1. Spirit Fanfics >
  2. Doce Fogo >
  3. La casa de tu madre

História Doce Fogo - Capítulo 20


Escrita por:


Notas do Autor


Capítulo novo, espero que se divirtam.

Capítulo 20 - La casa de tu madre


Fanfic / Fanfiction Doce Fogo - Capítulo 20 - La casa de tu madre

“Eu preferia ter levado um tapa na cara do que ter escutado o que Jungkook acabou de me dizer” - Penso enquanto ando depressa pelos corredores da clínica com a pior cara do mundo. Agora sim, todas as pessoas do lugar estão me encarando.

Entro no meu carro e dirijo sem rumo. Minha testa latejava. Minha garganta estava lacrada.

Quando fico muito nervosa não consigo chorar.

Passando pelo distrito de Gagnam, dirigia pelas avenidas limpíssimas e organizadas. Nada fora do lugar. Essa padronização e ordem eram admiráveis mas tinha seu lado cruel.

A cultura coreana se baseia na coletividade e não no indivíduo, pois ao longo da história do país muitas foram as invasões naquele território em função da sua posição estratégica na Ásia. O povo coreano se tornou especialista em recomeçar do zero. Se não houvesse uma forte consciência coletiva de colocar os valores sociais acima da vontade, com certeza o país teria sido invadido pelo Japão ou China a muito tempo.

Refletindo sobre esses fatos exclamei dentro do carro sozinha:" O que eu tenho com isso?!"

Fora do carro as avenidas do bairro eram lotadas de lojas de grifes enormes. Havia muitos bares e restaurantes de vários estilos e com todo o tipo e comida disponíveis para quem pudesse pagar. As letras coreanas dominavam todo o cenário mas se mesclavam com o inglês e o francês.

Passando os olhos por aquela paisagem urbana, vejo na esquina à minha esquerda um bar imenso com a fachada laranja neon escrito" La casa de tu madre", em espanhol.

"Casa da minha mãe... é disso que eu estou precisando." - Penso alto.

Dei seta e virei com tudo para entrar no estacionamento do bar.

Ao abrir a porta principal percebo que o local se trata de um bar com o tema América Latina. O bar era todo colorido e com muitos artigos próprios da cultura latina, paisagem de praia desenhada em grafite nas paredes, além da exposição de fotos dos principais artistas latinos mais conhecidos na Ásia. Passando os olhos por todos eles já comecei a me emocionar, mas quando encontrei a imagem de Ivete Sangalo e Caetano Veloso não resisti e comecei a chorar com vontade. Parecia que tinha visto meu pai e minha mãe, tamanha era a minha carência de achar conforto naquele momento difícil.

Apesar de ser um bar latino, trabalhavam ali apenas coreanos.

Por causa do meu choro repentino a recepcionista me encarou e perguntou se eu estava bem. Eu não respondi, apenas acenei com a cabeça que sim e pedi uma mesa.

Agora que eu me permiti chorar, não conseguia parar. É claro que fazia de forma discreta, mas contínua. Me lembrei das grosserias que ouvi. Estava desiludida com Jungkook. Ele não era aquele homem fofinho e amável que parecia. Era imaturo e bastante egoísta, características que eu não aceitaria em um companheiro.

- Annyeong, como posso ajudar? - Corta meus pensamentos a garçonete coreana.

- Quero um Mojito, com dose dupla de run branco. - respondi imediatamente.

A garçonete arqueou as sobrancelhas e me olhou de cima a baixo com ar de reprovação como se dissesse : " Dose dupla de tequila às 16 horas de uma terça-feira... "

Especialmente hoje eu não estava suportando essa cultura de controle de comportamento da Coreia do Sul.

Assim que a garçonete se virou para providenciar meu pedido retomei meus pensamentos, mas dessa vez fui levada ao momento que eu fui abraçada de supetão por Jungkook. na sala VIP. Naquele abraço eu podia morrer. Lembrei também dos seus lábios agitados e dos seus cabelos grossos entre meus dedos, das conversas maravilhosas durante a turnê, das piadas e das confidências…

Já com o Mojito pela metade na mesa comecei a perceber uma voz em claro português. Era o som ambiente do bar que tocava um funk do Mc Kevinho que dizia:

"Oh bebê gosto mais de você do que de mim, do que de mim…"

Eu não gostava de funk, mas naquele momento achei que aquela fosse a música mais fofinha do mundo. Comecei a sorrir, estava me sentido mole, e bem mais leve. Sim, o álcool subiu!

"Dane-se tudo, vou encontrar Jungkook e dizer que quero ser amante dele." - Pensei antes de dar o último gole profundo na bebida e voltar a chorar.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...