História Doce amor Gays - Capítulo 23


Escrita por:

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Armin, Castiel, Dajan, Dakota, Jade, Kentin, Lysandre, Nathaniel, Professor Faraize, Senhora Shermansky
Tags Amor Doce, Gay, Hentai, Romance, Yaoi
Visualizações 672
Palavras 1.590
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Homossexualidade, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 23 - Odeio Garçonetes...


Fanfic / Fanfiction Doce amor Gays - Capítulo 23 - Odeio Garçonetes...

Eu não sabia o que fazer, não sabia nem se saia daquela cabine, mas escutar o Kentin chorando é de partir o coração. Mas... Se eu saísse agora, provavelmente ele ficaria com raiva de mim por ter escutado a conversa. Droga! o que eu faço?! Eu preciso falar com o Kentin de qualquer jeito pra saber o que está acontecendo e por quê aquele idiota do Evan está ameaçando ele e que coisa é essa que ele quer... Enquanto eu estava raciocinando, ouvi a porta do banheiro abrir e fechar, acho que o Kentin acabou de sair. Eu saio da cabine e me debruço sobre a pia novamente... Mas que porra acabou de acontecer? Eu saio do banheiro e volto para onde os rapazes estavam. Me sento ao lado do Castiel no chão. 

- Ei, Nath! 

Armin chamou minha atenção. 

- Sim? 

Todos olharam em volta, o que achei estranho mas ao mesmo tempo sabia que eles iriam aprontar alguma coisa. 

- A gente vai sair hoje a noite de novo... 

Lysandre sussurrou e eu arregalei meus olhos. 

- Não vamos para a praia... Só para um restaurante, estamos enjoados da comida da Sra. Miller. 

Lysandre continuava sussurrando. 

- Como assim enjoados da comida da Sra. Miller? Ela é a melhor cozinheira do mundo! 

Bradei. 

- Mas ela não faz hambúrguer! 

Lysandre levantou um pouco mais a voz.

- Nem batata-frita. 

Castiel se rebelou.

- Nem lasanha, porra! Nós precisamos de lasanha para sobreviver! 

Armin estava ou fingia estar totalmente estressado. 

- Vocês tem uma mentalidade de gordo perigosa... 

Falei e todos assentiram. 

- Vamos de que horas? 

Perguntei. 

- Oito e meia? 

Sugeriu Alexy enquanto coçava a cabeça e então percebi o Kentin ao seu lado, olhando para baixo, totalmente triste... Queria poder fazer alguma coisa para ajudar, mas não sei o que eu poderia fazer agora. 

- Melhor irmos de nove. 

Disse Castiel e então todos assentimos e fomos para nossos quartos. Eram 6:45 ainda. Me deitei na minha cama e fiquei pensando no Kentin. Como me sinto tão inútil sem poder fazer nada. Vou tentar falar com ele amanhã.

- O que você tem, Nathaniel? 

Castiel me fez despertar dos meus pensamentos.

-Hã? 

- Tá todo calado aí... 

- Ah, não é nada... Só estou cansado. 

Fingi um bocejo que acabou vindo de verdade. 

- Por quê você não vem dormi aqui, como daquela vez que você veio todo coradinho pedindo pra dormir comigo...

Senti minhas bochechas queimarem... Imaginei que ele estaria dando aquele sorriso malicioso. 

- Não quero. 

- Pfff... Você parece uma criança mimada, vem logo!

Castiel me agarrou, fazendo eu sair da cama quase que á força. Eu olhei para ele, Castiel estava sem camisa. Com certeza ele fez isso para me provocar, maldito Castiel! Ele se deitou na cama e se afastou, dando espaço para eu me deitar e foi o que eu fiz. Eu coloquei minha cabeça sobre seu peito, escutando seus batimentos. Eu coloquei minha mão em seu peito e ele colocou a sua em cima da minha, então nós entrelaçamos nossos dedos. Ficamos assim por algum tempo, calados, mas confortáveis... Eu me sentia tão bem ao lado desse idiota, queria ficar ali pra sempre. 

- Representante, é melhor a gente se arrumar, já ta quase na hora. 

- Que horas são? 

Castiel olhou no relógio. 

- 8:27. 

- Nossa. 

Não consigo acreditar que passamos acho que mais de uma hora assim... Só nos dois... 

- Vamos tomar banho? 

Fiquei surpreso.

- ''Vamos''? 

- É só um banho!

- Eu não quero ver você pelado. 

Castiel riu. 

- Mas você já me viu pelado. 

- Eu não quero ver de novo, Castiel! 

Sinto minhas bochechas queimarem novamente com essa conversa desnecessária! 

- Não posso acreditar... Como você pode ser esse tipo de pessoa, Nathaniel?! 

- Que tipo de pessoa? 

- Que me obriga a tomar banho sozinho! 

- Vai logo tomar esse banho! 

- Tô indo! 

Castiel foi tomar banho e eu comecei a procurar uma roupa para ir... Hum... Uma camisa com mangas longas e uma calça branca. Tá ótimo! Não demorou muito tempo e o Castiel saiu do banho com a toalha enrolada na cintura. Tô quase acostumado a ver essa cena! Eu peguei minhas roupas e toalha e fui para o banheiro. Tomei um banho rápido e me vesti. Saí do banheiro e o Castiel estava na frente do espelho, se achando o rebelde bonitão. 

- Vamos? 

Perguntei. 

- Vamos. 

Saímos tentando ser o mas discreto possível até chegar no pátio, Armin e Lysandre já haviam chegado, só faltava o Alexy e o Kentin. 

- Estão aqui a muito tempo? 

Perguntei. 

- Não. Acabamos de chegar. 

Respondeu Armin. Lysandre parecia inquieto. 

- Eu não consigo relaxar, ficando parado aqui! Podemos ser pegos! 

- Relaxa, Lysandre! 

Bradou Castiel, Lysandre começou a roer as unhas. De longe vimos o Alexy e o Kentin chegando. Kentin parecia um pouco mais animado. O que é quase um alivio. 

- Vamos! 

Armin gritou antes mesmo deles se aproximarem. Castiel deu pezinho para o Lysandre, Lysandre subiu, nos ajudou a subir no muro e depois pulamos. Pronto! Estamos livres! 

- Dá pra irmos á pé, não é muito longe. 

Falou Lysandre. 

- É melhor irmos á pé! assim vocês se exercitam, seus gordos! 

Falei. 

- Não somos gordos, temos mentalidades de gordos! 

Falou Armin com um tom de superioridade. Seguimos então á pé. O trajeto todo foi super animado e divertido, até o Kentin falou mais com a gente. Armin como sempre, fazendo todos rirem com seu jeito... Lysandre sempre se envergonhando com ele, é claro. Por fim, chegamos! O lugar era iluminado á velas, era super bonito. Escolhemos uma mesa mas no fundo. Achei incrível o tamanho da mesa de caber nós 6. Sentamos e conversamos enquanto não eramos atendidos. Até que uma garçonete chegou na nossa mesa. 

- Olá rapazes... Já decidiram o que vão querer? 

Ela era bonita, cabelos longos lisos e pretos, pele de amêndoa e olhos verdes. sua voz era carregada de sensualidade e segundas intenções. Foi a hora que os garotos decidiram marca seu território. Armin deitou sua cabeça no ombro do Lysandre e o mesmo passou o braço ao redor do pescoço do moreno. Alexy entrelaçou seus dedos nos do Kentin e se aproximou um pouco mais dele. Eu fiquei olhando tudo, quase de olhos arregalados e então voltei minha atenção a garçonete, ela olhava tudo e ficou até um pouco desapontada... Lysandre pegou o cardápio. 

- Eu vou querer um hambúrguer e você amor, vai querer o quê? 

Eu acho que eu vou começar a rir aqui. 

- Lasanha. 

Falou Armin manhoso se acomodando ainda mais no ombro do namorado. Lysandre passou o Cardápio para o Alexy que o olhou atentamente e então passou para o Kentin dizendo que não sabia o que escolher. Kentin pediu macarrão ao molho branco. Aposto que vão dar uma de '' A dama e o vagabundo '' Castiel pediu pizza e eu uma salada. Somos os únicos não-casal. Que triste. Acho que a garçonete vai achar que tem alguma chance comigo ou com o Castiel. Ela anotou os pedidos e foi embora. certifiquei se ela estaria longe o suficiente para perguntar. 

- O que diabos acabou de acontecer? 

- Não gostei dela... Cheia de segundas intenções... 

Falou Lysandre com cara de nojo. 

- Nem eu! Ela precisava se ligar que todos já tem donos aqui! 

Falou Alexy. 

- Ou quase todos... 

Falou Armin dirigindo o olhar para Castiel e eu. Corei. 

- Ela tá voltando! volta as posições de novo!

Falou Alexy sussurrando e quase em pânico, todo mundo voltou aquela posição novamente, menos eu e o Castiel. A garçonete se aproximou. 

- Vocês decidiram o que beber? 

Ela perguntou. Sua voz não era mais cheia de segundas intenções mas ainda carregava a sensualidade. Por fim todos pediram uma Pepsi e eu um chá gelado. 

- Desculpa mas... É difícil não notar e impossível não elogiar, você é gata. 

Eu arregalei meus olhos em direção de onde essa voz vinha e para minha surpresa, vinha do meu lado. Castiel chamou a garçonete de gata. Acho que eu não fui o único a ficar surpreso. Olhei em volta e todos olhavam o Castiel. Olhei novamente a garçonete e ela sorria pro Castiel e corava ao mesmo tempo. Ela sussurrou um Obrigada e foi embora se rebolando... Coitada, pensa que tem bunda... 

- Castiel nera gay, nera

Armin perguntou. 

- Isso não significa que eu não posso elogiar as pessoas. 

- Chamar de ''gata'' é um elogio bem paquerativo... 

Resmunguei. Ele olhou para mim.

- Ah, é? Não sabia. 

Castiel falou sorrindo para mim. Eu apenas revirei os olhos. Começamos a conversar novamente até a garçonete chegar na nossa mesa trazendo nossos pedidos. Ela colocou os pratos de cada um sem tirar os olhos do Castiel. Aquilo já estava incomodando. Ela entregou os pratos e disse que iria pegar os copos a pepsi e o chá gelado. Ela foi embora e eu comecei a olhar o Castiel com meu olhar mortífero... Eu não sei se tô bravo com o Castiel ou com essa atendente... Ele nem deu bola pra mim. Ela voltou e distribuiu os copos e colocou a pepsi em cima da mesa. Ela empurrou um papelzinho até o Castiel, consegui ler o que estava escrito. 

Liga pra mim 

Tinha o número dela la e ela ainda teve a audácia de desenhar um coraçãozinho... Antes do Castiel pegar o papel eu mesmo peguei e rasguei o papel na frente de todos! 

 

 


Notas Finais


Desculpem... O capítulo saiu um pouco do foco que era o Kentin...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...