História Doce sintonia - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Hora de Aventura, Steven Universe
Personagens Ametista, Connie, Fionna, Garnet, Garnet, Jasper, Lápis Lazuli, Leão, Marceline, Marshall Lee, Peridot, Pérola, Rei Gelado, Steven Quartzo Universo
Tags Jasmethyst, Jaspis, Marcedot, Pearlapis, Pearlmethyst, Rupphire, Stevonnie
Visualizações 48
Palavras 1.432
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Crossover, Ecchi, Fantasia, Hentai, Luta, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Terror e Horror, Violência, Yuri (Lésbica)
Avisos: Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Me desculpem pela demora de postar o capitulo, tava sem net e aqui esta muito corrido, consegui a internet hoje a mais ou menos umas 19:40, por ai.

Capítulo 5 - Nos divertindo


Pov's narrador

Ela foi andando em direção a cama, deitou-se e olhou a pequena que observa-va seu quarto. Peridot percebeu o olhar da maior e desviou o olhar para a mesma.

- O-o que foi?

- Nada. Não vai dormir?

- Não durmo.

- Mais você dormiu ontem.

- Eu só estava muito cansada, por isso. - quando ela falou isso, marceline se sentou na cama e olhou para a mesma.

- Vem aqui.

- P-p-pra q-que?

- Vem logo!

Quando Marceline disse isso, a pequena gem, foi em sua direção. Marceline fez com que Peridot ficasse com a cabeça em suas pernas, enquanto o corpo repousava na cama. Involuntariamente, a maior começou a afagar os cabelos da menor.

- Quer que eu cante uma pequena música?

- Igual a que o Steven cantou comigo?

- Daí, eu ja não sei.

- Tudo bem, então...

- Vamos no jardim, lá

tem algo esperando

de ponta cabeça

onde colocou

e, quando enquantra-lo

meio desbotado

virando vê que o lado de baixo

ainda não apagou...

tudo permanece

onde você deixou...

tudo permanece

mais ainda muda

bem levemente

de dia e de noite

porque o sutil acontece...

quando tudo permanece...

Peridot se sentiu relaxada com a música que Marceline havia cantado, ela então relaxou os músculos e fechou os olhos, e em poucos segundos ela já havia dormido. Marceline, para não acorda-lá, levantou levemente a cabeça da menor, e deitou-a na cama. Reposou-se na cama ao lado de Peridot e fechou os olhos. Quando estava prestes a cair no sonos, sentiu pequenos braços envolvendo sua cintura. Olhou e viu Peridot que ainda dormia abraçada a seu corpo, ela se remexeu mais um pouco e colocou sua cabeça encima dos seios de Marceline, que apenas sorriu com a cena. Ela virou de costas para Peridot e encolheu as pernas, fazendo elas dormirem de conchinha.

Q.T

Marceline acordou antes, podendo contemplar o rosto sereno e calmo da gem ao seu lado. Peridot foi acordando aos poucos, vendo que a maior estava observando-a, logo sentiu suas bochechas arderem não sabia explixar o que acontecia com seu corpo, sentia-se bem em ter aquela gem ao seu lado.

- Bom dia, Peridot.

- B-bom dia, dormiu bem?

- Melhor que nunca! - falo sorrindo de orelha a orelha para a outra, que apenas sorriu de volta - Vou levantar, pode ficar mais um pouco aqui se quiser.

- Não, vou levantar com você. O que vai fazer?

- Ué? Eu vou tomar café da manhã.

- O que vai fazer para tomar então?

- Café com leite e um pão com manteiga. Vai querer também?

- Não, muito obrigada.

- Se você quiser nós podemos dar uma volta pela área, para que você possa conhecer aqui, se você quiser é claro.

- Eu quero, vamos.

As duas gems sairam do quarto eforam em direção até onde seria a "cozinha" de Marceline. Peridot ficou encostada na porta enquanto via a maior comer com voracidade. Terminado de comer, Marceline chamou a menor para sair da nave.

As duas sairam, Marceline pediu para que Peridot a seguisse. Elas entraram em uma floresta que não parecia ter fim, seguiram mais a dentro na floresta e acharam uma campina. Havia varios cervos no local, a maioria fêmea com seus filhotes. A menor ficou encantada com a visão, por algum motivo, os cervos que ali estavam, não correram, apenas as observavam. Talvez eles não as vissem como ameaça, talvez como uma outra espécie amiga.

Elas se sentaram em uma das pedra que ali haviam, e observavam as nuvens que se formavam. Marceline suspirou e fechou os olhos, sentindo a brisa do momento, enquanto era observada pela menor. Ela abriu os olhos e se virou para Peridot, que apenas corou e desviou o olhar.

Pov's Marceline

Eu sorri com a reação de Peridot, é uma nova sensação de segurança quando estou ao lado dela. Deitei minha cabeça em seu colo e vi-a corar, ela mesmo hesitando um pouco, começou a fazer cafuné em meus cabelos.

- Pery... - eu disse manhosa

- ...?

- Um apelido.

- Ah. O que foi?

- Você acha que eu posso me juntar a vocês? Quero dizer... Ser aceita por suas amigas, e poder ficar ao seu lado.

- P-p-por mim v-você ficaria, mais n-não sei se as gems aceitariam.

- Pery, qual sua história?

- B-bom, m-minha história... Eu fui enviada em missão para ver como a Drusa estava, mais fui impedida pelas Crystal gems. Elas me puffaram, mais o Stven me libertou. Eu ajudei elas a fazer uma broca, fomos a base da lua em que eu peguei uma linha direta com a Diamante Amarelo... - ela fez uma pausa, sua expressão era de tristeza, mais logo depois um pequeno sorriso brotou de seus lábios - Bom, prefiro parar por aqui...

- Não tinha ideia...

- Não precisa se preocupar.

Enquanto falávamos, um dos cervos se aproximou, uma fêmea. Ela ficou a nossa frente nos encarando, sem avisar, levantei Peridot e a coloquei sentada encima do animal.

- M-me coloca no chão.

- Não, ande um pouco nela.

- E-eu vou cair.

- Não vou deixar que isso aconteça.

O cervo andava com ela encima, morrendo de medo de acabar caindo, estava ao lado, para não deixa-la cair, caso aconteça algo. Depois de um tempo ela já estava mas calma, eu já não a seguia mais. E quando ela percebeu, ela acabou perdendo o equilíbrio e acabou caindo do cervo, que correu logo em seguida. Eu fui em sua direção, segurando o riso, pra não rir de sua cara.

- Você esta bem?

- Eu falei que ia cair! - falou ela fazendo biquinho, não aguentei e acabei dando risada - Não ria!

- Me desculpe, não aguentei. - falei rindo

- Grrr! - ela rosnou - não tem graça.

- Tem sim, muita! - quando eu disse isso ela me atacou, acabando derrubando nós duas. Ela ficou por cima de mim, me olhando, depois de um tempo, ela parou, e desviou seu olhar para outra coisa. Meu corpo se moveu sozinho, levei minha mão em direção ao seu rosto e o virei em minha direção. Ela estava envergonhada com a situação, e eu por instinto me apoiei no meu outro braço, me levantando um pouco. Eu estava a centimetros de seus lábios, quando finalmente, eu pude o tocar com os meus. Vi-a feixar seus olhos e rodear meu pescosso com seus pequenos braços.

Foram longos segundos, até que ela me afastou com um empurram de leve. Ela levou a mão a bouca e a tapou, ela se virou para mim com uma expressão que não consegui decifrar, vi lágrimas decerem de seu rosto.

- Me desculpe, não quiria fazer você chorar, meu corpo se moveu sozinho!

- T-tu-tudo bem só... Vamos a outro lugar, por favor.

- Certo, não vou lhe questionar.

Decide levá-la a um lugar que fica muito bonito entre, o início do dia, e ao entardecer. É o lugar mais bonito que já vi na Terra. É um lago que encontrei, e é bem grande, tem uma cachoeira, e acho que também tem "vida orgânica" lá. Ou como os humanos dizem, "animais".

Q.T

Quando chegamos lá, vi os olhos de Peridot brilhar, um sorriso se formou em seus lábios. Ela me olhou como se perguntasse o que vamos fazer.

- Podemos nadar se quiser.

- Sério?

- Sim.

- Poderia me ensinar? É que eu não sei nadar muito bem...

- Claro!

Ela foi em direção ao lago e pulou em sua parte rasa, não pude deixar de sorrir e dar risada daquilo. Eu entrei também a levando em direção ao fundo do lago, ela se segurou a meu pescoço colando nossas formas físicas. Ela mantinha os olhos fechados, e apertava meu pescoço.

- Pery, você tem que se acalmar - falo e ela lentamente abri seus olhos. - deite-se

- Não! Como que eu vou fazer isso?

- Você não confia em mim?

- Não é isso, eu só...

- Então fassa...

Q.T

Já estavamos chegando na nave. Foi bastante divertido passar o dia com ela.

Quando chegamos na nave, logo me aprontei em perguntar:

- Se divertiu?

- Sim! Foi legal, obrigado por me encinar a nadar. - falou sorrindo

- Não precisa agradecer.

Fomos para o quarto, e nos deitamos. Ela virou de costas pra mim... Será que fiz algo errado? Eu me virei em sua direção e puxei-a em minha direção pela sua cintura. Ela se virou para mim e não resistir, tomei seu lábios para mim novamente. O beijo foi profundo, ela abriu um pouco a bouca, e por instinto, eu adentrei com minha língua naquele espaço, quando toquei a sua, ouvi ela suspirar e sussurrar meu nome logo em seguida. Eu segurei sua cintura colando nossos corpos e aprofundei nosso "tocar de lábios". Quando nos separamos, um fio de saliva nos interligava. ela me olhava corada e sem reação, eu apenas deixei nossos corpos colados e ela colocou sua mão em minha nuca fazendo com que, minha testa tocasse a dela e afagou os meus cabelos. E dormimos assim, abraçadas.


Notas Finais


Espero que tenham gostado! Me esforcei para fazer esse cap.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...