História Doce Apocalipse: Interativa - Capítulo 12


Escrita por:

Visualizações 63
Palavras 1.266
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Ecchi, Ficção, Romance e Novela, Saga, Survival, Terror e Horror, Violência
Avisos: Bissexualidade, Canibalismo, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


E chegamos ao 10° Cap.! Na verdade é o cap. 12, porém da história em sí é o 10, mas deixa. O importante é que estamos chegando ao final...............da introdução a personagens, ou seja, estamos indo para o começo das relações entre todos eles. Então preparem seus shipps, e um lanche rápido, pois será um capítulo rápido mas com... não posso dar spoiler logo no começo né?

Capítulo 12 - Abrir Fogo


Fanfic / Fanfiction Doce Apocalipse: Interativa - Capítulo 12 - Abrir Fogo

Por que você colocou esse número do lado de fora? - Tenho certeza que é a garota que eu ví!

Por que nã tinha como eu ir até onde você estava. - Respondi me afastando do pessoal.

Hum... Quem é você? - Ela parecia bem desconfiada.

Leonardo, estou com o meu grupo aqui no supermercado. - Enquanto respondia, a Helo me puxou para seguir ela.

Percebi pelo tiros que deram. E por que ficou me observando? - Enquanto fala com a garota, a Helo me levava pelo supermercado.

Estava observando em volta para ver se achava alguém vivo, e te achamos. - Respondi subindo com a Helo para os escritórios.

Foi assim que formou seu grupo? Juntando gente que achava? - Onde ela quer chegar?

Tirando os primeiros membros, sim. Qual seu nome? - Perguntei a garota questionadora... tá aí um apelido provisório.

Nicolly Barros. - Ela parecia mais preocupada em saber sobre mim, do que sobre como podíamos ajudar ela.

Bem Nicolly, você está sozinha? - Perguntei entrando em uma sala com a Helo.

Passei um bom tempo falando com a Nicolly, na maior parte dele convencendo ela a me responder o que eu perguntava.

Ela estava trancada em casa, e achava melhor continuar lá sozinha, mas convenci ela a se unir a nós quando conseguíssemos chegar na casa dela.


Pronto. - Falei depois que desliguei o telefone.

Finalmente. Escuta, por que não faz a G.B. e a Mary irem com os dois que estão com elas para a casa dessa garota em? - A Helo perguntou fechando a porta.

Essa é uma ideia muito boa. Mas como tudo, tem um porém: o Capitão que está com elas não é nada fácil, ele não gosta de estar junto delas e elas acham que a qualquer momento ele pode largar elas lá. - Realmente seria interessante ter esse Capitão no meu grupo, ele e seu cavalo.

Grandes merdas, se ele quer ir não vai mudar em nada os nossos planos. - Ela falou se aproximando e se ajoelhando na minha frente.

Bem, sim, mas ter ele pode aju... dar neles. Escuta, deixa isso para outra hora. - Falei levantando ela.

Não! - Ela me tacou de volta na cadeira e subiu no meu colo.

Heloisa, sério, você não está mais em crise para fazer isso! - Segurei ela pelos ombros.

E quem disse que eu estou em crise de novo? Só to assim por sua culpa. - Ela respondeu abrindo minha calça e puxando a cueca com a boca.

Por que minha culpa? - Juro a mim mesmo que não fiz.

Estava mexendo no meu celular e revi alguns nudes seus, não aguentei e fui brincar sozinha... mas sabe que não é o suficiente para mim. - Ela fala descendo a minha mão para a calcinha molhada dela.

E ainda diz que não está em crise, e que é minha culpa? - Falei desistindo de puxar minha mão de volta e deixando ela se masturbar usando ela.

Ou eu di-digo isso, ou você vai ter que... ah... procurar algum psicólogo ainda vivo que trate ninfo... maniacas... - É oficial, ela está em crise de novo.

Depois disso ela teve o primeiro orgarsmo só com a minha mão, ai aproveitou que já estava no meu colo e começou a... como ela fala mesmo... ah, começou a malhar pernas da melhor maneira. Sinceramente não sei da onde a Helo tirou essa. E depois que eu também tive o meu, ela quis um terceiro com a minha língua.


Quando abri a porta para voltar ao supermercado, vi alguém saindo de fininho. Quando mandei que parece, saiu correndo e sumiu no meio dos corredores do supermercado.

Eu pego! - A Helo passou do meu lado enfurecida e começou a caçar a pessoa pelos corredores.

O que aconteceu? - A Akemi veio e perguntou.

Ehr, nada. Só a Helo que quer descobrir quem saiu correndo. E como está o pessoal? - Perguntei tentando desviar o assunto.

Normal, a maioria ou tantou ligar para alguém, ou ta procurando o que fazer. Ah, e eu acabei as batatas, vim te chamar para comer. - Ela parecia bem animada com as batatas.

Procurando o que fazer? Vou dar a eles algo para fazer e já aproveito para comer elas... Que-quer dizer, comer as batatas. - Me enrolei um pouco no final.

Não entendi? Bem, deixa, vamos. - Adoro a mania da Akemi de saltitar quando está feliz.

AACHEI!!! - Escutei a Helo gritando e um som bem alto.

Quando corre e olho, vejo a Helo em cima de um garotinho com os dois braços dele para traz e um rifle jogado longe.

Esse pestinha que espionou a gente! - Ela falou enquanto ele se debatia debaixo dela.

Shhhhiiiii shiiii shi. Primeiro: quieto! Segundo: - Tirei o facão que ele levava e fui tirar a pistola.

Calma, tô sentada no cano dela, depois eu pego. E então seu merdinha? Goste de ver os outros é? Em? - Quando ela falou, exitei, mas depois tirei a pistola.

Pode soltar. Vamos para a terceira parte, onde eu me apresento. Prazer, sou líder desse grupo e essa é a Helo. Helo, esse é o novo membro do grupo. Você pode dizer seu nome agora e aceitar isso, ou pode tentar falar depois mas sem os dentes, o que me diz? - Falei enrolando uma faixa no meu punho direito.

Eu... okay. Me chamo Victor. - Ele respirou bastante, como se engolisse toda a raiva.

Ótimo Victor. Primeira pergunta: como entrou aqui? - Perguntei tirando a faixa e dando para a Helo.

Ouvi tiros e vim ver o que aconteceu, vi um garoto atirando e depois te vi entrando pela área de carga com o garoto que estava atirando. Então tentei e conseguir entrar e procurei por você. - Então ele passou por todos "eles" sozinho e entrou aqui? Esse garoto é bom.

E então me achou certo? - Falei com um sorrisinho de canto.

Sim... - Ele parecia um pouco envergonhado, mas faz sentido, ele tem o que? Uns 14 anos? Com certeza nunca tinha visto alguém tranzar pessoalmente.

Então, a Helo aqui quer te socar, já que você estava devendo a ela por ter visto o que viu. Mas eu estou devendo a você por ela de arremessar no chão e quase quebrar os seus braços, já que quero que você entre de bom grado no meu grupo. Por que não esquecemos os três essas dívidas e matamos o assunto aqui? - Fui falando e gesticulando até passar os braços no pescoço dos dois e aproximar eles.

Certo. Eu esqueço. - Esse Victor é novo mas parece saber escolher.

Hum. - A Helo virou o rosto e foi embora.

Bem, acho que resolvemos tudo. Venha, vamos conversar agora de uma maneira direta, sem mais ameaças e calma. Akemi, chama a Hana por favor? - E mais uma vez uma função que parece a menos significativa no grupo mostra o seu valor.

Com a Hana conversando com o Victor, e tudo acertado com a Nicolly, só precisava acertar com as meninas como faríamos para nos juntarmos.

Certo! Vou tentar convencer o Jacob disso. - A G.B. respondeu no celular.

Kelvin

Tem 3 pessoas indo em direção ao grupo 2.

E uma última coisa. O Kelvin acabou de me passar uma mensagem dizendo que tem um grupo de três pessoas indo na direção de onde vocês estão. - Falei enquanto digitava a resposta.

Você

Obrigado, continue observando eles.

Vindo para cá? Okay, pode deixar que a Mary e eu cuidamos disso. - Ela respondeu e depois nos despedimos.

Kelvin

Mais 4 apareceram, agora são 7 indo em direção ao grupo 2.

Você

Obrigado e fique alerta. Se achar que eles vão atacar o grupo 2, pode abrir fogo.

Kelvin

Abrir fogo? Acha mesmo necessário?

Você

Depende do que eles fizerem, por isso deixo você decidir se atira quando suspeitar de algo.

Kelvin

Então tá, se eu achar necessário vou  começo a atirar, entendido.


Notas Finais


Rápido mas com impacto, essa é uma maneira de se descrever, mas não se preocupem, amanhã tem mais.
E o que andam pensando tá tempestade? Confirmaram suas teorias, criaram outras, ou ainda estão juntando os pontos?

Link da 1° Temp. da Doce Apocalipse:
https://www.spiritfanfiction.com/historia/doce-apocalipse-7556213


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...