História Doce Trapaça - Capítulo 12


Escrita por: ~ e ~xHasashi

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Karin, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Sai, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Suigetsu Hozuki, Temari, TenTen Mitsashi
Tags Naruhina, Nejiten, Saino, Sasusaku, Shikatema, Suirin
Visualizações 785
Palavras 3.583
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


CHEGUEI... CHEGUEI CHEGANDO E CAUSANDO A DISCÓRDIA (8

Opa galera! ~MyG trazendo um capítulo mais rápido que o delicioso do Minato pra deixar vocês felizes e putos ao mesmo tempo.

PS 1 ANTES DE LER O CAPÍTULO: Releia a sinopse.

PS 2 ANTES DE LER O CAPÍTULO: Em minha defesa e da xHashashi, a gente não prometeu final feliz.

PS 3: A fanfic ainda não acabou.

BOA LEITURA

Capítulo 12 - Capítulo 12


Três FUCKING semanas depois, sexta-feira.

Shikamaru estava deitado no sofá, chegou mais cedo da faculdade graças a um professor tê-lo dispensado mais cedo. Sabia que deveria pensar em qualquer coisa, principalmente relacionado a faculdade, mas era impossível.

Em seus pensamentos, apenas reinava uma certa loira problemática que havia passado uma semana em seus braços.  Apesar de zoar com Naruto, sentia-se hipócrita, ele entendia como o amigo estava. Entendia completamente.

No dia seguinte que voltaram para a casa, nenhuma delas respondeu mais as mensagens deles. Não atenderam ligações, responderam mensagens, aceitaram os pedidos de amizade nas redes sociais. Basicamente: Desapareceram do mapa como fumaça e isso já fazia TRÊS MALDITAS E INFERNAIS SEMANAS. 

Era inegável que todos daquela república estavam chateados com a situação, acreditaram fielmente que aquela viagem havia significado algo para elas também.

Os pensamentos do Nara foram desviados quando Neji entrou na casa e sentou-se em uma poltrona. Jogou a cabeça para trás e suspirou pesadamente.

- Dia difícil, Safadão? – Perguntou sorrindo e ele revirou os olhos por causa do apelido.

-Dia estressante no trabalho. – Começou a afrouxar a gravata. – E a saudade da Tenten que não passa, Shikamaru. Não sei o que faço.

- Eu te entendo, Neji. – Foi a vez do Nara suspirar. – A Temari não saí dos meus pensamentos também.

- Eu só queria entender o que fiz de errado, Shikamaru. – As mãos do Hyuuga foram para o rosto. – Achei que ela também estava apaixonada e queria algo.

- Todos nós achamos, Neji. – Ele ia continuar falando, mas Naruto abriu a porta bruscamente. Jogou sua mochila em um canto qualquer e sentou-se no chão irritado.

- Que foi, Uzumaki? – Neji perguntou preocupado.

- Sabe aquela gostosa do meu curso que eu vivia dizendo que ia pegar? Pois é, peguei. – Falou colocando as mãos no rosto.

- E isso não era pra te deixar animado? – O Nara começou a rir.

- Era, o problema é que não teve graça. Ela até beijava bem, foi uma mão aqui e ali...mas...- Suspirou.

- Mas o que? – O Hyuuga levantou a cabeça e o olhou.

- Ela não é a Hinata. – O loiro deitou no chão e colocou as mãos no rosto. – Ninguém é tão intensa quanto a Hina. Ninguém consegue me deixar tão louco a ponto de eu sair fora de mim. Nenhuma outra mulher me teve na mão como ela tem. – Shikamaru podia jurar que ele iria chorar. – Eu fecho a porra dos olhos e lembro do corpo dela, dos beijos, dela dançando comigo. Caralho, não aguento mais essa situação.

- Eu entendo. – Sasuke havia acabado de entrar. Jogou seu jaleco em um canto qualquer e parou de pé próximo do sofá. – Eu sinto saudades de brigar com a Sakura, de depois fazer as pazes com sexo selvagem e ai finalizar com ela nos meus braços. Às vezes acho que estou ficando louco e começo a sentir o cheiro de cereja do perfume que aquela rosada usa.

- Neji, você falou com a Hinata? Por favor, pede pra ela me atender! Eu só quero conversar com ela. – Naruto olhou para o amigo com semblante preocupado.

- Eu vi a Hinata na empresa dos nossos pais na quarta-feira, mas ela não quis falar comigo e saiu rápido de lá. – O Hyuuga suspirou. – Eu também queria saber da Tenten, pedir o endereço dela pra irmos conversar e tentar entender o que aconteceu...mas não consegui.

- Será que seu pai ou seu tio não podem passar isso pra nós? – Sasuke falou. – Quer dizer, elas moram juntas, né?

- Você acha que eu já não tentei? – Ele suspirou. – Meu pai não quis me passar, disse que isso não cheirava boa coisa e que a Hinata é uma moça de família.

Ouviram-se risadas no ambiente.

- Não que ela não seja, mas você sabe. – Naruto suspirou e recebeu uma almofada em seu rosto.

- Olha a boca, seu filho da puta. – Neji bufou e fez os demais riram.

Iam continuar dizendo algo, mas a campainha tocou. O Uzumaki se levantou menos irritado que antes e se encaminhou para a porta. Assim que a abriu, quase caiu para trás com quem estava ali.

- Shion? – Falou assustado. Era a tal gostosa da faculdade.

- Oi Naruto. – Disse maliciosa. – Posso entrar?

- Por que? – Perguntou com semblante entediado. 

- Para nós terminamos o que começamos na faculdade. – Um semblante malicioso brotou no rosto dela e Naruto suspirou.

- Você é linda, mas não vai rolar mais Shion.  – A garota fechou o semblante na hora.

- Como não? Você deu em cima de mim o ano passado inteiro, quando finalmente rola...

- Acontece que ano passado eu não conhecia a mulher que ia abalar todas as minhas estruturas. Nada pessoal, você é linda. Mas não é ela.

- Você não pensou nela quando a gente tava se pegando lá na faculdade.

- Na verdade pensei, por isso fui embora. – Um suspiro escapou dele. – Foi mal, Shion...mas não vai rolar. Eu tô apaixonado por outra.

- Então tá bom, você que tá perdendo loirinho. – Ela deu de ombros e virou as costas.

Naruto fechou a porta e assim que se virou encontrou seus amigos olhando para ele extremamente perplexos com a cena. Suigetsu que havia descido por conta do barulho, observou a situação e não conseguia acreditar.

Uzumaki Naruto, o maior cafajeste que não negava uma foda para mulher nenhuma; principalmente a tal gostosa da sala que ele falou a porra do ano anterior inteiro que ia conseguir pegar e quando ele finalmente conseguiu: Não quis nada.

- Eu vivi pra ver o Naruto de quatro pra uma mulher. – O prateado desceu as escadas ainda chocado demais.

- Se você não acredita, imagina eu? – Sasuke falou ainda embasbacado. – Eu cresci com esse filho da puta, ele não dispensava mulher bonita querendo dar pra ele nunca.

- Eu não vou julgar. – Suigetsu suspirou e encostou no sofá. – Eu estou bem chateado com a ausência da Karin. No último dia que ficamos juntos, ela parecia triste. No dia seguinte aquela ruiva parou de me responder, não tive uma palavra se quer dela. – Uma respiração pesada veio dele. – Mas eu não quero e não vou desistir.

Ia continuar falando, mas Sai entrou pela porta da república com semblante de poucos amigos.

- O que foi, Sai? – Suigetsu perguntou ao perceber que o amigo não estava bem.

- Eu rodei aquela porra de faculdade inteira. – Ele jogou a mochila no chão.

- Pra que? – Sasuke perguntou o que todo mundo queria saber.

- Pra achar a Ino. – Confessou sentando-se na escada. – Rodei todos os campus, olhei todas as salas e nada. – Suspirou e olhou para o teto. – Caralho, eu só queria esquecer aquela mulher. Mas que merda. 

- Elas devem ter feito algum tipo de feitiço em nós, não é possível. – Neji bufou.

- Chega dessa bad aqui, caralho. – Finalmente Shikamaru falou após um longo período de silêncio. – Eu também queria aquela problemática, queria de verdade. Mas não vou ficar aqui chorando e parando com a minha vida. Bom, se elas querem assim: Não podemos fazer nada.  – Ele se levantou do sofá. – Se a vida me der um jeito de trazer a Temari, juro que não solto ela nunca mais. Porém enquanto isso não acontece, não vou ficar me lamentando. – O Nara começou a caminhar para a escada. – Vou para a festa do meu curso e do Naruto. Vocês vão?

- O Nara tá certo. – Sasuke pareceu ponderar o que Shikamaru disse. Ele estava certo, porém não deixava de ser difícil. – Eu não posso ir, tenho prova e preciso estudar.

- Eu estou cansado do escritório e preciso dormir. – Neji comentou voltando a se sentar.

- Tenho trabalho para fazer, não vai dar. – Sai falou se lembrando de um projeto que precisava entregar para um cliente.

- Eu não tô afim de sair mesmo. – Suigetsu respondeu calmamente.

- Vou te acompanhar pra não deixar você sozinho. – Naruto passou a subir as escadas junto com Shikamaru. – E bom, é a festa do nosso curso de engenharia...nós temos que dar uma força pra galera.

- É assim que se fala, Naruto. – O Nara abriu um sorriso e ambos passaram a subir para seus quartos. – Vamos encher a cara.

Os dois subiram rapidamente as escadas e logo não estavam mais a vista. 

- Eles não superaram né? – Perguntou Sasuke cruzando os braços.

- Com certeza não. – Respondeu Sui terminando de descer as escadas. – Mas ninguém pode culpar eles, já disse.

- Porra eu só queria entender que diabos a gente fez de errado. – Disse Sai frustrado jogando as mãos no rosto. – Estava tudo indo tão bem com a Ino! E agora não consigo tirar aquela loira da cabeça.

- Eu tenho a resposta! – Disse Suigetsu levantando de repente.

- E seria...? – Perguntou Neji erguendo os olhos para o amigo.

- MACUMBA! – Todos se entreolharam e então caíram na risada.

- O que? – Pediu Sai entre gargalhadas.

- A essa altura achei que você diria que foi uma chave de buceta coletiva. – Disse Neji e eles riram ainda mais.

- É uma teoria bem plausível tendo em vista que foi só elas abrirem aquelas pernas pra gente cair de quatro. – Disse Suigetsu colocando a mão no queixo como se refletisse muito a respeito.

- Cara, mas vamos concordar que foi uma bela chave de buceta. – Disse Neji.

- E de peitos... Por que porra! A Ino sabe usar aqueles gêmeos muito bem.

- Mas que cacete! Vocês ainda tão falando delas? – Perguntou Naruto do alto da escada e os demais deram de ombros.

- São belos assuntos. – Disse Sui.

- Com belos pares de peitos... – Disse Sai de maneira sonhadora.

- E coxas... – Disse Neji.

- E bunda... – Completou o Uchiha com um sorriso de canto.

- Mas vocês são uns arrombado! A gente aqui tentando tirar vocês dessa chave de buceta induzida e dai se negam a sair e ainda continuam falando.

- Deixa esses filhos da mãe para lá Uzumaki. – Respondeu Shikamaru já pronto descendo as escadas. – Se eles querem ficar remoendo as lembranças ok, mas nós dois vamos atrás de carne nova. – O Uzumaki assentiu.

- Tá certo! – Os dois se encaminharam até a porta, mas antes de sair olhou para os quatro amigos. – Última chamada, não querem mesmo vir? – Todos negaram. – Mas são uns arrombado mesmo!

~ ~

Ino e Karin estavam na cozinha fazendo um bolo de chocolate, o som estava em quase o último volume e as duas estavam se divertindo enquanto cantavam e dançavam no ritmo da música. Ambas estavam rindo e bem, desde aquela semana todas aparentavam estar ok com a situação.

Elas foram fortes, não atenderam ligações, mensagens e solicitações de amizades em redes sociais. Mas não podiam negar: Aqueles seis eram completamente insistentes e persistentes.

A ruiva sentia-se melhor em relação ao prateado, aparentemente havia esquecido e a loira ao seu lado ficava feliz com a situação, ainda mais pelas preocupações com a amiga de coração mole.

- Karin. – Ino chamou e a amiga a olhou. – Você esqueceu o Suigetsu?

Ela suspirou.

- Sinceramente? – Karin se virou e encostou na pia. – Não. Só estou mais conformada com a situação, só não posso dizer que esqueci completamente.

- Bom, qualquer coisa você nos diz. – Ela não gostou muito da resposta, mas não podia julgar a amiga.

- E você com o Sai?

- Sinto falta daquele corpo gostoso e de foder com ele. – Falou dando de ombros. – Só isso.

- Entendo. – A ruiva respondeu. – O famoso amor de pica.

As duas começaram a rir descontroladamente.

Enquanto isso Hinata entrava na cozinha, ainda com as roupas que costumava usar em seu curso de dança. Em silêncio, a azulada pegou um copo d’água e sentou-se na mesa olhando para as duas.

- Achei que você não ia dançar hoje, biscate. – A Yamanaka falou batendo o bolo de chocolate.

- Eu precisava, a faculdade foi um saco. – A Hyuuga revirou os olhos e encostou na mesa. – Tenho certeza que escolhi certo quando comecei Arquitetura, mas tem uns caras na minha sala que me dão nos nervos.

- O que houve, Hina? – Karin perguntou.

- Aí, eu não tenho paciência. – Começou. – Meu grupo só tem gente burra, tirando uma garota que é bem legal. Fora isso, os caras que estão lá não sabem fazer absolutamente nada. – Hinata cruzou os braços. – Aliás, sabem sim. Dar em cima de mim e ficar com umas cantadas horríveis, sério meninas.

As duas caíram na gargalhada.

- Um deles veio me dizer que eu era linda e maravilhosa, que me queria como mãe dos filhos dele.

- E aí? – A loira perguntou curiosa, mas ainda entre risadas.

- E aí que eu disse que sabia que era linda e maravilhosa, e que preferia morrer solteira que ser mãe dos filhos dele. – Deu de ombros e respondeu naturalmente.

- Aí cacete, biscate. – Karin ria cada vez mais alto. – E ele?

- Me chamou de vadia, e eu pedi pra ele me contar uma coisa que eu não soubesse. – Hinata respondeu olhando para as unhas. – E ainda falei para ele me tratar com respeito, para gente como ele, eu era a Senhora Vadia. Depois disso, o babaca ficou com tanta vergonha, que não olhava pra minha cara na sala de aula.

- Por isso que a gente te ama. – Ino se virou para colocar o bolo no forno.

- E aí, biscates. – Temari chegou jogando os cadernos na mesa e sentando-se em seguida. – Puta que pariu, que dia do caralho. – Bufou.

- Que foi, biscate? – A Hyuuga olhou para a amiga que claramente estava puta.

- O Kankuro me ligando pra encher o saco. – Começou. – Sabe como meu irmãozinho é. Mas falando em irmão e o Neji?

- Quando fui para a empresa dos nossos pais na quarta-feira, encontrei com ele. Porém não quis dar brecha pra conversa. Todas nós sabemos o que ele quer falar.

- Cheguei. – Tenten entrou na cozinha e sentou no colo de Hinata. – Qual a boa?

- Nossa, folgada pra caralho, né? – A azulada respondeu, mas não tirou a amiga do seu colo. – Como foi a entrevista lá na “Hyuuga’s Inc”?

Hinata havia ido na empresa do pai e do tio na quarta-feira para pedir que eles arrumassem uma vaga de estagiária para a amiga, que obviamente, após anos de amizade com a filha, o senhor Hiashi não pensou duas vezes em acatar o pedido da azulada.

- Maravilhosamente bem. – Um sorriso malicioso escapou dos lábios dela. – Além de ter garantido um emprego, ainda me rendeu uma foda no escritório.

- O QUE? – Todas disseram em uníssono.

- Porra Tenten, você foi lá pra ser entrevista ou pra trepar? – Hinata cruzou os braços e olhou para a amiga ainda chocada.  – E não me diga que você trepou com o Yamato? – Se referiu ao chefe de departamento de recursos humanos e que iria entrevistar a japonesa.  

- Até então, para uma entrevista. Mas já que rendeu uma foda com meu entrevistador, não vou reclamar. – A japonesa suspirou. – E esse era o nome dele? Só lembro do quanto ele fodia bem.

- Você não lembra nem o nome do cara, Tenten? – Temari a olhou e passou a rir.

- Não. – As cinco caíram na gargalhada. – Mas o que importa foi o orgasmo e é óbvio que o emprego, agora sou uma biscate empregada.

- Parabéns, japa! – Karin mandou um beijo para amiga e ela retribuiu.

- Mas é uma vadia, né? – A azulada sorriu, mas não sem antes revirar os olhos.

- Nós fomos primas por uma semana, me respeita biscate. – As cinco começaram a rir. – O Neji me mandou mensagem de novo.

- E aí? – Karin perguntou curiosa enquanto comia um pedaço de chocolate.

- As mesmas declarações de sempre. Me chamando de amor, que sentia a minha falta. – A japonesa deu um sorriso de canto. – Não respondi e nem vou.

- Nós estamos de parabéns. – Sakura apareceu na porta arrancando o jaleco. – Ficamos uma semana de casal com aqueles deuses e não ficamos apaixonadinhas.

- Como foi o dia, Rosinha? – Tenten perguntou rebolando no colo da amiga no ritmo da música.

- Eu abri um cadáver hoje, olha que coisa maravilhosa. – Encostou no batente da porta.

- Eca! Não encosta em mim. – Hinata revirou os olhos e a Haruno começou a rir. – Quem vai pra aquela balada que vai te no centro da cidade? Hoje eu definitivamente estou com vontade de arrastar a bunda no chão de tanto rebolar.

- Eu passo, tô cansada. – A rosada respondeu prontamente.

- Eu tenho um encontro com um gostoso do meu curso. – Ino deu um sorriso de canto.

- Vai dar né biscate? – A japonesa falou com um sorriso malicioso e a loira retribuiu.

- Vou, vou dar pra caralho. – Falou dando de ombros.

- Eu tenho que fazer um trabalho. – Karin respondeu indo até o forno olhar o bolo.

- E eu tenho prova. – Tenten revirou os olhos. – Infelizmente.

- Eu vou, peituda. – Temari respondeu. – Só me dá um tempo, quero tomar um longo banho, me trocar e ir com calma.

- Sem problemas. – A Hyuuga respondeu abraçando a amiga que estava sentada em suas pernas. – De verdade, estou cansada. Que semana do caralho.

- Não achei que fosse ser tão difícil voltar à rotina. – Sakura admitiu. – Mas foi bom nossos dias lá na casa, todo mundo deu bastante e aproveitamos horrores.

- De fato. – Karin ajeitou os óculos. – Se não fosse meus trabalhos sobre botânica, juro que iria pra balada também.

- Está gostando do curso, ruiva? Quer dizer, você sempre quis fazer biologia. – Temari abriu um sorriso.

- Sim, estou apaixonada. E vocês? Estão gostando?

- Bom, medicina é difícil, mas é o que eu sempre quis. – A Haruno respondeu.

- Estou tendo uma relação de amor e ódio com Marketing. – A No Sabaku respondeu. – Quer dizer, estou odiando minha turma. Fora isso, as aulas são ótimas.

- Eu nem preciso dizer que amo direito.  – Ino falou cruzando os braços. – Se antes eu livrava a gente de problemas, agora como advogada fica ainda mais fácil. – Elas começaram a gargalhar.

- E estou amando economia. – Tenten encostou a cabeça na mesa. – Mas os livros são um saco.

- Tirando as pessoas, arquitetura é apaixonante. – A azulada sorriu. – Bom...- Falou dando um tapinha em Tenten, que se levantou no mesmo instante. – Vou ir tomar banho.

- Quer companhia? – Perguntou Temari de maneira maliciosa.

- Você levou a sério o papo da orgia né biscate? – Pediu Sakura gargalhando alto.

- Rosinha olhe para aquela azulada e me diga se não é uma gostosa que faz seu lado lésbico gritar! – Todas riram.

- Meu deus Tema, você realmente não presta. – Disse Karin.

- Eu apenas aproveito as boas experiências da vida. – Respondeu a loira tranquilamente.

- Temari minha piranha, você é uma gostosa, mas a única companhia hoje vai ser do meu sabonete e da espuma dele, fica pra próxima. – Hinata deu uma piscadinha para Temari e saiu porta a fora rebolando. A loira cruzou os braços e revirou os olhos.

- Nós criamos um monstro!

Todas riram e ficaram conversando um pouco mais, aos poucos se dispersando pela casa para fazer suas atividades.

É, mesmo que aquela semana houvesse sido intensa: Nada abalaria a amizade daquelas seis.

~  ~

A noite já havia chegado, Temari e Hinata já estavam prontas para a balada. Estavam bem no maior estilo “amiga parceira, só se for amiga solteira”.

Definitivamente estavam prontas para outra e principalmente para encherem a cara.  

Assim que entraram, arrancaram olhadas maliciosas e diversos homens a comendo com os olhos. E elas simplesmente não ligavam nem um pouco.

- E então, biscate? – Temari começou. – Quer achar o brinquedinho da noite?

- Claro. – Um sorriso malicioso brotou nos lábios dela. – Só vamos beber logo, por favor!

As duas pararam no balcão do bar, pediram três doses de tequila e viraram rapidamente, como se fosse meros copos d’água. Depois de uma semana inteira bebendo no café, almoço e jantar, as bebidas alcoólicas nem faziam direito o efeito desejado.

Os minutos correram e elas continuaram a beber mas agora rebolando na pista de dança.

- Biscate eu vou ir ao banheiro! – Disse Temari no ouvido da amiga que assentiu. Hinata bebeu três cervejas e nenhum sinal da loira.

 Começou a ficar preocupada e mesmo que um cara maravilhoso tivesse toda sua atenção, suas reboladas e com certeza fosse com ele que ela sairia dali, resolveu antes ir atrás da loira e acabou se topando com uma Temari na saída do banheiro.

- Porra Tema, tava fazendo o que pra demorar tanto? – A loira sorriu com malicia e então Hinata notou o chupão nada casto no pescoço da loira, os cabelos desalinhados e a boca vermelha. – MEU DEUS VOCÊ TAVA DANDO BISCATE? – Temari assentiu dando de ombros em seguida.

- Dei uma rapidinha no banheiro com um cara gostoso pra caralho... Asuma acho que é o nome e estava indo te procurar pra avisar que vou terminar o que começamos no apartamento dele. Você se importa? – A azulada deu de ombros.

- Na verdade não, já tenho um pedaço de carne maravilhoso só me esperando na pista de dança. Prevejo que logo estarei saindo daqui também. – Temari sorriu.

- Ótimo biscate, a gente se vê amanhã então. Me mande uma mensagem qualquer coisa, não garanto que verei, mas o que vale é a intenção. – Hinata assentiu.

- Você não presta! Agora vai dar logo... – Temari abraçou a amiga em um gesto eufórico.

- Te amo piranha! Se divirta com o gostoso. 

 


Notas Finais


PEGA A XHASHASHI E A MYG E JOGA NA FOGUEIRA... !!!

Pois é brasil, final feliz só na Disney...
Nem bombeiro, nem dedos mágicos, nem sexo da melhor qualidade na praia..
Nada abala as nossas biscates!

Beijão e até o próximo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...