História Doce Casamento - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Kris Wu, Lu Han, Sehun
Tags Baekyeol, Chanbaek, Hunhan
Visualizações 2.283
Palavras 1.650
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Famí­lia, Ficção, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá meu povo!

Desculpinhas por tá postando a essa hora, mas só terminei agora kk^^

Até as notas finais;)

Capítulo 8 - Brigas e Confusões


Fanfic / Fanfiction Doce Casamento - Capítulo 8 - Brigas e Confusões

Os últimos três dias tinham sido os piores dos pesadelos de tanta discussão e briga que rolaram, principalmente com a aceitação dos pais de Baek Hyun sobre o casamento. Depois que Chan Yeol foi pedir a mão do filho deles em noivado, deixando ambos os mais velhos extremamente surpresos com a notícia, o maior não hesitou em contar todos os detalhes sobre aquele relacionamento falso. Tinha esperanças que, pelo menos, os pais do menor abrissem os seus olhos para que enxergasse como estaria acabando com o seu futuro de achar um homem melhor, que cuidasse dele com carinho e respeito, coisa que não encontraria se casando com ele. 

Entretanto o pequeno era teimoso que nem uma mula e não queria escutar nenhum dos conselhos dados pelos genitores, que apenas os sobrou engolir toda aquela história e entregar, mesmo contra a vontade, a mão do único filho. 

E no fim do terceiro dia quando Chan Yeol se deitou em sua cama para se entregar ao mundo dos sonhos, rezou para que os próximos fossem mais calmos, estava estourando de dor de cabeça e achava que seu corpo tinha ficado imune aos medicamentos que estava tomando, era um problema em cima de outro problema, que não sobrava tempo para relaxar.

 

 

☀️☀️☀️☀️☀️☀️☀️☀️☀️☀️☀️☀️☀️☀️☀️☀️☀️☀️☀️☀️

 

 

06h: 22min - Da Manhã

 

Chan Yeol acabou despertando do sono tranquilo que estava tendo, quando barulhos incessantes de batidas na madeira e conversas no andar de baixo, começaram a invadir o sossego do seu cômodo o perturbando-o. Grunhiu irritado ao se sentar na cama, estando com uma carranca estressada e sonolenta no rosto. Cambaleante andou até o banheiro e se despiu para que logo em seguida se enfiasse de baixo da ducha fria, em busca de que a mesma o despertasse e relaxasse seus músculos tensos. 

Depois de longos minutos no banho, saiu vestido confortavelmente enquanto enxugava seu cabelo com uma toalha média, parando em frente à sua janela para olhar o jardim bem cuidado de sua mãe. Arrependeu-se na mesma hora quando avistou a confusão de pessoas que percorriam o gramado florido, ajeitando cadeiras brancas e um altar, que significava apenas uma coisa. 

Seu rosto se tornou vermelho pela raiva que subia em seu ser, tacando com força a toalha em algum canto do quarto e saindo bufante até o andar de baixo. Passou os olhos pela sala até poder visualizar sua mãe, toda sorridente em um canto. 

— EU POSSO SABER QUE MERDA QUE ESTÁ ACONTECENDO NA DESGRAÇA DO JARDIM DE TRÁS? — Gritou em fúria, assustando todos que estavam próximos, principalmente sua mãe que não esperava aquela reação estrondosa do filho. 

— E-Estamos organizando seu casamento, meu filho. — A mulher falou amuada, se encolhendo toda perto dos funcionários que estava conversando. 

— E quem te deu autorização pra preparar essa merda? — Chan Yeol se curvou ficando com o rosto na altura da face alheia, para que a mulher visse o tamanho do ódio que estava sentindo. 

— O-Olha aqui, garoto, n-não é assim que fala com sua mãe. — Em um tom falho de mostrar coragem, á mulher o repreendeu, tornando as coisas bem piores para o seu lado. 

— Não é assim? Qual é o seu problema? Você acha certo passar menos de três dias que estou noivo e já querer preparar um casamento sem a DROGA DO MEU CONSENTIMENTO? — Chan Yeol estava mais do que descontrolado e quase esganou sua mãe, se não fosse por Baek Hyun o segurar. 

— Calma, Chan Yeol, o que está acontecendo aqui? Quem são essas pessoas? — Baek Hyun que tinha acabado de chegar, estava confuso e atordoado com toda aquela confusão, além de assustado ao encontrar seu futuro marido prestes á arrancar o pescoço de sua mãe. 

— O que está acontecendo? Essa louca aí. — Apontou pra mulher ainda sendo segurado pelo menor, que temia que o mesmo matasse Sun Hee enforcada. — Está preparando um casamento no jardim dos fundos, sem ter me falado nada. 

— M-Mas já? — Baek Hyun arregalou os olhos surpreso, encarando a mulher que estava toda encolhida. 

— É melhor, mamãe, você por essa cambada toda pra fora, antes que eu mesmo bote. — Falou com um tom irônico e ao mesmo tempo ameaçador, enquanto se desvencilhava dos braços do pequeno e voltava para seu quarto. 

— E-Esse, garoto, viu como ele me tratou? Eu deveria arrebenta-lo na cinta. — Sun Hee falou indignada enquanto arruma suas vestes. 

— Não é pra menos, acabamos de ficarmos noivos, não acha que está sendo rápida demais? — Perguntou com o cenho franzido e os braços cruzados em frente ao corpo, desconfiando de tudo aquilo. — Conte-me a verdade, Sun Hee. 

— Tá, tá! Os bisavós dele resolveram aparecer mais sedo do que imaginamos, e eles se alto convidaram pro casamento que acontecerá amanhã. — A mulher se rendeu, revelando o motivo para aquela pressa toda. — Então é melhor você subir lá e convencer aquele garoto a aceitar antes que eu o faça. — Informou dando as costas e saindo pela porta que dava para o jardim. 

Baek Hyun teve que respirar fundo umas dez vezes antes de tomar coragem para ir bater na posta do mais velho, já se sentindo com preguiça em discutir com aquele homem teimoso. 

— Chan Yeol. — Chamou batendo três vezes na porta antes de abri-la e entrar no cômodo, onde o encontrou deitado em sua cama. 

— Eles já foram? — Perguntou sem olhar para Baek Hyun 

— Não! E não vão tão sedo, pelo menos, até que nos casemos amanhã. 

— Diz pra mim que isso não está acontecendo? — Suspirou cansado. 

— Já vamos nos casar as pressas de qualquer jeito mesmo, que importância faria se for amanhã ou daqui um mês? — Perguntou se aproximando da cama e se sentando ao lado do corpo esparramado no colchão.

— Isso tudo está indo rápido demais, nem me acostumei com essa ideia maluca ainda.   

— Mas vai ter que se acostumar, porque parece que os seus bisavós se alto convidaram pro nosso casamento. 

— Arh! Não brinca?! o que eles querem aqui? 

— Tenho minhas suspeitas, se quiser ouvir? — Mordeu os lábios fazendo um carinho na barriga do maior, recebendo desse uma confirmação para que continuasse. — Acredito que vão nos vigiar a partir de agora. 

— Porque fariam isso? — Perguntou se apoiando nos cotovelos para que pudesse olhar melhor Baek Hyun. 

— Pense comigo, Chan Yeol, você é um filho perfeito, se assim posso dizer. Inteligente, responsável e o único apto o suficiente para dirigir uma empresa daquele tamanho. O Se Hun pode até ser o mais velho, entretanto é um idiota que vive brincando e aprontando pegadinhas pra cima dos outros...

— Sim, mas de acordo com meu pai, ele só não pode assumir a empresa por ter feito muitas coisas erradas que não agradaram os nossos.... 

— Chan Yeol — Interrompeu, fazendo uma careta de indignação. — Como pode ser tão lerdo?... O que Se Hun fez foi acobertado com um tapete bem pesado em cima, a mídia não tem conhecimento disso e também não o impede de assumir nada. Os seus bisavós querem você, Chan Yeol, apenas você e vão ficar de olho em nós para que nada atrapalhe o seu futuro grandioso naquela empresa. Não sei como não percebeu isso ainda. 

— Hm! Sabe? — Chan Yeol se levantou da cama, puxando Baek Hyun junto de si para colar ambos os corpos. — Adoro quando você fica inteligente assim, sinto que a nossa convivência juntos não será tão insuportável como imaginei. — Sorriu de lado aproximando seu rosto do alheio, quase roçando ambos os lábios.  

— C-Chan... — Baek Hyun sussurrou entorpecido pelo aroma forte que se desprendia do mais velho, seus olhos estavam quase se fechando e sua atenção era totalmente voltada para a respiração quente que batia contra o seu rosto, que acabou nem percebendo que estava dando passos para trás, só se dando conta disso, quando suas costas bateram na parede. 

— Te vejo amanhã no altar...  — A voz de Chan Yoel saiu sussurrada e mais grossa do que o normal, estando bem próxima da audição do mais novo que ficou extremamente derretido. — Futuro Park Baek Hyun. — Um calafrio intenso passou pelo corpo do mais baixo ao escutar o sobrenome que iria carregar a partir do dia seguinte, perdendo momentaneamente os sentidos e quase escorregando pela parede quando os braços fortes deixaram de segurá-lo.

E ao abrir os olhos depois de escutar uma porta se fechando, ficou confuso, se perguntando como tinha parado naquele corredor. 

— Olha aqui, Deus, se ‘tu não segurar esse homem no lugar dele, eu juro, juro que irei perder meu voto de castidade e prendê-lo na minha cama pra abusar daquele corpo. — Resmungou enquanto descia as escadas, dando de encontro com Sun Hee. 

— Então, ele aceitou ou vou ter que subir lá e puxar as orelhas dele até resolver me obedecer? — Perguntou a mulher, já dando índice que iria subir para o andar de cima. 

— Não! Pelo amor de Deus, deixa aquele homem quieto. — Baek Hyun correu segurar a mulher. — Se acalme, e me fale logo o que eu tenho que fazer para o casamento de amanhã? 

— AHHHH! — Gritou a mais velha toda histérica enquanto dava pulinhos batendo as mãos uma na outra. — Não acredito! Como conseguiu convencer aquele, cabeça dura, hein? Não diga, deixe para lá, temos muitas coisas a fazer ainda. — A mulher pegou na mão do pequeno e saiu o arrastando enquanto falava que nem uma maritaca sobre tudo que planejava e o que ainda tinha que fazer para que o casamento saísse perfeito.

Baek Hyun passou o dia inteiro com a Dona Sun Hee o carregando de um lado para o outro, organizando os últimos detalhes do casamento que ainda faltavam. Para quem levava meses organizando uma festa dessas, a mãe de Chan Yeol se superou em fazer apenas em um dia, a mulher o levou pra provar terno, marcar horário em um Spar, escolher flores, escolher cores de arranjos, provar comidas de vários bufês e por ultimo, a escolha do bolo e dos docinhos. Nessa parte, até que Baek Hyun confessou gostar, mas de resto foi tudo um saco. 

 

 


Continua...

 


Notas Finais


Eae! Gostaram? Kkkk
Esse Chan Yeol quer matar até a coitada da
mãe kkk^^
... E esse gostinho de ChanBaek em? "@"

Até o próximo amores e, ahhh!

Grupo do WhatsApp: https://chat.whatsapp.com/BEObFQvyfID7oRpXXO6XOn


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...