1. Spirit Fanfics >
  2. Doce como Café . Hawks >
  3. Capítulo XVII

História Doce como Café . Hawks - Capítulo 18



Notas do Autor


E vamos de dois capítulos seguidos para fechar a saga de ódio a cega da Harumi! Boa sorte e não me matem hahahahaha

Capítulo 18 - Capítulo XVII


Fanfic / Fanfiction Doce como Café . Hawks - Capítulo 18 - Capítulo XVII

O trio se encontrava no apartamento de Harumi, na televisão um filme de terror com doses extremas de sangue, no sofá estava sentada Aiko com as mãos cobrindo o rosto, Harumi que gargalhava a cada morte brutal e Hawks que não parava de arrumar formas para perturbar a platinada. 

 

—AH! — Quando o assassino deu um pulo na câmera, a ruiva logo se assustou berrando e pulando em seu acento — HARUMI! 

 

— O que é? — A mais velha reclamou enquanto dava risada — Você parece uma criança haha. 

 

— Me lembrem bem o motivo deu ter acertado isso — Hawks zombou jogando a cabeça para trás como quem estava entediado. 

 

— Quer mesmo que eu fale o motivo? — A ruiva provocou recebendo um olhar mortal do loiro. O que Harumi não percebeu era que a conversa ainda continuava, em mímica. 

 

Aiko abriu a mão como se imitasse uma parte de uma asa, balançando os dedos como se elas estivessem planando. O herói a encarava de canto de olho, com uma feição questionadora, mas fez a asa que estava livre se abrir lentamente no sofá, viu quando Aiko fechou levemente a mão e então ele entendeu o que ela estava querendo dizer. 

 

Estendeu ainda mais a asa carmesim, tocando aos poucos no ombro esquerdo da imortal que ficou paralisada, a face fingia encarar o filme como se não tivesse notado, mas o seu coração disparou e ela se xingou mortalmente pela reação. Olhando de canto, sem mexer o rosto, viu que Hawks encarava tranquilamente o filme, nem parecia que ele somente o ignorava e se focava nas sensações que sua plumagem macia lhe transmitia. 

 

— Falta mais quanto? — Aiko reclamou de maneira chorona. 

 

— Essa falta uns vinte minutos, mas na lista tem mais dois — Harumi tentou falar tranquila, evitava olhar para a amiga, afinal, estava traindo sua confiança mesmo que não quisesse, mas resolveria aquilo assim que ficasse a sós com Hawks, colocaria um ponto final em tudo aquilo. 

 

O celular vibrou, era o da imortal, uma mensagem que estava esperando fazia algumas horas. Dobrou seu corpo para pegar o celular sobre a mesinha e se arrumando no sofá, abriu a tela desbloqueando com a senha e sentiu os olhos sobre ela. 

 

— Ele aceitou... Nossa, amanhã? 

 

— Quem, Harumi? — Aiko foi a primeira a perguntar, encostando o corpo perto da platinada para poder ver a tela — Oh... Um encontro, me mostra uma fo...to... 

 

Antes que pudessem falar qualquer coisa, uma imagem chegou e foi logo carregada, Aiko começou a surtar enquanto Harumi ficou estática, estava acostumada, mas seus amigos também viram aquilo e... O loiro ao seu lado parecia estar muito irritado quando pegou o celular da mão da garota. 

 

Hawks analisou aquilo com uma sobrancelha arqueada, o dele era maior, bem maior, mas o que mais o irritava era a ousadia do rapaz. Levou o dedo arrastando para ver a conversa, se tinha dez mensagens era muito e não parecia que ela havia apagado a conversa anterior, apenas não se falaram tanto para que ele tivesse intimidade em mandar a foto do seu pau. 

 

— O meu é maior — Disse simples, com um enorme sorriso zombeteiro entregando o aparelho eletrônico para a dona — E qual vai ser a patada que essa mente brilhante vai dar a ele? 

 

— Patada? — Harumi questionou sem entender. 

 

— É, como você faz toda vez que eu tento algo mais ousado com você — Ele apoiou a cabeça em sua mão observando calmamente a mulher a sua frente, antes de desviar o olhar em poucos instantes para a ruiva atrás dela fazendo óbvios sinais de que sua pergunta era péssima. 

 

— Por que eu deveria fazer isso? Hawks, eu quero tranzar com ele — A fala calma congelou o herói que travou em seu acento — Haha, você é muito engraçado. 

 

A boca de Aiko virou uma linha, Hawks sorriu passando a mão no cabelo tentando esconder o nervosismo. 

 

— Eu faço o meu melhor — Zombou o máximo brincalhão possível. 

 

— Eu vou pegar mais algumas coisas para comer — A ruiva se mandou, desaparecendo enquanto o casal se entreolhava. 

 

— Harumi, você conhece esse cara a quanto tempo? 

 

— Um dia? — Ela ficou pensativa, talvez fosse menos que um dia que o achou em um aplicativo de encontros — É, um dia. 

 

— Um dia? E se ele tentar fazer algo pra você? — O timbre do loiro era de preocupação, sua expressão estava um pouco fechada. 

 

— Eu já estou acostumada com encontros assim, vai ficar tudo bem — Ela riu achando aquilo fofo — Está tudo bem, eu sei me cuidar. Você deve estar preocupado por ser um herói, normal, mas nem todos precisam ser salvos. 

 

— Salvos? Herói? Acha que se resume a isso? — O loiro ficou ainda mais sério, seu tronco aos poucos se aproximando da platinada que recuava de leve. 

 

— Sim? Ah, verdade, também por sermos amigos — Ela deu mais uma leve risada que só aumentou quando acabou caindo no sofá, os fios platinados bagunçados na almofada colorida — Você se aproximou muito. 

 

— Harumi... — Seu nome saiu rouco, o corpo musculoso se aproximou mais se colocando sobre a imortal, os olhos profundos encarando a íris castanha com intensidade. Um dedo foi até os avermelhados lábios, deslizando pelo inferior o fazendo se abrir aos poucos se umedecendo com a saliva — Não vá ver ele. 

 

— HAWKS! — Puxou toda a raiva para poder tomar uma atitude, não queria revelar a si mesma que estava gostando daquilo, jamais iria se permitir aquela sensação. Então, levantou e batendo o pé, começou a se afastar, no entanto, seu pulso foi pego com cuidado, a pele quente em contato com a gélida e pálida feminina — HAWKS! Me solta! 

 

— Harumi! — A gritaria dos dois chamou a atenção da ruiva que estava escondida na cozinha dando um tempo para o casal, mas agora os encarava com muita preocupação e tristeza no olhar. 

 

— Aiko... Me escuta, é um engano — A imortal começou a falar se aproximando da ruiva enquanto temia ser rejeitada pela melhor amiga — Droga, Hawks! Eu não gosto dele e nem tentei nada, eu juro! 

 

— Algo? — Aiko falou se assustando um pouco com a reação da amiga — Tentando algo? 

 

— Eu juro que ele veio pra cima de mim, eu sei que você o ama e... Hawks, saia da minha casa agora! 

 

— Harumi, me escuta — O loiro tentou se explicar — Me deixa explicar. 

 

— Não tem o que escutar! Você é um tarado que deu em cima de duas mulheres ao mesmo tempo! Quantas mais você tenta iludir? — A fúria tomou os olhos da imortal que se aproximou do herói com a mão erguida, pronta para desferir um tapa em seu rosto, mas foi impedida pela ruiva. 

 

— Não faz isso — A voz estava triste, tentava querer transmitir tranquilidade a Harumi, mas somente piorou a situação. 

 

— Nunca mais apareça na minha frente, nunca mais tente entrar em contato com a Aiko e nunca mais faça algo tão cruel para outra mulher! — Exigiu apontando para a janela — Suma da minha frente e da minha vida. 

 

— Harumi... Você está enganada — Aiko segurou cada ombro a balançando, mas a platinada não estava em seu estado normal, então, achando que a amiga somente estava fazendo aquilo por um amor cego ao loiro, teve de tomar a atitude mais radical possível. 

 

— Você vai ver que eu fiz o melhor por você — Abraçou a amiga enquanto pegava seu celular discando o número da emergência e deixou na tela por um toque — Saia ou sua fama vai ser destruída. 

 

— Vá... — Aiko implorou vendo a feição de dor do herói que andou em direção da janela a abrindo antes de observar a amada uma última vez — Eu vou acalmar ela. 

 


Notas Finais


Ok, muito ódio, mas segura nas mãos de Deus que ainda tem chão haha


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...