

-Com certeza vou adorar ela! Então nós falamos essa semana, certo? 

-Certo, querida! Eu te amo. 

-Também amo você. Diga que amo o Pedro! -Desliguei.

-Quem era, meu amor? -Zlatan disse e me abraçou. Eu comecei a chorar e ele ficou aflito.- Zlatan não gosta quando você chora! O que aconteceu? 

-Meu pai se casou e ao menos me avisou! Ele não me chamou para o casamento dele, Zlatan! -Zlatan me abraçou mais forte, talvez em uma tentativa de tirar essa dor de mim.- Eu só queria que ele e minha mãe voltassem! 

-Mas tem o Edinson, ele é uma boa pessoa e faz bem para a Havana! -Mal sabe ele...- E seu pai também deve estar feliz. Não podemos mudar o que não depende de nós...

-Eu sei, só queria que fosse diferente! -Meu celular apitou outra vez e eu olhei, era uma mensagem confirmando meu ensaio de amanhã.- Pra ajudar, amanhã vou trabalhar! 

-Não é o que você gosta de fazer? -Assenti.- Então se anime! -Zlatan beijou minha testa e segurou meu rosto.- Eu te amo.  Não quero ver meu amor sofrer por causa da decisão dos outros. Fique bem! Logo nós casaremos e é só isso que importa...

 

Eu queria, de coração, pensar assim. Claro que eu amo o Zlatan, ele é o homem que eu escolhi viver junto para o resto da minha vida. Mas eu queria, de verdade, não ter dúvidas quando a isso.

Zlatan foi para sua casa e eu fui tomar um banho. Entrei no closet para separar uma roupa e vi uma caixinha em uma das prateleiras. 

Me esqueci completamente disso! Foi a caixinha que Cavani me deu no noivado deles... Eu só abri a caixinha da minha mãe, que foi o presente que todas as madrinhas receberam, a dele eu larguei ali e não lembrei mais... 

Abri a caixinha e tinha um anel e um cartão.

Abri. A carta falava sobre tudo que poderia acontecer se eu tivesse escolhido ficar com ele, que eu estaria no lugar dela, que seríamos uma bela família e teríamos um casamento lindo, falou varias besteiras e no final ainda disse que eu realizei seu sonho de ser pai, mesmo que ele quisesse que eu tivesse realizado esse sonho de outra forma.

Basicamente, escreveu uma carta inteira só para dizer que é um ridículo egocêntrico.

Mal terminei de ler a carta e já liguei para ele. 

 

-Alô? 

-Preciso que venha na minha casa agora! 

-O que? Já estou na minha casa, sua mãe não está comigo! 

-Venha sozinho! 

-Está tudo bem? Quer que eu...-Interrompi. 

-Cavani, não enrola! Estou te esperando. 

 

Desliguei, peguei a droga da carta e fui até a sala. 

A campainha tocou e um empregado correu abrir a porta.

 

-Muito obrigada, querido! -Disse para o empregado.- Pode deixar que eu me viro com ele. 

-O que aconteceu? -Puxei ele para a sala de jantar e tranquei a porta. 

-Você é um imbecil, Edinson!  

-Do que você está falando? -Ele estava realmente preocupado, foi quando joguei a droga da carta nele.- O que foi? Está assim por causa dessa carta? -Assenti.- Já faz tempo que eu te dei isso! E eu estava completamente bêbado quando escrevi essa droga!

-Eu só abri hoje. Por que me disse todas essas coisas? Se não está feliz com a minha mãe, largue ela! O que queria que eu fizesse, traísse minha mãe? 

-Você leu tudo? 

-Sim! Tudo! Acha que precisa esfregar na minha cara que eu sou uma burra que não sabe fazer boas escolhas? -Gritei.- Você é ridículo! 

-Nathália... 

-Não tente se desculpar agora! Você se porta como uma criança! Por que tem que fazer isso comigo? Eu estava quieta vivendo a minha vida! 

-Nathália! -Me interrompeu.- A carta não termina aí! 

 

Ele abriu o envelope e virou a folha, revelando uma única frase. “Nunca é tarde para voltar atrás.” 

 

-Eu não quis te atacar. Tentei mostrar pra você que eu largaria tudo por você. Talvez não tenha usado as palavras certas, já disse que eu estava bêbado! -Passou as mãos pelo rosto e bufou.- Quer saber a verdade? Pensei que pudesse te esquecer. Eu achei que casando com a sua mãe eu iria te esquecer pra sempre, você não seria mais um problema pra mim! 

-Edinson... -Ele me interrompeu. 

-Se lembra do dia em que eu fui te chamar para a festa dos garotos e Zlatan já tinha te convidado? -Assenti.- Você me perguntou o que aconteceu entre eu e ele, então eu disse que não nos dávamos muito bem, se lembra? 

-Sim, claro... Por que? 

-Zlatan sempre foi meu melhor amigo! Naquele dia, quando ele chegou na casa da sua mãe para procurar você, ele me contou que vocês estavam se conhecendo melhor. Eu fiquei com ódio do meu melhor amigo! 

-Então por que não terminou tudo com a minha mãe naquela época? Eu não entendo! Agora é tarde.

-Não é tarde! Eu estou disposto a largar tudo, Nathália! Nós arrumamos nossa vida em outro país, posso arrumar outra oferta em algum time, podemos ser felizes juntos! 

-E a minha mãe? O Zlatan?! Isso não pode acontecer, Edi... -Segurei seu rosto.- É melhor nos afastarmos outra vez. 

-Eu não quero me afastar de você! -Disse segurando o choro. 

-Eu também não, mas não aguento mais ter dúvidas, não aguento mais pensar em você! Nós dois não temos jeito, Edinson. Você se casa em dois meses e logo menos eu e Zlatan nos casamos também. Então temos tempos para esquecer tudo isso, tá bom? 

-Acha mesmo que posso te esquecer em dois meses? -Riu e se aproximou.- Acha mesmo que posso apenas te esquecer? Está enganada! -Segurou meu queixo.- Posso me casar, posso ter filhos, me mudar, nunca mais falar ou ouvir falar sobre você... Mas nunca vou te esquecer, Nathália. -Grudou nossos narizes e segurou minha cintura.- Talvez não fique comigo, mas uma hora vai sentir minha falta... 

-Para com isso! -Falei baixinho. 

-E quando sentir minha falta, estarei aqui... 

 

Como você já deve imaginar, Cavani me puxou para um beijo. Ele apertava minha cintura enquanto eu segurava seus cachos. 

O beijo ficava cada vez mais rápido e mais quente, ele passava suas mãos por todo o meu corpo, minhas mãos estavam pousadas em seu abdômen.

Cavani me colocou deitada na mesa de jantar, tirou sua camisa e começou a abrir seu cinto. 

 

-Meu amor, está aí? -Zlatan gritou do outro lado da porta... 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...