História Do You Like (Love) Me? - Jeon Jungkook - Capítulo 9


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), Black Pink, EXO
Personagens Jennie, Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kai, Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Sehun
Visualizações 47
Palavras 3.290
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Voltei!!!
Espero que goste desse capítulo, porque eu realmente me esforcei nesse capítulo^^
Boa leitura^^

Capítulo 9 - Cap.9 - Trégua? (Não) Me parece uma boa ideia


Fanfic / Fanfiction Do You Like (Love) Me? - Jeon Jungkook - Capítulo 9 - Cap.9 - Trégua? (Não) Me parece uma boa ideia

                                                             “Do You Like (Love) Me?”

                                        Cap.9 - Trégua? (Não) Me parece uma boa ideia

 

  Acordei sentindo braços me apertando cada vez mais. Logo lembrei da noite anterior que o Jungkook estava com febre. Coloquei a mão na sua testa para verificar se estava com febre ainda, mas parece que durante a noite tem melhorado, pois a sua temteperatura estava melhor agora.

  Me separei dos seus braços e levantei. Ele resmungou algo que não entendi. Me espreguiçei e levei meus passos para cozinha, para preparar uma sopa para o Jungkook. Abri a geladeira e olhei se tinha algo que desse para preparar uma sopa para ele. Quando abri, nem me assustei quando vi que a geladeira estava cheia, quase sem espaço, pois a senhora Jeon não aceita que a sua geladeira fique vazia, ou que não esteja cheia.

  Peguei algumas verduras e frango moído para fazer uma sopa de frango. Pelo o que lembro que a minha vó fazia... bem, primeiro deve colocar arroz na máquina, cortar verduras enquanto arroz está ficando pronto. Eu agradeço por ter uma memória ótima.

  Comecei a preparar sopa como eu me lembrava. Foi meio difícil de cortar cebola, porque meus olhos queriam lacrimejar, e realmente cortei cebola chorando.

  Cebola dá muita emoção;

  Enfim, terminando de fazer sopa, experimentei para ver se o gosto estava bom, e realmente gostei. Espero que o Jungkook goste.

  Coloquei a sopa em um prato de sopa e peguei um pouco de água e levei para o seu quarto. Quando cheguei ele ainda estava dormindo, agarrado em um travesseiro. Sempre que Jungkook está dormindo, nunca quero o acordar, porque, de tão fofo que é dormindo, me parece um pecado acordar o coelho as vezes.

  Sorri com o meu pensamento.

  Pera, o que? Foco, Eun! FOCO!

  Você está aqui apenas para cuidar do Jeon Jungkook porque ninguém está na casa dele. Não para apaixonar mais do que já está.

  Com cuidado sacudi ele que dormia profundamente. O outro lado ruim de acordar ele, é que ele dorme que nem pedra, por isso, se alguém jogar ele para fora da janela quando estiver dormindo, ele não acoradará. Ele parece até uma múmia dormindo. E não estou brincando. Pode perguntar para todos os seus conhecidos próximos.

  Depois de várias tentativas para acordar ele, ele finalmente acordou. Quando ele coçou os olhos, pareceu um bebê, queria apertar as suas bochechas, morder e... esfregar a cara dele no asfalto.

  - Eun? Que horas são?

  - São 11 horas - Coloquei a bandeja na mesa do seu quarto.

  - Pensei que você tinha ido embora - Ele falou sentando na cama, ainda sonolento - Foi você que fez? - Concordei com a cabeça - Deve estar muito bom - Ele deu aquele sorriso de coelho que sempre fui apaixonada.

  - Come logo. Depois de você comer, eu vou embora - Falei enquanto sentava na cadeira ao lado da sua cama.

  - Embora? Já? - Ele falou se decepcionando.

  - Eu vim aqui apenas para cuidar de você, Jungkook. Não para morar e ficar com você - Cruzei os braços olhando para ele - Coma logo. Vai esfriar.

  Ele começou a comer devagar. As vezes, enquanto comia, olhava para mim parecendo pensativo e querendo dizer alguma coisa, mas não dizia e voltava a comer.

  Depois de alguns minutos, ele terminou de comer e me levantei para levar a bandeja para cozinha para lavar e eu ir embora. Mas Jungkook me impediu segurando o meu braço como sempre.

  - O que foi? - Bufei sem paciência.

  - Eun, posso pedir mais uma coisa? - Me olhou implorando e cedi, concordando com a cabeça - Você... então, você poder dar uma trégua para nós?

  Olhei incrédula para ele.

  Trégua, com certeza não era uma boa ideia.

  - Você está falando sério? - Olhei para ele que mantinha o seu olhar de pidão.

  - Só hoje. Por favor. Apenas hoje, nunca mais vou pedir algo para você, vou te deixar em paz - Me deixar em paz? Realmente era uma oferta tentadora. Isso sim, era uma boa ideia - Vamos ter uma trégua, como amigos. Por favor, Eun-ah - Ele pronunciou meu nome manhoso, sabendo bem que eu não resistia quando alguém me chamasse assim.

  - Ok, você venceu. Mas é só hoje e você tem que me deixar em paz, fechado?

  - Fechado!

  Jungkook parecia feliz com a minha decisão de aceitar a sua proposta. Ele parecia uma criança que acabara de ganhar um brinquedo novo.

 

                                                                          (...)

 

  Depois dessa minha decisão idiota de “trégua”, decidimos fazer uma maratona de filmes pela tarde. Fazia tempo que não tinha feito isso com ele. Acho que... se não me engano, a última vez que fizemos a maratona de filme foi ainda quando éramos amigos, até porque quando começamos a namorar, estávamos mais ocupados em fazer outras coisas né... Lembrando dos velhos tempos da amizade, nós decidimos fazer maratona de filmes. Que seja de ação, comédia, terror, suspense mas... menos romance. Não suporto ver filmes de romance, tal vez porque eu não goste de coisas clichês (mesmo que a minha vida pareça), porque sabemos como será o fim da história. Para mim, todos os filmes de romance e drama tinham os mesmo roteiros e acabavam do mesmo jeito, então não tinha necessidade de assistir, a não ser para chorar.

  Jungkook estava preprando pipocas. Diz ele que aprendeu com o Taehyung que filme sem pipoca é o mesmo de você estar em um polo sul pelado. Faz sentido? Não sei. Meio que dá para entender, mas ao mesmo tempo, difícil de compreender, sabe?

  Não estou entendendo mas estou compreendendo.

  Enquanto o Jungkook preparava pipocas para o filme, eu preparava a sala onde assistiríamos. Peguei todas as cobertas dos quartos e os espalhei pela sala e logo em seguida coloquei dois enomes travesseiros que o Taehyung oppa usava para dormir agarrado quando vinha aqui. Eu achava estranho essa mania de não dormir se não tiver alguma coisa para agarrar, mesmo que seja um lápis. Mas acho que também peguei essa mania, não sabendo como. Pois depois que zoava ele sobre isso, comecei a ter isso também. Do tanto que eu realmente não dormia. Mas Jungkook adorava isso. Porque sempre quando dormimos juntos, eu sempre me agarro nele.

  Sabe, ele é um bom aproveitador.

  Depois de terminar de arrumar todas as salas, peguei a caixa onde ele guardava os filmes. Peguei um filme de ação para começarmos com a maratona.

  - Jungkook, vem logo! - Chamei por ele que ainda estava na cozinha. Ele estava demorando de mais só para fazer pipoca - O que você está fazendo que está demor....

  Calei no mesmo instante assim que entrei na cozinha. As pipocas estavam espalhadas em toda região da cozinha, que seja em cima da pia, geladeira e tinha pipocas até nos seus cabelos. E nem me fale como está o chão.

  - Jungkook... QUE DIABOS VOCÊ FEZ? - Perguntei alterada pela enorme bagunça feita na cozinha - Você sabe que arrumando isso tudo - Indiquei a cozinha - Não vai dar para fazer uma maratona de filmes, porque eu não desejo ficar aqui até muito tarde, Jungkook.

  - É que quando eu abir a tampa da panela, esqueci que eu não tinha desligado o fogo e que ainda tinha que esperar ele parar de pular - Passou a sua mãos nos seus cabelos fazendo com que as pipocas que ali estavam caísse - Me desculpa, Eun.

  - Bom, não me peça desculpas, até porque a cozinha aqui, não é meu e sim da sua mãe. Você sabe que se ela estivesse aqui, faria a casa voar longe pelos seus gritos, né? - Ele concordou com a cabeça lembrando de como sua mãe era quandoe estragasse a sua linda e maravilhosa cozinha - Sabe que ela é 100 vezes pior do que o Jin oppa, não é? - Concordou mais uma vez - E você tem máquina para fazer pipoca, porque não a usou? - Ele bateu na sua testa, parecendo que tinha esquecido sobre esse detalhe.

  - Aish Jungkook - Coloquei a minha mão sobre a sua testa e fingindo estar preocupada, dei um peteleco sobre a sua testa. Este reclamou soltando um murmurinho que não me identifiquei bem - De tão burro que você é, as vezes eu me pergunto porque você é o Golden Mackne do grupo.

  - Mas eu sou bom nas coisas que faço - Me olhou meio malicioso e entendi o duplo sentido na sua palavra - Mas toda pessoa erra uma vez na vida, você não pode brigar comigo por causa disso.

  - Eu não vou, mas a sua mãe vai - Coloquei as mãos na cintura - Então, vamos arrumar tudinho bem limpinho como estava.

  Ele ficou parado ainda, parecendo que sua alma estava em outro planeta.

  - começa logo, AGORA!

 

                                                                          (...)

 

  Acho que tínhamos ficado mais ou menos uma hora arrumando aquela cozinha preciosa da senhora Jeon. Não, corrigindo, foi mais que uma hora. Porque em meio ao processo de arrumação da cozinha, começamos a guerra de jogar pipoca no outro, assim resultando um bagunça maior do que antes.

  As vezes é bom brincar.

  Agora estávamos deitados na sala, mortos, suados, cansados e tudo mais. Exaustos.

  - Eu prometo que nunca mais esqueço dessa máquina de fazer pipoca - Jungkook mumurou fazendo um bico muito fofo.

  - Assim espero.

  - Estou tão exausto. E estamos muito suados. É melhor tomarmos um banho, não acha? - Me sugeriu ainda deitado.

  - Acho uma boa ideia. As minhas roupas já estão secas, né?

  - Sim, deixei bem lavada.

  - Você não. A máquina.

  - Mas eu que coloquei.

  - Mas não foi você que lavou.

  - Aish, vamos logo tomar banho - Levantou do chão e fiz a mesma coisa - Pode pegar a toalha do meu quarto. Vamos.

  Depois de pegar a minha toalha e as minhas roupas que já estavam secas, fui rumo a direção do banheiro do quarto de hóspedes. Adentrei no banheiro e depois de me despir totalmente, entrei debaixo do chuveiro, onde caíam águas quentes que me acalmavam de certo modo.

  Hoje o dia tinha sido tornado tão bom.

  Quando ele me propôs essa ideia de trégua, não tinha me convencido tanto de que não aconteceria nada. Tal vez eu esperava algo de um daqueles filmes clichês ou histórias. Mas diferente do que eu pensava, realmente apenas divertimos (mesmo que tínhamos apenas limpado a cozinha). Fazia muito tempo que não me sentia assim. Solta, se é assim que posso dizer. Estou começando a achar que essa ideia de trégua foi uma boa ideia mais do que Jungkook pensava.

  O que interrompeu os meus pensamentos, foi a voz suave do Jungkook que ecoou pelo quarto.

  - Eun! Ainda vai demorar muito?

  - Não! Já estou terminando.

  - Quer ajuda? - Ele perguntou em um tom brincalhão.

  - Sai Jungkook!

  Ouvi seus passos se distanciando do local junto com uma risada divertida.

  Esse menino nunca muda... aish.

  Depois de terminar o banho, desci apressadamente para sala, onde o mesmo já estava sentado com tela do tv ligado ao video-game e dois controles na sua frente, junto com um litro de coca-cola.

  Franzi a testa quando ele me olhou. O moreno logo sorriu inocentemente para mim. Mas sei que esse sorriso, hum, ele está tramando algo.

  - Você demorou - Falou assim que sentei ao seu lado.

  - Sou uma mulher. Mulheres demoram tomando banho.

  - Nem toda mulher. Porque a minha prima não demora tanto assim.

  - Aish Jungkook, fala logo o que iremos jogar - Falei pegando o controle.

  Ele deu um sorriso divertido.

  - Bom, iremos jogar um jogo e vamos apostar quem vencerá neste jogo. Porque você sabe jogar muito bem, que já ganhou de todos nós - Falou se referindo a todos do seu grupo - Mas, como sei que você não joga já faz alguns tempinhos, fiquei com esperança de ganhar de você, mesmo essa possibilidade sendo de 50% - Fez cara de preocupação - E quem ganhar na aposta... - Lá vem a merda. Eu sabia que tinha alguma coisa. Sempre tem - Pode pedir qualquer coisa para a pessoa que perdeu. Topa?

  - Eu sabia que você tramava algo quando vi seu sorriso inocente que não me engana - Suspirei pesado - Mas, realmente é qualquer coisa?

  - Sim.

  - Então, se eu ganhar, eu posso pedir para nunca mais aparecer na minha frente, né? - Senti uma fiscada no coração assim que falei. Sim, doía para mim. Mas, doía mais o fato de eu ainda estar ao seu lado e não poder abraçar e sentir os seus lábios junto com os meus. Doía o ver não podendo sentir. Vi que seu semblante havia ficado triste.

  - Pode. Mas isso não vai acontecer, até porque eu irei ganhar - Ele falou animado mudando de expressão - Só espere.

  - Ata. É o que vamos ver mocinho. Ainda eu lembro das minhas técnicas - Pisquei para ele que bufou em seguida.

  - Vamos ver... vamos ver, Eun.

  Ele colocou jogo rapidamente e, sem me avisar o jogo começou. Esse menino...

  Ele me provocava de um jeito estranho. Era infantil mas era estranho. Até me senti como se estivesse jogando com o Tae. Ele está pegando muita influência dele.

  No começo do jogo, quem estava na frente era eu, mas logo, chegando ao meio do jogo, já estava ganhando de mim e me deixando surpreendida. Ele tinha treinado, foi? E lá começou a provocação meio irritante. Não aguentei e gritei com ele sobre essa provocação, então logo parou, mas ainda me provocava, só que não do jeito irritante. Chegando ao final, usei as minhas técnicas antigas e ganhei dele.

  Nunca desafie uma menina.

  - Aish, você tem algo que não saiba fazer bem? - Ele reclamou - Mas saiba que é 10 partidas. Isso quer dizer que ainda tenho possibilidade de eu ganhar. E não se iluda, apenas deixei que você ganhasse a primeira partida para você relaxar.

  - Jungkook, você está pegando algumas características dos meninos - Ri com o que ele falou - Esse auto-estima muito alta, me parece que você pegou do Jin oppa.

  - Mas é verdade que eu vou ganhar.

  - Hm! É o que iremos ver, meu querido - Falei jogando os cabelos.

 

                                          (...)

 

  Quando alguém diz para não ter confiança tão grande de que você possa conseguir algo, porque a decepção será maior quanto mais você espera, você deve ouví-la com muita atenção e deve gravar isso no coração. Eu tinha total confiança de que eu sairia vencendo nessa aposta idiota que o Jungkook proporcionou. Mas, essa ‘aposta idiota’, deve estar rindo da minha cara neste exato momento em que estamos empatados e falta apenas a última partida para desempatar. Eu já estava nervosa, porque não dava para saber quem poderia ganhar. Minhas técnias já não funcionavam mais, parecendo que ele tinha treinado tudo isso. Affs, Jungkook.

  Nossos corpos devem estar mexendo de formar engraçadas. Acho que parecendo até estranhos de tanto estarmos deslocando os corpos. E era incrível como a vizinha não veio reclamar ainda pelo barulhos que fazíamos, não era nem barulho, era gritaria, isso sim definia o que era escutado na sala. Sim, quando ficamos empolgados, costumávamos gritar e eu bom, peguei essa mania dos meninos, não me julguem.

  - Vai, vai, vai, VAI! - Jungkooks remexia o corpo de forma agitada - PRECISO GANHAR!

  - CORRE, CORRE, CORRE ESTRANHO! - Eu gritava mais alto ainda - TENHOS QUE CHEGAR ANTES QUE O JUNGKOOK ME PEGUE OU ME ALCANCE! JOGO! ME OUÇA POR FAVOR, PELO SANTO NOME DE DEUS, AMÉN!

  - ISSO! MAIS UM POUCO! DEUS, SE VOCÊ ME FIZER GANHAR NESSE JOGO, PROMETO OBEDECER MUITO BEM, O JIN HYUNG! PROMETO PELOS MEUS TODDYNHOS!

  - AH NÃO! EU VOU PERDER O MEU LUGAR! PUTA QUE PARIU!

  Xingamentos são ilegais, viu crianças?

  - ISSO! - Ele andetrou no meu local e o Jungkook acabou ganhando o jogo - CHUPA CORÉIA! HUHUUUU! DEUS NÃO VAI MAIS LEVAR OS MEUS TODDYS!

  Ele pulava alegremente na sala e eu coloquei as mãos no meu rosto, tentando imaginar como ele tinha conseguido ganhar mesmo eu usando as técnias, e também imaginando o que ele pediria.

  Aish, estou nervosa.

  Percebi que a sala estava silêncio e descobri assim que tirei as mãos do meu rosto, levando um susto pela aproximidade dos nossos rostos. Ele me fitava sorrindo animado e poderia dizer, perverso. Eu me recusei para trás quando ele aproximou mais ainda e logo eu estava enconstada na parede da sala e ele ainda na minha frente, com nossos rostos quase colados.

  Eu não tenho coração para uma aproximidade assim.

  Meu coração batia tão forte, que eu jurei ter uma parada cardíaca. Eu estava nervosa, tensa e poderia dizer um pouco de ansiedade sobre o que ele poderia pedir.

  Assim como nos filmes ou história românticas e clichês, um menino e uma menina aposta de quem ganharia de um jogo e quem ganhasse, poderia pedir qualquer coisa. E o menino, no caso Jungkook acabou ganhando, assim como todos os filmes clichês. Então, na minha cabeça, faltava apenas a cena do casal beijando e logo estando reatado no final, assim como a maioria das histórias clichês que vi. Não que esperasse um algo assim, ou tal vez sim, esperasse. Mas, eu realmente estava nervosa, e eu estava me preparando para o que poderia vir.

  Jungkook ainda me fitava sorridente e me parecia determinado, já tendo algo em sua mente. E eu temia por o que poderia vir em seguida. Ele aproximou mais e quando eu pensei que aconteceria o tal beijo dos filmes e história clichês, não, ele não deu um beijo, não nos beijamos. Apenas depositou um pequeno selar na minha testa e se afastou, mas sentando na minha frente.

  - Posso falar? - Perguntou em um tom ansioso.

  - Estou esperando - Falei com um certo receio e meio desconfortável.

  - Sabe que é obrigação aceitar, né? Até porque você concordou com a ideia - Ele falou calmamente - Está preparada para aceitar o que quero?

  Esse era o momento principal do filme. Ele vai pedir...

  - Trégua de uma semana.

  Oi? Eu ouvi direito? Ele pediu isso mesmo? Ele não pediu o que pensei que pediria. Mas isso é pior ainda. Vou ter que aceitar a ver ele, ser amiga, uma trégua de uma semana!

  - Você não está falando sério, não está? - O olhei incrédula e este mantinha um sorriso beeeem aberto - É sério isso?

  - É mais sério do que o assunto do nosso casamento - O olhei incrédula mais uma vez - Estou brincando. Mas é muito sério.

  - Você disse que não pediria mais trégua e que seria a última vez - Falei indignada com o que ele disse.

  - Mas é a única que pensei a não ser o s...

  - Mas, Jungkook, não tinha outra coisa não? - O interrompi rapidamente antes que terminasse essa tal palavra.

  - Não. E você deve aceitar, é sua obrigação.

  Suspirei. Suspirei. Suspirei e suspirei novamente.

  Eu sabia que essa trégua não era uma boa ideia.

  Pensei errado em achar que isso estava sendo legal.

  É claro que Jungkook tinha algo em sua mente. Ele não fala as coisas sem planejar antes.

  Burra! Era isso que eu sou.

  - Tenho escolha? - Balançou a sua cabeça negativamente e novamente suspirei de arrependimento.

  Se eu não tivesse aceitado essa ideia de trégua, ou pelo menos da aposta, isso não iria acontecer provavelmente. Como eu não pensei antes? Agora vou ter que ter uma trégua de uma semana! FUCKING UMA SEMANA!

  - Aish, não tenho escolha mesmo... - Fechei meus olhos em rendição.

 

  - Aceito.


Notas Finais


E... foi isso gente!
O que poderia acontecer nessa semana de trégua que o Jungkook planejou... kkkk^^

Comentem sobre o que acharam!^^
Até o próximo!!!!!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...