História Do you love me? - Choi San, Ateez - Capítulo 19


Escrita por:


Capítulo 19 - 019 - Worst day


Fanfic / Fanfiction Do you love me? - Choi San, Ateez - Capítulo 19 - 019 - Worst day

❝ Su Ah's ❞

Fazia dois meses desde que San vem a minha sala, e fazemos coisas que não devíamos, Dongsu começou a perceber

E logo marcou a data do casamento, isso me deixava irritada

Hoje era o dia do casamento, quem decidiu foi tudo ele, só interferi nos convidados, e nas flores, já que ele queria rosas, e eu sou alérgica, oh beleza

Estava pronta, dentro da limousine, estava nervoso, meu cabelo voltou pro preto, e já está encostando nos ombros de novo

Assim que a limousine parou na frente do salão, os fotógrafos começaram a fotografar, desci, e Kang, me ajudou a descer, logo estavamos na frente das portas, que se abriram

Dongsu fez questão de convidar San, para esfregar na cara dele, que quem estava se casando comigo era ele, San por outro lado, mantinha um sorriso debochado

Depois da cerimônia, me sentei na mesa, estava cansada, Lili comia animadamente

Peguei um guardanapo de papel, limpando o canto de sua boca

- ainda não sabe comer Lili?

Lili: desculpe unnie, mas essas comidas são maravilhosas

Dongsu apareceu, colocando a mão em meu ombro, e beijando minha cabeça

Lili: oppa, a unnie não está linda?

Dongsu: ela sempre está

Sorri, e ele me deu um selinho, se sentando ao meu lado

[…]

Íamos ficar só uma semana em lua de mel, já que nós dois trabalhávamos muito

Estavamos em Miami, já era umas 22 e pouco, e estávamos na praia, meu vestido já se encontrava sujo de areia e levemente molhado

Eu e Dongsu brincamos na água, como duas crianças, depois ele me carregou até o hotel

Me deitou na cama, subindo em cima de mim, e me abraçando

Dongsu: finalmente... Você é minha... Só minha...

Falou beijando meu pescoço

[…]

Fazer sexo com Dongsu foi tão estranho, apesar de ama-lo, só imaginava que fosse San em seu lugar, era estranho de mais

Quando voltamos pra Seoul, a primeira coisa que vi ao entrar na casa do Dongsu, foram minhas caixas e malas

A casa dele era bonita, e bem decorada, tinha o estilo dele, e consequentemente, o meu também

Só tive tempo de tomar um banho, comer, e dormir por 2 horas, tendo que ir a empresa, ouvi várias parabenizações do casamento de pessoas que não foram convidadas

Quando cheguei em minha sala, vi uma pequena baguncinha nas gavetas, abri uma delas, e vi uma foto do casamento, Dongsu estava cortado da foto

Enquanto olhava pra foto, a porta foi aberta, e o assistente do San entrou, vindo até mim

Edward: senhorita Kang, preciso falar com a senhorita

O olhei, e ele se sentou no sofá, me levantei e me sentei em sua frente

Edward: San não está bem... Ele não quer sair de casa, e desde o seu casamento, ele não tem comido direito, não atende as ligações, nem ninguém que vá visitá-lo...

Aquilo foi um choque, San estava mal, por um único motivo, meu casamento com Dongsu, eu me sentia culpada, apesar de tudo

Edward: eu sei que pode parecer errado, já que a senhorita acabou de voltar da lua de mel... Mas San só vai abrir a porta pra você...

Minha cabeça já começava a doer, talvez eu realmente não devesse ter saído dos EUA

- vou agora mesmo

Sorri, me levantando e pegando minha bolsa

Edward: eu te acompanho até lá

Assenti e logo saimos

- cancele todos os meus compromissos pra hoje e amanhã

Falei olhando pra Jiwun, que tinha uma cara de reprovação, logo já estavamos no elevador, subindo ao andar de San

Apertei o interfone, esperando ele abrir, ouvi um certo desespero do lado de dentro, e a porta sendo aberta, senti San me abraçar com força, me puxando pra dentro, impedindo Edward de entrar

San: Su Ah...

Meu coração doeu, sua voz estava fraca, seu cabelo estava bagunçado, quando afastei ele para olha-lo, percebi as grandes e profundas olheiras em baixo de seus olhos, inchados, ele estava pálido, e seu nariz estava vermelho

- por que está fazendo isso consigo mesmo?

Passei as mãos por seu rosto, e ele colocou as mãos em cima

San: por que está fazendo isso conosco? Por que está casada com ele se quer estar comigo?

Ele encostou nossas testas, apesar de eu ser pelo menos 16 centímetros menor que ele

- eu não quero você em perigo

San: eu não me importo com perigo...

[…]

Fiz San tomar banho, e comer, também o obriguei a colocar máscaras para olheiras, e fiquei acariciando seu cabelo, até ele dormir

Depois voltei pra casa, Dongsu ainda não tinha chegado, tomei banho e me deitei, de madrugada acordei com meu celular tocando, o peguei e atendi, me levantei assim que escutei a voz falha da secretária de Kang, Dongsu, que até então não tinha percebido que estava me abraçando, acordou, se sentando ao meu lado, senti meus olhos marejarem...

Dongsu: ei...

Desliguei o celular, e ele me abraçou

- ele se foi...

Kang se foi...

Estavamos no cemitério, ele estava sendo enterrado, eu chorava abraçada a Akay, que tentava me acalmar, Lili estava alí, com uma expressão triste, apesar de tudo que ele nos fez, ele nos acolheu

Dongsu estava ao lado de Lili, acariciando os ombros da menor, San e alguns funcionários da empresa estavam alí também

Boa parte deles veio me dar os pêsames, mas eu não precisava deles, eu só precisava de San, quando ele me abraçou, delicadamente, eu me senti mais segura, me acalmando enquanto ele acariciava meu cabelo, sentia o peso do olhar do Dongsu em nós

San: não se preocupe... Estou aqui...

Ouvi ele sussurrar perto do meu ouvido, e assenti, quando nos separamos, Dongsu negou com a cabeça, como reprovação, e Lili se aproximou, passei o braço por seus ombros

- San, essa é a Lilian, minha irmãzinha

Afaguei os cabelos dela, e ela fez uma reverência, recebendo um sorriso de San

San: prazer em te conhecer pequena

Lili: unnie, esse é aquele moço bonito que você me falou quando eu cheguei aqui?

A belisquei, e vi a expressão de Dongsu mudar de negação, pra irritação

Lili: ouvi falar de você San

Ele sorriu maior, afagando os cabelos dela, quando estavamos saindo, senti minha barriga revirar, no início ignorei, e logo fomos embora, chegando em casa me contive em dormir o resto do dia

[…]

Faz três meses que Kang morreu, estou coberta até a cabeça de coisas que ele deixou, tenho recebido ameaças, fotos minhas, de Lili, San e Dongsu, com os rostos arranhados e até queimados

Já mandei investigarem quem está mandando essas coisas, mas aqueles incompetentes não servem nem pra isso

Desmaiei na empresa esses dias, felizmente San me socorreu antes que eu fosse ao chão

Estava fazendo meu café, no balcão no canto da sala, ouvi a porta abrir, mas não virei o rosto pra olhar quem era, só me senti leve, e minha visão ficou turva, me senti fraca, e minhas pernas vacilaram, antes de cair, senti braços me segurando, ou tentando

Logo tudo ficou preto

[…]

Acordei, e pisquei algumas vezes, tentando me acostumar com a luz, percebi estar em um quarto de hospital, logo percebi Dongsu e Lili ao meu lado

Dongsu me ajudou a sentar, e acariciou minha mão, logo a médica entrou, vindo até nós

Dongsu: então doutora, o que minha esposa tem?

Médica: meus parabéns... A senhorita está grávida de dois meses e 3 semanas....

Entrei em choque, enquanto Dongsu sorria grandemente, só tinha um problema... Eu e San... Ficamos antes do casamento...

Nunca achei que passaria por isso... Não saber quem é o pai do meu próprio bebê...

A médica saiu, depois de me dar alta, e voltamos pra casa, agora Lili morava na minha amiga casa, a dividindo com o melhor amigo, Dojin

Queria saber como falaria isso pro San... Como ele reagiria com isso... Pelo tempo, é quase certeza que engravidei na lua de mel...

Estava certo, engravidar do meu marido, mas eu queria que fosse do San... Não do Dongsu... Isso é tão errado...

[…]

San: grávida?

Assenti, enquanto olhava pras minhas mãos, que tremiam

- pelo tempo... Tudo indica que é do Dongsu...

Ouvi San socar o sofá, e bufar de raiva

San: mas e se não for?

- temos que esperar nascer... Pra saber...

O ruim é que mesmo que fosse do San, pro resto do mundo seria do Dongsu... E isso seria doloroso pra ele...

San: tudo bem... Vamos esperar... Se é assim que você quer...

Ouvi ele se levantar, e sair da sala

[…]

Estava andando pelo estacionamento do Shopping, depois de comprar uma coisa que precisava, senti meu braço ser segurado, em seguida minha boca ser tampada, fui arrastada até um carro, e ele deu partida, o cara usava máscara, então não dava pra ver o rosto, ele dirigia pra longe do centro

Eu tinha acabado de ser sequestrada? Sério? A chefe da gangue?

Cara: agora vamos esperar o seu maridinho vir atrás de você

Estava amarrada em uma cadeira, no meio de uma quadra de basquete abandonada de uma escola abandonada

Os homens conversavam concentrados de mais, para perceber que um carro se aproximava de nós

Logo começaram a atirar uns nos outros, senti desamarrarem as cordas, e o mesmo homem que as amarrou, começou a me arrastar pelo braço, vi os meus homens e Dongsu, San também estava alí com Akay

Dongsu: soltem ela, eu já estou aqui

Cara: nem pensar... O paizinho dela também nos causou problemas... Os dois vão morrer...

Akay: cara, deixa ela ir, me mata no lugar dela, eu estou a muito mais tempo nisso do que ela...

Cara: você só quer protege-la

Ouvi um tiro, e o cara que me segurava colocou a mão no braço, gemendo de dor

Josh: nós queremos proteger o herdeiro da gangue Shin

Ah pronto, entregaram que estou grávida, agora eles ferraram tudo mesmo

Cara: então a vadiazinha do Akay está grávida do Shin?

Ele riu alto, apertando meu braço

Cara: agora os três vão morrer...

Senti uma arma ser colocada em minha barriga, ai o desespero tomou conta de mim

Com um movimento rápido, fiz o cara cair de joelhos no chão, e segurei a arma, atirando em sua cabeça

- nunca ameace o filho de uma mulher

Falei, e senti minha barriga doer, coloquei a mão sobre ela, e ouvi um grito, logo senti alguém me derrubando, olhei pra trás e vi Dongsu, no chão, outros homens chegaram, começando outro tiroteio, estava em choque

- o-oppa...

As lágrimas desciam e eu sentia minha garganta travar e arder, coloquei as mãos em seu abdômen, ainda longe de onde a bala tinha pegado, foi muito perto do coração..

Dongsu: ei... Não... Chore...

Senti sua mão em meu rosto, e o olhei, soluçando

Dongsu: você e o bebê estão bem... E é isso que... Importa...

Segurei sua mão, nossas mãos estavam cobertas pelo sangue dele, assim como nossas alianças

Dongsu: Choi vai cuidar de vocês...

Ele começou a fechar os olhos, e sua mão foi ficando fraca

- não.. Não... Dongsu... Amor... Por favor...

O balancei

Dongsu: eu te amo...

Foi a última coisa que escute antes dele fechar os olhos completamente... E eu sentir alguém me pegando no colo, e me tirando dalí, senti outra dor na barriga, e minha visão ficou turva

Acordei no hospital de novo, abri os olhos, Dongsu não estava alí... Dongsu nunca mais estaria alí... Nunca mais seguraria minha mão quando tivesse que tonar injeção... Ele se foi... Meu Dongsu se foi...

Ouvi a voz do San

San: ela acordou

Ouvi passos, e olhei pros meninos que estavam a nossa volta... Lili dormia no sofá ao lado...

Woosung: você se sente melhor?

Levei a mão até minha barriga

San: está tudo bem com o bebê... Vai ficar tudo bem agora...

Ele acariciou minha mão... Queria poder esquecer esse dia, queria que fosse tudo um pesadelo... Mas não era... Dongsu se foi...

Dongsu... Se foi...


Notas Finais


Sad
San e Su Ah finalmente ficarão juntos?
E o bebê? De quem será?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...