1. Spirit Fanfics >
  2. Do you wanna be my baby? - JIKOOK >
  3. My little bud

História Do you wanna be my baby? - JIKOOK - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Essa vai ser uma fic mais hot, esse começo é só pra explicar como começou msm. Talvez eu faça ela só de 2 cap n sei ainda

Eu queria pra vocês comentar o que acharam, n seja leitor fantasma please e curte pra ajudar 😊

Capítulo 1 - My little bud


Estou começando a não me importar mais com a vida que eu tenho, simplesmente cansei, já foi ilusão demais pra mim.

Não é querendo me matar ou algo do tipo, talvez seja renovar a palavra certa. Já estou nos últimos períodos da faculdade ainda esperando com que seus olhos se abram. Chega a ser surpreendente o fato dele ser tão lerdo e não notar o quanto sou apaixonado pelo seu carisma, seu jeitinho meigo, o modo que observa as coisas, o jeito e o som que sua língua faz quando lamber a casquinha... e muitas outras coisas que sou capaz de perder horas só falando.

Eu o amo tanto chega a doer. Mas eu ainda vou retribuir essa dor de um jeito prazeroso

Acho que o amo desde que me conheço por gente. Quando éramos apenas duas sementinhas no jardim, vivíamos juntos brincando. Me lembro quando tínhamos uns 7 anos e minha mãe nos mandou ir lá pra fora, acho que foi a partir daí que tudo mudou

FLASHBACK ON

Estávamos em seu quarto brincando de hot wheels ataque do tubarão, mas não estávamos brincando 'com', nossa mente ia muito além que ele virou o carrinho e eu o tubarão que ia comer ele...

- Vou te pegar Chim e acabar com a sua lataria

- Não vai não, sou mais rápido que um tubarão bobo - começamos a correr pelo quarto bagunçando‐o mais ainda, tudo que poderia ser escutado era o som da nossas risadas escandalosas

- Meninos os biscoi.... O que é isso? - na mesma hora paramos de correr assustados com a voz da sua omma - Podem sair daqui, o dia está lindo lá fora e não quero ninguém doente por falta da luz solar. Vamos... xispem daqui agora ‐ quando ela fechou a porta caímos na risada

- Vamos Gukkie, antes que a omma volte aqui para puxar nossas orelhas. Eu tenho medo de ficar sem elas e nunca mais poder te escutar - nem deu tempo de responder que ele já tinha me puxado para o jardim e começamos a correr denovo

Ao passar perto de um arbusto avistei alho se movendo, era pequeno e colorido, peguei o animal em mãos para mostrar ao meu amigo 

- Chim olha o que eu achei - mostrei o animal bem na cara dele e ele se afastou um pouco - Pega... ele parece com você - nesse momento ele saiu correndo e chorando fiquei sem entender o porquê. Soltei o animal e fui atrás dele. Estava sentado embaixo da nossa árvore xingando baixo com a cabeça entre as pernas. - Por que você tá chorando Chim? - sem resposta - Eu fiz algo errado? - ainda nada - Desculpa - abaixei o olhar e foi nesse momento que ele ergueu a cabeça, estava com o rosto todo vernelho e os olhos inchados por conta do choro

- Eu tenho medo de cobra Gukkie e você ainda me comparou com uma

- Desculpa... eu juro que não sabia Chim

- Gukkie elas são malvadas e machucam as pessoas, eu jamais machucaria você - não por fora

- Na hora que eu disse aquilo eu nem pensei nisso, eu não te comparei com ela por ela ser malvada e sim por ela ser pequena, colorida e engraçada que nem você 

- E você parece um tucano, só usa preto e é narigudo

×

×

×

Depois de muito correr e sorrir acabamos por descansar na Chincukie, era como chamávamos a árvore, a nossa árvore. Geralmente íamos pra lá quando estamos muito inspirados ou com sentimentos aflorados, descontavamos tudo no papel em nossas criações e depois penturavamos na árvore. Sempre que chovia os desenhos acabavam estragando mas na nossa concepção eles iam cultivavar o solo para ser tornar lembranças boas ou virar um museu para pequenos animais que se foram ali.

Nesse momento estávamos apenas apreciando o sol se pôr aos poucos no horizonte. Acabei me perguntando se depois da escola ainda seríamos amigos que nem nossas mães ou qual seria a janta, sério eu tava morrendo de fome.

- Gukkie - Eu não sei porque, mas gostava dele me chamando assim e o som da sua pronúncia, meu coração sempre acelerava e eu não entendia - sabia que seu olho parece um espelho negro

- Como assim?

- O sol está refletindo nele e está mais bonito de se admirar - sorri envergonhado - a gente deveria ter um coelho e um porquinho - nunca entendi essa mudança de assunto do nada dele, mas quando você não entende algo só...

- Concordo 

- Eu ia cuidar do coelho já que você parece com um, daria o nome dele de Gukkie e toda vez que você estivesse longe eu iria abraçar ele pra matar a saudade 

- Mas e o porquinho?

- Você iria cuidar pra se lembrar sempre de mim - ele deu aquele eye smile com o sol batendo em seu rosto o que o deixou mais bonito... mas pera ele se comparou a um porco?

- Você tá dizendo que parece um porco? Você mesmo disse que não é pra te comparar com um animal

- Mas todo mundo fala que eu pareço um - sua voz saiu um tanto chorosa 

- Todo mundo é muita gente, se você parecesse mesmo com um, já estaria no prato do meu appa ele ama ensopado de porco - ele começou a rir o que me fez acompanhar, sua risada era muito contagiante até que ele se levanta ainda rindo e eu o olho sem entender

- Então venha me pegar appa Jeon, eu sou um porquinho e você deve estar morrendo de fome para me comer - dito isso começou a correr e gargalharmais ainda, na hora me levantei pronto pra segui-lo mas algo nele tinha me tirado a atenção comecei a observa-lo correndo, nem diria observar diria admirar. Tão lindo com os olhinhos fechando se fechando, a boquinha rosa aberta, os cabelos voando, o jeito que ele tava correndo e tudo balançava... me senti estranho, ao olhar pra baixo eu estava com o meu junior estava maior?? Não sei explicar mas tava duro e um pouco dolorido

- O que foi Gukkie que você está parado olhando pro nada? - no momento que ele começou a chegar perto comecei a suar, meu nervosismo aumentou e a dor também mas o pior era o meu coração disparado que eu não entendia - Gukkie?

- Ah... eu... estava olhando essa flor - estava tentando tampar o meu piu piu pra não passar vergonha

- A suja de vermelho? 

- Essa mesma... quando olhei pra ela lembrei de você - a flor era uma margarida branca, mas eu acho que por conta das pinturas acabou derramando um pouco de tinta nela e acabou assim. Arranquei ela e coloquei atrás de sua orelha delineando seu rosto perfeito - me lembrou você porque ela é diferente das outras

- Como assim Gukkie? 

- Ela pode até ter esse "defeito", mas é o que faz ela ser diferente e se destacar mais das outras - nesse momento ele sorriu e se aproximou mais, o que acabou doendo mais meu piu piu, deixou um beijo casto em meu rosto e logo após me abraçou - Argh... - acabei soltando esse som por causa que a dor piorou muito 

- Gukkie você tá bem? - ele se afastou um pouco e fiquei sentido falta do seu corpo, começou a me analisar pra vê se tinha algo de errado - O que houve com seu passarinho Gukkie?

- Eu não sei Chim, ele ficou assim do nada e tá doendo muito 

- Posso tocar? 

- Não sei mas... argh - ele começou a tocar com sua mãozinha pequena

- Gukkie tá muito duro... é normal? Você tá doente? 

- Acho que é normal sim Chim, mas toca denovo, a dor tinha passado um pouco 

- Tá bom Gukki se for pro dodói passar

Ele começou a passar sua mãozinha por cima do meu short atento a cada expressão - hmmm... - tava tão bom isso

- Machuquei Gukkie? 

- Não... você pode tirar ele daí de dentro? Pra aliviar um pouco

- Tá bom 

Ele retirou de dentro dos meus shorts e começou a mover a mãozinha de novo em movimentos circulares. Soltava uns sons estranhos involuntariamente não muito altos para não ter problemas

- Gukkie... tá dodói - notei que o seu também estava duro, pedi para ele sentar ao meu lado e fazer o mesmo nele - Sabe quando a gente pega uma banana com as mãos fechadas? - concordei - se eu fizer isso... - ele fez o movimento com tanta força pra baixo que o som foi maior e ate revirei os olhos - Aí meu Deus... Gukkie desculpa foi sem querer mesmo

- Chim foi bom faz denovo por favor - ele continuou fazendo o mesmo movimento de sobe e desce e eu lhe retribuia - Chim tenta fazer mais rápido por favor - foi a melhor coisa que já senti, com essa sensação acabei levantando um pouco meu quadril por mais contato

- Gukkie... ahh... isso é muito bom - Eu olhava de canto de olho ele revirar os olhos o que melhorava muito a sensação

- Chim... se parece uma banana e se botar a boca?

- Eu amo banana... Eu posso Gukkie? Depois você faz pra sentir como é - eu concordei e ele comecou a engatinhar pro meio das minhas pernas me olhando nos olhos - se te fazer dodói avisa - então ele começou a fazer o mesmo movimento de vai e vem só que com a boca e não sei descrever a sensação, meu coração estava quase pulando pra fora, eu estava suado e muito quente. Quando eu olhava pra baixo via ele me olhando com as bochechas meio rosada o que só melhorava tudo

- Chim... con.. continua mais ra...pido - ele aumentou a velocidade e por extinto acabei levantando o quadril 

- Hm... - ele acabou se engasgado e babando um pouco o que melhorou muito a visão - Não faz isso que machuca - só balancei a cabeça, não estava conseguindo gesticular nada só sentir, até que me senti estremecer e algo sair de mim - hmmm - Chim tirou a boca do meu pênis e engoliu algo branco e logo após fez uma careta 

- O que é isso?

- Não sei, mas o gosto é estranho, meio amargo... mas é bom!?

Não entendi muito bem o que ele quis dizer, mas eu também queria provar isso e mostrar pra ele como é bom também - Chim encosta na árvore e agora eu que vou te fazer revirar os olhos - ele me obedeceu, retirou seu pênis de dentro da cueca e eu peguei e apertei

 - Aarh... gukkie - dei um sorriso com a sua expressão, gostei disso. Lambi um pouco e continuava a apertar - ai...hmm con..tinua arh - já não aguentando só vê as expressões comecei o mesmo trabalho que ele tinha feito comigo, como se fosse uma banana. Ele não parava de fazer aqueles sons o que me irritou um pouco acabei por da um tapa nele

- silêncio, sem fazer muito barulho, se não vai ser pior - ele fez uma certa expressao de dor e engoliu as lagrimas que iam cair, de certa forma eu acabei gostando mais disso. Depois de um tempo ele solta o mesmo liquido branco e eu gostei - não é amargo é doce... é bom!

Quando ele ia falar algo sua mãe aparece na porta de casa gritando pra gente entrar, pois já estar tarde e ela tinha feito biscoito. Nós nos vestimos e prometemos deixar isso em sigilo só nosso

- Vamos Cookie - sorri com esse apelido e voltei a admira-lo correndo de volta pra casa. Foi nesse momento que percebi que ele não era só uma sementinha e sim o broto mais lindo desse jardim. Voltei a pensar no ocorrido de ainda agora e acabei sorrindo com aquilo.

FLASHBACK OFF

Então...

Olá, sou Jeon Jungkook tenho 22 anos, sou sadista e apaixonado por Park Jimin 

My future baby... aguarde





Notas Finais


Eu postei essa fic mas quero falar das outras, eu ainda não postei cap ainda por falta de inspiração e sem tempo, agora que estou em quarentena vou vê se consigo, mas esperem um pouco e desculpa qualquer coisa


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...