História Doce Amnésia - Capítulo 32


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Park Jimin (Jimin)
Tags Bts, Jikook, Jimin, Jungkook
Visualizações 20
Palavras 900
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 32 - 31


POV Jimin

  Eu acordo ouvindo o som desesperado da minha campainha e sentindo uma angustia e desespero não originarias de mim.

  Eu apenas sigo o caminho do meu quarto até a porta de entrada de olho fechados, pois eu me recuso a deixar meu sono ir e ao abrir a porta eu sinto um abraço forte e apertado e algo molhado tocar em meu ombro o que me faz abrir os olhos confuso, mas o cheiro familiar de um alfa vira-lata me faz saber quem é.

- Me perdoa, eu devia proteger você, ele quase te tirou de mim. – Jungkook fala assim que eu tento solta-lo, mas eu desisto, uma parte de mim parece ter sido afetada, talvez o babaca do meu lobo que esta ligado ao dele.

- Do que você esta falando Jungkook? – Eu pergunto indiferente voltando a tentar afasta-lo, mas ele só aperta mais o abraço.

- Eu não vou deixar ele chegar tão perto assim de novo, eu prometo. – Jungkook ainda fala em prantos mantendo o abraço.

- Quem chegar perto? Jungkook, você bebeu? – Questiono impaciente tentando me soltar, mesmo sabendo que é inútil. – Jungkook, me solta. – Eu peço me rendendo e desistindo de lutar contra a força dele e só depois de um tempo, quando ele finalmente se acalma ele me solta e se afasta revelando um rosto inchado e olhos vermelhos.

  Uma aparecia tão frágil, que desperta um instinto forte de querer conforta-lo, mas eu não vou ser trouxa duas vezes.

- Da pra falar algo com sentindo agora? – Pegunto impaciente cruzando os braços.

- Você vem pra casa comigo. – Ele não pediu, ele mandou, num tom tão firme que nem parece ser o chorão de minutos atrás e eu rio sarcástico relaxando os braços, porque só pode ser deboche.

- Tchau Jungkook, eu tenho uma reunião em algumas horas e não to com humor pra piadas da madrugada. – Falo tentando empurra-lo pra fora, mas é como tentar empurrar uma montanha.

- Ou você volta pra minha casa ou eu venho morar com você. Não vou te deixar desprotegido de novo. – E mais uma vez, ele fala com seu tom de sou dono do mundo e mais uma vez eu rio inconformado.

- Eu estou muito mais seguro dentro de uma prisão cheio de criminosos do que no mesmo teto que você. - Adverto cruzando os braços e mantendo o contato visual.

  Jungkook não fala nada, apenas devolve o olhar de forma intensa e feroz que faz meu lobo choramingar.

  Maldito lobo fraco.

- Ta, você me expulsou da sua casa, deixou claro que esta pouco se fudendo pro que acontece comigo. Mudou de ideia por quê? – Pergunto impaciente relaxando os braços e seguindo pra sala.

- Eu descobri hoje que... – Jungkook começa a falar fechando a porta de entrada e me seguindo. – O seu acidente foi causado pelo meu pai.

  Eu apenas o analiso não acreditando muito que isso seja uma novidade pra ele.

  Não acredito quer ele esta tentando me fazer de trouxa de novo.  

- Esta fazendo piada comigo? – Pergunto irritado.

- Não, você mesmo disse que era só questão de tempo até ele tentar matar você, não lembra? – Jungkook argumenta. – Bom, eu devia ter ficado mais alerta, eu...

- Acha mesmo que eu sou tão idiota assim? – Pergunto irritado e tendo Jungkook franzindo a testa confuso. Claramente um bom ator pra se fazer tão bem de desentendido.- Acha que vou acreditar que não sabia de nada?

- Jimin, eu não sabia, você sabe que..

- Quer saber o que eu sei? – Pergunto o interrompendo chegando ao ápice da minha revolta. – Eu sei que você estava protegendo o seu pai, você sabia que ele assassinou os meus pais e escondeu isso de min, protegeu, protege ele. Você é como ele, um monstro, só se importa com você e esse sobrenome idiota, aquela empresa, aquilo é só um enorme pedaço de concreto, mas pra vocês vale muito mais do que uma vida, você é um falso, manipulador, egoísta. Eu não vou cair nesse seu papo de novo, eu sei muito bem quem você é agora, então não me venha com essa de eu não sabia porque se brincar ajudou ele a tentar me matar. – Desabafo toda minha ira e ele não reage por um instante.

- Você sabe muito bem porque não te disse nada sobre os seus pais, já tivemos essa conversa e talvez eu tenho exagerado naquela noite te expulsando de casa, mas você me conhece Jimin, mais do que qualquer um nesse mundo, eu nunca machucaria você, lembra? – Ele fala dando um passo a minha direção, mas para quando eu dou uma passo pra trás. – O que há de errado com você? - Jungkook me questiona confuso.

  Por que eu o sinto tão sincero, mesmo sabendo o quão bem ele mente?

 

- Eu não acredito em uma palavra sua, isso é o que esta acontecendo. Eu me lembro do monstro que você é, só isso, porque é só isso que tem pra lembrar de você, você não vai me enganar de novo Jungkook, então vai jogar essa papo pra outro trouxa, pois é isso que há de errado comigo, eu deixei de ser trouxa, agora sai do meu apartamento. – Adverto e Jungkook me encara por um tempo, eu posso sentir a confusão e indecisão, mas ele apenas suspira e confirma com a cabeça seguindo pra fora do meu apartamento.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...