História Doce Pecado (Jeon Jungkook - Incesto) - Capítulo 3


Escrita por:

Visualizações 1.657
Palavras 1.795
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Incesto, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá! Quero agradecer cada favorito e cada comentário. Vocês são incríveis!!! 🤧❤

• Música sugerida: Lovely - Billie Eilish & Khalid.

Boa leitura. 😍

Capítulo 3 - III. Coincidência


Fanfic / Fanfiction Doce Pecado (Jeon Jungkook - Incesto) - Capítulo 3 - III. Coincidência

O final de semana chega ao fim e na manhã seguinte, Helena amanhece com febre e muito pálida. Maria não está em casa, ela saiu muito cedo para ir ao centro comprar alguns mantimentos e não voltou.

— Tem certeza que você vai ficar bem, Lena? — um suspiro escapa dos lábios grossos de Park Jimin.

— Sim. — a menina responde em um fio de voz e sente sua cabeça latejar. — Droga. — resmunga manhosa e coça os olhos.

— Maria está demorando. — ele olha para o relógio na parede.

— Você vai chegar atrasado, oppa. — Helena sorri fraco. — Pode ir, sim?

— Nada disso. — o loiro tira a mochila das costas e a deixa no chão. — E também não tem nada importante. — solta um risinho na tentativa de animar a amiga, mas isso não acontece.

Eles ouvem um barulho e a voz de Maria se faz presente.

— Eu comprei algumas laranjas. Irei fazer um suco fresco, Lena. — ela diz com um sorriso no rosto, enquanto dá alguns passos para dentro do quarto.

Maria não questiona o porquê de Park Jimin não ir a aula, pois a mesma sabe que o rapaz jamais deixaria Helena. O loiro tira o tênis branco e senta-se perto da mais nova, lançando-lhe um olhar gentil e sereno.

— Obrigada. — Helena agradece e segura a mão do amigo. — Você é um anjo, Jiminnie.

— Ya! — ele a repreende com as bochechas vermelhas. — Sabe que não gosto desse apelido, Helena. — resmunga.

— Tudo bem, desculpe. — a mais baixa solta um riso divertido.

Minutos depois, a guardiã adentra o cômodo com dois copos nas mãos.

— Aqui está o suco, meus jovens. — Maria diz descontraída, arrancando sorrisos de ambos. — Tomem tudo.

Após tomarem todo o líquido refrescante, Helena coloca um moletom branco e abre a janela de seu quarto. A garota está um pouco melhor e mais radiante, assim como os raios solares que adentram o cômodo.

— Vamos caminhar um pouco? — Park sugere e exibe um sorriso.

— Vamos. — ela sorri de volta. — Vou calçar um tênis.

Enquanto Helena calça o tênis, Jimin pega a sua mochila e sai da casa da amiga, indo para a sua. O rapaz tira o uniforme rapidamente e opta por um moletom de cor amarela. Coloca uma toca preta e despede-se de sua mãe.

— Vamos ver quem chega primeiro na pracinha? — ela sorri, despreocupada.

— Não acho que seja uma boa ideia, Helena. — o amigo a repreende e suspira. — Você estava com febre horas atrás.

— Mas eu estou melhor, Jimin-ah. — diz manhosa, não deixando de sorrir. — Por favor, sim?

— Tudo bem. — ele se rende e dá de ombros. — No três…

Antes que Jimin comece a contar, a mais nova dispara na frente, deixando-o para trás. Ambos correm com toda velocidade, no entanto, a menina perde o equilíbrio e acaba caindo.

— Aish! — resmunga com a voz chorosa.

— Lena! — O Park agacha ao lado da morena. Ambos estão ofegantes. — V-Você está bem?

Ela percebe o desespero do amigo e força um sorriso. Mesmo com muita dor no tornozelo, Helena abre um lindo sorriso.

— Estou bem. — limita-se, mordendo o lábio para evitar que um soluço lhe escape.

— Venha, eu te ajudo.

Talvez por obra do destino — ou não —, Jeongguk coincidentemente estava em uma joalheria e agora observa o corpo caído no chão. Ele reconhece como a garota da feira e guarda a pequena caixa de veludo dentro do bolso de seu paletó, disparando na direção de Helena.

— O que aconteceu? Ela está bem? — pergunta afoito, vasculhando quaisquer vestígio de machucado pelo corpo da mais nova, porém o moletom comprido não deixa.

— Ela caiu. — Jimin responde de imediato e tira o celular do bolso. — Você… — observa o Jeon e engole em seco.

— Você consegue levantar sozinha? — o mais velho entre eles murmura.

— C-Consigo. — Helena gagueja e assim que coloca a mão no chão, o seu pulso dói.

— Meu carro está ali. — Jeon tira a chave do bolso de sua calça social, entregando-a para o garoto. — Abra a porta, eu irei levá-la.

Helena sente as maçãs de seu rosto esquentarem e o perfume amadeirado de Jeongguk preenche as suas narinas. O belo homem a pega no colo cuidadosamente e caminha na direção de sua BMW, a qual Jimin está admirado. A mais nova é colocada no banco detrás do veículo e ela fecha os olhos para não olhar para o rosto do homem que está em sua frente, colocando o cinto de segurança na mesma.

— Eu vou te levar para o hospital. — verbaliza o homem bem vestido.

Helena aperta os olhos e assente timidamente. Jungkook sorri de canto e fecha a porta do carro. Ele liga a BMW e Park Jimin acomoda-se no banco do passageiro.

— Helena é muito teimosa. — o loiro resmunga.

Ela por sua vez abaixa o olhar envergonhada, enquanto Jeongguk a observa pelo retrovisor. O caminho até o hospital mais próximo é silencioso e Jeon não deixa de observar a menina em momento algum. Helena é realmente linda. O carro importado é estacionado em frente ao hospital e a garota está novamente nos braços de Jeon Jungkook. Ele a carrega sem muito esforço, como se estivesse carregando uma simples pluma.

— Por aqui. — a enfermeira guia-os para o pronto socorro. — Pode deitá-la na cama. O doutor Kim já está vindo.

— Obrigado. — o moreno agradece.

Jeon a coloca gentilmente sobre a cama e a olha minuciosamente, deixando-a vermelha.

— Como está se sentindo? — o doutor Kim surge de repente e quebra a tensão que havia se instalado entre o pai e a filha.

— O meu pulso direito está doendo. — diz baixinho. — Meus joelhos também.

— Você está com um corte na sobrancelha, senhorita…?

— Helena. — ela sorri fraco.

— Tudo bem, senhorita Helena. — o médico sorri graciosamente. — A enfermeira irá cuidar dos seus cortes, enquanto preparo a sala do raio X.

O médico Kim se afasta e Jimin aproxima da amiga com o olhar de preocupação.

— Devo ligar para a Maria? — indaga baixinho.

— Não oppa. Não quero que a bá fique preocupada. — a menina suspira.

— Bom... — Jungkook limpa a garganta. — Eu preciso conversar com a moça da recepção.

Antes que um dos jovens diga algo, ele se retira do pronto socorro e caminha em direção à recepção. As mulheres que ali estão não disfarçam os olhares que dão ao moreno. Jeongguk tira algumas notas da carteira e efetua o pagamento pelo raio X e também pela tomografia que Helena precisará fazer. Alguns minutos depois Helena termina de fazer o raio X e depois a tomografia. Jimin quem empurra a cadeira de rodas, já que a mais nova não consegue firmar o pé no chão.

— Deu tudo certo, Helena? — Jungkook, que estava sentado, dá um pulo do banco em que estava e caminha na direção da garota.

— Sim. — responde acanhada. — Obrigada.

— Jeon Jungkook. — ele sorri.

— Muito obrigada, Jungkook. — agora é a menor quem sorri.

— Não foi nada. — passa a mão atrás da nuca. O homem está nervoso. — Vou levá-los para casa.

— Não precisa. — o Park intervém. — A ambulância irá nos levar.

— Por que está agindo informalmente comigo? — Jeongguk questiona curioso e surpreso.

— Por que está agindo informalmente com a Helena também? — Jimin cruza os braços.

— Oppa… — Helena o repreende em um sussurro. — Não precisa senhor Jeon. — torce o nariz ao chamá-lo de senhor. — Já ocupei muito o seu tempo. — ela sorri sem graça. — Obrigada, de verdade.

— Certo. — coloca as mãos nos bolsos de sua calça social e inclina o corpo para frente. — Quando você vier mostrar os exames, eu também vou vir. E não adianta recusar. — sorri ladino.

— Tudo bem. — Helena desvia o olhar envergonhada. Ela estava certa, Jeongguk parecia um príncipe.

— Os resultados ficarão prontos hoje à tarde. Posso marcar a consulta para às nove horas amanhã? — doutor Kim pergunta.

— Pode. — Jeon confirma. — Obrigado doutor.

Point of View Jeon Jungkook.

Após colocar Helena dentro da ambulância despeço-me dela e de seu amigo. Quando o veículo sai, respiro fundo e caminho em direção da minha BMW. Como ela é tão especial para mim se eu não a conheço perfeitamente? Fico alguns segundos imerso em meus próprios pensamentos. Hoje fazem cinco anos desde que Lisa e eu nos casamos e confesso que isso não me alegra e nem me entristece em nada. Saio de meus pensamentos e dirijo em direção da minha casa. Atualmente, Lisa e eu estamos morando em Seul, mas viemos para Busan para passarmos alguns dias aqui. Sinto-me livre, como um pássaro solto. A vida em Seul é bastante complicada, onde passo a maior parte do tempo dentro de uma sala. Administrar uma empresa de grande porte não é nada fácil.

— Kookie? — ouço a voz de minha esposa, então saio do transe. — O que foi?

— Nada. — sorrio fraco.

— Onde estava? — Lisa vem até mim e segura a minha mão, guiando-nos para o sofá espaçoso.

— Na joalheria. — tiro do bolso do paletó uma caixinha vermelha. — É pra você. — dou-lhe um beijo rápido.

— Obrigada! — agradece empolgada e toma o objeto de minhas mãos, abrindo-o rapidamente. — É lindo, meu amor.

— Que bom que gostou. — suspiro disfarçadamente.

— Esse anel combina com o colar que você me deu de aniversário. — entrelaça as mãos em meu pescoço e sobe em meu colo. — Como posso agradecer? Hum? — noto o seu tom malicioso e desvencilho-me de seus braços calmamente. — O que foi?

— Estou com dor de cabeça. — minto. — Vou comer algo leve e tomar um banho quente.

— Vou encher a banheira. — beija-me a boca e eu apenas sorrio fraco, sem nenhuma empolgação.

Caminho até a cozinha e faço um misto quente. Após comer subo para o quarto e encontro Lisa de lingerie branca. Ela sabe que branco é uma das minhas cores favoritas.

— Vem. — guia-me até a cama, onde tira os meus sapatos, a calça e em seguida a gravata.

— Lisa, eu não estou no clima. — suspiro derrotado.

— Você nunca está! — ela rebate com a voz embargada. — Jungkook…

— Prometo que fazemos isso depois, mas não agora. — entro no banheiro e tranco a porta.

Termino de me despir e entro na banheira. Sinto meus músculos relaxando aos poucos. Encosto a cabeça na borda da banheira e permaneço nessa mesma posição por alguns minutos. Helena invade os meus pensamentos e sorrio involuntariamente. Lembro-me que não pedi o seu telefone e nem o seu endereço para levá-la ao hospital amanhã.

— Droga, Jeongguk. — resmungo. — Mas tudo bem. Amanhã irei vê-la de qualquer forma e eu a levarei para casa.


Notas Finais


O que estão achando desse Jeongguk? Digam-me! 💕 E a Helena? Ela é uma gracinha, não é? 😍

Até mais. 🌷

Meu perfil: @xcharlieputh 🐱


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...