História Do you want milk? Taekook - Capítulo 50


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Exo, Jeon Jungkook Park Jimin, Jung Hoseok, Kim Namjoon, Kim Seokjin, Kim Taehyung, Lemon, Lgbt, Min Yoongi, Mpreg, Taekook, Vkook
Visualizações 297
Palavras 1.402
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, Lemon, Romance e Novela, Slash, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Agora sim é cap.

Capítulo 50 - Even the priest accepted.


Kim Taehyung. 

E lá estava eu, em uma terça feira, com o rosto vermelho de puro constrangimento, Kyung  do meu lado, com as mãos na cintura, e uma expressão raivosa, esperando a hora em que algum daqueles demônios, mais conhecidos como alunos ou colegas de classe, assumirem quem começou a briga no meio do corredor na hora da entrada. Que, diga-se de passagem, durou uns bons minutos. Nunca em toda a minha vida assumiria um ato assim, tão errado. Tinha que manter minha imagem séria e de bom garoto. 

Não mesmo! Falar não era uma opção. 

Vergonha eu já passo todos os dias ao sair da cama, agora ser conhecido como o aluno exemplar que só durou uma semana e já estava arrumando baderna nos corredores, isso jamais entraria para a minha lista perfeita de ocorrências. Minha reputação não era conhecida, aliás, as pessoas só vinham até mim quando, precisavam de favores ou fazer perguntas idiotas. 

Ser popular não passava de um capricho infantil que tinha até o meio do ano passado, quando tudo o que imaginava era, beijar Jungkook e mostrar para todos que ele era meu. 

Ainda bem que, como o inverno, esse capricho passou com o tempo.

Bem idiota, confesso. Precisava parar de assistir doramas naquele tempo, um tempo perdido. Ouvimos a tosse rouca da senhora, vaca Park. Ela estava de braços cruzados, na mesma situação que eu e Soo. Daqui a pouco criaríamos raízes no chão da sala. 

- Minhas pernas tão doendo. - Reclamei, fazendo um beicinho nos lábios, queria voltar pra minha cadeira. Achei que, ninguém fosse ouvir minha fala, só achei. 

- Senta no colo do Jungkook. - Sehun comentou, um comentário desnecessário para a hora, o moreno sentava justamente na onde eu estava parado. Frente a frente, os sorrisinhos não foram evitados, pelo contrário, vieram como uma bomba direto em mim. - Ele não é seu namorado?

Matar seria forte demais, e um pecado. Mas, nunca quis tanto pecar quanto como no momento.

- Tae tá em outra. Achou um garoto melhor.  - Valeu mesmo Jongin, lembrarei de cortar suas bolas quando sair dessa sala. Apenas aguarda, traidor. 

- Sehun seu bobinho, o Taehyung já tem outro. - Park abriu sua boca de naja. -  E aí, já transou com aquele tatuado do terceiro? Conta pra gente como foi a noite. Tae. - Minha cara foi para o chão, querer ser um avestruz e enfiar a cara em um buraco seria pedir demais? 

Acho que não. 

Tudo o que Jimin tinha, era coragem e falta de vergonha naquela cara cheia de base, foi uma luta, cansativa até demais pra Jae, me dar um selinho de despedida, nossas bocas mal se encostaram e no fim ele disse que eu fiquei fofo, de olhos fechados.  Provavelmente se eu parasse na cama dele, ele me diria que sou adorável gemendo, quem diria que transar com ele seria "aquela coisa". 

" Senti sua boca encostar na minha, era quente e macia, gostosa, confesso, mas logo saindo de perto, como se em alguma hora inesperada eu iria morder ele. Sua risadinha se instalou entre nós, me dando vontade e coragem para dar mais um selinho no maior, dessa vez longo. Ainda de olhos fechados, esperando que fosse, o beijo. Mas, para uma primeira saída, foi um bom avanço. 

- Você é fofo. - Apertou meu queixo com o polegar e o indicador. - Entra, vai chover. Não te quero gripado por minha culpa. - Terminou de bagunçar meu cabelo. Esperando que eu entrasse. "

- Filho! - A mulher finalmente criou vergonha e repreendeu aquele atirado. Com certeza ele pensou que, ficaria quieto enquanto ele falava e fazia suas perguntas nojentas pra mim. 

Ri sem graça, cruzando os braços e encarando Park, no fundo dos olhos. 

- Quer começar e contar como você transou com o Jungkook? - Ele ficou sem reação, Soo por outro lado, resmungou alto um "Só com o Jungkook?". - É, não só com ele. Fala Jimin, não está curioso sobre minha vida sexual, querido? Se quer saber, sim, foi maravilhoso transar com ele. - Minto e todos se espantam, foi a primeira vez que eu menti para uma sala inteira. 

Tão errado e, emocionante. Mas, errado. 

- Jae sabe como transar, diferente de uns ai que, em cinco minutos estão cansados. - Talvez aquilo fosse uma indireta, mesmo que Jeon levasse bem mais que cinco minutos, Minha raiva e nojo precisavam ser postos para fora. - E, se ficou interessado, meu anjinho, fique sabendo que, eu peguei antes de você. E que, não me importo se ainda sai com Jungkook, até por que, não foi eu quem traí a confiança dos outros. Diferente deles. 

- Olha a treta. - Mais uma vez Jongin perdendo a oportunidade de calar a boca e dormir. 

- Ah claro, lembre que quem dorme com ele, ainda sou eu. - Confessou, se achando a "rainha' o homem da vida do moreno, nem dava tanta importância no que Jungkook fazia da merda que ele chamava de vida. Só que, também ninguém tonto o suficiente pra ouvir uma vadia como ele falar e ficar quieto. 

Talvez outro, eu não!

- Uma noite ou outra né? Diz pra mim, é na sua casa que ele vai quando bebe? - Via o rosto de Jeon corar, os outros jogadores apenas olhavam Jimin, os alunos novos nem sabiam o que acontecia. E as garotas acompanhavam aquilo como uma boa novela. - Enquanto você só dorme com ele, eu tenho um filho. 

- Podia viver sem essa. - Hoseok abaixou, pegando sua bolsa do chão, tirando uma risada fraca das pessoas ao seu lado.

- Chega! - A mais velha gritou, assustando geral. - Quantas vezes vou ter que pedir para não agir dessa forma, Taehyung? Já não te pedi para não falar assim do meu filho? - Interrogou-me, com um ar de mãe coruja, protegendo o filhote de naja que, com certeza ela criou direitinho. 

- Nossa, lembrou que tem boca né. - É por isso que eu e KyungSoo somos amigos. o garoto bateu palmas, silenciosas. 

Nunca brigamos com um professor. Continuo mantendo minha fala de antes, errado e emocionante. 

- Professora, que tal fazermos uma competição? - Ela pareceu confusa, só que ficou olhando para mim. - Pode ser com o tamanho do chifre que seu namoradinho colocou fodendo teu filho com o tamanho da lista de homens de Seul. Por que né, vamos concordar, ele só não saiu com o padre por que é pecado. 

- O que! Tu que pensa. Ele não perdoou nem o padre, sabe aquela igreja perto do cartório? - Olhei para Jongin, com uma carinha amassada de sono  e assenti. - Pegou de jeito depois da missa. 

- Enfim, agora sabe o que seu bebezinho faz. - Dei de ombros. 

- Eu sou solteiro, e faço o que bem quiser da minha vida, Taehyung. - Esbravejou, pondo as duas mãos sobre a mesa, talvez ele quisesse me fazer sentir medo. 

- Jongin, se tu transar com ele. Fica esperto, vai ser a ultima vez que verá teu pinto. - O loiro murchou, com medo da ameaça feita pelo namorado. - E Jimin, que tu é uma vadia geral sabe. E se o Taehyung transou com o Jae, é bom mesmo, o menino é bonito, é capitão do time, Jongin que me perdoe, mas o cara é um gostoso da porra. 

- Concordo. - O próprio Jon concordou com Soo. 

- E você, tá saindo com o Jungkook feito uma cadelinha, amarrada na coleira. E, Hoseok, ficou sabendo que até em cima do Yoongi ele deu, foi na semana passada. 

Todos viraram para o citado. 

- Ficou sabendo do fora que o Yoongi deu nele? - O ruivo respondeu, conhecia e confiava no namorado. Sabia que Park era apenas uma velha amizade mal feita e mal resolvida. Porém, o namoro deles ia de bem a ótimo. 

- Nossa, grande coisa. Isso só serviu pra mostrar o quanto de ciúmes um sente do outro por minha causa. - Tinha como piorar, sim tinha, e Jungkook o fez. 

- Cala a boca que você nem é tudo isso. E Jungkook, por que não lembra que tem um filho, e para de transar com o Jimin quando ele tiver na sua casa?

E, infelizmente o sinal tocou. Acabando com minha diversão e euforia de falar algumas verdades instaladas em mim. 


Notas Finais


Bye nenés, Tae tá meio puto com a vida.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...