1. Spirit Fanfics >
  2. Do you know my Secret? - Jeon Jungkook >
  3. Mom

História Do you know my Secret? - Jeon Jungkook - Capítulo 19


Escrita por:


Notas do Autor


❤️Mais rápido do que vocês esperavam, podem dizer!

💜Eu empolguei na hora de terminar de escrever esse capítulo, e acabou que eu fui dormir três da manhã; que EXEMPLO de ser humano, minha nossa!

💕Boa leitura.

Capítulo 19 - Mom


Fanfic / Fanfiction Do you know my Secret? - Jeon Jungkook - Capítulo 19 - Mom

"Eu me preocupo se você descobrir todas as minhas feridas"

Jin - Moon


— Cadê o seu amigo? —Mamãe perguntou, me vendo mexer a sopa que havia sido entregue para ela poder comer. Dei um sorriso mínimo, ainda olhando para a tigela à minha frente, soprando fraquinho para a comida esfriar.

— Na recepção, com o Baekhyun. —Respondi, levando uma colher de sopa na direção de sua boca; um pouco emburrada, minha mãe aceitou o lanche, engolindo com calma enquanto eu pegava mais um pouco do alimento, repetindo o mesmo processo em seguida.— Por quê? —Perguntei, erguendo uma das sobrancelhas; curiosa pela dúvida repentina.

— Sua tia me falou que ele estava aqui; que chegou correndo e veio te abraçar, todo preocupado. —Respondeu, parando apenas para engolir mais um pouco de sopa; contendo uma cara em seguida, o que me fez dar uma leve risada, achando graça do seu jeito.— E eu vi uma das vezes que ele foi para o seu quarto no meio da noite; S/n. —Minhas bochechas esquentaram no mesmo segundo; e eu abaixei a cabeça, envergonhada pelo que estava passando pela mente de mamãe, sendo que não era nada daquilo.

— N-não é isso que você está imaginando... —Murmurei, com a voz quase fraca por conta do nível da minha vergonha.— Dormimos juntos uma vez, dormir mesmo —Afirmei, passando total certeza de que não havia nenhum tipo de malícia no que tinha acontecido. Minha mãe deu um sorriso, concordando, acreditando no que eu tinha falado.— Nós dois gostamos da sensação e começamos a dormir juntos; mas é só isso. —Afirmei, levando mais uma colher com sopa até sua boca; soltando um sorriso satisfeito ao ver que a mais velha estava se alimentando de forma adequada.

Um dos sintomas mais conhecidos da Leucemia, era a falta de apetite; nenhum cheiro de comida fazia a fome despertar na pessoa, e era praticamente impossível fazer alguém comer algo quando ela está sem vontade. Esse fora um dos principais sintomas de mamãe, me lembro que ela ficou três dias seguidos no hospital da primeira vez que fora diagnosticada com leucemia; porque não tinha comido nada direito, e mesmo no hospital se recusava a comer. Fora uma verdadeira luta até ela voltar a se alimentar adequadamente, e Emma sobreviveu com o soro durante todo esse tempo; já que não comia nada.

— Então vocês dois não estão namorando? Eu pensei que estavam. —Respondeu, acreditando fielmente em mim; o que me fez soltar um sorriso mínimo, feliz pela confiança que minha mãe colocava em mim.

— Não, não estamos. —Afirmei, contendo a tristeza em meu próprio tom de voz. Eu não podia mais negar que sentia algo por Jungkook, pelo menos não para mim mesma; e por mais que fosse algo recente, a possibilidade de entrar em um relacionamento com ele não me parecia nem um pouco absurda.

— Mas vocês se gostam. —Afirmou, atraindo a minha atenção novamente. Suspirei, voltando a colher para a tigela, apoiando-a sobre a mesinha ao ver que o alimento tinha acabado.— Eu não sou burra, filha; e também já estive apaixonada, se lembra?! Fora que eu te conheço melhor do que todo mundo! Sei que está apaixonada, e não tem problema nenhum nisso; Jungkook me parece um garoto incrível.

— E ele é. —Confirmei, colocando uma mecha do meu cabelo atrás da minha orelha. Eu gostaria de realmente não ser tão insegura como sou, porque mesmo com todos os meus amigos próximos dizendo que era óbvio o fato de Jeon estar apaixonado por mim, e mesmo com nós dois agindo da forma que agíamos; meu medo e minha insegurança ainda falavam mais alto, e por ele nunca ter, verdadeiramente, se declarado, eu chegava a achar que meus sentimentos não retribuídos.— Mas talvez não sinta o mesmo. —Murmurei, chateada apenas por pensar naquela possibilidade.

Não?! S/n, você já viu a forma como ele te olha? Como age contigo?! —Mordi o lábio inferior, assentindo algumas vezes; escutando aquilo pela milionésima vez nos últimos sete dias.— Confie em mim; aquele garoto está apaixonado por você. —Soltou um sorriso tranquilizador, o que automaticamente me fez sorrir também.— Agora vem, quero conversar sério com você. —Me aproximei da mais velha, segurando sua mão com calma.

— Pode falar, estou ouvindo. —Afirmei, descansando nossas mãos em sua coxa, mantendo meu olhar sobre o dela.

— Não fique aqui esta noite; vá para casa e aproveite para descansar bastante, você tem trabalhado muito nos últimos dias. —Eu abri a boca para retrucar, mas ela ergueu um pouco o indicador da mão livre, me pedindo silêncio.— Eu me lembro do que aconteceu da primeira vez que eu fui diagnosticada; você parou de viver a sua vida para salvar a minha, filha; e eu não quero que isso aconteça novamente. —Engoli em seco, nervosa por conta do rumo que a conversa estava tendo.— Você tem dezessete anos, vai fazer dezoito agora! Não pode perder a vida por minha causa; tem que aproveitar sua juventude! —Dei um sorriso torto; apenas escutando.— Eu não quero que você passe por todo aquele sofrimento novamente; despedir de amigos, abandonar a dança, abandonar a equipe de líderes, que era algo que você amava tanto! —Assenti, sentindo uma lágrima escorrer pela minha bochecha. Funguei baixinho, respirando com força em seguida; tentando controlar minha respiração.— Aproveite bastante, hun?! Venha me visitar quando puder, eu devo voltar para casa logo, de qualquer forma. Eu não quero ver você se matando para me deixar viva, está bem?! —Balancei a cabeça, assentindo; sorrindo ao sentir sua mão na minha bochecha, acariciando-a.

— Oi, desculpa atrapalhar. —Lisa apareceu na porta, sorrindo antes de entrar; acompanhada de sua namorada. Soltei um sorriso para as duas, não recusando quando Manoban envolveu meu pescoço em um abraço; sorrindo para mim e para a minha mãe em seguida.— Como você está, senhora Roberts? —Minha amiga perguntou, passando a segurar a mão de sua namorada; se afastando minimamente de mim.

— Por favor, me chame de Emma; senhora Roberts me faz parecer mais velha do que eu já sou. —Nós quatro demos risada, e Lalisa apenas assentiu, concordando..— Eu estou melhor, obrigada pela preocupação; mas fique tranquila, vou ficar bem.

— Eu fico feliz em ouvir isso, fiquei preocupada quando S/n me ligou, dizendo que precisava de uma folga porque você está nos hospital. —Explicou, sorrindo minimamente para a minha mãe.— Jennie quis vir visitar também, e com muito custo encontrou um espacinho na agenda para vir para cá.

— Eu queria ver a senhora e a S/n também; não imagino o sufoco que vocês passaram. Espero que melhore rápido; vou adorar te ver nos meus desfiles novamente. —Minha mãe sorriu para a morena; levemente emocionada por Jennie ter feito um esforço para aparecer aqui, nem que fosse por alguns minutos. Ela gostava da namorada da minha amiga, se davam super bem; e eu fiquei muito feliz por isso, já que Lisa tinha muito medo de perder o carinho da minha mãe por conta de sua orientação sexual; o que era ridículo no meu ponto de vista, mas eu sabia que eram coisas que apenas quem passava sabia como era, então não discuti sobre.

— E eu vou adorar ir, Jennie. —As duas sorriram, o que automaticamente me fez sorrir também; feliz por mamãe já estar conseguindo conversar normalmente.

— Eu tenho que ir, deixei o restaurante por conta daquela idiota daquela estadunidense lá; e a S/n sabe o quanto eu não confio naquela ruivinha estúpida. —Resmungou, me fazendo rir. Nós nos despedimos brevemente, e eu disse que iria trabalhar no dia seguinte normalmente; e após isso elas saíram, desejando melhoras à mamãe.

— Oi... —Jungkook passou para o lado de dentro do quarto, sendo acompanhado por titia. Eu dei um sorriso para os dois, me afastando de mamãe para Sophia poder cumprimentá-la e conversar em particular, quer dizer, em partes. Jeon segurou minha mão, nos guiando até uma poltrona mais afastada do quarto; me sentei sobre uma de suas coxas, passando um braço pelo seu pescoço, sentindo segurar minha cintura com delicadeza.— Como ela está? —Perguntou, colocando a sacola que estava segurando no chão e abraçando minha cintura com o outro braço também.

— Bem, na medida do possível. Baek-hyun disse que o organismo reagiu bem aos remédios e que o soro a fortaleceu um pouco; ela tomou a sopa toda também, então acho que é um bom sinal. —Ele assentiu, sorrindo um pouco feliz; deixando um beijo suave sobre a minha bochecha em seguida.

— Eu comprei para você, anjo. —Pegou a sacola no chão, me entregando. Arregalei os olhos, surpresa; apoiando o plástico em sua perna para poder ver o que tem dentro.— Imaginei que você queira ficar aqui até de madrugada; e para não ficar sem se alimentar, comprei isso.

— Não precisava... —Murmurei, deixando um beijo em sua bochecha em forma de agradecimento.— Você não existe, sério mesmo. —Ele deu risada, um pouco tímido.— Mamãe, podemos falar com você? —Perguntei, me levantando e estendendo a mão para Jeon, para que ele fizesse o mesmo. A mais velha assentiu, nos olhando com o cenho franzido enquanto nos aproximávamos.— Jungkook se ofereceu para pagar todo o tratamento, com a condição de que eu lhe pagaria tudo depois.

— S/n! —Ele me repreendeu, provavelmente por não querer que eu contasse aquilo. Eu apenas dei de ombros, soltando um sorriso quase inocente; e me virando para a minha mãe em seguida.

— Não salvou apenas a minha vida, Jungkook; mas indiretamente salvou a da minha filha também. —Respondeu, atraindo a atenção do loiro.— Eu nem sei como posso te agradecer.















— Mantenha firmeza nos joelhos, S/n; senão você vai cair mesmo. —A treinadora aconselhou, e eu apenas assenti algumas vezes; me impulsionando no colchonete, levantando e indo para a posição inicial, vendo Rosé e Joo me mandando corações, dizendo que eu conseguia e que elas acreditavam em mim.

Jackson me olhou, confirmando com a cabeça que estava pronto; apoiei minhas mãos em seus ombros, me equilibrando para subir. Eles sustentaram uma perna minha, e me ergueram enquanto eu girava no ar, eu até consegui girar desta vez, mas antes que eu conseguisse parar para fazer a pose final e depois cair —girando na horizontal; minha perna falhou, eu desequilibrei e cai com tudo no colchonete, batendo as costas com certa força.

Soltei um bufar, seguido por um suspiro; decepcionada comigo mesma por não conseguir fazer um maldito passo. A equipe inteira estava ensaiando de corpo e alma —incluindo Hyun-Ah, que mesmo não sendo mais capitã se dedicava para conseguir mais um título no nome da Elementary; enquanto eu estava presa em um passo de ginástica idiota, tendo que ensaiar apenas ele por cerca de vinte minutos todos os dias, e ainda sim não conseguindo pegar.

— Descanse um pouco, suas pernas devem estar doendo; depois ensaie com o restante da equipe os passos de dança. —Concordei, balançando a cabeça algumas vezes e agradecendo à treinadora. Me levantei com cuidado, um pouco zonza pelos giros contínuos; e caminhei até onde estava minha bolsa. Me sentei na arquibancada, pegando minha garrafa de água e meu celular ao notar que tinha recebido uma nova mensagem de Hoseok, perguntando se nosso encontro para o ensaio estava confirmado.

Demorou um certo tempo para Jung finalmente me mandar uma mensagem, e eu cheguei a pensar na possibilidade de que ele não iria mais me chamar —por ter esquecido que tinha meu número, ou simplesmente por não querer mesmo; mas ontem ele tinha me mandado um "oi", e depois de perguntar se estava tudo bem e como andavam as coisas, ele perguntou se eu não animava a participar de um concurso de dança nacional que iria acontecer.

Eu não me achava uma dançarina tão boa, mas confiava quando as pessoas diziam que eu era ótima naquilo; por isso, aceitei sua proposta, mas afirmei que os únicos momentos que teria para ensaiar seriam depois do trabalho e nos finais de semana. Hoseok disse que não havia problema, porque durante semana dava aula até dez horas da noite; então ele ficaria na academia me esperando até que eu saísse do trabalho.

Nossa ideia era ensaiar no mínimo três horas nesta madrugada, mas eu tenho a certeza impressão de que vamos acabar virando a noite acordados. Os meninos —e até mesmo o próprio Hoseok; já me disseram que Jung costuma ser perfeccionista, principalmente consigo mesmo, e que sempre quer tentar melhorar algo nos passos, no remix, nos figurinos ou qualquer coisa parecida, então eu acho que ficaremos um bom tempo ensaiando —o que me dava um certo medo, já que eu odiava quando colocavam muita pressão sobre mim.

Respondi que sim, dizendo que iria esperá-lo na porta da frente do restaurante e pedi para que me mandasse uma mensagem ou me ligasse para eu poder saber quando ele estivesse chegando. Hoseok confirmou, dizendo que ele iria me ligar e que estava ansioso para me ver novamente.

Guardei meu celular na bolsa, bebendo mais um pouco de água e guardando a garrafinha também, logo em seguida. Me levantei com calma, franzindo o cenho ao notar uma certa movimentação no pátio da nossa escola. Olhei em volta, tentando descobrir o porquê de tanto barulho e tanta bagunça; franzindo o cenho ao notar que os jogares do nosso time estavam sentados no chão, e quando eu procurei Jungkook com os olhos, não o encontrei.

Mesmo confusa, eu dei de ombros, caminhando até as meninas para poder voltar a ensaiar; quando escutei outro grito histérico, e minhas três amigas passaram a apontar para trás de mim, mandando eu me virar.

Mesmo confusa, eu girei lentamente na direção que elas apontavan, arregalando os olhos ao ver Jeon se aproximando de mim com um ursinho em mãos; além de um sorriso desgraçado de lindo presente no rosto. Fiquei parada no lugar, temendo caminhar até ele feito uma idiota e, na verdade, Jungkook estar indo falar com a prima ou com outra garota; mas quando ele se colocou na minha frente, estendendo o ursinho para mim e sorrindo de forma doce, eu percebi que seus olhos estavam em mim, apenas em mim.

— O que é isso? —Perguntei, pegando a pelúcia, sorrindo ao passar a ponta do polegar pela área fofinha.

— Eu vi que você está tendo certa dificuldade com o passo; então vim te desejar o meu boa sorte. —Sorriu, colocando a mão atrás do corpo e puxando um única rosa, estendendo para mim; fazendo milhares de garotas gritarem sobre o quão sortuda eu era e os garotos assobiarem, apoiando e importunando.— Eu acredito em você, meu anjo; sei que vai conseguir fazer esse passo desgraçado, e vai dançar tão lindamente naquele campeonato, que as outras participantes vão querer desistir. —Eu dei risada, abraçando o corpo do loiro, apoiando minha cabeça em seu peito; sentindo um beijo carinhoso ser deixado no topo da minha cabeça.

— Você é incrível. —Afirmei, beijando sua bochecha, sentindo ele fazer o mesmo comigo; agarrando minha cintura com uma das mãos e deixando vários beijos sobre o mesmo local, o que me fez gargalhar.

— Aqui, é para você também. —Me entregou duas barras de chocolate internacional; rindo surpreso quando eu avancei em sua direção, beijando seu rosto enquanto o agradecia pelo apoio e pelos presentes.— Lisa disse que você gosta muito de doces, então eu pretendo te mimar bastante agora. —Dei risada, agradecendo uma última vez antes de me afastar minimamente.

— Eu não queria quebrar o clima, mas eu vou te dizer antes que eu me esqueça. —Comecei, atraindo a atenção do mais velho; que segurou meu rosto, esperando eu continuar.— Não precisa me buscar no trabalho hoje, eu vou embora sozinha.

Hun?! Por quê? Eu não me importo em ir até lá para te buscar. —Perguntou, claramente confuso.

— Eu vou na academia com o Hoseok; vamos, provavelmente, virar a noite ensaiando para um concurso. —Expliquei, ajeitando os presentes em minhas mãos; tentando não deixar nada cair.

— Vocês dois? Sozinhos? A madrugada inteira? —Balancei a cabeça, confirmando; notando quando seu maxilar passou a ficar trincando e o loiro pressionou a língua contra a bochecha com certa força. Franzi o cenho, estranhando a sua reação.

— Ei, o que foi? —Perguntei, tocando seu rosto, passando o polegar sobre a cicatriz em sua bochecha esquerda.

— Não, nada.

— Jungkook... O que aconteceu? —Perguntei novamente; insistindo.

— Nada, eu estou bem. Volte para o seu treino, hun?! —Tentou me afastar, mas eu o segurei; curiosa e intrigada.

— Jungkook...

Eu estou com ciúmes, satisfeita?!


Notas Finais


❤️Jeon Jungkook de DYKMS o namorado que eu nunca vou tentar; pronto, descrevi o personagem em uma frase.

💜Eu dei uma mudada na personalidade do JK, admito; mas eu não quis tirar esse ciúmes que ele tem, só de diminuí um pouco, para não chegar a ser possessivo. É isto.

🖤A COMPETIÇÃO TÁ CHEGANDO! E o próximo jogo também! Digam seus palpites, a S/n vai conseguir pegar as duas coreografias, ajudar o Hoseok e ainda aprender aquele maldito passo para a competição?! Lskslsl, bem-vindas aos novos problemas de DYKMS

Xoxo, Juh 💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...