História Doce Segredo - Capítulo 6


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Matheus, Melissa
Visualizações 11
Palavras 1.253
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Aventura, Fantasia, Ficção Adolescente, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 6 - Não Precisava Acontecer Agora!


Fanfic / Fanfiction Doce Segredo - Capítulo 6 - Não Precisava Acontecer Agora!

Acordo sem entender nada, eu estava em um hospital e apenas conseguia ver tudo embaçado mas eu tinha certeza de que era o Erick que estava ao meu lado segurando minha mão com muita força:

- ela acordou! - disse Erick alegre

- o que está acontecendo? - perguntei sem saber o que havia acontecido

- você desmaiou e por sorte ... Eu segurei você a tempo, mas não vamos lembrar disso OK?

- OK!

Pouco tempo depois, alguns médicos entram no quarto onde eu estava e medem minha pressão, eu estava muito mais consciente e já estava me lembrando de algumas coisas. Os médicos, que ainda estavam lá, pareciam mais aliviados por eu ter acordado:

- ainda hoje ela poderá ir para casa, mas precisará de total repouso, ou seja, não poderá fazer nenhum tipo de trabalho, por exemplo: cozinhar, lavar pratos, limpar a casa. Isso será por pouco tempo, no maximo só hoje, você ainda está um pouco fraca. - disse o médico

- mas, o que ela tinha? - perguntou Erick

- ela só ficou fraca, talvez por não ter comigo nada durante muitas horas ou algo parecido. - disse o médico

- então, posso ir pra casa agora certo? - perguntei apressada

- claro. - disse o médico sorrindo

Ao chegar em casa eu me assusto rapidamente pois alguém estava em meu sofá :

- O quê vocês fazem aqui!? - perguntei com raiva

- Filha! Vinhemos para ver como você está. - disse meu pai

- estou bem! Agora vão embora. - disse expulsando eles

- não! - disseram voltando para o sofá. - estamos aqui também, para passar um tempo com você.

- não quero! Porque resolveram aparecer depois do que fizeram? Depois de terem me abandonado no momento em que eu mais precisei.

- filha! Você ainda está com raiva de nós por culpa daquele mal entendido? - perguntou minha mãe

- não, só não queria que vocês voltassem por aqui agora, agora não, não precisava ser tão cedo! - disse mentindo um pouco

- então não está com raiva certo? - perguntou meu pai

- o que você acha? Claro que estou! Vocês são os piores pais que alguém podia ter, se vocês quiserem ficar aqui vão ter que morar lá no quintal, porque aqui dentro não dá!

- filha tente entender, estamos sem casa para morar e ... - disse minha mãe sendo interrompida

- e resolveram vir atrás da coitadinha da filha? - disse interrompendo minha mãe

- Melissa, você está sendo muito grossa com sua mãe! Vamos ficar aqui sim! - disse meu pai

- está bem, podem ficar. Vou pra casa do Erick. - disse subindo para meu quarto para pegar algumas roupas.

Eu sabia que não podia me estressar nem fazer nada do tipo, mas meus pais me irritam muito, talvez você esteja pensando: que filha ingrata, não respeita os pais. Mas na verdade, eu tenho motivos muito fortes para odiar eles.

Ao eu ter pegado algumas roupa e colocado na minha mochila, vou pra casa do Erick sem me despedir dos meus pais:

- Erick, será que posso dormi aqui hoje? Meus pais estão na minha casa e eu não quero ficar no mesmo lugar que eles. - disse um pouco cansada

- claro, eu já ia na sua casa pra te pedir isso.

- pra quê você ia pedir isso?

- porque você não pode cozinhar nem fazer tarefas de casa, então eu ia fazer isso pra você e você aqui em casa eu poderia cuidar de você melhor.

- entendi!

- amanhã nós voltamos pra faculdade, espero que você não desmaie novamente e pra que isso não acabe acontecendo vou preparar algo pra você comer, me desculpa se por acaso a comida estiver sem sal ou com muito sal.

- tudo bem, onde fica seu quarto? Posso me deitar? - perguntei  ainda cansada

- sim, meu quarto fica lá em cima na porta azul, é a única porta azul que tem lá em cima, vai ser fácil você achar.

Enquanto Erick preparava a comida eu resolvi me deitar, mas não me senti com sono, então apenas deitei e comecei a imaginar coisas:

(Imagine On - lembrando do passado)

- filha, eu e o seu pai vamos embora. Não podemos viver com um monstro como você. - disse minha mãe

- mãe, não me abandone agora, não quero ficar sozinha! - disse chorando

- você que escolheu isso Melissa, a culpa é toda sua, não sei que milagre não vinheram te prender ainda! - disse meu pai sendo grosso

- por isso vamos embora, não queremos ser presos por culpa de você, você só sabe provocar dor. - disse minha mãe

- vamos embora querida. - disse meu pai

- pai, não se vá, não me deixe aqui . - disse ainda chorando

(Imagine - Off)

Pouco tempo depois o Erick chega no meu quarto e enquanto eu comia ele estava prestes a dizer algo:

- porque você não quer ficar no mesmo lugar que seus pais? - perguntou Erick

- posso confiar em você né? - perguntei parando de comer

- sim, sempre.

- está bem ... A três anos atrás, eu estudava na mesma faculdade, eu era muito quieta mas eu tinha sentimentos, por um garoto muito bonito e bem fofo, eu cheguei a namorar com ele mas ninguém sabia disso, nem os meus próprios amigos. Ele tinha tudo pra ser o "namorado perfeito", eu namorei com ele por um bom tempo mas depois ele mudou muito comigo, e depois de um tempo ele terminou o nosso namoro, eu superei um pouco, a mais ou menos cinco meses depois eu percebi que eu ainda o amava, ele era tudo pra mim, e eu acabei deixando esse sentimento ir muito longe... Eu acabei voltando a falar com ele mas a gente era só bons amigos, mas um dia eu acabei ficando com muita raiva de uma garota chamada Carolina, ela era a mais bonita daquele lugar e eu sabia que o garoto que eu gostava tanto nunca ia ser meu novamente se aquela garota continuasse ali, eu acabei vendo ela e o garoto de quem eu gostava se beijando e eu não me controlei... Eu tranquei Carolina em uma sala estranha, onde quase ninguém ia, e quando todos foram embora eu... Eu acabei ... Você sabe... - disse quase chorando

- você matou ela? - perguntou Erick

- não, eu só acabei cortando ela e talvez ela tenha desmaiado quando eu peguei a cabeça dela e bati no quadro, saiu um pouco de sangue, mas fiquei com medo de fazer algo além disso.

- você não é normal! - disse Erick assustado

- dá pra deixar eu continuar? Então, eu não havia deixado rastros nem nada, só um pouco de sangue no quadro, em seguida eu apenas fui para casa, estava com muitas manchas de sangue na roupa mas pedi ajuda pros meus pais e eles negaram, falaram coisas horríveis  e depois fugiram e desde então nunca mais vi eles, até hoje, onde eles resolvem aparecer do nada. Não me entenda mal Erick, eu me arrempendi, eu mudei, eu não sou mais a mesma e eu quero que todos esqueçam o que eu fiz, não conte isso pra ninguém OK?

- OK! - disse Erick nada animado

Eu expliquei melhor o que havia acontecido e ele entendeu, mas não ficou feliz pela minha atitude, minhã mãe não quis ouvir o que eu tinha feito, ela apenas me acusou como se eu tivesse matado alguém, só porque minha roupa estava com sangue e eu estava chorando, meu pai também não foi um dos melhores para me ajudar nesse momento, pelo contrário. Tudo isso me machuca até hoje, mas parece que eles nem se lembram do que eles fizeram a três anos atrás.


Notas Finais


Espero que tenham gostado😍💗
Não esqueçam de comentar
O que acharam do capítulo de hoje? - eu jurava que a Melissa tinha matado a Carolina😰 ai auê medo...
Obrigado por ler até o final ...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...