1. Spirit Fanfics >
  2. Doce desejo >
  3. Quase morta

História Doce desejo - Capítulo 10


Escrita por:


Notas do Autor


Ok gente, esse capítulo equivale a 5 capítulos pelas minhas contas, então irei passar uns 3 dias sem postar, boa leitura ♡

Capítulo 10 - Quase morta


Fanfic / Fanfiction Doce desejo - Capítulo 10 - Quase morta

Quando da 13:30 eles saem pra comprar roupas, mesmo Lucero se negando eles vão, eles entram nas lojas de roupas acompanhados dos seguranças.
F: prova esse.*entrega um vestido a ela* vai ficar lindo em vc.
L: Não preciso dos seus conselhos de moda, nem aqui eu queria estar.
Lu pega uma calça e uma blusa e vai ao provador.
Fernando fica esperando do lado de fora do provador, lu então sai vestindo a roupa.
L: Eai?como estou?
Ele a olha de baixo a sima.
F: Linda... Mas ainda acho que devia experimentar aquele vestido, iria te valorizar.
L: so pq tem um decote? Pra olharem para os meus peitos?
F: Bom...Oque é bonito é pra ser olhado não acha?*brinca*
L: idiota!
Eles então escolhem várias roupas e vão pro setor de roupas íntimas.
F: Experimenta esse.*entrega a ela*
L: Qual a necessidade de ser transparente?*fala ao olhar a calcinha*
F: É bonita não acha? Tenho certeza que ficaria bem sexy em vc.*da um sorrisinho safado, mas ao mesmo tempo brincando *
L: Como é?
F: Nada não. *bebê um pouco de água*
L: Realmente vc tem razão, ficaria muito sexy em mim, certeza que algum dos seus seguranças iriam adorar ver hoje a noite.
Fernando engasga com a água.
F: cof cof *tosse* como é que é?
L: Nada não *da um sorrisinho provocativo e vai pro provador.*
Lucero prova a langerie e sai do provador, todos começam a olha lá, menos fernando que estava concentrado olhando alguma coisa em seu celular.
L: ficou bom?
Fernando levanta a cabeça e a ve daquele jeito, uma corrente elétrica passa por todo seu corpo, o desejo toma conta dele, mas ele então percebi que todos estão a olhando, ele então pega um pano que tinha ali perto e a cobre.
F: se cobre por favor, estão todos olhando.
L: ue, mas não foi vc que disse que oque é bonito é pra ser olhado?*provoca e vai pro provador novamente deixando fernando sem palavras com sua resposta*
F: Mas que insolente.
Quando eles terminam as compras vão pra uma praça de alimentação que tinha ali perto, Fernando se encontra com seu amigo Carlos e os dois ficam conversando enquanto lu tomava sorvete.
R: Oi linda.*chega sorrindo pra lu* me chamo Renato , prazer.
L: Me chamo lucero prazer.*sorri*
R: eu estava te observando de longe é te achei uma gracinha.
L: obrigada *cora*
R: Sem querer ser intrometido, mas já sendo kk vc tem namorado?
L: Não *sorri*
R: fico feliz, então tenho chance.
L: talvez *rir*
R: olha *entrega um cartão com um número* quando quiser sair pra se divertir é só me ligar.
L: ok, pode deixar.*sorri*
Enquanto isso com Fernando.
C: Quem é aquele cara que tá falando com sua protegida?
F: que cara?
Ele olha pra lu e a ve conversando com um cara, por um momento ele sente um sentimento estranho, mas trata de esquecer e ir até eles.
F: Atrapalho?
R: Não, a gente só estava conversando. *sorri pra fernando *
F: Conversando? Hum, que legal, mas agora a gente tem que ir.*segura o braço de lu pra irem embora *
L: Mas eu ainda não terminei meu sorvete.
F: Termina no caminho, vamos!
L: a gente se ve *fala com Renato *
R: estarei esperando sua ligação princesa. *da uma piscadinha*
Fernando leva lu até o carro e seguem caminho pra casa.
F: Estarei esperando sua ligação princesa *imita Renato* Don Ruan de quinta categoria.
L: pq vc é assim em? Nunca tenta fazer amizades com ninguém, é sempre frio!
F: Na vida eu aprendi a não confiar em ninguém, e eu não fui com a cara daquele sujeito.
L: pq não? Ele foi super amigável com vc, e super educado e gentil comigo, não entendo pq o tratou daquele jeito.
F: Não fui com a cara daquele Don Ruan de quinta categoria, ele não me passa confiança.
L: falando assim até parece que está com ciúmes.
F: vai sonhando gatinha.
Eles passam o caminho todo sem trocar mais nem uma palavra, ao chegar lu vai pro quarto e fica lá até a noite, por volta das 21:00 ela desce e ao passar pelo frente do escritório de fernando ela acaba ouvindo uma conversa sem querer.
C: Pelo amor de Deus Fernando vc comprou a garota!
F: Não foi exatamente comprar Carlos , eu apenas fiz uma troca, vc sabe que meu pai se aposentou a muito tempo e me deixou no comando disso tudo, mas antes o pai dela vivia se drogando e já devia muitos dólares, eu apenas ajudei ele pegando a filha dele em troca, e ao mesmo tempo eu a protejo.
C: Pelo amor de Deus Fernando essa garota não é um objeto pra vc fazer isso, e ainda ameaça o pai dela de morte.
L:Meu Deus *fala baixo e com medo*
F: Eu apenas o ameacei, mas não o matei !
C: Mas vc me disse que deu a ordem aos seguranças de o matar se ele se aproxima se dela novamente.
F: Fiz isso pq ele era um imundo, não suporto o jeito que ele a trata, ele é tóxico pra ela.
C: E vc é oque? Praticamente sequestrou a menina, em seguida a comprou e a trata como se ela fosse sua propriedade e não deixa nem um homem chegar perto.
F: Isso não é vdd.
C: É SIM FERNANDO, SE NÃO É, ME EXPLICA OQUE FOI AQUILO HOJE NA LANCHONETE?
F: Aquele cara não era de confiança.
C: E como vc pode ter certeza? Aprendeu a ler mentes agora?
F: JA CHEGA CARLOS.
C: JA CHEGA PORRA NEM UMA FERNANDO! VC ACHA QUE PQ TEM DINHEIRO PODE COMPRAR TUDO, EU ME PERGUNTO SE REALMENTE A LUCERO TA CORRENDO PERIGO, OU É VC INVENTANDO ISSO PRA MANTE LA PERTO DE VC! E PODER TORNA LA SUA MULHER, PQ NÃO PODE TE LA ANOS ATRÁS QUANDO O PAI DELA A LEVOU PRA LONGE?
F: PARA DE FALAR IDIOTICES, EU NUNCA FARIA UMA COISA DESSAS.
C: EU NÃO DUVIDO DE MAIS NADA QUE VENHA DE VC.
F: JA CHEGA CARLOS!
C: SE EU NÃO PARAR VAI FAZER OQUE? APERTAR MINHA GARGANTA COMO FAZ COM OS OUTROS? ME MATAR?
F: VC ESTÁ FALANDO MERDA!
C: AH ESTOU? ENTÃO ME DIZ SENHOR FERNANDO COLUNGA, DE QUEM VC QUER PROTEGE LA?
F: EU NÃO SEI CARALHO!
Fernando vai até a gaveta do escritório é tira alguns papéis.
F: eu recebi essas porra a alguns dias atrás. *entrega os papéis a ele*
Nos papéis haviam algumas fotos de lu tomando banho, ela na boate que trabalhava, algumas dela na rua, é algumas dela dormindo, e uma certa que estava escrito:
LEMBRA DA SUA GATINHA FERNANDO, VC SEMPRE A CHAMAVA ASSIM, VC ME TIROU TUDO! E AGORA EU VOU TIRAR A ÚNICA COISA QUE VC REALMENTE DA VALOR, MESMO QUE TENHA PASSADO TODOS ESSES ANOS CONTINUA A AMANDO NE? FIQUE TRANQUILO, EU MANDAREI AS PARTES DO CORPO DELA PRA VC, APENAS AGUARDE.
C: Meu Deus! A coisa é séria mesmo.*assustado*
F: É claro que é séria, vc acha mesmo que eu ia mentir sobre algo assim?*raiva* Mas eu vou encontrar esse desgraçado e mata lo com minhas próprias mãos!*ódio nos olhos*
C: Não tem nem uma ideia de quem seja?
F: tenho vários inimigos, pode ser qualquer um!
Um dos seguranças entra correndo no escritório.
Segurança: senhor ela escapou!
F: Como assim escapou infeliz?*raiva*
Segurança: a gente não tá a encontrando em lugar nem um.
F: seu imprestável. *da um tapa na cara dele* junte todos os seguranças que conseguir, a gente vai procura lá, quero que revire céus e terras, mas a tragam.
Enquanto isso em algum lugar ali perto.
R: Oi princesa*sorri* que bom que decidiu aceitar meu convite.
L: Pelo amor de Deus me leve pra longe daqui.
R: vc que manda, entra aí.
Lucero entra no carro e Renato começa a dirigir, eles já estavam bem afastados quando Renato para o carro no meio do nada.
R: Me espera só um pouquinho aqui tá princesa.
L: pra onde vai?
R: vou olhar uma coisa aqui, já volto.
Renato entra na floresta é começa a demorar, lucero já estava ficando com medo de ter acontecido alguma coisa com ele, ela olha pra mata e não ve nem ouve nada que não seja o barulho da natureza, passando um tempo ela vê um carro parando atrás do dela, era fernando com Carlos, é atrás deles vários seguranças, Fernando sai de seu carro é vai até lucero.
F: Tá ficando louca? Oque pensa que estáva fazendo?
L: Me solta seu monstro, foi vc não foi?
F: eu oque?
L: vc matou o Renato por isso ele ainda não voltou.
F: onde ele está?
L: Não se faça de besta,vc sabe que ele está na mata.
Fernando a pega nos braços e a leva pro seu carro e tranca a porta do carro pra ela não sair, e olha pra os seguranças.
F: vcs fiquem de olho nela, é vcs venham comigo.
Fernando, Carlos é alguns homens entram na mata pra procurar Renato, uma meia hora depois eles voltam com Renato amarrado, os seguranças seguram Renato é fernando vai até o carro e tira Lucero de dentro a levando pra ficar frente a frente com Renato.
F: vc confia muito nas pessoas gatinha, quer mesmo saber oque ele estava fazendo na mata?
L: Oque? *preocupada*
F: cavando sua cova!
L: Que?
F: Ele planejava te matar e enterra lá na mata.
Fernando tira sua arma e aponta pra cabeça de Renato.
L: Fernando não faz isso!
F: tirem ela daqui, não quero que veja isso.
Alguns seguranças pegam lucero e a levam para o carro indo pra casa.
F: pra quem vc trabalha?
R: Isso vc nunca vai saber.
F: acho bom vc colaborar comigo. *ainda com a arma apontada pra cabeça de Renato * aí talvez eu tenha piedade de vc.
R: Não preciso da sua Piedade, quero que vc va pro inferno.
F: A gente se encontra lá então. *atira na cabeça de Renato* enterrem ele no mesmo buraco que ele cavou pra Lucero.
Fernando entra no carro é vai pra casa é os seguranças fazem oque ele mandou, ao chegar em casa ele vai pro quarto de lu pra saber como ela estava.
L: Oque vc fez com ele?
F: ele teve oque merecia.*se aproxima dela*
L:Não chegue perto de mim! *se afasta*
F: por favor, não tenha medo de mim, eu nunca te faria mal.*alisa o rosto dela*



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...