1. Spirit Fanfics >
  2. Doce de Leite >
  3. Aquele do convidado deselegante

História Doce de Leite - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


voltei, estou empolgada com essa históriaaa
vocês têm alguma teoria do que aconteceu com os dois?
eu quero contar, mas não posso >:
ah, escrevi esse capítulo ouvindo Competição de Ego, achei bem a cara do casal haha
espero que gosteeem

Capítulo 2 - Aquele do convidado deselegante


Má ideia. Má ideia. Má ideia.

Draco Malfoy vai estar lá. Eu não estou pronto pra isso! Dois anos? O que são dois anos perto de toda a merda que eu passei?

Má ideia. Má ideia.

Eu vou esganar Hermione, definitivamente.

Será que ele continua bonito de maneira ridícula? Será que ainda tem cheiro de papeis guardados e tinta de caneta?

Má ideia.

O carro parou, me fazendo tomar um susto ao perceber que fiquei 20 minutos pensando e que nem ao menos dei boa noite ao motorista. Estava tão puto comigo, com Hermione e com Malfoy que nem me dei conta do tempo. Saímos do carro, e logo na entrada Blaise já esperava sua ardilosa noiva, ele parecia meio receoso comigo, mas eu não podia simplesmente dizer que não suporto seu melhor amigo, e logo ele não devia ter o convidado. É, deu vontade, mas eu tive noção e o cumprimentei com um abraço.

“Harry! Que bom que veio, achei que teríamos que remarcar o jantar e...Ai Mione!” ele exclamou ao receber um beliscão dela. Bem feito.

“Ora, querido Blaise eu não perderia esse magnifico ensaio por nada. Mas veja bem, espero não ter que lidar com situações incômodas pelo resto da noite, tais como: um loiro me dirigir a palavra, me olhar ou sequer respirar perto de mim. Fora isso, não exigirei mais nada.” Sim, sou bem sarcástico quando quero.

“Não se preocupe, Harry. Draco vai se comportar!” falou como se falasse de uma criança, talvez o dito cujo fosse mesmo. Uma criança birrenta e covarde.

Meia hora depois...

O salão estava lindo, todo ornamentado com flores silvestres e velas. A mesa enorme em formato de E estava com todas as louças lindíssimas emprestadas de mãe de Mione, acho que ela vai ter um treco se alguma quebrar. Respirei fundo rodando meus olhos pelo salão, ele ainda não havia chegado, e eu iria surtar a qualquer momento. Não, não Draco, você não vai foder minha cabeça mesmo estando longe.

“Harry, querido! Não acreditei quando Draquinho me falou que estariam num mesmo ambiente, só Hermione para fazer esse milagre, santa Mione!”

Pansy. Pansy Parkinson. A morena meio estranha amiga de Blaise e Draco, ela realmente não tinha filtro, mas era legal. Quando Hermione ficou em dúvida entre ela e Blaise, eu torci intimamente que escolhesse Pansy, sempre achei que combinariam mais, mas Pans conheceu Luna uma semana depois do fora e não desgrudaram mais.

“Pansy, querida! Acho legal que o seu amigo tenha lembrado de que essa situação é incômoda, e Hermione é uma vadia que me deve 3 sorvetes.”

“3 sorvetes são muito coisa.”

Não, aquela voz não. Por quê, Deus? POR QUÊ?

Virei-me lentamente, colocando minha melhor Poker Face para lidar com aquele filho de satanás. E lá estava ele, o mesmo loiro azedo filho de uma bela dona Narcissa. O rosto estava brincalhão, me olhando como se eu fosse a porra de algum desenho engraçado, talvez eu devesse fugir, é, seria o certo.  Mas quando ele soltou uma risadinha de lado, ridícula, diga-se de passagem, minha Poker Face foi ao chão, agora eu estava puto.

“Pansy, pode falar ao seu amigo que eu só aceitei estar na presença dele por muita insistência de Hermione e que minhas condições foram claras?” falei me virando para Pans, que parecia estar se divertindo com toda aquela merda. URG!

“Achei que fossem sorvetes.” Falou soltando uma risadinha nojenta.

“Mas logicamente houve um equívoco, senhor. Eu estava comentando dos hábitos alimentares com Pansy, me desculpe se te incomodei.” Draco sabia ser insuportável, me olhava como se eu fosse uma criança.

“Oh! Pansy, vamos falar dos hábitos deselegantes que certos convidados têm. Por exemplo, eu não entraria numa conversa de duas pessoas, sem um devido cumprimento.” Sorri com inocência para ela, a qual ia falar algo, mas foi interrompida.

“Ah, sinto muito! Não sabia que aceitaria meus cumprimentos, mas posso te cumprimentar agora, se insiste. Boa noite, Harry Potter e Pansy Parkinson.” Sorriu expansivamente para mim.

Deus, eu fiz o que para merecer isso? Sério, pode dizer que eu conserto meus erros, peço desculpas ao senhor Filch, por ter quebrado seu canteiro de rosas e ter fugido com sua gata que eu tinha certeza que sofria maus tratos por ele, mas na verdade não sofria, ela só gostava de miar muito.  Peço desculpas a Dean por ter rido quando ele tirou as calças dentro de seu carro, eu estava nervoso demais, sempre rio de nervoso. Peço desculpas a papai e mamãe, pois menti falando que ia estudar na casa de Hermione, mas na verdade estava em um show do Bon Jovi com esse infeliz.

“Gente, vamos agir civilizadamente hoje. Esse dia é importante para Mione e Blás, se não conseguem não agir como crianças, então é melhor os dois não se falarem pelo resto da noite.” Pansy sabia ser coerente, às vezes.

“Ok, pela Mione.” Levantei uma sobrancelha para ele, que revirou os olhos.

“Pelo Blaise.” Se afastou para perto dos noivos.

Essa noite vai ser longa.


Notas Finais


minha gata gostou do capítulo :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...