1. Spirit Fanfics >
  2. Doce Caus >
  3. Doce Caus 03 (Fim)

História Doce Caus - Capítulo 3


Escrita por: Kynnha94

Notas do Autor


Amorinhas chegamos ao último capítulo.


 Boa leitura.

Capítulo 3 - Doce Caus 03 (Fim)


Fanfic / Fanfiction Doce Caus - Capítulo 3 - Doce Caus 03 (Fim)


         ❦ ════ •⊰❂⊱• ════ ❦



(JIMIN )

Essas duas semanas que se passaram foram bem agitadas, não tive tempo nem pra ir a academia tive alguns trabalhos para entregar e apresentar então estava correndo.

O pior é que mal consegui ver Jungkook só o via de relance pela faculdade e hoje seria um desses dia mas o que eu vi me deixou puto, passei pelo refeitório do curso de arte e o vi sentado em uma das pernas de Hyunjin um veterano do curso de artes e isso me causou um ódio, sei que não temos nada estabelecido mas isso me deixou com muita raiva.

- Eai bad boy. Yoon deu um leve soco em meu ombro mas ainda assim mantive meus olhos no moreno. - Que cara é essa?

- Hiii pelo jeito tem a ver com o gostosinho ali. Jin que estava junto me deu um beijo na bochecha apontando para Jungkook. - Oi chim.

- Oi gatinho. Segurei ele pela cintura retribuindo o beijo em sua bochecha enquanto ele rodeia meu pescoço com seus braços. - Eu não acredito na falta de vergonha dele.

- Eu já ouvi isso antes. Yoon fala se pondo caminhar em nossa frente apontando para duas mesas a frente onde Jungkook estava.- Vamos sentar ali tô loco de fome.

Ainda abraçado na cintura de Jin caminhamos até a mesa já com as bandejas de comida, assim que me sentei vi o olhar de Jungkook cair sobre mim sem nenhum arrependimento por estar do modo que estava.

Isso me deu uma raiva que minha vontade era ir até lá e dar uns bons tapas na cara dele e o enforcar até ele aprender, mas resolvi fazer algo bem melhor.

- Quer jogar, então vamos jogar. 

- E lá vamos nós. Jin se levantou trocando de lugar sentando ao lado de Yoongi. - Coitado de quem for a vítima nisso aí.

Os dois ali presentes me conhecem melhor que ninguém sabem que a forma de punição que sou bom é psicológica , e já que Jungkook é um bretizinho manipulador vou dar um pouco de seu próprio veneno.

Passei os olhos no refeitório e logo atrás de Jungkook meu ex submisso se aproximava quem melhor que esse pra ser usado.

- Taemin. Sorri travesso me pondo de lado na cadeira abrindo minhas pernas enquanto chamava alto pelo nome fazendo Jungkook me olhar. - Vem aqui.

Falei autoritário sem me importar com todos a minha volta, só queria por o submisso travesso em seu lugar.

Taemin se aproximou com seu olhar calmo e alegre, o puxei pela cintura fazendo ficar entre minhas pernas enquanto meus dedos apertavam a pele que eu já conhecia fazendo ele arfar baixo.

- Oi, meu bem. Minha fala era mediana o suficiente para que Jungkook pudesse ouvir. - Quanto tempo.

- Oi Jimin eu.. ahww. 

Apertei minhas unhas em sua pele sentindo essa se rasgar minimamente.

- Tanto tempo e ainda não aprendeu meu bem?

- Me desculpe senhor.

- Bom menino. O puxei o fazendo sentar de frente pra mim sobre minhas pernas. - Sentiu minha falta?

Ele apenas assentiu mordendo seus lábios, me aproximei e mordi seu pescoço direcionando meu olhar a Jungkook esse que agora estava em pé com os braços cruzados nos encarando tendo Hyunjin por trás o abraçando.

Passei minha língua no pescoço de Taemin o escutando gemer baixo sobre mim, pisquei pro moreno vendo esse revirar os olhos e ri com o ato.

- Jimin. Yoongi me chama rindo. - O que deu em você, você não é de se comportar assim em público.

- É ciúmes. Jin fala comendo sua maçã. - O moreno prendeu ele legal.

- Não é ciúmes. Taemin me olhou estranhando a conversa mas não falou nada, só continuou a mexer em meu cabelo. - Só sou possessivo com o que é meu.

- Seu? Jin dá uma risada escandalosa típica dele. - E você já falou isso pra ele ou pelo menos conversou ou o marcou?

- Não importa se eu falei ou não, ele é meu e ponto.

- Desde quando?. Me viro para Jin que está com seu rosto escorado em suas mãos me encarando. - Que eu saiba pessoas não têm dono, e mesmo que seja no BDSM você precisa do consentimento dele.

- Desde que eu o vi na boate e decidi que ele seria meu.

Antes de Jin falar algo ele faz um sinal com a cabeça e quando me viro vejo Jungkook se aproximando com cara de poucos amigos.

- Atrapalho algo? O moreno gostoso pergunta olhando para Taemin, esse que tentou se levantar mas eu o apertei com meus braços. - Jimi-shi o que você tá fazendo?

- Não é óbvio?. Passo minha língua pelo queixo até o maxilar do homem em meu colo, esse que mais uma vez geme. - Estou com tédio e estressado preciso de uma distração.

- Tu é um filho da puta Park.

Empurro Taemin fazendo ele sair do meu colo e encaro o moreno que teve a coragem de gritar comigo.

Vou até ele cravando minhas unhas em sua pele do braço vendo ele tentar conter um gemer pela dor.

- Não ouse gritar comigo novamente ou posso fazer bem pior do que a última vez.

- Tente. Ele me desafia puxando seu braço se livrando do aperto. - Você não me tem como sub nem nada.

- Jeon Jungkook você é meu querendo ou não. Me aproximei o puxando pelos cabelos podendo ver meus amigos e todos ao redor olharem aquilo. - Nunca mais me faça por a mão em outro submisso que não seja você ou sou capaz de ....

- De que Jimin, em?. A cada palavra dele mais raiva eu sentia mais vontade de fuder aquela boca eu tinha.- Você encostou naquela puta porque quis.

- Não. Puxei mais os fios o trazendo pra mais perto. - Encostei porque te vi no colo daquele desgraçado do Hyunjin e não gostei.

- Não gostou?

- Não, não gostei, sou possessivo com o que me pertence.

- Prove. Ele selou meus lábios e os mordeu forte. - Me prove que eu te pertenço senhor.

O peguei pelo pulso e sai o arrastando no meio de todos eu já não me importava o que iram dizer só queria chegar em casa e fuder Jungkook o marcar a ponto de não poder usar roupas curtas por um mês de causar dor a ele que o fizesse faltar uma semana na faculdade.

- Suba. Entreguei um capacete a ele pois tinha vindo de moto, ele colocou e subiu. - Sem uma palavra ou suspiro.

Ele afirmou e pude ver um sorriso em seus lábios, ele me tira do sério, me dá raiva e me irrita, mas por algum motivo sinto que meu corpo precisa dele assim como um viciado precisa de sua quantia diária de drogas.

Só de imaginar o que eu faria com ele fiquei duro, para ajudar Jungkook tinha suas mãos em minha cintura e isso me deixava em êxtase e tudo piorou quando ele pôs sua mão em meu membro o apertando de leve.

...

- Vamos. Ele desceu assim que estacionei a moto na garagem. - Suba tome um banho e espere que eu vou te vestir.

Ele subiu sem falar nada mesmo eu vendo um sorriso em seu rosto, fui até a cozinha e peguei um copo de água gelada com gelo e subi até o quarto de interior vermelho.

Olhei em volta e achei melhor deixar minha criatividade pro momento, fui até meu quarto e Jungkook estava saindo do banho sem nenhuma toalha sobre seu corpo.

- Se limpou direito?. Ele confirmou e eu me aproximei tocando seu rosto. - Tão lindo pena que não é domesticado mas vou resolver esse problema, espere aqui.

Fui até o fim do closet e peguei uma sacola com roupas que eu havia comprado para usar em um de meus submissos mas nenhum quis então permaneceu guardado.

- Me responda, Alguma objeção sobre vestimenta?

- Não senhor.

Sorri com a resposta ver esse moreno de cintura fina em roupas delicadas vai ser uma provação, terei que me contentar para puni-lo. 

Me abaixei pondo em Jungkook um par de meias 7/8 no estilo arrastão junto de uma calcinha de renda ainda em suas coxas fechei uma cinta liga com detalhes em coração em uma perna e em outra um laço delicado, em seu tronco coloquei um roupão branco transparente com a frente aberta .

- Perfeito. Olho admirando como tudo fica bem nesse corpo. - Vá ao outro quarto e me espere como já sabe.

Ele se virou e saiu rebolando aquela bunda de um lado pro outro e olhar isso fez meu pau pulsar, fui ao banheiro tomei um bom banho em meu corpo coloquei apenas uma calça de moletom cinza sem cueca por baixo.

Caminhei lentamente até o outro quarto e quando abri a porta Jungkook estava sentado sobre os joelhos no chão ao lado da cama com suas mãos espalmadas sobre suas coxas grossas a imagem era perfeita.

- Eu não sei como nem o porquê ou o que você fez comigo. Caminhei até a parede que tinha algumas coisas pegando uma corda vermelha e a dobrando ao meio. - Mas me sinto obcecado e possessivo com você e você deveria saber disso só pelo jeito que te trato.

Levantei ele do chão começando a passar a corda pelos seus braços dando um nó a cada volta dada até chegar em seus cotovelos deixando apenas uma ponta que eu possa segurar.

- Hoje vou fazer você entender de uma vez só que seu corpo me pertence. Puxei ele pela corda fazendo ele bater em meu peito. - Lembra de sua palavra?

- Coelho senhor.

- Alguma objeção?

- Sem agulhas, senhor.

- Tudo bem. Aproximei minha boca em seu pescoço o mordendo sentindo o gosto metálico do sangue em meus lábios.- Mas isso não vai te livrar de sangrar hoje.

O levei até o meio do quarto onde havia uma espécie de gancho fixo no teto, passei a ponta da corda por ali puxando com brutalidade fazendo o moreno ficar com seus braços para cima, prendi a ponta em um outro gancho ao chão para dar firmeza. 

Vou até a parede novamente, mas em vez de uma corda pego um açoite de 10 tiras com algumas pecinhas de metal em suas pontas.

- Eu realmente pensei em te punir durante horas até você não ter mais forças pra respirar. Passo o açoite nos ombros do moreno ouvindo um arfar dele. - Mas você está tão gostoso vestido assim que vou pegar leve com você pois quero fuder teu cú com força.

O beijei sentindo seu corpo vibrar pela força que fazia tentando me beijar me fazendo rir.

- Hoje vou permitir que fale. Eu o segurei pelo pescoço vendo ele morder os lábios. - Quero te ouvir gritar, agora vamos começar.

Desferir uma chicotada em suas coxas e ele se retorceu com a dor.

- Porquê estava no colo daquele desgraçado?

- Estava discutindo um trabalho senhor AHWW.

Desferi mais uma chicotada agora com mais força vendo a marca vermelha se formar em sua pele junto com pequenas marquinhas de sangue.

- E você acha certo o que fez?

- E-eu não percebi senhor.

- Não percebeu?. Dei mais duas de uma única vez vendo uma lágrima escorrer em seus olhos. - Sabe como eu fiquei ao ver isso? - Você é meu, você me pertence querendo ou não.

Fiquei atrás dele desferi um golpe atrás do outro no total de mais dez fora os que já tinha dado, suas costas tinham rastros de sangue causados pelas pontas de metal no açoite a cada açoite dado era um gemido alto e sôfrego que Jungkook soltava.

Quando fiquei de frente pra ele vi seu rosto encharcado de lágrimas em seus rosto examine seu estado para ver se ele estava em condições de continuar, posso ser sádico mas prezo pelo bem estar de meu futuro submisso ainda mais esse sendo Jungkook.

O moreno ergueu seu rosto me olhando com um sorriso em seus lábios, o filha da puta é um dos maiores masoquistas que já conheci.

E ver isso me deixou mais duro, desfiz os nós dos ganchos e puxei ele o arrastando até a cama o jogando lá, vou até a gaveta e pega lubrificantes e vibradores e me lembro também de pegar os pregadores de mamilo.

- A quem você pertence?. Fico entre suas pernas passando lubrificante em um dos vibradores levando até a entrada dele e enfiando de uma vez pela demora da resposta. - Me responda docinho.

- Ao s-senhor.

Coloco os prendedores em seus botõezinhos marrons vendo ele gemer com isso.

- Você vai continuar a me desobedecer e a me provocar? Ligo a vibração do pequeno vibrador no máximo e ele nega com a cabeça. - Palavras meu doce, palavras.

- N-não meu s-senhor.

- Como devo acreditar em você meu bem, já que sempre está me desafiando?

Ele me olha com seus olhos entre abertos pelo êxtase das vibrações em sua entrada e logo sorri manhoso.

- Eu serei seu meu senhor, unicamente seu, eu entrego meu corpo apartir de hoje para que o senhor faça o que bem queira comigo dentro dos meus limites. Não posso negar de sorrir com isso ele confirmando sua entrega a mim era o que eu precisava ouvir mesmo que antes eu não soubesse que precisava. - Agora sou seu meu senhor me tome pra si.

Sem demora coloquei a camisinha em meu pau e o lubrifiquei,arrumei suas pernas e acariciei seu pau com minha língua o chupando lentamente e forte.

Assim que senti o pré gozo ficar mais presente me afastei do membro de meu garoto pondo meu membro acariciar sua entrada.

- O senhor não vai tirar isso. Neguei e ele me olhos assustado. - Mas...

- Sem mais. Forcei um pouco entrando nele vendo ele gritar pelo incômodo de ter o vibrador pequeno e meu pau juntos em sua entrada. - Falei que se arrependeria de me confrontar.

A vibração do objeto também me afetava me levando a delirar, Jungkook gemia alto suas unhas estavam cravadas em suas mãos.

O virei de bruços e puxei sua bunda pra ficar empinada pra mim, e com sua entrada exposta pra mim piscando com o vibrador dentro de si, desferi dois tapas em sua bunda logo passando minha destra em suas costas admirando cada marca avermelhada e com resíduos do linguado vermelho.

- Seu corpo é meu. Entrei dentro dele com força dando uma estocada. - Sua boca é minha. Dei mais uma estocada forte e funda levando minha mão até o pau duro de húmido dele fazendo movimentos contínuos pressionando sua glande. - Tudo em você me pertence até seus pensamentos. Acelerei minhas estocadas acertando a próstata vendo ele erguer e jogar sua cabeça para trás. - Você é meu e unicamente meu.

- Sim m-meu senhor. Ele falava cortado pelas estocadas e pela masturbação que eu mantinha nele ele gritou quando acertei mais forte seu ponto doce. - Aí aí senhor me fode mais rápido por favor.

Assim fiz entrava e saia rápido e fundo cravando minhas unhas da mão mão livre em sua pele da bunda.

Mais alguns movimentos em seu pau ele se desfez em minha mão levei essa até seus lábios e o fiz lamber seu próprio gozo limpando minha mão com sua língua, logo o puxando pelo pescoço.

Eu mordi sua nuca com força e chupava sua pele sem deixar de estocar sua próstata, quando senti que iria gozar sai de dentro dele o virando na cama de barriga pra cima.

Retirei a camisinha e comecei a me masturbar em sua frente tendo seus olhos me adorando e aquilo era tudo que eu queria, Jungkook me adorando como se eu fosse tudo que ele precisasse pra viver.

Intensifiquei a masturbação e gozei em seu peitoral e em seu rosto enquanto eu gemia sobre o olhar de meu garoto, ainda masturbando meu pau comesei a lamber sua tronco sujo pela minha porra a espalhando e saboreando meu próprio sabor.

Lambia seus lábios e o beijei intensamente, podendo sentir nossos sabores se misturar formando uma combinação perfeita de nos dois, tudo aquilo era como misturar álcool e cocaína, era excitante, prazeroso, único fazendo com que eu fosse a outro universo e voltasse.

Ele se virou pra mim assim que eu deitei ao seu lado , e ainda com suas mãos amarradas passou elas próxima e minha cabeça me pondo no meio de seus braços enquanto me olhava.

- Jimi-shi?

- O que?

- Você pode não abraçar mais aquele loiro fudido lá?

- O Taemin?. Ele afirmou e eu ri soprado. 

- Ele não chega nem aos teus pés docinho, você não gostou de me ver com ele?

- Não. Ele beija meu nariz e depois minha boca. - Você é meu DOMDOM.

- DOMDOM?. Ele deu de ombros fazendo um bico fofo do caralho. - Agora você sabe o que senti ao te ver no colo daquele cara lá. 

- Prometo não fazer mais isso agora sou apenas seu, pode me soltar agora?

- Vem cá.

Ele tirou seus braços de mim e com um único puxar todos os nós se desfizeram, me levantei mesmo com dificuldade e o olhei ali deitado e sorri, seu corpo estava todo marcado por mim dês de seu pescoço até suas pernas.

Marcas dos açoites misturavam-se com as marcas e mordidas e de meus dedos feitos naquela pele tão branquinha.

- Consegue caminhar?. Ele me olhou e negou. - Vou por a banheira a encher e já volto.

No meu quarto enquanto a banheira enchia separei cremes e óleos para passar nas feridas do moreno, nunca em todo esse tempo me senti tão satisfeito tão completo, Jungkook foi o único que acompanhou esse meu vício e sem que eu percebesse ele mesmo virou meu vício.

Eu já não me via fudendo outra pessoa não me via sendo dominador de outro submisso, mesmo não gostando de me prender a ninguém eu só me via com ele com meu docinho só me via sendo o DOMDOM de Jeon Jungkook.

Eu fui buscar meu garoto esse que gemeu de ir quando o peguei no colo, já na banheira eu lavava suas feridas com carinho e cuidado mas sempre admirando o quão lindo ele estava marcado por mim.

- Jimi-shi quer saber um segredo?

- Se você quer me contar sou todo ouvidos.

- Palhaço. Ele tocou água em meu rosto rindo. - Eu nunca me senti tão bem com alguém como me sinto em tão pouco tempo com você.

- Eu também meu doce. Dou um beijo no topo de sua cabeça. - Vem.

O levo até a cama secando seu cabelo o pondo de costas pra mim, passando os cremes e os óleos massageando cuidadosamente suas feridas.

- Sabe kook, nunca ninguém suportou minha intensidade e nem foi tão intenso como você é comigo.

- Idem.

- Quero afirmar mais uma vez agora que estamos mais calmos.

Eu o virei para mim selando nossos lábios sentindo ele sorrir no meio do beijo.

- Você é meu mesmo que pareça loucura e doentiu, você me pertence não me vejo com outra pessoa não só na parte do sexo mas em geral. - Eu te tenho, mas quero que todos saibam que você me pertence.

Me abaixei pegando na gaveta da cômoda a caixa aveludada que tanto esperei poder usar.

- Sempre quis poder dar a alguém isso. Abri a caixa revelando duas coleiras de couro e camurça.- Quero que você aceite isso como prova da minha palavra que eu sempre cuidarei e estarei aqui por você.

Ele sorria largo tocando nas duas coleiras ali.

- Sim. Ele pulou no meu pescoço me fazendo tombar na cama. - Eu também não me vejo com outro alguém de nenhuma das formas, você é meu domdom e eu sou seu docinho, agora bota em mim.

- De novo nem se recuperou. 

- Tô falando da coleira Park pervertido Jimin.

- Eu sei tô brincando, vira.

Ele se virou e pus a coleira de couro que carregava minhas iniciais essa seria usada só em nosso atos de sexo ou em eventos apropriados, já há outra de camurça que tinha um diamante como pingo de luz era social é usada no dia a dia e é mas delicada não chama tanta atenção.

- São lindas Jimi-shi. Ele fala olhando no espelho e logo ouço a barriga dele roncar.- Ops!! Acho que meu buchinho tá pedindo comida.

- Aí garoto. Visto minha camisa nele e o beijo na testa. - Vou pedir algo pra comermos.

Assim que pego meu celular vejo mensagens no grupo.

Park e suas princesas 😈👸🏼👸🏻


Suga🧚🏻‍♀️:

O que estão fazendo seus boiolas?


Jin💃🏼

O Jimin deve tá comendo e batendo no gostosinho.

Eu tô na casa do Namjoon 😈😈


Suga🧚🏻‍♀️

Uma puta mesmo.


Jin💃🏼

Olha quem fala o Joonie me falou que tu ficou com o Taehyung e com o Hoseok.


Eu:
Com os dois?
Achei que o Hoseok era top e dominador também.


Suga🧚🏻‍♀️

Resolveu aparecer?

Mas sim fiquei com os dois.


Você adicionou Docinho ao grupo.


Você trocou o nome do grupo para 

              Beldades do Park 🏳️‍🌈


Docinho🐇
Oiii.
TT e Hobi já tinham me contado.


Jin💃🏼

Olha ele tá vivo.


Docinho🐇
Jimi-shi não é páreo pra mim


Eu:
Já volto vou bater no Jungkook de novo.


  Você adicionou Namjoon ao grupo

  Você adicionou Taehyung ao grupo

   Você adicionou Hoseok ao grupo


Suga🧚🏻‍♀️

Agora a putaria começa...


Namjoon 💪🏼

Que putaria é essa aqui.


Hoseok ☀️

Oiii.

Amei isso aqui.


Taehyung👶

Que bagunça é essa?


Eu 
Jungkook que pediu para colocar vocês, ele quer mostra uma coisa.


Docinho🐇
[Foto indsonive pelas diretrizes]


Assim que kook mandou a foto foi um alvoroço, meus amigos falando pra ele que dava tempo e fugir e os deles dando parabéns.

Largamos os aparelhos e comemos algo, deitados na cama não pude me sentir melhor, o moreno estava sobre meu peito enquanto eu sentia seu cheirinho e brincava com seu cabelo.

- Você é lindo. Falei selando sua testa. - Perfeito pra mim meu doce.

- E você pra mim. Me beijou apaixonadamente me fazendo arfar entre o beijo. - Você é meu domdom perfeito.

- E você é meu doce preferido, fiquei viciado em você assim como um dependente químico fica quando experimenta algo mais forte, e você é o meu equilíbrio perfeito é doce e delicado ao mesmo tempo que é excitante e inebriante fazendo minha cabeça e veias arderem por você.

- Fiquei excitado agora. Ele pula sobre mim e rebola lentamente me olhando. - Segunda rodada senhor?

- Seu pervertido do caralho.

- Pervertido não, viciado em Park Jimin.

- Assim como eu sou viciado em Jeon Jungkook.

E em mais uma rodada de sexo ao nosso modo esse que nos lavava em desejos um pelo outro nos afundando em nosso vício sem cura que selamos nosso início juntos.

O Domdom do docinho.

O Park Jimin de Jeon Jungkook.



Fim...

          ❦ ════ •⊰❂⊱• ════ ❦




Notas Finais


Oiii chegamos ao fim amores espero que tenham gostado .

Obrigada a todos que leram e que vão ler,obrigada por confiarem em mim e me darem a oportunidade de escrever sobre o mundo maravilhoso do bdsm ao qual faço parte.

Sejam felizes e protejam-se .

BEIJOS DE ARCO-ÍRIS NOS CORAÇÕES AMO VOCÊS.

😘💜🏳️‍🌈


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...