História Do you want milk? Taekook - Capítulo 10


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Exo, Jeon Jungkook Park Jimin, Jung Hoseok, Kim Namjoon, Kim Seokjin, Kim Taehyung, Lemon, Lgbt, Min Yoongi, Mpreg, Taekook, Vkook
Visualizações 594
Palavras 1.928
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Slash, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 10 - Talvez, quando começarmos?


- Jungkook... e-eu juro. N-não foi minha culpa. - Gaguejou, droga, maldita hora para deixar a voz falhar. Taehyung suspirou para ficar mais calmo. - Desculpe por isso.

Jeon Jungkook.

- Tá, tudo bem. - Dei um sorriso pequeno me deitando sobre suas coxas, ainda estava caindo de sono e, sempre quis ficar assim com alguém que não empurrasse minha cara. - Pode mexer no meu cabelo? - Pedi sentindo seu cheiro doce.

- Aigoo, voce, está tão carente. - Tae ficou me encarando enquanto tirava os fios dos meus olhos. - Sério, me desculpe.

- Quantas vezes vai, ficar pedindo desculpas? - Rebati. - Deita aqui comigo. - O puxei para cima de mim, e como sempre meu pequeno corou. Ah, se ele soubesse como fica lindo daquela forma. - Sunmi e Sohye, com certeza ficaram lá embaixo. Quer descansar? Elas vão dar trabalho durante o dia todo, então. Nem tente fugir de mim. - Sorriu puxando meus cobertores.

- Hyung... o Jimin, não vai ficar com ciúmes? - Perguntou me encarando, apoiado em seus cotovelos.

- Nós dois não, não temos mais nada. - Respondi segurando suas bochechas avermelhadas as trazendo para mais próximo de meu rosto. - Eu quero outra pessoa. - Talvez eu tenha, sido precipitado em dizer, mas, uma paixão de dois anos, não pode ficar assim...

Autora.

O moreno deslizou seus dedos sobre os lábios delicados de seu vizinho o encarando, ou melhor, encarando seus detalhes, seus olhos, sua boca, sua pele. Tae deitou sobre o peitoral alheio, suspirando como um bobo apaixonado, gostava e queria ficar sempre assim. Jeon sorri cheirando os fios curtos do vizinho quase, adormecido.

Ambos mal conseguiram ficar assim, não por muito tempo, as crianças voltaram correndo para se deitarem, cada uma, de um lado. Sem chances de fazer aquela cena adorável de um casal romântico. Jungkook tinha dificuldades em até olhar para o outro, Sunmi ficava lhe apertando e puxando seu nariz. Já Sohye fazia tranças, quer dizer, embaraçava ainda mais o cabelo do mais velho.

- Oppa, seu beijo falhou. - Sunmi disse enquanto tentava fazer o tio continuar acordado. - Logo esse chato volta a dormir. - Reclamou, elas pareciam mesmo adorar o tio, e queriam que ele ficasse sempre disposto.

- Meu beijo não falhou, o tio de vocês que é um preguiçoso.

- Olha quem fala, nem parece que quer matar alguém quando te acordam. - Jeon murmurou olhando o teto branco do quarto. - E sim, seu beijo falhou.

- Ya! Eu não beijo tão mal assim.

- Eu não sou capaz de opinar, só recebi um selinho. Então, não deve ser contado como beijo. - Taehyung ainda queria entender qual a razão pra sempre acabar sendo o mais ferrado de toda a historia.

- Pare de reclamar, foi eu quem passou vergonha aqui, e vocês apenas olharam isso sem fazer nada.

[...]

Os quatro desceram depois de muita conversa e Taehyung foi pra casa tirar seu pijama e avisar ao irmão que iria passar o resto do dia na casa de seu vizinho, tomou café, um banho e voltou a ir olhar as garotas brincarem na sala. Jungkook tinha também trocado de roupas e ainda não havia pensado em nada para distrair as crianças.

- Voltei, o que estão fazendo? - Kim perguntou abrindo a porta da sala dando de cara com o hyung e as meninas deitados no sofá assistindo televisão. - Poxa, que preguiça, hein. Levantem dai. Que tal, nós irmos conhecer aquele parquinho daqui perto? - Taehyung sugeriu, as pequenas se entre olharam animadas, seu tio quase nunca saia com elas então, aproveitariam todas as oportunidades. - O que acha, Jungkook?

- Muito longe. - Disse arrastado.

- Cinema?

- Muita gente. - Completou.

- Poxa, Jungkook-ah. Pare de ser chato. - Choramingou batendo os pés no carpete. - Então, hyung, vem me ajudar. - Disse andando até a porta da cozinha. - Vem logo. Preguiçoso.

- O que vamos fazer? - Perguntou pegando uma maçã de cima da mesa. - Eu quero ficar no sofá - Murmurou debruçado sobre o balcão.

- Eu também quaro, mas. Tem duas crianças que precisam de nós.

[...]

Após o incidente que aconteceu no domingo, Taehyung sentia vergonha de encarar Jungkook, seus olhares pareciam o destruir em segundos por dentro, e os motivos eram óbvios, já que o mais velho não demonstrou reação a tal ato, pelo menos não a esperado. O Kim não sabia se ele havia gostado, mas com certeza, por estar a dois dias agindo como se nada tivesse acontecido, Jeon devia ter odiado, odiado com todas as suas forças. Mesmo que o mais novo insistisse em pedir desculpas, afinal, foi apenas um beijo, não deveria ter gerado toda esta confusão. Além da ‘briga’. O garoto foi parar no pronto socorro devido a sua teimosia em querer pegar o cachorrinho nos braços, o resultado foi que Jin queria espancar o irmão ali mesmo enquanto ele terminava de tirar sangue, por ter como sempre o desobedecido e agora reclamar das dores, Tae tinha consciência, que, cachorros devem ser evitados tanto quanto pessoas estranhas no meio da noite. Contudo sua vontade falou mais alto e acabou tudo da pior forma.

Baekhyun parou na porta do colégio esperando pelo Kim, desde que Namjoon comentou do acontecido, o loiro não iria deixar sua paquera sem a devida proteção e cuidados. Ainda mais sabendo que, isso aconteceu enquanto o mais novo estava dentro da casa de Jungkook. Um ponto a mais para Byun confirmar em sua mente que a culpa era do vizinho. Taehyung não demorou para aparecer do outro lado da rua com Jin, ambos vestindo o uniforme já que o frio começava a totalmente, sumir e o calor começava a voltar. Contudo o jovem continuava a usar um moletom largo, para não ter que ficar dando explicações sobre sua alergia para as outras pessoas, por que, adolescentes são curiosos e adoram espalhar coisas.

- Eu, fiquei preocupado. - O loiro agarrou o corpo quente, Taehyung ficou parado no mesmo lugar, sem se movimentar, enquanto recebia o abraço, não queria retribuir e voltar a ser chamado de ‘Marido do Baekhyun’, mas todos dali, e seus olhos já tinham visto a cena. - Você melhorou? Diz que, sim. Prometo que o Jungkook vai ter o que merece.

- Para! É só uma alergia, Jungkook não teve nada a ver. - Retrucou defendendo o vizinho sentia falta da voz do moreno, nunca tinha ficado mais de horas sem gritar seu nome da janela no meio da madrugada quando não tinha com quem conversar. - Eu, vou entrar. - Disse tirando os braços alheios de seu pescoço e empurrando com os dedos a bochecha que, antes estavam sobre seus fios.

Taehyung seguiu até a sala, sossegado já que hoje a reunião do grêmio ficou para tarde, desviou dos adolescentes irritantes, barulhentos que, seguiam correndo para suas salas, mais pareciam pessoas, e ele estava de saco cheio daquela rotina chata, sempre. Abriu a porta, caminhou até seu lugar sendo fortemente encarado. Park e seus olhares furiosos de costume, às vezes eles chegavam a machucar, qualquer um, aquele garoto não fazia a linha que se preocupa com sentimentos alheios. E muito menos faria isso por Taehyung, à pessoa que havia ‘tirado’ seu namorado, na cara de pau. Sendo terça-feira, o primeiro tempo seria de artes, desde que o senhor Heechul pediu férias, HyungSik teve que pegar as aulas, o que não era uma má coisa, já que o mesmo adorava fazer seus alunos atuarem diante da classe inteira, dizia ser apenas um treinamento para o futuro, talvez alguém optasse por essa carreira.  

- Bom dia. - Sorriu e automaticamente as meninas da primeira fileira abriram seus melhores sorrisos, uma a uma. Em uma perfeita sincronia, aquilo era estranho, e sempre acontecia quando se tinha um belo professor daqueles diante de você. - Hoje, nós não poderemos usar o auditório. O que é uma pena. - Fez uma breve pausa para respirar. - Então, todos afastando suas mesas e liberando espaço.

Taehyung odiava o fato de ter que atuar, ele até ia muito bem, mas tinha vergonha de estar na frente da sua sala. O professor sorriu apontando para ele, o jovem formou um biquinho enorme, não queria ter que ser o primeiro. HyungSik completou o elenco chamando Jungkook. Essa seria a cena do ano.

- Isso vai dar uma briga. - Kyungsoo comentou com o namorado, logo ele que iria amar aquilo. Soube que Jimin estava se mordendo de ciúmes apenas de o olhar, o loiro baixinho fez questão de encarar os dois. - Se tiver morte, eu só vou liberar o Tae, ele é um amorzinho. O resto da sala vai todo pro inferno. - Sorriu vendo Jongin sorrir apertando suas bochechas.

- Com certeza. - O loiro completou.

- Bom, temos dois alunos e três situações. Alguém quer escolher? - O mais velho mostrou os papeis sobre a mesa e Jungkook acabou indo por estar mais perto. - Vejamos... briga de casal. Isso é bem simples. Boa sorte meninos. - Taehyung arregalou os olhos para o professor. Não teria coragem de brigar com seu vizinho, mesmo que fosse encenação. O Kim sentia, iria acabar rindo no meio da fala ou travar na hora mais importante. - Ok, quando estiverem prontos. - Sorriu indo pegar seu lugar no fim da sala

Jeon suspirou fundo, seria difícil entrar no clima quando se tem Kyungsoo e Jongin pra acabar com toda a pouca concentração que, ele ainda tentava manter. Sabia que o mais novo não começaria a falar então, seria agora ou nunca.

- Como foi capaz de fazer isso? Podia ter feito eu perder meu emprego, entende isso? - Questionou levando as mãos a cintura deixando o mais novo um tanto assustado com tanto aproximação além do tom de sua voz. - Me diga! Vamos Taehyung, eu estou esperando sua resposta. - A sala ficou quieta apenas para prestar atenção nos dois.

- Eu só, não quis te perder. - Sussurrou fitando os pés. - Não quero que, me odeie, por que não pode me dar atenção? Por que não pode só ficar longe da merda do teu trabalho?

- Agora a culpa é do meu trabalho? - Retrucou. - Eu só tento fazer o melhor pra gente. Por favor, não pense que eu te esqueci. Não, ache que meu amor diminuiu só por estar sem tempo. Poxa, Taehyung. - Jungkook rodeou seus braços na cintura do pequeno e só faltou Jimin e Baekhyun irem até lá e acabaram com toda aquela encenação. - Quando eu, disse que queria você, não foi da boca pra fora. Mas né, bem que podia facilitar. - Sorriu doce, Taehyung não sabia como deveria agir, a sala inteira olhava para ambos. Eles estavam tão fofos juntos e fazia uma bela cena.

- Eu shippo. - Kyungsoo gritou fazendo todos rirem. - Casal fofo, se peguem logo. - Continuou, claro, se não falar algo do tipo, não é o Kyungsoo de verdade.

- Ok ok, parabéns meninos. - O professor sorriu começando a aplaudir. - Agora, sentem se. Nós vamos escolher outra cena, foi ótimo. - Disse dando dois tapinhas no ombro de Jeon.

- Você, foi muito bem. - Sorriu sentando ao lado de Taehyung. - Meus parabéns Tae.

- Valeu, hyung.

- Taehyung e Jungkook, quando vão assumir que namoram? - Jongin perguntou virando para trás.

- Sei lá, quando começarmos? - Jeon deu de ombros sorrindo de lado na direção do mais novo que negava encarando o caderno. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...