1. Spirit Fanfics >
  2. Doce Tentação >
  3. Capítulo Único

História Doce Tentação - Capítulo 1


Escrita por:


Capítulo 1 - Capítulo Único


Fanfic / Fanfiction Doce Tentação - Capítulo 1 - Capítulo Único

LUCY POV'S

~

Havia umas duas semanas que eu estava me sentindo confusa comigo mesma, de fato eu estava apaixonada pela minha amiga Mina, mas...desde o primeiro dia que Jayne me convidou para conhecê-la comecei a notar que tinha uma tensão entre nós e isso estava quase me enlouquecendo. Lembro-me perfeitamente de como tudo isso começou:

 

FLASHBACK ON

Estou sentada em uma das pequenas mesas na sala da enorme mansão de Jayne, ela havia me deixado ali para pegar o chá, trouxe os mesmos me serviu e se sentou:

-Obrigada por ter concordado em vir me conhecer, senhorita Westenra! E eu não quis envergonhá-la no Savoy, é justamente quando eu vi a maneira como você estava olhando a senhorita Marie, eu senti como se estivesse olhando para um espelho entende?

-Oh..-minha mão por impulso treme ao ouvir cada palavra saindo da boca dela, o líquido no pequeno copo acaba derramando um pouco sobre meu peito

-Oh não tenha medo, quero dizer, certamente sua mãe disse como é comum...esses desejos- diz enquanto leva um lenço e pressiona levemente contra meu peito

-Sim..- sorrio levemente nervosa

-Sim, claro, eles são uma parte perfeitamente natural do amadurecimento de uma mulher, eu mesma já tive várias amantes antes de ficar com algum homem.- agora, leva o lenço até o canto de minha boca e escorrega lentamente até meu queixo e recolhe sua mão de volta-E olhe, é provável que Mina sinta o mesmo por você!

-Ela nunca proferiu- novamente sinto sua mão escorregar pelo meu braço

-Veja, as mulheres têm muitas maneiras secretas de expressar desejo-ela fala de modo sensual enquanto brevemente passeia com a mão pela lateral de meu peito e passa pela cintura. Quase que como me hipnotizando- Está no toque, ou num olhar, nas ações...- pega minha mão delicadamente e põe ali o lenço- Bom, da próxima vez que ela lhe der uma dica, assuma o fardo, diga a ela como está se sentindo!- se afasta de vez, pega o copo e bebe um pouco do chá

-Tudo bem, irei fazer isso- dou um sorriso alegre e ingênuo

FLASHBACK OFF

Bom, de fato eu segui seu concelho, me declarei para Mina no dia em que fui na sua casa, estava me sentindo leve, mas isso durou pouco segundos, a reação dela foi totalmente contrária a que pensei, no final de tudo acabei sendo rejeitada e expulsa de sua casa. Tão cruel...como será que ela se sentiria se fosse traída por quem ama?

Eu estava bem mais próxima de Jayne, anteontem ela havia me convidado para dormir uns dias em sua casa, já que minha mãe saiu para viagem, preparei uma pequena mala com minhas roupas e meus objetos para higiene pessoal. Já estava anoitecendo, saí a seu encontro e ela nos levou até sua casa:

-Lar doce lar!- abre a porta e entra primeiro me convidando- venha boba, fique a vontade, ok?

-Tudo bem, muito obrigada- falo um pouco envergonhada

-Não precisa agradecer, e eu preparei o quarto de hospedes para você, ou se quiser vir dormir comigo...não tem problema- sorri gentilmente e eu retribuo

-Eu..obrigada de novo, pode me levar até lá?

-Oh, claro, venha!- pega em minha mão e me guia pelas escadas, virando a esquerda, indo até o final daquele corredor e entrando dentro do quarto

-Uau! É lindo- caminho até a beira da cama e me sento deixando também a mala ali

-Que nada, fique a vontade! Quer algo para comer ou beber?

-Pode ser um chá mesmo

-Certo, depois que terminar de arrumar, desça! Gostaria de pôr a conversa em dia!- oferece novamente um sorriso gentil

~

*QUEBRA TEMPO*

Estou sentada no extenso sofá da sala de Jayne, ela para em frente a janela principal e olha lá fora, bebo mais um pouco do chá e ela se vira para mim dizendo:

-Você é virgem, não é?- fico sem graça e acabo sorrindo baixo- Já vi você flertar, usa a sua inexperiência como um ruge barato.

-Agora está sendo cruel!- brinco

-Sabe, todas as jovens se enfeitam como pavões, achando que quanto mais alta e brilhante irão atrair os olhares dos homens- vem caminhando até mim e se senta- Mas qualquer prostituta pode dar um sorriso afetado. Eu vou ensiná-la a assombrar os sonhos do Jonathan, o poder de uma mulher não está na beleza ou no sorriso, mas na mente! E o melhor uso da sua será capturar os cinco sentidos do Jonathan. O tato, passe os dedos no braço dele, no peito, no rosto- acaricia minha mão com a ponta de seus dedos- Envie memorias do verão, fazendo ele lembrar do calor do sol tocando sua pele nua. A audição, o seu riso leve e suave como um sino de cristal. A visão, um olhar que perdura- me encara e olha para meus lábios enquanto se aproxima ainda mais- E que promete muito mais por vir. E por fim...

-Sim, c-continue- minha voz sai falha por conta de minha respiração desregulada 

-O paladar- sussurra e seguidamente lambe meus lábios

Ela inicia o beijo, peço passagem com a língua e ela concede, o seu gosto delicioso, seu perfume que quase me deixara ludibriada, apoio minha mão na lateral de seu rosto e ela deixa o beijo mais intenso nos tomando o fôlego, somos obrigatoriamente separadas pelo ar que faltara e ela volta a falar levemente ofegante:

-Use essas armas com sabedoria, meu bem! E Jonathan será uma presa fácil- acaricia meu lábio inferior com o dedo

-Irei..-fecho meus olhos aproveitando a carícia

-Está ficando tarde, a banheira já está preparada, pode ir!- sussurra e cola delicadamente nossos lábios

Seguidamente ela se levanta primeiro e estica a mão novamente nos guiando até a escada, ela indo para seu quarto e eu indo para o meu. Entro lá e tranco a porta, tiro minhas roupas e meus saltos, deixo tudo no chão e sigo para o banheiro, o cômodo está tomado pelo cheiro das velas aromatizadoras, chego ao lado da banheira e entro devagar. Já fazia um bom tempo que eu estava ali, apenas sentindo meu corpo relaxar, resolvo levantar e com a ducha que tivera ali, retiro todo o resquício de espuma que restara pelo meu corpo, pego a toalha e me envolvo voltando para o quarto.
Termino de enxugar-me e visto minha calcinha seguidamente da camisola um pouco curta e de cor branca, iria prender meus cabelos mas vi que havia esquecido meu prendedor no sofá horas atrás, resolvi descer para pegá-lo, fui descalça para não fazer barulho, talvez Jayne já estivesse dormindo e eu não queria incomodá-la mas quando passo na frente de sua porta, ela está entreaberta me dando a visão da mesma terminando de se vestir, usava um body preto com uma renda na parte de seus peitos, cheguei mais perto da porta para ver melhor pois estava curiosa, a mesma vira e eu me escondo rapidamente, mas mesmo assim consigo ver ela ir até o cabide onde estava pendurado seu sobretudo de cetim azul.

Veste o mesmo e dá um laço em sua cintura seguidamente se sentando na beira de sua cama e dando um longo suspiro:

-Saia de trás da porta meu bem- fala em tom audível e eu fico estática, como diabos essa mulher conseguiu me ver?- Sei que está aí!

-E-Eu não..eu nã-gaguejo

-Shh, venha cá querida- me chama novamente com o sotaque arrastado 

Meu coração está acelerado e minhas mãos quase trêmulas, o que estava acontecendo comigo? Mas a obedeço, sento ao seu lado a encarando.

-Desculpe, eu estava passando para ir pegar meu prendedor lá em baixo e- sou cortada pela mesma

-E viu a porta entreaberta- sorri- está tudo bem, eu não me importo que olhe..

-Não?

-Não meu bem! Aliás, pode fazer um favor para mim?- se levanta e vai até a mesinha ao lado da cama e pega algo que não consigo muito bem identificar

-Posso sim..

-Então, passe isto nas minhas pernas, querida- volta novamente me entregando uma loção corporal extremamente cheiroso

Ela se deita na cama de vez com o busto para cima, eu me levanto e vou para frente da cama em seguida subindo e vou para perto de suas pernas, penso um pouco e ela me sussurra um "faça!". Desfaço o laço do sobretudo e o afasto, me dando visão completa de suas pernas, então eu me sento e ela me dá uma de suas pernas, abro o pequeno pote com o conteúdo e espalho nas minhas mãos, começo massageando levemente seus pés, subindo para o calcanhar e parando um pouco em sua panturrilha onde massageio mais demoradamente subindo e descendo. Faço o mesmo processo em sua outra perna e ela me chama mais para perto com o dedo indicador, ela as abre de vez e eu me encaixo em seu meio, pego mais um pouco da loção e massageio sua coxa, em cima, em baixo e dos lados:

-Hmm, isso baby, suas mãos são perfeitas!- geme em aprovação- Faça isso na outra, mas assim!- repousa a perna que eu estava massageando e ergue a outra, apoiando em meu ombro

Faço o mesmo nessa perna mas dou mais atenção a sua coxa, a toco prestando atenção em cada detalhe, com as pontas dos dedos, a mão toda, de vez enquando dava apertos leves por fim assim terminando e ela recolhe novamente sua perna e eu apenas continuo ali. Conseguia sentir minha intimidade começar a doer de tanto desejo que estava sentindo:

-Sente-se querida

Obedeço e ela se senta sobre meu colo entrelaçando suas pernas em minha cintura, me sinto quase que desesperada pois nunca havia chegado em tal proximidade assim com alguém, nem mesmo em meus sonhos, ela pega em minhas mãos e as guia até sua cintura, depois entrelaça meu pescoço com seus braços e chega perto de meu rosto, roçando nossos lábios, assim consegui perceber o quão descompassada minha respiração se encontrava:

-Meu amor...relaxe, não irei fazer nada que você não queria, tudo bem?- olha séria bem dentro de meus olhos

-M-Mas eu, eu quero..- corajosamente falo de uma vez por todas

-Não está se sentindo pressionada por mim? Eu paro se quiser..

-Não, por favor! Eu realmente quero- seguro mais firme a sua cintura

-Como eu lhe falei...as mulheres possuem desejos, desejos sublimes. Nosso corpo reage de uma forma dependendo de como nós estamos nos sentindo, sabe o que isso significa?- acaricia meu queixo enquanto fala ainda olhando em meus olhos

-Não

-Significa que você está excitada meu bem! Você já chegou a se tocar?

-Nunca, nem mesmo me senti assim, nem mesmo com Mina mas, com você é totalmente diferente

-É? Por quê?

-Você está me fazendo explorar coisas que eu nunca imaginei, me fazendo sentir novas sensações, tipo essa que estou sentindo agora, está...

-Intenso, não é?

-Sim

-Explore seu corpo, querida! Se descubra, veja o que você gosta, o que não gosta...isso tudo vai fazer com que você chegue no que mais anseia

-O que?- pergunto genuinamente 

-O orgasmo!- diz e eu me arrepio por completo, ela rapidamente me puxa pela nuca e cola finalmente nossos lábios, suga minha língua e desfaz o beijo com selinhos e uma mordida no lábio inferior

-Jayne...-Gemo seu nome

-Diga

-Eu preciso de você, mas..não sei como fazer

-Não se preocupe amor- acaricia novamente meu queixo

Ela sai de meu colo e se deita abrindo os botões do sobretudo e o tirando depois, ficando apenas com o body, abre novamente as pernas e eu por instinto me deito por cima e vou direto no pescoço dela, aspiro seu perfume e dou um beijo molhado, me afasto e vejo seus pelinhos se arrepiarem e ela suspirar, me ergo e a beijo de novo. Ela me põe deitada e vai para frente da cama, se despindo, fico boquiaberta, nunca havia visto alguém tão perfeita como Jayne era, cada curva marcada, sua cintura, suas coxas torneadas, tudo, tudo era perfeito.

Ela sorri e sobe na cama:

-Tire meu bem- se refere a minha camisola e eu coro rapidamente- Não precisa ficar com vergonha

-Tudo bem..- falo baixo

-Lembre-se, se não quiser eu paro com tudo- segura minha mão

-Eu quero muito, mas é tudo novo pra mim...essas coisas

-Iremos devagar então- sorri gentilmente

Fico de joelhos na cama e ela me ajuda a retirar a camisola, fico apenas com a calcinha e me deito novamente, a mesma encosta nas minhas pernas e as abre lentamente, mas antes me olha pedindo permissão e eu sedo, as abre e se encaixa ali subindo mais até minha barriga e fazendo uma trilha de beijos, e vai subindo, passando entre o vale de meus peitos e por fim terminando no meu pescoço

~

JAYNE POV'S

-Está se sentindo confortável para tirar a calcinha?- sussurro e mordo o lóbulo de sua orelha

-Estou sim, pode tirar...

Me afasto dela e começo a tirar a peça que lhe restava, olhando fixamente seus olhos, ela ergue seu quadril e eu tiro de vez, consigo ver a mais nova prendendo a respiração por tanta ansiedade, jogo a calcinha em algum lugar do quarto e abro novamente suas pernas, suas bochechas estavam levemente rosadas e sua respiração descompassada. Subo mais e monto sobre sua barriga:

-Oh- ela geme, provavelmente por ter sentido a umidade de minha intimidade-Jayne...eu preciso te tocar- fala e acabamos invertendo a posição

-Faça! Não se preocupe em me machucar ou em errar, conheça meu corpo devagar

Feito isso ela passa as mãos pela lateral de meu corpo, depois por minha barriga, passando por meus peitos e finalizando no meu pescoço, onde aperta levemente e se deita:

-Leve uma de suas mãos até lá em baixo, meu bem

Meio receosa ela faz o que peço, arrasta a mão direita até minha intimidade com um pouco de dificuldade, assim que sinto o toque me arrepio, suas mãos, seus dedos eram delicados e macios, antes que ela começasse com os movimentos, sinto que ela queria dar atenção aos meus peitos e eu permito, lentamente ela encosta a língua sobre o bico já eriçado e finalmente o chupa, ao mesmo tempo incentivo ela a começar a explorar direito minha intimidade:

-Oh Lucy! Não pare

Precisava gozar, como precisava, já estava quase delirando por estar sentindo tanto desejo, ela massageia meu clítoris com o dedo do meio delicadamente, pega mais um pouco de minha lubrificação e sobe com a mesma mão até chegar de volta em minha boca, chupo um dos dedos e peço para que ela chupe o outro, ela fecha os olhos se deliciando com meu sabor e eu aprecio a cena:

-Eu quero mais..- confessa 

-Vá em frente meu bem, faça-me sua!- levo uma mecha de seus fios dourados para trás de sua orelha

Determinada ela desce de uma vez me olhando durante o ato e me preenche com sua língua, quente e úmida, faz movimentos circulares sob meu clítoris enquanto acaricia minhas coxas com a mão esquerda, curiosamente ela escorrega a outra mão livre até minha entrada, ameaça a penetrar mas recua, ficando assim por uns minutos:

-Faça!- sussurro e sem seguida solto um gemido

~

LUCY POV'S

A obedeço e lentamente escorrego dois dedos de uma vez para dentro de sua intimidade, movimento meus dedos devagar e curiosamente os curvo um pouco, provavelmente foi bom pois Jayne rapidamente arqueou as costas e gemeu alto...ok, estou indo no caminho certo ao menos. Volto a chupá-la com um pouco mais de pressa, igualo meus movimentos com os dedos igual com o de minha chupada e, com a mão livre que me restara, acaricio sua coxa levemente.

-Oh! Lucy, mais rápido...- sinto suas mãos em meus cabelos, os puxando em seguida 

E seu orgasmo não tarda a chegar, acelerei meus movimentos juntamente com a língua e ela convulsionou, gemendo alto. Segundos depois consegui vê-la com o peito subindo e descendo desreguladamente, dou um beijinho nas partes externas de suas coxas, delicadamente volto com minha língua para sua intimidade, lambendo o resto do gozo que sobrara e finalizo serpenteando seu clítoris lentamente.

-Você está bem?- pergunto e me acolho ao seu lado

-Mais que bem e você?- acaricia meus cabelos

-Estou bem. Seu gosto...é delicioso- confesso e logo sinto minhas bochechas queimarem

-Obrigada querida, quer tomar um banho?

-Adoraria!

-Então vamos- diz e me beija novamente

~

*QUEBRA TEMPO*

-Como pode?- pergunto abraçando Jayne por trás e cheirando seu pescoço 

-O que?

-Você ser tão cheirosa assim?- afasto seus cabelos e dou beijinhos em sua nuca

-E como pode você ser tão adorável?- vira um pouco para me encarar

-Oh...obrigada- agradeço sem graça- Mm, vamos deitar?

-Vamos amor.

E com isso terminou a melhor noite da minha vida, eu diria. Deitamos e eu fiquei grudada em Jayne enquanto recebia cafuné, logo nossas temperaturas se igualaram e adormecemos pouco tempo depois.

 

FIM

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...