1. Spirit Fanfics >
  2. Do you know my Secret? - Jeon Jungkook >
  3. Fear

História Do you know my Secret? - Jeon Jungkook - Capítulo 32


Escrita por:


Notas do Autor


❤️900 favoritos..............

💜A gente tá com mais de 900 favoritos........ VOCÊS CONSEGUEM OUVIR OS MEUS GRITOS? Ai gente... MUITO obrigada, sério mesmo! Eu fico muito grata pelo carinho que vocês têm comigo...

🖤Aí, amo vocês demais... Nossa...💜

💕Boa leitura.

Capítulo 32 - Fear


Fanfic / Fanfiction Do you know my Secret? - Jeon Jungkook - Capítulo 32 - Fear

"Lágrimas no meu rosto, eu não aguento [...] Você me ouve chorar?"

NF - Can You Hold Me


Jeon Jungkook

EU PASSEI BOA parte dos últimos dois anos me proibindo de fazer certas coisas pelo medo de machucar as pessoas que eu amo. Não convidava eles para a minha casa, não deixava eles dormirem lá quando apareciam de surpresa, não deixava nenhum deles descobrir sobre as coisas que aconteciam comigo, não deixava ninguém suspeitar de algo, principalmente que envolvesse meu pai; e, principalmente, não deixava ninguém cuidar dos meus machucados.

Eu tinha um medo real do que Kwan podia fazer com os meus amigos, tinha muito medo deles serem machucados e de meu pai fazer coisas ainda piores com qualquer um deles; então eu coloquei essas certas limitações na minha cabeça, em que ninguém iria se envolver tanto na minha vida ao ponto de correr sérios riscos assim como eu.

Lee S/n quebrou todas essas regras.

Entrou na minha vida como um anjo, me ajudando com os meus problemas o máximo que conseguiu; e acabou tornado a própria vida um furacão se emoções e acontecimentos, colocando em risco ela mesma e talvez as pessoas ao seu redor. Mas eu não queria que ela se afastasse, não queria ver ela indo embora; não queria nem mesmo pensar na possibilidade de nunca mais poder ter contato com ela.

Ficar uma semana sem conversar com a minha garota foi um verdadeiro sofrimento. Eu vi ela chorando pelo corredores, sendo consolada pelas amigas e por nossos amigos; e me segurar para não puxá-la para dentro de qualquer salinha, revelar toda a verdade e pedir mil perdões pela forma como eu a tinha tratado foi o maior desafio que eu já tive.

Eu não tinha encontrado Kwan desde o dia em que eu e S/n nos encontramos; já que depois que acordamos fomos para um hotel, passamos em sua casa para pegarmos algumas roupas e depois fomos diretamente para o ônibus da viagem. Eu confesso que fiquei com um certo medo quando recebi as primeiras mensagens do meu pai, ameaçando à mim e a minha garota; mas pela primeira vez, eu resolvi seguir um conselho de alguém relacionamento àquele assunto. Eu bloqueei o número no meu celular, e iria deixar daquela forma até o fim da viagem.

Tomar a decisão de ignorar a existência do meu pai durante a viagem para Busan fora a melhor decisão que eu já tomei; porque eu finalmente consegui aproveitar, sem medo, a presença dos meus amigos e da minha namorada. A noite do luau pareceu mágica de tão tranquila que foi, no meio da confusão que é a minha vida, e depois, quando eu e minha garota fomos para o meu quarto... Puta merda! Eu não sei dizer quantas vezes nós dois gozamos! Ela pareceu ter mais energia do que eu em muitos momentos, já que não teve um canto daquele quarto de hotel que nós deixamos passar —e isso incluía o banheiro, o sofá que havia ali e até mesmo a cama livre, que não era ocupada por Taehyung.

Eu só passei em casa hoje depois da viagem, para poder trocar de roupa e deixar minhas coisas lá. Felizmente só me encontrei com uma empregada —chamada Jisoo, se não me engano; antes de puxar as chaves da minha moto e disparar para o local onde ocorreria a competição de dança do meu hyung e do meu anjo.

As apresentações solo dos dois foram inexplicavelmente incríveis. Hoseok tinha dançado uma coreografia que fora inventada por ele, com a minha ajuda e com a de Jimin; e a coreografia da minha garota, eu nunca tinha visto algo que conseguisse misturar o romance com uma tensão sexual inacreditável, ao mesmo tempo que ela fazia algumas expressões inocentes. Eu tive que me controlar muito, obrigando meu cérebro —e outras partes do meu corpo; a pensar que aquilo era apenas uma apresentação de dança —já que eu não queria sair do meio da platéia com o pau latejando de tão duro, de novo.

Quando eles acabaram, eu me levantei no mesmo segundo, disposto a sair dali e procurá-los —já que, sinceramente, eu não tinha porra nenhuma de interesse em mais nenhuma apresentação solo. Porém, assim que eu olhei ao redor, tentando encontrar uma placa que pudesse me indicar onde ficavam os bastidores do evento, eu pude notar algo estranho nos fundos da platéia. Haviam quatro homens, todos eles com roupas formais; e seus olhos caíram sobre mim no mesmo segundo, já que eu era literalmente o único que estava em pé, parado no meio daquela multidão.

A minha sorte extrema, foi que meu cérebro foi mais rápido do que o deles ao reconhecer as fisionomias distantes. E eu rapidamente puxei o capuz, enfiando as mãos dentro do meu moletom e caminhando para onde eu julguei ser o corredor que ligava os outros lugares ao backstage. Acelerei o passo, temendo muito que um deles estivesse me seguindo; e cortei caminho no meio daquela confusão de corredores e portas. Porém, quando eu estava prestes a seguir na direção que uma placa indicava, eu escutei a voz do meu hyung.

Franzi o cenho, recuando alguns passos e seguindo o som, escutando mais alguns murmúrios de conversa. Quando eu cheguei lá e escutei Jung chamando S/n do apelido que eu tinha lhe dado, o ciúmes que invadiu meu corpo foi inevitável. Eu jamais iria impedir ela de conversar com qualquer pessoa, porque ninguém tem direito de mandar nas próprias decisões além de si mesmo; mas S/n era o meu anjo, ela tinha me salvado diversas vezes e aquele apelido quem tinha escolhido fui eu. Se Hoseok queria tanto dar um apelido para a Lee, ele que fosse criativo e escolhesse outra coisa; mas anjo seria uma exclusividade minha.

Depois que meu amigo saiu para poder trocar de roupa, eu me virei para a minha garota; dizendo que eu precisava falar com ela. Doeu em mim ver sua expressão chateada quando soltei sua mão, pela segurança dela mesma, já que eu temia muito que qualquer um daqueles quatro imbecis nos visse juntos. Ela me guiou até a salinha de antes, se sentando na cadeira que eu estava anteriormente; e eu levei um certo tempo para poder perceber que havia algo errado com o meu anjo.

Ver a sua insegurança, temendo que eu fosse pedir um tempo um término sem motivo aparente fez meu coração doer, apertado dentro do peito. Eu a não a deixaria, não tão facilmente; e queria tirar aquela ideia da cabeça dela de qualquer jeito.

Porque eu a amo, e eu não tenho medo algum de deixar isso bem claro.

Ouvir sua declaração breve, dizendo que sentia o mesmo por mim; me deu a força que eu precisava naquele momento. Era daquilo que eu precisava, de uma declaração; porque mesmo que eu tentasse sair vivo da enorme enrascada que eu tinha me metido, não tinha tanta certeza se isso seria possível.

Depois que saímos daquela salinha, eu deixei ela sozinha para poder trocar de roupa e conversar com Hoseok; e resolvi procurar algum bebedouro dos que haviam espelhados pelo local —já que a mesa de comidas e bebidas era reservada para os participantes do concurso. Porém, assim que eu encontrei um e enchi um copo com água para mim; um dos guardas apareceu, sorrindo enquanto olhava na minha direção, feliz como se tivesse encontrado uma garrafa de água no meio de um deserto —provavelmente, pensando na falsa recompensa que meu pai tinha prometido para quem me levasse até ele.

Dei um grito assustado, dando um enorme salto para trás. Joguei a água presente no copo que eu havia acabado de encher na direção do homem, fazendo o mesmo com o próprio copo em seguida; me virando e disparando para longe dali ao notar seu pequeno momento de fragilidade, e eu juro que nunca rezei tanto para que as dezenas de corridas feitas antes dos treinos fazerem algum tipo de efeito.

Olhei para trás, vendo que o imbecil do guarda estava vindo atrás de mim; e eu não pensei duas vezes antes de acelerar o passo, tendo um flash rápido do backstage do local. Os bastidores eram exclusivos para os participantes e para as pessoas que tivessem uma certa pulseira; já que muitos contratavam cabeleireiros ou pediam ajuda com maquiagem e outros. Era um sistema de segurança dos organizadores, para ninguém que pudesse ser suspeito tivesse a oportunidade de entrar ali e perturbar os participantes; e eu juro que nunca acreditei que iria achar aquela chatisse útil.

Ergui meu braço, mostrando a pulseira preta brilhante; e os seguranças presentes na porta logo abriram a passagem, me permitindo entrar, não perguntando em momento algum o porquê de toda a minha pressa. Me virei para a porta, vendo o guarda de Kwan ser barrado do lado de fora, sendo cobrado pela pulseira; eu dei risada quando ele insistiu, e os staff's do evento logo o empurraram para longe, dizendo que ele estava proibido de ficar até mesmo naquele perímetro. Ergui minha mão, mostrando o dedo do meio e sorrindo feito uma criança que tinha acabado de aprontar, tendo ciência de que eu estava seguro até então.

Corri os olhos pelo local, caminhando na direção da minha garota ao encontrá-la, pela primeira vez nem um pouco incomodado com sua aproximação com Hoseok. Mesmo distante, eu pude escutar a voz de Jin dizer algo, mas eu entendi apenas o final;

...S/n é mesmo um anjo. —Dei um sorriso, enfiando as mãos dentro do bolso da calça; admirando a amizade que minha garota tinha com os garotos.

Ah, hyung; se você tivesse uma mínima noção do quanto essa garota já fez por mim.

Um verdadeiro anjo...













Foi um pouco difícil voltar para a platéia; já que agora os outros três guardas de Kwan já tinham ciência de como eu estava vestido e estavam atentos à todos os lugares. Aproveitei quando uma pequena multidão de ajudantes saiu do backstage e fui com eles, correndo para platéia assim que saí da vista daquele desgraçado; abaixando meu capuz e me mantendo sentado de cabeça abaixada, temendo muito que algo acontecesse.

O dueto de Hoseok e S/n fora incrível ao ponto de eu e todo o público ficarmos em pé; batendo palmas fortes e gritando palavras de apoio. Eles haviam feito um trabalho perfeito, os passos delicados combinados perfeitamente com a melodia suave e gostosa da música; além de alguns passos de ballet que foram envolvidos, e eu sorri automaticamente ao ver minha garota dando um giro com os olhos fechados, completamente entregue à dança, exatamente como eu fazia.

Quando eles terminaram, Lee olhou na minha direção no mesmo instante, sorrindo e acenando para mim. Foi como se o mundo ao redor não existisse e nós dois tivéssemos criado nossa própria bolha quando eu ergui minha mão, acenando e sorrindo de volta; completamente perdido e apaixonado pelo seu jeito tímido e animado.

Porra, será que aquela garota tinha uma mínima noção do quanto eu a amava?

Depois que os dois se curvaram e saíram eu me levantei novamente; já com o capuz na cabeça, por precaução. Lisa disse para eu me despedir de S/n por ela, porque ela teria que resolver um problema envolvendo um restaurante; e Jennie —que eu descobri recentemente ser sua namorada; disse que iria com ela. Eu respondi que tudo bem, que iria falar com ela agora mesmo, e sorri quando as duas se curvaram, se despedindo.

Olhei ao redor, e meus olhos logo foram atraídos para os fundos, caindo sobre os malditos quatro guardas novamente. Eles olharam para mim, sorrindo; e meus pés agiram mais rápido do que meu próprio pensamento quando dispararam em direção aos corredores, procurando pelo backstage.

— Inferno! —Praguejei, dobrando um corredor, notando que um dos guardas estavam vindo atrás de mim, mas rápido do que eu esperava.— Merda, merda, merda! —Virei em outro corredor, tentando despistá-lo; mas foi em vão, já que o homem soube exatamente para onde eu estava indo.

Mas o meu desespero maior foi quando eu passei por outro corredor e eu vi S/n de mãos dadas com Hoseok, caminhando até o backstage com calma, sorrindo na maior parte do tempo. Eu gritei um palavrão, irritado e apavorado, não sabendo o que fazer. Eu não podia voltar, porque se não seria pego, mas eu também não podia deixar ela continuar indo com o Hoseok, porque nossa troca de acenos não tinha sido na discreta e muito provavelmente os guardas já sabiam quem aquela garota ela, por informações do meu próprio pai. Se eu continuasse correndo, além de assustar a Lee, eu podia colocar ela em risco de ser pega, juntamente de Hoseok.

Disparei até ela, ofegante e ansioso, quase chorando de desespero; e rapidamente peguei sua mão livre, fazendo-a olhar para mim com um sorriso no rosto, que desmanchou ao ver o meu pavor estampado nos olhos.

— O que...?

— Hoseok, eu posso falar com a S/n um minuto? Eu estou atrasado para fazer algo, mas preciso falar com ela antes. —Sorri nervoso, e ele apenas assentiu, dizendo que a premiação ainda iria demorar um pouco; mas pediu para que eu não roubasse ela para sempre. Dei um sorriso torto, arregalando os olhos ao ver a proximidade do guarda; apertei a mão da garota, voltando a correr, olhando para trás para ver aquele homem desgraçado.— Não pega ele, por favor... Deixa o hyung fora disso... —S/n me olhou assustada, soltando um ofego assustado ao ver o homem atrás de nós.

O guarda parou de correr ao passar por Jung, e meu coração disparou dentro do meu peito, desesperado. Ele cumprimentou meu amigo com um aceno de cabeça, disfarçando enquanto caminhava em passos rápidos até mim, voltando a correr quando dobramos em outro corredor. Eu estava torcendo para que isso acontecesse, mas já sabia que era bem improvável que ele mexessem com Hoseok; já que Kwan tentava envolver o mínimo de pessoas possível naquela história, e S/n só era um alvo porque tinha me ajudado diversas vezes.

Assim que atravessamos a porta do backstage eu praticamente me joguei no chão, buscando por ar novamente. Lee fez o mesmo, apoiando as mãos nos joelhos e respirando ofegante, se segurando para não desabar na frente de todo mundo. Ela caminhou na minha direção no mesmo segundo, segurando meu rosto e erguendo o olhar para mim.

— Quem era aquele? —Perguntou, os olhos brilhando em uma preocupação que ninguém tinha comigo além dela. Comprimi os lábios, e a minha falta de palavras pareceu ser o suficiente para responder sua pergunta.— Como ele te achou?

— Deve ter sido fácil ligar os pontos. Uma competição de dança, seu nome e o do hyung presentes na lista de participantes... —Encolhi os ombros, não sabendo exatamente o que fazer.

— Vamos embora daqui. —Soltou meu rosto, se afastando alguns passos. Agarrei seu braço, puxando ela para perto novamente, e eu sinceramente não soube se foi para chamar a atenção ou porque manter qualquer distância do seu corpo me incomodava de uma forma inexplicável.

— Tem a entrega dos prêmios ainda; você não pode sair assim. —Afirmei, vendo ela desviar o olhar do meu por alguns segundos.

— Observe e veja se eu não posso. —Retrucou, afiada e teimosa como ela sempre foi. Levei minhas mãos até sua cintura, grudando nossos corpos; olhando em volta para ter certeza de que ninguém estava ouvindo nossa conversa.— Eu não posso deixar aquele homem pegar você, Jungkook!

— Não é algo que você pode impedir. —Foi a minha vez de retrucar, mantendo meu olhar sobre o seu agora.

— Eu poderia se você fosse menos teimoso!

— Eu sou o teimoso por aqui? —Perguntei, erguendo uma sobrancelha. Ela suspirou, cruzando os braços em frente o corpo e desviando o olhar do meu novamente.— Amor, eu vou ficar bem, não precisa se preocupar comigo. Eu só quero que você fique segura.

— E eu não quero ver mais nenhuma marca em seu corpo... —Levou os olhos para os meus, e meu peito se apertou ao ver que ela estava quase chorando.— Qual a sua dificuldade em entender que eu não quero te ver machucado? —Subi minha mão livre até seu rosto, secando a lágrima que havia escorrido pela sua bochecha e deixei um selar demorado sobre os seus lábios; não conseguindo controlar quando lágrimas escorreram pelo meu próprio rosto.

Eu não sabia se iria conseguir vê-la novamente; eu simplesmente não sabia se iria sair vivo de toda aquela situação.

— Me escute apenas desta vez anjo; fique aqui até a premiação. Só saia quando eles chamarem e vá embora assim que acabar. —S/n negou diversas vezes, assustada.— Eu vou ficar bem amor. Confie em mim. —Mais algumas lágrimas escorreram pela sua bochecha; e eu conseguia sentir meu coração doendo. Ver a minha garota sofrendo era a pior sensação que eu podia sentir.— Eu te amo. —Afirmei, e parecendo notar que aquilo era uma despedida ela agarrou os meus braços; não me deixando sair dali. Eu podia sentir seu desespero e, sinceramente, eu não estava muito diferente.

— Fica aqui, pelo menos até o horário da premiação. Se você sair no meio da multidão ele não vai ver você. —Suspirei, pensando na possibilidade; e assenti algumas vezes, não conseguindo resistir à ideia de tê-la por perto mais alguns minutos.

Lee me guiou até uma parte mais reservada do backstage; e eu me sentei no chão, vendo ela se sentar ao meu lado, colocando as duas pernas por cima das minhas, da forma como gostávamos de ficar sentados. Minha garota apoiou a cabeça no meu ombro enquanto eu acariciei a parte exposta de sua coxa; não conseguindo parar de pensar no que iria acontecer naquela noite.

Ela me beijou diversas vezes, e eu fiz o mesmo; me perdendo na sensação de ter ela tão perto de mim por um momento. Ficamos abraçados, e eu pude perceber que ela chorou de desespero por alguns segundos, quase implorando para eu ir com ela. E então, quando o apresentador do evento anunciou que iriam fazer as premiações e que todos deviam estar presentes no palco, foi como se o nosso momento de paz tivesse sido arrancado de nós.

Com muita dificuldade ela se separou de mim e foi para o palco acompanhada de Hoseok; e eu saí do backstage no meio da confusão de pessoas, conseguindo passar despercebido pelos guardas presentes do corredor e ir para o meu lugar novamente. Coloquei o capuz, erguendo o olhar para o palco, encolhido no meu lugar.

Eu fiquei um pouco disperso no início, procurando pelos guardas ao redor; e quando voltei a prestar atenção nos jurados e no que estava acontecendo, percebi que eles já haviam premiado a categoria de grupos, e os dois últimos lugares dos duetos. Me concentrei na voz da jurada, prestando atenção nos comentários feitos.

— ...Hoseok, sinceramente; consegue sempre me surpreender com suas performances e com a escolha de músicas para as competições. Mas a apresentação de hoje, eu sinceramente acho que você se superou... —Os dois sorriram, se curvando para agradecerem pelo elogio.— A forma como vocês dois misturaram os passos mais firmes com algo sútil como o balett, eu estou sinceramente sem palavras! —Eu pude notar o sorriso tímido de Lee o orgulhoso de Jung; que passou o braço pelo pescoço dela, abraçando-a de lado.— E você, Lee S/n, não é?! —Minha garota assentiu.— Você não me surpreendeu apenas no dueto, a forma como você se entregou de corpo e alma para a apresentação de Mushroom Chocolate; as expressões que você fez, os sorrisos nos momentos certos, os passos precisos e completamente combinados. Eu não sei o que dizer! A coreografia é sua? —O apresentador estendeu o microfone para a Lee e ela deu um sorriso tímido antes de começar a falar;

— É minha e de uma amiga minha, Lalisa Manoban. Criamos juntas há um tempo, o mérito também é dela.

— Parabéns para vocês duas! Porque, sinceramente; a combinação do sensual com o romântico teve um equilíbrio perfeito! Eu posso te afirmar com toda a certeza do mundo, que você tem um futuro garantido com a dança; Lee. —S/n agradeceu, se curvando brevemente.

Como o esperado, os dois ficaram com o primeiro lugar dos duetos e receberam um prêmio dourado, além de outros diversos elogios das pessoas. Eu aplaudi, sorrindo para eles, esperando agora os resultados dos solos.

Eu não conhecia a garota que levou o terceiro lugar, não tinha nem mesmo visto sua apresentação; mas os jurados a elogiaram bastante, dando também uma dica ou outra. Meu hyung recebeu o prêmio de segundo lugar, e eu bati palmas juntamente de Jin e Yoongi; gritando por ele, parabenizando pelo prêmio.

Quando eles fizeram aquele suspense enorme para anunciar o primeiro lugar, minha garota apertou a mão de Jung com força, parecendo desejar internamente por aquele prêmio. Eu juntei as minhas, em um gesto de puro nervosismo, e soltei um grito animado quando eles disseram o nome dela, parabenizando-a pelo primeiro lugar. Abracei Yoongi no meio da confusão, e ele deu um sorriso enorme, torcendo por ela junto à mim; gritando que fora completamente merecido.

Foi aí que eu cometi meu maior erro.

Disparei para os corredores que ligavam o palco para os outros lugares, me apoiando em paredes para não cair; com um único objetivo em mente, parabenizar o meu anjo, dizer o quão incrível ela era e o quanto eu tinha orgulho de suas conquistas. Quando todos os participantes saíram do palco, ela veio até mim; sorrindo e jogando o buquê no chão, segurando em minha nuca com uma das mãos e selando nossos lábios, não conseguindo conter o sorriso de felicidade, mesmo em meio à toda a confusão que estávamos vivendo.

Hoseok passou por nós, e eu lhe parabenizei antes do mais velho caminhar até nossos hyung's que estavam na platéia. Me virei para a menor à minha frente novamente, enlaçando sua cintura com força e selando nossos lábios novamente; sussurrando no meio do beijo que eu a amava, e que tinha muito orgulho dela. Porém, de surpresa, ela foi puxada com força para longe de mim; tanta que um gemido surpreso e dolorido escapou de seus lábios.

Não era exagero dizer que eu gritei de pavor.

Estávamos sozinhos no meio de um corredor, eles estavam com ela presa em seus braços; e eu não tinha ninguém para correr e pedir ajuda, porque isso podia custar a vida dela.

— Soltem ela, por favor! —Minha visão ficou embaçada, tamanho desespero de algo acontecer à ela.— Eu vou com vocês, juro que não vou tentar fugir; mas não façam nada com ela. Por favor... —Os guardas sorriram de forma torta, segurando ela com mais força enquanto S/n tentava se livrar do aperto deles.

— Jungkook, foge; por favor! —Pediu, se remexendo com força; e eu pude sentir um aperto no peito ao imaginar como seus braços iriam ficar com aquilo.— Saí daqui! Eles não querem à mim! Vai embora! —Gritou, e eu apenas dei um sorriso, caminhando até ela; segurando seu rosto e deixando um selar sobre sua bochecha.

— Soltem ela. —Seu olhar subiu para o meu, ela parecia implorar para eu não fazer aquilo.— Eu te amo anjo; nunca se esqueça disso. —Dei outro sorriso, antes de dois outros guardas aparecerem; me virando de costas e me forçando a ir até a entrada do local, tentando ser discretos para não chamar a atenção.

Uma lágrima escorreu pelo meu rosto enquanto eu atravessa a porta; me perguntando mentalmente se algum dia eu iria ter paz na minha vida.


Notas Finais


❤️.............

💜Não seria legal me matar, senão o JK não vai ser salvo... Me deixem viva por enquanto, pelo amor de Deus....

🖤Quem já leu, parabéns por sofrer por isso mais uma vez, quem não tinha lido antes... É AQUI que começa amiga.....

Xoxo, Juh💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...