História Doce veneno !Taekook !Vkook!ABO - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Abo, Alfa, Jeon Jungkook, Kim Taehyung, Kookv, Lemon, Ômega, Taehyung, Taekook, Vkook, Yoomin
Visualizações 438
Palavras 1.913
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, Lemon, LGBT, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


🖤Boa Leitura 🖤

Capítulo 2 - Tão inocente, como será seus gemidos??


"Se não confia em si mesmo, não permitirá que confie nos demais."

•Taehyung pov's•

Meu pai estava feliz, de fato senhora Jihyo fazia bem a ele, e termos mais pessoas na casa, me deixava mais aliviado. Passava a maior parte do tempo trancado em meu quarto, já que o mais velho vivia viajando. Aproximei melhor foi Jimin, temos a mesma idade e o fato do garoto também ser um ômega, me trouxe um pouco mais de segurança. Não é que tenho ódio de Alfas, é que a maioria deles me assusta, meu professor é um, Namjoon consegue colocar medo quando quer, tenho pena de seu marido, Seokjin é um ômega bastante educado, além de ser o diretor de nosso colégio.

Jimin  acabou se mudando para o mesmo colégio que o meu, facilitando que nos tornássemos bons amigos, já seu irmão, preferia nem chegar perto, parecia aqueles alfas cheios de si, que curtem a vida como poder, pois sabe que não criaram caso. Estava tudo perfeito, até o mais velho receber a tarefa de nos levar para a escola, e nos buscar no final do turno. Me encolhia da forma que podia dentro do carro, evitava até mesmo não lhe dirigir a palavra.

Meu pai saiu em uma pequena viajem, e justo na semana que não me sentia bem, Jihyo acabou me ajudando como pode o fato de ter uma médica em casa, se tornou a melhor coisa. Apenas uma injeção, foi capaz de cortar minha dor incomoda, e a mais velha disse que poderia se tratar dos sintomas iniciais do meu primeiro cio. Depois disso não sai mais do quarto, não fui ao ultimo dia de aula na semana, passei o dia todo trancado, com medo. Sempre soube que o cio poderia chegar a qualquer momento, e que o primeiro é sempre o pior deles, e pedia aos céus, para que não ocorresse no meio da rua, sei o quão difícil é fugir de um bando de alfas famintos, por um ômega puro.

Minha mãe sempre me disse para guardar minha virgindade, independente de quantos cios que eu passe, mas me entregar apenas ao alfa que me fará feliz de verdade. Ela prometeu estar ao meu lado, quando passasse pelo meu primeiro cio, mas a maldita doença não deixou isso acontecer. Mas Jihyo está ali, e mesmo não sendo quem me criou, se mostrou disposta a me ajudar quando isso ocorrer. Ela só disse que devo me manter forte, dura pouco mais de uma semana, e não é aconselhável tomar inibidores na primeira vez.

O problema é que agora temos outro alfa em casa, e esse alfa é completamente irresistível e um tanto egocêntrico. Com apenas uma semana de convivência, notei que Jungkook pouco se importava com o sentimento das pessoas, quero dizer, a forma que conversava com as garotas ao telefone, praticamente dispensando elas depois de uma noite de diversão. Por isso preferi me manter afastado, e confesso que fiquei assustado, quando o mesmo veio me acordar.

Jungkook passou a noite fora, Jimin  havia viajado com Yoongi, e meu pai ainda estava viajando a negócios. Ficamos apenas Jihyo e eu, e tivemos um momento quase mãe e filho. Consegui conversan sobre algumas coisas com a mais velha, inclusive tirar duvidas a respeito do período de cio, o que me deixou um pouco assustado. Acabei indo dormir bem tarde, e deixando a mesma ainda na sala dizendo que iria esperar o mais velho.

Quando Jungkook me acordou, percebi algo diferente em seu olhar, sem contar o fato que seu cheiro ficou um pouco mais forte, e céus, que aroma maravilhoso. Não sei porque fiquei tão sensível a esse tipo de coisa. Ele me aguardou na porta, enquanto me trocava, por um momento me senti envergonhado, o mais velho me viu apenas de boxer e uma blusa de frio, e para completar minha "desgraça" seu abdômen definido estava a mostra, esse maldito alfa vai me deixar louco.

Durante o café preferi ficar encarando o nada, a me intrometer em uma conversa de mãe e filho, já que Jihyo parecia bem irritada com o garoto. Ela pediu que ele vigiasse a casa, enquanto fosse buscar meu pai no aeroporto, já que deu folga para os empregados. Passei à tarde, trancado no quarto, ouvi o barulho vindo da área da piscina, e quando olhei, vi Jungkook nadando apenas de bermuda. Uma visão do paraíso, e uma péssima coisa para minha mente.

Jihyo havia saído, e percebi que a casa estava em silêncio, vesti a mesma blusa de la vermelha, e uma calça jeans que achei dobrada sobre a poltrona. Desci para pegar algo que matasse minha sede, mas o copo acabou escorregando de minhas mãos. Em um ato de desespero,para juntar tudo antes que alguém aparecesse, acabei cortando meu pé, mas não me importei.

- Merda! -Comecei a catar os cacos de forma desesperada, quando ouvi passos em direção a cozinha.

- Taehyung! -Ouvi a voz de Jungkook, e realmente me assustei. -O que aconteceu aqui?

-O copo escorregou de minhas mãos. -Minha voz saiu baixa demais. -Não se preocupe, já estou terminando de limpar.

-Viu o corte no seu pé? -Dessa vez ele abaixou o tom, parecia preocupado.

-Sim, vou cuidar disso depois. -Caminhei para jogar alguns cacos na lixeira.

Nem me virei direito e senti mãos firmes em minha cintura, os pelos de meu corpo se eriçaram, agradeci imensamente por estar com blusa de frio. Jeon me colocou sentado sobre o balcão de mármore, e fiquei admirando o mais velho, enquanto o mesmo limpava os cacos pelo chão. Depois o garoto buscou uma maleta de primeiros socorros. Devo confessar que senti uma dor enorme quando o pedaço de vidro foi puxado do corte, mordi os lábios para disfarçar meu desespero, e Jungkook me olhou de uma forma estranha.

O garoto parecia ter o dom de curar as pessoas, pois assim que fez o curativo, já não sentia mais dor. O agradeci, e me arrastei para descer do balcão. Mas Jungkook novamente me segurou pela cintura, colocando meu corpo o chão em segurança. Não sei o porque, mas segui minha mente, ficando na ponta dos pés, para selar uma de suas bochechas, comecei a me desequilibrar, então o mais velho me manteve no lugar, segurando minha cintura.

-Não force a ferida, pode inflamar. -Ele disse com uma voz bem mais baixa, quase sussurrando.

-Obrigado, Jungkookie. -Minha voz saiu mais arrastada do que queria, sem contar as coisas estranhas que comecei a sentir, apenas me distanciei e corri para meu quarto.

Tive que ir direto pra o banheiro, tomar um banho frio, para ver se diminuía o calor sobre meu corpo. Desenrolei a faixa do meu pé, deixando a água entrar em contato com minha pele. Apenas saí do quarto, quando tive a certeza que meu pai havia chegado, consegui ouvir o alvoroço no andar de baixo. Me aproximei da cozinha, vendo Jungkook sentado de cabeça baixa, enquanto Jihyon brigava com o mesmo, então soube que era por conta das manchas de sangue no chão.

-Você machucou ele, Jungkook?-A ômega nem dava chance do garoto se defender.

-Não, ele não me machucou. -Resolvi intervir, não queria brigas por minha causa. -Ele cuidou de mim.

-O que houve, pequeno? - Meu pai perguntou me acolhendo em um abraço.

-Quebrei um copo sem querer, me cortei quando juntava os cacos. Jungkook fez um curativo no meu pé. -Mostrei a faixa enrolada no mesmo.

-Viu, você sempre me julga. -O garoto se levantou, acusando a mãe em um tom mais baixo. -Não é porque sou um alfa, que vou sair machucando todo Ômega que vejo pela frente.

-Desculpe, fil... -Jihyo tentou se redimir, mas Jungkook a deixou falando sozinha, indo em direção ao quintal. -Aish!

-Não se preocupe querida, ele vai ficar bem. -Meu pai abraçou a mulher, então sai sem ser notado.

Caminhei para onde o garoto havia saído, o encontrando sentado na beira da piscina, com os pés balançando dentro da água. Fiquei um pouco receoso em me aproximar, sentei poucos metros antes dele.

-Desculpe. -Sussurrei, ainda com medo.

-Não é culpa sua.-O mais velho me encarou, parecia um pouco triste. -Omma acha que não tenho controle, porque... Desculpe, não vou te encher com isso.

-Tudo bem. -Me levantei para voltar até meu quarto.-Só achei que estivesse chateado comigo. Bom, até amanhã.

-Vai dormir agora, ainda está cedo. -O maior se levantou.-Vamos dar uma volta pela cidade, deixar esses dois aí sozinhos.

-Tem certeza que quer minha companhia? -Sou meio inseguro algumas vezes, isso sempre foi fato.

-Qual o problema? Você não é tão ruim. -Minha bochecha esquentou. -Só vista algo mais quente, vamos de moto.

-Me espere alguns minutos. -Disfarcei um sorriso, enquanto corria para meu quarto.

Vesti uma preta rasgada nos joelhos, uma blusa branca e por cima uma jaqueta de couro, nos pés coloquei um coturno, e apenas ajeitei o cabelo em frente ao espelho. Quando avisei meu pai que iria sair, o mais velho não questionou, na verdade ficou surpreso, já que quase nunca saía de casa. Encontrei Jungkook na garagem, o garoto me ajudou a colocar o capacete, e então subi em sua moto. Jeon pegou minhas mãos, passando meus braços por sua cintura.

-Segure firme. -Sua voz saiu abafada pelo capacete, então ele deu partida rumo à cidade.

Nossa casa ficava afastada da cidade, mas na velocidade que o garoto pilotava, não demorou para chegarmos no centro de Seul. Jungkook parou em um pequeno bar, mesmo sabendo que sou menor de idade, encontrou um grupo de amigos, e naquele momento esqueceu que havia me levado junto. Fiquei encolhido em um canto, enquanto ele bebia a vontade, e conversava com algumas garotas. Precisava ir ao banheiro, Jeon percebeu quando caminhei até o cômodo.

Estaria tudo perfeito, se não me sentisse tão desconfortável. A música alta, o cheiro de álcool e tabaco, o lugar repleto de alfas, aquilo fazia meu medo vir à tona. Joguei um pouco de água sobre meu pescoço, então senti um aroma forte no ambiente, e não pertencia ao alfa que me trouxe, para variar, a dor voltou, talvez por estar nervoso.

-Céus, o que um ômega puro faz aqui?-O garoto praticamente rosnou, me fazendo encolher. -Seu cheiro é incrível, Bebê.

O encarei, e comecei a me afastar, mas como a sorte nunca esteve do meu lado, a parede atrapalhou minha fuga.

-Se afaste. -O mais alto levou as mãos de encontro a minha cintura, me prendendo contra a parede. -Por favor.

-Tão inocente, como será seus gemidos? -Senti uma respiração próxima a meu pescoço. Não conseguia empurrá-lo, obviamente mais forte que eu.

Estava perdido, não devia ter aceitado vir com Jungkook, achando que ele fosse me proteger, só porque foi carinhoso mais cedo. Quando achei que o alfa iria encostar ainda mais, seu corpo foi afastado do meu.

- Taehyung, abre os olhos. -Ouvi a voz de Namjoon, meu professor. - Jin, me ajuda aqui.

Rapidamente senti a presença de um ômega ao meu lado, então senti a segurança de abrir os olhos.

- Por favor, Senhor Kim. Me leve para casa. -Chorei abraçado ao mais velho.

-O que está fazendo aqui, pequeno? É menor de idade, não deveria estar em um local assim, é perigoso. -Jin disse me ajudando a levantar do chão.

-Me tira daqui... Não quero ficar aqui... - Repetia, o som de música alta começava a me incomodar.

-Chega de perguntas, Amor. Vamos tirá-lo daqui. -Namjoon disse, e Jin rapidamente o obedeceu.

[...]



Notas Finais


Oiii pompons!!

O que acharam do capítulo??


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...