História Do Que Somos Feitas... - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias RWBY
Personagens Blake Belladonna, Weiss Schnee, Yang Xiao Long
Tags Blake Belladonna, Freezerburn, Raven Branwen, Rwby, Weiss Schnee, Yang Xiao Long
Visualizações 19
Palavras 3.494
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Olá gente, estamos de volta com mais um capítulo de "Do Que Nós Somos Feitas...", e acredite, o capítulo será uma verdadeira montanha russa sentimental.
Nosso grupo finalmente chega em Menagerie, afim de se reorganizar antes que possam partir para Atlas. Mas o que parecia um mero descanso, vai se transformar numa grande reviravolta de dilemas e coragens.
O Time RWBY finalmente vai se confrontar e dessa vez tudo será colocado a limpo definitivamente! Sem mais delongas, tenham uma boa leitura!

Capítulo 2 - Vivendo Sob Uma Prece


O som das águas tranquilas dos mares do Sul e a brisa fresca que corria pelo ar faziam daquela imensidão azul um cenário bem contrastante comparado ao clima desolado e assustador que sempre pairava Remnant. Como se fosse uma dimensão a parte, longe de toda a fúria dos grimms. Na proa do navio que cruzava as águas, era possível ver Ruby apoiada no parapeito da embarcação a contemplar o horizonte. Aquela estava sendo uma viagem longa de alguns dias, portanto, não havia muito a se fazer a não ser esperar e deixar ser levado pelas águas.

Fazia muito tempo que a jovem Rose estava sendo levada por alguém a uma viagem, visto que os últimos meses foram apenas de árduas caminhadas e difíceis batalhas. Nada mais justo que descansar um pouco nesses agora raros momentos de quietude. No entanto, aquilo que parecia o fim daquela jornada estava bem próximo. Ruby avista um ponto esverdeado no horizonte, finalmente dando algum contraste. Ela apera seus olhos afim de focar mais sua visão, e enfim ela toma ciência de que eles estavam se aproximando de uma ilha.

— Pessoaaal! Ei! Venham ver! — Ruby dizia em alto tom para suas amigas que estavam próximas dela, em outros cantos do barco.

— O que foi que você viu Ruby? — Yang questionava.

— Eu vejo algo! Parece que é uma ilha!

— Uma ilha? — Weiss fica curiosa com a alegação.

Blake então se aproxima da ponta da proa, afim de observar o que havia diante de sua rota, e para satisfação de Blake, se tratava de um lugar bem familiar a ela, fazendo-a estampar um sorriso em sua face.

— Sim, é uma ilha. E uma bem importante para gente afinal.

— Aaah! Então quer dizer que... — Ruby antecipava ansiosa.

— Isso mesmo Ruby. Sejam bem-vindas a minha casa!

E de fato a ilha em questão que estava diante delas era nada menos que Menagerie. Não demorou muito para que o capitão da embarcação anunciasse aos passageiros que o seu destino já estava próximo. A ilha de Menagerie se destacava perante o infinito azulado do horizonte, revelando as cores vivas de sua natureza. Os aliados da Beacon estavam se preparando para finalmente conhecer a terra natal de Blake.

Enfim o navio faz a aproximação final com o litoral, em um dos cais de grande porte que a região tinha a oferecer. Já ancorado na costa, as plataformas enfim são abaixadas para que as pessoas dentro da embarcação possam enfim descer em terra firme. Ghira e sua família haviam sido os primeiros a saírem, seguido do Time RWBY e seus amigos, um tanto apreensivos por estar finalmente naquela ilha pela primeira vez.

— Uaaau! Esse lugar é tão... Tão diferente comparado a outros que já vi! — Nora comentava admirada.

— Bem, isso pra você ver que Remnant é mais vasta do que você imagina. — Seu parceiro Ren dava seu parecer.

Os habitantes da ilha passaram a notar que seu amado líder estava de volta ao lar, assim gerando um princípio de comoção. O chefe acenava a seu povo em sinal de recepção, enquanto que ele pedia passagem, prometendo atualizar os cidadãos com as notícias muito em breve.

No entanto, rapidamente a presença dos aliados da Beacon chama pela a atenção dos habitantes de Menagerie, e a impressão inicial não era bastante confortável. A presença de humanos era rara na ilha, e geralmente não muito vista com normalidade, o que não era para menos, dada a rixa que humanos e faunos possuíam. O povo local disparava olhares preocupados e até mesmo hostis, mas antes que seus amigos se sentissem intimidados, Blake assume a palavra, levantando ambos os braços.

— ... Gente, gente. Por favor, fiquem calmos. Eu sei que a presença de humanos estão lhe intimidando, mas saibam que esses são justamente aqueles que vieram de Beacon Academy e no qual estavam lutando em Mistral para deter a White Fang. Somos gratos a eles que nossa missão foi um sucesso.

— Ei! Eu conheço aquela garota de cabelos brancos. Ela é uma das filhas dos Schnees! — Uma moradora de Menagerie apontava para Weiss com um tom severo. — A família dela nos vem causando problemas a eras e você sabe disso. Se não fosse por eles, aposto que nem mesmo a White Fang teria se tornado hostil!

Weiss sente o peso da culpa pesar sob seus ombros. Mesmo sendo contra a tirania de seu pai, a ex-herdeira se sentia responsável por ainda permitir que a opressão continue. Seu instinto dizia para se esconder em meio ao grupo, fazendo-a recuar pouco a pouco. Mas para sua surpresa, suas costas batem em alguém, e ao virar seu olhar, ela se depara com Yang, no qual a observava com um olhar acolhedor.

Weiss sente um arrepio, seguido de um sentimento acolhedor. Ela podia ver naquele olhar púrpura um sinal de alento, contendo a mensagem de que a ex-herdeira estava segura perto de suas amigas, e isso fazia uma sensação intrigante correr por todo o corpo de Weiss. Mas antes que ela pudesse dizer algo, ela vê Weiss apontar para Blake, pedindo para que prestasse atenção nas palavras que a fauna iria proferir.

— Sim, ela é uma Schnee, mas ela também é integrante da minha equipe. E acima de tudo, ela é minha amiga! Se não fosse por sua ajuda, a White Fang poderia ter nos derrotado. E saibam que ao contrário dos membros da SDC, ela está contra tudo que sua família prega. Dizendo pelo nome dos Belladonnas, não permitirei que a hostilizem.

Os moradores ficam intrigados com a alegação de Blake. Realmente mais um dos Schnees se divergiram das ambições da família? Weiss observava tudo aquilo surpresa, se sentindo de certa forma acolhida, tanto como pessoa, tanto pelas suas causas, fazendo que ela esquecesse um pouco da culpa que sentia.

A população finalmente pode espantar a tensão que estava sentindo, permitindo que o grupo prosseguisse sem maiores empecilhos. No entanto, conforme o grupo caminhava, Qrow e Ghira notaram que os jovens da Beacon, junto de Oscar estavam ficando para trás. Uma expressão agoniante estava tomando conta da face deles, como se algo os assolassem.

— Algo de errado jovens? Vocês não parecem com uma cara muito boa. — O chefe de Menagerie questiona um tanto consternado.

— ... Quen... Queeenteeee!!! — Ruby arfava em agonia.

— ... Eu nunca imaginei que Menagerie fosse tão quente! Estou cozinhando aqui! — Yang retrucava com um tom sofrido.

Para pessoas que vieram de uma região de clima mais temperado como Vale, o calor de Menagerie era algo para se sofrer, ainda mais que muitos deles estão habituados a vestir roupas cheias de adereços, volumosas ou rentes ao corpo. Além disso, já fora do navio, a brisa era bem menos eficaz para refrigerar o corpo, fazendo disso um problema.

— Ora, não me diga que a rainha das chamas Yang está sofrendo com o calor? — Blake não podia se conter em tirar uma com a cara da amiga.

— Ca-Calada! Só porque tenho uma afinidade com o fogo, não significa que eu aguente o calor de fora. Você já experimentou andar num lugar como esse vestindo todas estas jaquetas e botas de couro? — A jovem Xiao Long protestava.

— Oh pelos deuses! Eu sempre achei que as roupas que minha filha usava eram um tanto desconfortáveis, mas definitivamente o povo de Vale prefere essas vestimentas mais justas e volumosas, e isso não é algo muito adequado pra esta região. — Kali comentava espantada. —  Não se preocupem meus jovens, pois acho que tenho a solução certa para vocês. Só aguentem mais um pouco até chegarmos até nossa casa.

— P-Pode deixar. A gente aguenta... — Jaune respondia quase perdendo a consciência.

— Só toma cuidado pra não cozinhar por completo Jaune! — Sun ria enquanto tentava segurar o jovem Arc para que ele se manteasse de pé.

— Ah, Menagerie. Sempre calorosa, como sempre. — Qrow comentava enquanto desabotoava um dos botões de sua camisa, tentando fazer charme para um grupo de jovens locais... Sem sucesso.

— Essa é uma terra de clima acolhedor. Acredito que logo vocês vão se acostumar. Venham, nossa casa está logo adiante. — Ghira comentava com o grupo enquanto apontava para grande residência dos Belladonnas, deixando os Times RWBY e JNR estupefatos.

— Gwoooh!!! Que casarããããão!!! — Ruby quase de deixava cair para trás.

— Parece que eu não sou a única com boas posses aqui. Você sabe mesmo ser discreta Blake. — Weiss tirava um pouco de sarro, de acordo com o desconforto da temperatura permitia.

— D-Deixem disso! Eu apenas sou a filha do líder de Menagerie! Isso é meio que esperado! — Blake dizia sem jeito.

Com isso, o grupo finalmente chegava a casa dos Belladonnas, aonde eles finalmente poderiam discutir seus planos futuros com Ghira antes de prosseguirem viagem, e claro, ter um pouco de repouso depois de meses de viagens e conflitos. Quartos de convidados escolhidos e bagagens devidamente guardadas, o grupo finalmente poderia respirar um pouco, depois de tanta caminhada. Kali não demorou muito a aparecer, trazendo consigo duas jovens, no qual aparentavam ser do comércio local, e a pedido da matriarca dos Belladonnas, ela aconselhou que os jovens a seguissem, afim de escolher trajes mais adequados, sob cortesia dela. O grupo ficou um tanto de desconcertado de início, mas graças a Blake, eles se sentiram convencidos.

Foi um início tarde bem atípica para os jovens da Beacon, mas ao menos eles puderam escolher um traje mais leve, condizente com o clima local. Blake, já trajando uma versão mais leve de seus habituais trajes, junto de Sun, no qual suas roupas de costume não representavam incômodo, fizeram questão de orientar seus amigos conforme aquilo que necessitavam. Ruby, Weiss e Nora, para não perder o costume de usar saias, escolheram vestidos simples, correspondentes a suas cores favoritas, enquanto que Yang, Jaune, Ren e Oscar escolheram um conjunto de camisas e bermudas, similares a que Sun usavam, combinando de acordo com seu estilo.

Mais à vontade e não mais sofrendo muito com o calor, o grupo pode retornar à residência dos Belladonnas, afim de ter um momento de descanso, além de se alimentarem propriamente. Aquela havia sido uma tarde tranquila, aonde os estudantes da Beacon puderam ter um momento de descanso, enquanto que Qrow e Ozpin conversavam com Ghira e Kali tudo sobre o que se passava com eles. A queda da Beacon, a história e a importância das relíquias, a ameaça que a entidade conhecida como Salem e seus lacaios representavam... Tudo aquilo era ouvido por um Ghira atento e um tanto consternado, que já se encontrava por fazer planos de auxilio e defesa, disposto a ajudar no que podia para deter aquela ameaça de escala global.

Naquele momento, Yang estava na grande varanda do casarão, a observar um vilarejo próximo e o cotidiano de seus habitantes, afim de acalmar a mente. Porém, ela foi surpreendida por Blake, no qual havia decidido lhe fazer uma visita.

— Espero que esteja à vontade Yang.

— Bem, não querendo exagerar, nem nada, mas você vive num ótimo lugar! — Yang sorri.

— Mesmo? Ah, obrigada... Ei Yang... Será que poderia dizer pra Ruby e Weiss pra gente se reunir essa noite?... Acho que seria injusto passar esse momento sem que eu desse umas satisfações a vocês... Vocês sabem o porquê.

O sorriso de Yang se desfazia para uma expressão mais consternada. Ela sabia muito bem sobre o que Blake queria conversar, assim como tinha ciência que aquela seria uma conversa extremamente necessária para todas do Time RWBY.

— Oh... Imagino. Bom, pode deixar. Eu irei avisar as meninas sobre isso. Acredito que... Bem, não é só você que precisa dar satisfações. Todos nós precisamos.

— Compreendo... Prevejo uma tempestade vindo, mas... Se formos pra passar por isso, que sejamos juntas... Passamos tempo demais separadas. — Blake respirava fundo.

— ... E você está mais que certa Blake. — Yang pousava sua mão no ombro de Blake, num voto de admiração.

E a pedido de Blake, Yang foi dar o recado a Ruby e Weiss, que também captaram o teor sério da mensagem, ficando tão inquieta quanto as outras duas amigas. Aquela empreitada não seria fácil, mas definitivamente era necessária. Um período de abandonos, medos e incertezas estavam assolando as quatro a tal ponto que as estruturas de suas amizades estavam começando a estremecer, e isso era uma coisa que nenhuma das quatro desejava. Então se aquilo era necessário para unir as quatro novamente, elas não iriam se importar em trocar relatos, nem que isso significasse trocar algumas fagulhas no processo.

A noite se erguia sobre Menagerie, enquanto que Blake havia sido a primeira a chegar em uma praia próxima a sua casa, carregando junto consigo uma espécie de cesto de palha. Enquanto o restante do time não chegava, a fauna fazia questão de recolher um pouco de madeira oriunda de palmeiras secas que estavam próximas dali. Um leve exercício de cortes com sua Gambol Shroud por assim dizer. E assim que o fogo da fogueira que Blake havia providenciado se mostra forte o bastante pra se sustentar, o restante do Time RWBY finalmente chega ao local, se reunindo novamente com sua amiga.

— Ei Blake! Chegamos! — Ruby cumprimentava Blake.

— Ruby, Yang, Weiss... Fico grata em ver que vocês vieram. — Blake acolhia suas amigas num tom sereno.

— É claro que viemos Blake. Faz tempo que não temos uma reunião como esta. — Yang dizia em seu típico tom assertivo.

— Sim, você está certa Yang... Bem pessoal, fiquem à vontade.

O grupo se senta ao redor da fogueira, de forma que todas as quatro pudessem encarar uma a outra. O Time RWBY não precisou de muito tempo para sentir que o clima entre elas estava a começar pesado, assim como todas suas angústias virem subindo até ficarem presas em suas gargantas. As centelhas da fogueira subiam, dando um clima peculiar a situação, tal como se fosse um grande confessionário. E sem mais suportar aquele silêncio constrangedor, Blake, após respirar fundo, decido ser a primeira a dar um passo adiante daquilo que certamente seria uma situação conturbada.

— ... Meninas, eu chamei vocês até aqui pois... Eu tenho certas pendencias a acertar com vocês. Então... Eu me sinto preparada para pôr tudo a limpo, então... Não se contenham. Podem pôr tudo para fora.

Por um curto momento, aquele silêncio ficou ainda mais agoniante, mas isso logo foi perturbado pelas palavras afiadas de Yang, no qual havia decidido fazer a primeira investida, com sua voz claramente carregada de revolta.

— ... Por quê?... Blake, por quê?

— ... Eu podia te responder que eu precisava me recompor e foi por isso que vim para Menagerie. — A fauna respondia como se estivesse inconformada consigo mesma. —Mas... Isso não se justifica ainda.

— É claro que não se justifica! Você nos deixou! Você abandonou a gente!! — Yang elevava seu tom de voz.

— E-Eu não abandonei vocês!!! Mas por acaso não percebeu o quão na merda estávamos?? — Blake rebate.

— Yang, a Blake tem o ponto! Eu também precisei retornar a Atlas! As circunstâncias não estavam a nosso favor! — Weiss se põe ao lado da fauna.

— Mas com você é diferente! Você foi forçada! No entanto, eu não vou mentir: isso doeu, doeu muito!... Blake fugindo da gente... Você sendo praticamente raptada... Até você Ruby... Você decidiu sair numa jornada sem ao menos perguntar o que eu achava disso! — A jovem Xiao Long se continha para não perder o tom conciso.

— M-mas irmã! Você não iria deixar eu partir se eu te dissesse sobre o que planejava fazer. — Ruby confronta a irmã mais velha.

— Claro que eu não deixaria! Olha só a situação que a gente se meteu! Você... Você não devia ter lidado com isso sozinha!

— E quem iria lidar isso Yang? Quem?? — Foi a vez da jovem Rose levantar o tom de voz.

— Foi por isso que eu tive que ir embora sozinha Yang!! Porra, não acha que eu não cogitei em te encontrar mais uma vez? Nem que fosse para me despedir de você? Porém, eu pude ver em seus olhos no momento que você estava sendo levada da Beacon, quando você... — Blake hesita em continuar seu discurso ao olhar mais uma vez a prótese no qual Yang usava, mas por fim, ela decide ir mais a fundo. — Quando você perdeu seu braço! Tudo que havia advertido sobre o Adam havia se concretizado! Para de fingir Yang! Você está com medo! Você ainda está arrasada! Admita!... Eu apenas não queria ser mais um fardo pra você... Eu sei que lá no fundo você me culpa pelo o que aconteceu.

— O-o que? Não Blake! Eu nunca...! — O olhar de Yang fica arregalado e inquieto com a alegação da jovem Belladonna. — Eu jamais te culpei por isso! Jamais!!!

— Yang... Você está trêmula! O quê houve? — Ruby dizia praticamente alardeada com a falta de controle da irmã.

Os traumas do passado pareciam contaminar a loira num ritmo alarmante, a ponto de sua respiração ficar extremamente descompassada. Mas antes que ela pudesse surtar de alguma forma, Yang sente seus ombros sendo segurados, chamando sua atenção para Weiss, no qual havia se aproximado dela, fazendo que ela notasse que o olhar da ex-herdeira estava marejado.

— ... Yang... Eu posso sentir seus medos daqui. Sabe... Eu tive que passar por exatamente esse dilema de transparecer seus medos enquanto estive em Atlas... Quando meu pa-... Digo, Jacques tirou minha herança de mim.

— O... O quê? Como assim você não é mais a herdeira da...? — Yang dizia em choque, assim como Blake e Ruby, no qual deixavam transparecer em suas expressões.

— ... Pra falar a verdade, parece que nunca fui cogitada pra ser herdeira da SDC. Eu fui usada! Eu fui levada pra Atlas para ser usada como um mero fantoche! Eu sei o que você se sente Yang! Eu pude sentir meu mundo cair diante de meus pés!! — Certamente isso não estava sendo fácil para Weiss relembrar, visto as lágrimas escorrendo pelo seu rosto.

— ... Eu não queria ver vocês na mesma situação no qual estive... Eu sei que fugi, e eu me arrependo profundamente da forma no qual isso se sucedeu! Mas... Eu não podia te fazer mais mal Yang... — Blake se aproximava da amiga, aos prantos. — No entanto, eu voltei. Tive o tempo e os concelhos que eu precisava e agora eu me sinto capaz de encarar aquilo que me assombra, e dessa vez pra valer.

— Irmã... Eu sei que você está abalada com isso tudo. Mas agora estamos todas aqui juntas novamente! Você sabe muito bem que desde aquele dia eu estive lutando contra aqueles que destruíram Beacon e... — Ruby engole seco, mas mantem a postura firme, mantendo seu papel de líder. — ... Que tiraram a vida de nossos amigos. Mas todo dia eu estou lutando contra as incertezas do futuro, desejando ser mais forte. Minhas intenções nunca foram segredo para ninguém, então por que você não faz o mesmo e confronta isso?

— Ru... Ruby... E-Eu... — Algo em sua irmã parecia tão destoante ao vê-la segurando a situação de forma tão firme, e isso foi o suficiente pra Yang desabar. — E-Eu estou com medo!!! Eu estou com medo de não ser mais forte como antes!!! E a imagem daquele cara me faz estremecer de forma que me faz ter vergonha de mim mesma! E toda essa história de relíquias e deuses... Eu realmente estou com medo de perder tudo! De ser fraca e deixar Remnant perecer!!! E-eu não sei por onde começar.

Yang fechava seus punhos enquanto eles eram molhados por suas lágrimas. Mas no momento que ela sentia que estava à beira do colapso, ela pode sentir um abraço forte vindo de Weiss, no qual também havia deixado a sutileza de lado, deixando suas lágrimas transparecerem.

— Yang... Todas nós estamos com medo, mas isso é normal. É bom aceitar ele e assim entender que você precisa ser mais forte. Acredite, estou passando por isso ainda.

— Sim... E agora que finalmente colocamos tudo pra fora, não há mais nenhuma vergonha em realizar que tudo que você precisa é de um pouco de alento... Assim como eu fiz. — Blake se junta ao abraço.

— Isso mesmo Yang. Estamos todas juntas novamente. Acredito que daqui pra frente iremos dar nosso melhor para não sermos as caçadoras fracas que fomos durante a queda da Beacon. Basta acreditar em si mesma, assim como você me ensinou... — E por fim, sua irmã Ruby se junta ao abraço coletivo, deixando transparecer suas lágrimas também.

O acolhimento no qual Yang sentia estava lhe dando um calor no qual a muito tempo não sentia. Da mesma forma que seus medos e traumas estava a flor de sua pele, Yang teve plena certeza que ela não estava sendo a única. Vendo que todas suas amigas estavam ali reunidas, confessando seus temores e se permitindo que chorassem juntas e serem acolhidas finalmente a fez acreditar novamente que sua força não estava mais se esvaindo como antes. E sob a luz da fogueira, o Time RWBY estava ali reunido de forma que não estavam juntas a muito tempo... Unidas pela amizade, pelo companheirismo e pelas emoções.

— Obrigada meninas... Obrigada mesmo! Eu realmente não sei o que seria de mim se não fossem vocês...


Notas Finais


Sejam fortes meninas... Sejam fortes.!
E nó próximo capítulo, teremos a continuação desta redenção após tanta tragédia, mas dessa vez, Yang e Weiss irão descobrir algo que nenhuma delas esperava. Sozinhas, compartilhando preocupações e planos, ambas se darão conta que há algo que as une, e que não se trata somente do vínculo de companheirismo que elas possuem.
Até o próximo capítulo! See ya!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...