1. Spirit Fanfics >
  2. Doce Ironia >
  3. Capítulo 04

História Doce Ironia - Capítulo 4


Escrita por:


Notas do Autor


Oi pessoas!

Bom, ontem havia dito que postaria um dia sim e outro não, porém essa semana é a semana da saúde, então não terei aula e aproveitarei esse tempinho para adiantar a fic.

Espero que você gostem!

Até as notas finais :)

Capítulo 4 - Capítulo 04


 

POV - Laura

O som estridente do meu despertador ecoou pelo quarto indicando que era a hora de me levantar. Olhei para o relógio e vi que ele marcava 06:30 da manhã me fazendo levantar em um pulo, visto que eu tinha mil coisas para fazer em menos de 2horas.

MEU DEUS DO CÉU!!!!!!

Peguei a minha mala e a deixei aberta em cima da cama enquanto fitava o meu armário na esperança de saber o que levar. Sou péssima para arrumar malas, sempre levo tudo, achando que eu vou precisar de tudo e sempre volto sem usar metade das coisas que eu levei. Pensando nisso,  optei por colocar na mala biquínis (obviamente já que vou pra um local de praia) cropped, shortinhos, saias longas e claro conjuntinhos de moletons para caso resolvesse fazer frio, sou totalmente viciada, me julguem.

Depois de arrumar toda a minha mala e conferindo 3x se havia colocado tudo que  precisava, olhei no relógio e vi que já eram 07:20 da manhã. MEU DEUS DO CÉU, EU ESTAVA MUITO MAIS MUITO ATRASADA!

Corri para o banheiro arrancando meu pijama pelo caminho e me enfiei dentro do chuveiro. Eu estava ansiosa demais, era a primeira vez que iria viajar solteira e na companhia das minhas amigas. Tomei um banho de gato, literalmente. Enquanto me secava, olhei o meu reflexo no espelho embaçado, era visível que eu havia perdido peso. As olheiras no meu rosto me entregavam completamente, eram resultados de noites em claro chorando. Pensar em como eu fui tão idiota me deixava extremamente furiosa. Balancei a cabeça enquanto afastava esses pensamentos, não havia tempo para isso.

Caminhei até o meu quarto e vesti a calça jeans rasgadas e uma das minhas famosas regatas brancas que eu havia deixado separado em cima da cama, calcei um tênis branco, fiz uma maquiagem leve para cobrir as benditas ficando finalmente pronta. Meu celular começou a vibrar em cima da cama, com certeza era a Bruna.

- ONDE É QUE VOCÊ ESTÁ LAURA???- ela gritou comigo no celular. Não tinha a menor duvidas que era ela e tinha certeza que elas queriam me matar nesse momento. – VOCÊ ESTÁ ATRASADA!! JÁ SÃO 08:00 E VOCÊ NÃO CHEGOU NA PORRA DO AEROPORTO! – gritou novamente me fazendo afastar o telefone do ouvido.

- Bom dia para você também amiga! – respondi ironicamente enquanto pegava a minha mala e levava até o elevador do meu prédio.

- Avisa essa vagaba que eu vou matar ela assim que ela chegar aqui.. – escutei a voz da Luiza ao fundo. Bruna gargalhou gostosamente. Ridículas.

- Sem assassinatos ok? – perguntei retoricamente. – Eu apenas me atrasei, mas já estou saindo de casa tá? – completei enquanto apertava o elevador pare descer.

- A gente achou que você tinha desistido. – Bruna respondeu. Elas não estavam erradas em pensar isso. Se fosse a um mês atrás provavelmente desistiria mesmo.

- Jamais! – respondi e eu podia jurar que ela abriu um sorriso orgulhoso.

-  É assim que se fala gata! – exclamou e seu tom de voz era de satisfação. Elas estavam felizes porque finalmente me dei a oportunidade de me divertir e viver um pouco a minha vida.

- Chegou em meia hora ok? – falei enquanto pedia ao bom Deus que não tivesse muito trânsito.

- 30 min e nem um minuto a mais. – falou e desligou o telefone na minha cara. Revirei os olhos enquanto observava se meu uber já havia chegado e pra minha infelicidade não. Obviamente eu não iria de carro, pois a taxa pra deixar o carro estacionado no aeroporto é caríssima e ainda não estou esbanjando dinheiro.

Depois de mais ou menos uns 10 min esperando o meu uber finalmente chegou. Estava super atrasada e se eu perdesse esse voô as meninas iam me matar.

- Moço pelo amor de Deus! Vai o máximo possível para o aeroporto. – pedi desesperadamente. Já eram 08:15 e da minha casa até o aeroporto era no mínimo uns 25 min, isso se não tivesse trânsito.

- Ih moça, não sei se vai da não. O trânsito tá naquele naipe. – motorista me respondeu. Bati a cabeça no banco enquanto me xingava internamente.

- Já estou no uber, por favor não me matem! – enviei essa mensagem no nosso grupo do whattsapp.

- Se você não chegar a tempo... – li a resposta da Luiza e sabia que elas estavam me xingando de todos os nomes possíveis.

- Encontro com vocês no portão de embarque! – me limitei a responder apenas isso e bloqueei a tela do celular.

O motorista tinha razão, o trânsito estava totalmente infernal. O medo de não conseguir chegar a tempo para embarcar era real. Podia até ver a cena na minha cabeça, a Bruna e a Luiza me esperando no portão e a voz dizendo no fundo.

- ULTIMA CHAMADA PARA O VOÔ PARA SALVADOR- BAHIA.

PARA LAURA! Sua vida não é um filme, embora parecesse muito uma novela mexicana a julgar os últimos acontecimentos, porem realidade minha fia.

Quando eu penso que não, uma batida de carro bem na nossa frente. JESUS AMADO, NÃO! Era só o que me faltava. O destino estava brincando comigo e definitivamente não me queria naquele avião. Seria um aviso dos céus??

- Droga! – exclamei e vi o motorista revirar os olhos pelo retrovisor. Claro né, não era com ele.

- A batida não foi feia moça.. provavelmente vão encostar os carros e bater boca. – falou com tom de tédio.

- Espero que sim. – respondi enquanto desbloqueava meu celular e via as mensagens.

EU VOU TE MATAR LAURA!!!

JÁ ERA PRA VOCÊ TA AQUI!!! AAAAAAAAAAAAA

- Viu? – o motorista me chamou atenção e pude notar que finalmente os carros voltaram a andar. Suspirei aliviada.

Normalmente eu era uma pessoa extremamente pontual, mas toda vez que tinha um compromisso importante, algum imprevisto acontecia comigo. Parecia que a vida gostava de me pregar essas peças, mas o melhor de tudo é que sempre nos 45 segundos do segundo tempo dava tudo certo e eu só torcia para que dessa vez também desse tudo certo.

- Chegamos moça! – o motorista me tirou dos meus pensamentos. Respirei aliviada enquanto pagava a corrida. Desci do carro enquanto me apressava para entrada do aeroporto.

O relógio marcava exatamente 08:55, eu tinha apenas 5 min para chegar lá em cima. Corri feito uma louca, esbarrei em varias pessoas e não tinha tempo sequer de pedir desculpa. Nem acreditei quando vi as meninas paradas em pé ao lado do portão de embarque.

- AQUI! – gritei enquanto acenava. Imediatamente elas sorriram quando me viram.

- A gente pensou que você não ia chegar a tempo. – Bruna falou enquanto eu me aproximava mais delas.

- Eu também. – concordei extremamente aliviada. Realmente achei que não chegaria a tempo. Contei a elas sobre o transito horrível e a batida do carro que teve no caminho.

- Isso sempre acontece com você Laura.. – Luiza falou enquanto gargalhava.

- Parece que você atrai esse tipo de coisa. – Bruna continuou enquanto a morena concordava.

- Confusão você quis dizer né? – respondi enquanto entregava minha passagem para a moça, caminhando finalmente para o avião.

- Vou dormir muito agora! – Bruna soltou enquanto bocejava. Soltei uma risada enquanto me ajeitava na minha poltrona.

- Normal. – respondi e ela revirou os olhos.

- Bahia, ai vamos nós! – Luiza exclamou animada enquanto o avião se deparava para decolar.

Um frio percorreu toda a minha espinha. Eu odiava andar de avião, mas odiava ainda mais a sensação que eu tinha que essa viagem mudaria totalmente a minha vida..

É, Bahia.. Estou chegando!!


Notas Finais


No próximo capitulo já será da nossa menina na Bahia. Será que um certo jogador já irá aparecer?? Não sei.. Amanhã volto para postar mais um capitulo para vocês.

Ps: como foi dito inicialmente, toda a historia é revisada antes de ser postada, porém sempre fica um errinho de português para trás, então se virem algum, podem me avisar que será corrigido imediatamente.

Bjs :D


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...