1. Spirit Fanfics >
  2. Doce Prazer (Clizzy) >
  3. XXIIII

História Doce Prazer (Clizzy) - Capítulo 25


Escrita por:


Notas do Autor


Voltei!

Capítulo 25 - XXIIII


Fanfic / Fanfiction Doce Prazer (Clizzy) - Capítulo 25 - XXIIII

PDV Autora

- Clary não se sinta pressionada, eu não preciso dormir aqui.

Jocelyn encarava a filha, Clarissa se sentia nervosa, Isabelle também, dormir na casa da ruiva não estava nos seus planos mas Jocelyn insistia e Isabelle sabia como a mãe da ruiva era, houve um certo clima no ar.

- Bom...Se a Isabelle não se importar em dividir a cama comigo.

- Então resolvido! (Diz Jocelyn de sorriso aberto)

Clary e Isabelle se olham de maneira tímida, Jocelyn volta pra cozinha terminando de arrumar a louça, as duas ficam a sós novamente.

- Não queria ter que fazer você dividir a sua cama...(Diz Isabelle)

- Não se martirize por isso é só por uma noite... (Diz a ruiva provocativa)

As duas então se sentaram no sofá, Isabelle encarou Clary

- Você fica uma graça vestida assim.

- Isso é um elogio? (Disse a ruiva em deboche)

- Sim!

E novamente Clary olhou de soslaio e viu Isabelle de pernas cruzadas.

- Você não cansa de sentar assim não? (Perguntou a ruiva)

- Assim como? (Perguntou Isabelle)

- De pernas cruzadas oras...

Isabelle revirou os olhos

- Desde criança fui matriculada em um colégio particular, bem sério, as matérias eram puxadas e era um desafio passar, minhas médias tinham que ser impecáveis e isso meus pais sempre faziam questão de me cobrar.

As duas se encaram

- Nesse mesmo colégio tínhamos aulas de etiqueta que acrescentavam em nossa carga horária. Fomos ensinados a como se portar, como comer, que talheres usar, que taças beber, até mesmo o modo de sentar. E por incrível que pareça eu não me sentava assim...

- Você fala: "Fomos" Quer dizer, você e o Alec?

- Sim... E eu era um pouco mais rebelde que ele, e em vista disso, meus pais me cobravam mais, e as minhas aulas de etiquetas eram ainda mais rígida. Lembro-me até hoje da minha professora perdendo a cabeça quando eu sentava do mesmo modo que você.

Isabelle então aponta para o modo que Clary estava no sofá, totalmente a vontade e com as pernas cruzadas em forma de índio e até mesmo descalça.

Clary riu tentando imaginar Isabelle com seus sete, oito anos fazendo uma professora de meia idade arrancar os próprios cabelos de raiva.

- Não consigo te imaginar Rebelde Izzy.

Isabelle apenas observava o comportamento descontraído e autêntico de Clarissa e não sabia o porquê mas amou ter a ruiva lhe chamando por seu apelido. Não sabe se quanto tempo passou mas Clary parou de rir mais o rosto que observava a ruiva continuava lá em Isabelle.

- Que foi? (Pergunta a ruiva curiosa)

- Gostei de você me chamando pelo o apelido, fora que fica uma graça rindo.

Clary ficou vermelha, já era hábito ficar tímida com seus elogios.

Jocelyn e Luke adentram a sala

- Minha filha, o Luke disse que está cansado e eu vou pro meu quarto com ele.

Jocelyn olhou para Isabelle

- Izzy querida fique a vontade!

- Boa Noite! (Diz Luke fechado)

Isabelle e Clary dão boa noite e os dois somem nas escadas indo até o seu quarto.

- Vou ligar a TV, gosta de algo? (Diz Clary)

Isabelle dá uma risadinha em negação

- Já faz muito tempo que não paro pra assistir nada Clary.

A mesma continuava de pernas cruzadas e braços cruzados de modo formal, Clary pensou por um momento que ela não estivesse a vontade.

- Será que dá pra tirar esses saltos? Como você aguenta? (Disse brincalhona)

Isabelle dá mais uma risada e vai tirando seus saltos

- Já disse. Minhas aulas de etiquetas me ensinaram a usar salto e como eu era muito rebelde a professora me obrigava a ficar em cima do salto por mais tempo que o normal.

- Essa sua professora merecia uma surra, qual é? Você era uma criança. (Diz Clary na defensiva)

- Apesar de tudo não sinto raiva dela. Ela era paga pra fazer tudo isso, e eu deveria obedecê-la, mas ao invés disso eu preferia bater de frente com o sistema e por isso eu era punida.

- Poxa Izzy, porque você não para de ser tão madura ein? (Diz Clary em falsa irritação)

Isabelle revira os olhos e dar risada, Clary então põe em um desenho animado, o desenho era leve e descontraído, Era do gelo.

- Ah caramba! Esse esquilo não desiste nunca dessa noz? (Fala Isabelle dando risada)

Clary e Isabelle riam como duas crianças, pela primeira vez as duas estavam de fato em uma bolha invisível apenas com as duas, Clary pela primeira vez não se sentia só, era como se aos poucos a sensação de vazio fosse diminuindo, estava não só contente com a graça do desenho, estava contente por ter alguém como Isabelle ali, já a morena, não estava mais de braços cruzados o que significava que estava mais a vontade e confortável com o clima, já não poderia dizer o mesmo de suas pernas que permaneciam cruzadas, porque era um hábito seu que talvez nunca saísse. Clary então sai por alguns instantes do sofá e vai até a cozinha, Isabelle ficou focada no desenho que mal reparou sua saída, quando a ruiva voltou se encostou mais em Isabelle e então um barulho de garrafinha sendo aberta soou no ambiente, Isabelle olhou de soslaio, Clarissa abria dois litrinhos de cerveja e então pegou os dois, e um ofereceu a Isabelle.

- Prova! (A ruiva estirou o litrinho e então impôs)

Isabelle olhou para Clary com provocação: Desde quando ela ficou mandona?

- Por que? (Disse debochada)

A ruiva disse em vitória

- Minha casa, minhas regras. Agora: Prova!

Isabelle pegou a garrafinha gelada, a propósito ela não sabia bem o que era mas também não parou para ler o rótulo, ela então simplesmente levou um gole até a boca tomando direto da garrafa enquanto Clarissa tomava a sua. Ao provar o gosto da cerveja, Isabelle Grunhiu e fez cara feia, não tinha hábito de consumir esse tipo de bebida, isso era visto como bebida barata, e estava longe de seu cardápio.

- Nossa... Que horror! O que é isso mesmo?

Clarissa riu bastante de sua face nada agradável, enquanto isso tomou mais uma golada da sua cerveja em divertimento.

- Cerveja! Nunca tomou? (Disse Clary abismada com ela não saber o que era)

- Nossa, é uma merda. (Ela Grunhiu em raiva)

- Ahhh Não fala assim da cerveja! Assim você ofende ela. (Disse Clary em deboche)

Isabelle tentou tomar outro gole e Grunhiu novamente

- Sinceramente? Não dá! Sinto muito. (Ela colocou a garrafinha no chão)

Clary estava em risos

- Não é ruim Isabelle você que é muito fresca! A propósito isso é bem comum em Nova York.

- Bom para os Nova Iorquinos porquê meu paladar é refinado demais para isso. (Falou Isabelle em provocação)

Clary então teve uma ideia, uma ideia que faria Isabelle beber cerveja.

- Espera! Fica aí que eu já volto.

A ruiva foi pra cozinha e pegou um saco de batata fritas congeladas, esquentou o oléo e as jogou no fogo, enquanto elas fritavam, a mesma fez um molho especial que sua tia Dorothy havia lhe ensinado para servir em aperitivos, pois sua tia era uma expert em cozinha. Na sala Isabelle foi sentindo o aroma de gordura entrar, não que estivesse com fome aliás a lasanha já havia lhe satisfeito bastante mas o aroma ainda sim despertava apetite, logo então Clary voltou com uma bandeja de batatas, molho e mais cerveja. Isabelle olhou meio surpresa para aquilo e acabou perguntando:

- Você vai beber tudo isso?

Clary coloca tudo na mesinha de centro da sala e então responde

- Eu não, Nós duas. (Diz vitoriosa)

- Já disse que não consigo beber isso Clarissa, nem tente me empurrar. (Disse rígida)

- Cerveja é só uma questão de costume Izzy, basta você ir bebendo e vai se acostumando com o sabor. Agora vou te mostrar algo que vai te fazer consumir cerveja de uma vez por todas.

Isabelle olhou para as batatas, apesar de estarem bonitas e cheirosas ela não deu o braço a torcer

- Não vai me fazer beber com batata frita.

Clary então pegou uma batata e passou em seu molho, imitando o mesmo gesto de Isabelle ao lhe oferecer o chocolate, ela diz:

- Fecha os olhos!

Isabelle olhou de modo atrevido para a ruiva e logo pensou: Era sério que ela estava usando suas mesmas artimanhas? Vendo que não tinha outra escolha fechou os olhos.

- Agora morda e se delicie. (Clary sussurrou)

E Isabelle o fez e quando o fez não acreditou: Aquele molho estava incrível.

- Agora bebe. (Diz Clary)

Clary pega a garrafinha que ela deixou e a entrega, Isabelle põe na boca e come mais um pedaço da batata, e realmente sentiu uma baita diferença, a cerveja se tornava completamente harmoniosa com o aperitivo.

Ela abriu os olhos com tamanha surpresa, uma coisa era certa: Clary aprendia seus truques bem rápido. Principalmente a usar suas próprias artimanhas contra ela mesma.

- Que molho é esse? (Ela pergunta)

- Uma especialidade da minha tia Dorothy, se você gosta da comida da minha mãe então nunca provou a dela, ali você come rezando. (Diz a ruiva)

Clary então pegou uma batata e lançou na boca com cerveja.

- E onde ela está? (Pergunta Isabelle)

- Em Nova York, ela é a irmã mais nova da minha mãe, mas sempre foi uma grande companheira na minha vida. (Diz a ruiva em devaneios)

- Não vi ela na sua foto de formatura... (Diz Isabelle em curiosidade)

- Bom... estávamos sem um fotógrafo nesse dia, e não consegui tirar uma foto com todos juntos então, ela tirou essa. (Clary pega o porta retrato e mostra)

- Mas no meu quarto tem uma comigo e ela. (A ruiva põe o a foto no lugar)

Isabelle olhou para a batata, aquele molho estava incrível e o cheiro acabou despertando sua gula, viu que com certeza saíria daquela casa com umas gramas a mais.

- Droga Clarissa.... (Ela pegou a batata) Adeus a minha dieta!

E então as duas começaram a devorar batatas enquanto riam e bebiam cerveja barata.

[N.A Não é a toa que a Clary é mais "Gordinha"]

✨✨✨✨

O relógio marcava exatamente dez e meia da noite, e lá estavam Isabelle e Clarissa rindo a toa e bêbadas.

- Ah Droga minha barriga está muito cheia, não sei se vou andar... (Diz Isabelle)

Cerveja não tinha o mesmo teor de álcool que um Whisky e Clarissa estava mais bêbada que a própria Isabelle, mas as duas estavam de modo extrovertido.

- Agora vai ficar como eu....Gorda... (Disse a ruiva em provocação)

- Então foi pra isso que você me encheu de batata? Pra se vingar do que eu te disse?

Isabelle e Clary se olham por um momento, então as duas tem uma crise de risos.

- Acho melhor nós dormimos.... Amanhã precisamos trabalhar! (Diz Isabelle)

- Aff você só pensa em trabalho! (Diz a ruiva marrenta)

- Foi o que eu nasci pra fazer Clarissa... (Diz Isabelle revirando os olhos)

- Se eu fosse...Você....dava um Foda-se em tudo e ia embora, tá na cara que a sua família não faz bem a você. (Falou Clary meio embolada)

- É....Se fosse só pelos os meus pais eu iria....Mas sou fraca!

- Fraca? Você é a pessoa mais forte que eu conheço Izzy. (A ruiva tomou mais um gole de cerveja)

- Não...Eu sou fraca! Não quero ficar sem ver os meus irmãos, ele ainda são tudo pra mim.

Clary olha para Isabelle.

- Mas isso não é uma fraqueza Isabelle (Ela toma mais um gole e diz)

- É amor...

Clary e Isabelle se olham, dessa vez um olhar com conexão e entendimento.

- Vamos dormir, você já está bêbada. (Diz Isabelle)

- Interessante que você nem parece que tomou cerveja... olha só... nem embola... (A ruiva se referiu ao modo "Sóbrio" de Isabelle)

- Isso só é cerveja... Eu tomo Whisky com teores maiores que isso... (Disse revirando os olhos)

- Adoraria te ver doidona... (falou a ruiva em altas risadas)

- Se eu ficasse doidona faria besteira, não posso me dar esse luxo. (Diz Isabelle)

As duas se encaram novamente por um momento, novamente um clima fica no ar.

- Ah...Espera... Tenho que levar isso...

Clary tenta se levantar meio cambaleante, ela pega a bandejas e então Isabelle vendo o seu estado pega as garrafas e segura, e então Clary segue na frente pra cozinha e põe a bandeja e a tigela do molho na pia.

- Onde deixo as garrafas? (Pergunta Isabelle)

Clary aponta o lugar e então as duas voltam pra sala, quando Clary vai subir as escadas Clary erra um degrau e quase cai, por sorte Isabelle que estava atrás da ruiva acabou lhe segurando e para que ambas não caíssem pra trás, Isabelle se apoiou no corrimão.

- Opa! Você é mesmo fraca pra beber. (Diz Isabelle dando risada da ruiva)

Apesar do cheiro de cerveja e o leve odor de pergunta ambas podiam sentir um perfume da outra.

- Vamos....É ali na frente... (Sinalizou Clary)

Isabelle vai ajudando Clary a subir e quando finalmente chegam em frente a porta, a ruiva abre e Isabelle vê um quarto simples mais aconchegante a sua frente, dentro dele, Clary fecha a porta e então Clary senta na cama.

- Se quiser tomar banho essa porta aí é o banheiro.

- Você tá bem? (Pergunta Isabelle)

- Uhummm (Ela acena que sim com a cabeça)

Enquanto isso Isabelle adentra ao banheiro mas quando nota que não tem nenhuma roupa para se trocar diz:

- Não tenho nenhuma roupa de dormir aqui. (Diz com a cabeça na porta)

- Oh sem problema arrumo uma pra você!

Ela então fecha a porta e o único barulho audível é a água caindo do chuveiro, Clarissa pega uma roupa, um short e mais uma de suas coleções de camisas infantis, apesar de ter várias roupas sofisticadas não abdicava suas roupas leves e meio infantis. Ela então se deita na cama esperando Isabelle sair do banho quando a mesma sai apenas de toalha com os cabelos soltos e secos ela então se levanta, e lhe entrega um conjunto de short e blusa.

- Espero que não se importe! (Diz a ruiva)

Isabelle olha e dá risada, era a cara dela esse tipo de roupa.

- Posso me trocar? (Diz Isabelle com uma pitada de malícia)

- Sim...Pode ir no ba...

Mas antes que Clarissa terminasse Isabelle deixa com um simples puxão a toalha escorregar, ficando completamente nua na frente de Clarissa.

- nheiro.. (Completa Clarissa surpresa)

Clary não consegue parar de olhar por um momento para o seu corpo, era realmente incrível toda a forma dele, seus seios eram fartos e perfeitos, sua barriga mesmo um pouco salientada de comida era trincada e com gominhos, suas pernas eram bem grossas, ela era: Muito gostosa, pensou Clary. Isabelle então se vestiu em questão de instantes ali mesmo na sua frente mas Clarissa estava assustada demais para reclamar.

- Clary? Tá bem? (Fala Isabelle ao ver o seu estado)

Clary sentiu seu corpo todo esquentar ao ter aquela imagem repetida em sua mente

- É....Eu...Vou... banheiro.

Ela então correu e se trancou no banheiro, Isabelle então deu de ombros pois não achou que seria de todo mal se trocar na frente dela, aparentemente isso não iria "Mexer com ela" em nada. Apenas então se deitou na cama e esperou ela voltar, e quando voltou a mesma estava de toalha, ela pegou uma roupa rapidamente e voltou para o banheiro se trocando, por fim a mesma então se deitou na cama. Clary tentou manter seu próprio espaço e deu de costas para Isabelle, não estava afim de encará-la, mas no meio da noite seu próprio subconsciente lhe entregou e a situação mudou: Agora era Isabelle que estava de costas, e Clary agarrada a sua cintura.


Notas Finais


Sei que vocês queriam "Provocações" Beijinhos mas as duas são "Amigas" Clary acabou de dar um tempo em seu relacionamento ela não vai se jogar pra cima da Isabelle assim, fora que ela estava muito bêbada né gente? Então, quando o primeiro Hot Clizzy acontecer o que não está muito longe, elas já terão certa intimidade para que isso ocorra de forma natural, apesar da timidez de Clarissa. Bjs!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...