História Doce Vingança (hiatus temporário) - Capítulo 3


Escrita por: e _Yangire_

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS), EXO
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Taehyung (V), Lay, Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Suho
Visualizações 47
Palavras 2.164
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Ok, ok, guardem as facas e as pedras. Voltei!
Explico nas notas finais! Boa leitura.

Capítulo 3 - Festa.


A vida nem sempre é como esperamos. Lee vai confessar para o Suga hoje, e eu espero que ele não faça nada estúpido, ou eu quebro a cara dele na frente de todo mundo.



— Vem Jimin, vamos nos atrasar! - Apareceu Lee, me chamando para ir para a aula.


Levantei me calmamente do banco da cafeteria em frente a faculdade, e segui a ruiva até lá dentro.



Jeongguk ON


Meu relacionamento com Tae está tendo progresso. Eu gosto dele. De verdade. Até mais do que eu gostava de Jimin.

Quando terminamos eu não queria aceitar, achei que nunca mais iria amar alguém e que Lee devia morrer por ter estragado minha vida. Mas, meus caros adolescentes, vou dizer-lhes uma coisa que a maioria não acredita.


“ Iremos nos apaixonar novamente.”


Não importa o quão grande tenha sido o relacionamento anterior. Ou se a pessoa que você gosta não corresponde. Sempre nos apaixonamos novamente. E talvez até saibamos lidar melhor com isso, sermos mais maduros.

Eu gosto de Tae, e quero ele para minha vida. E, quanto a Jimin, aprecio nossa amizade agora. Acho que realmente não era pra ser.



— Amor? - Perguntou Tae saindo do banheiro com uma toalha enrolada na cintura e com algumas gotas escorrendo por seu abdômen.


— Hm? - Respondi simplista.


— Quando vamos contar para os seus pais?


— Eu queria te convidar para jantar lá em casa. Seus avós poderiam ir também!


— Ah Kookie, é uma ótima idéia! - O avermelhado sorriu quadrado enquanto se aproximava de mim para me beijar.


Tae se sentou na cama, ao meu lado, parecia animado.


— E quando podemos marcar o jantar?


— Quando quiser, meu amor.


— Por que não convida o Jimin e a namorada? - Perguntou.


— Eu posso convidar o YoonGi e a JiSoo. - Terminou.


— Sim. Sempre quis uma festa de noivado, agora posso realizar esse sonho com você ao meu lado.


Taehyung me olhou safado enquanto ia até a porta, trancando-a. Ótimo, só tinha a gente em casa. Ele jogou a toalha para o alto, vindo em direção a mim. Sentou-se em meu colo enquanto tirava minha blusa.

Ataquei sua boca rapidamente, e o beijo calmo e apaixonado de antes, se transformou em um beijo feroz e carregado de luxúria.


Jimin ON



— Ok, e como planeja contar para o YoonGi que você gosta dele? - Perguntei para Lee.


— O que acha? Mas é claro que eu vou escrever uma carta com sangue de menstruação e pelos para decorar! - Disse deixando o sarcasmo transparecer em sua voz.


— Aish Jimin, eu vou apenas conversar com ele. O que mais posso fazer? - Terminou Lee.


Horas Depois:


— É só ir lá Lee, ele tá sozinho. Aproveita que as putas foram ao banheiro e ataca! - Disse ansioso.


— Sim, mas não sai daqui Jimin!


Após falar isso, eu a empurrei para o corredor que dava ao refeitório, onde YoonGi estava sentado sozinho enquanto tomava um refrigerante e mexia em seu celular. Continuei observando atentamente, Lee andou até seu lado.


Lee on*


— Não. -Disse Suga sem tirar os olhos do celular.


— M-mas eu nem disse nada.


— Mais iria.


— Eu gosto de você.


— Eu sei. - Disse frio, agora olhando para mim.


— E vai simplesmente me dizer não? -Indaguei, já um pouco irritada.


— Uhum. - Deu um gole em seu suco.


— Você é um babaca mesmo. - Passei as mãos em meu rosto. — Jimin tinha razão.


— O que disse, vadia? - Levantou rapidamente da mesa, apertando meus pulsos.


— Vadia é a sua mãe. Agora me solta, Min Babaca YoonGi! - Gritei, atraindo a atenção das pessoas que por ali passavam.


Ele me soltou, dirigi o olhar até meus pulsos, esfregando as mãos na marca vermelha.


Jimin on*


Eu já estava quase indo até lá deitar aquele cara no cacete, quem ele acha que é?

Um segundo se passou e não acreditei no que vi.


— É sério mesmo que ele jogou aquele suco nela? - Falei sozinho.


Saí correndo até seu lado e segurei em seu braço.


— Tá tudo bem, Lee? - Perguntei mesmo sabendo que não estava.


Dirigi meu olhar até ele.


— Você quer morrer?


— Acha que consegue me bater, nanico? Ou… vai morder minhas canelas?


— EU NÃO DEIXAVA! - Gritou um ser que passava por ali.


— Vão tomar no cu, bando de desocupados. - Gritei.


— E quanto a você, Min Yoongi… sei que não vai pedir desculpas a ela, e isso mostra muito bem o seu “tipinho”. E não, eu não vou te bater. Mas… o que é seu está guardado! - Pisquei pra ele, enquanto pegava na mão de Lee e saia do refeitório.


No outro dia:


Ótimo, último dia de aula, e então teremos as tão esperadas férias de verão!


Adentrei a faculdade, enquanto observava algumas meninas entregando um tipo de bilhete para as pessoas. Não deve ser nada importante. Apenas segui  caminhando rumo ao jardim dos fundos a procura de Lee, Jungkook, Tae, e Hoseok. Agora que Tae e Jungkook se assumiram, Tae está andando com a gente. Estranho, não lembro de ter o visto aqui na faculdade antes de começar a namorar com Jungkook. Abri as portas que davam de frente para o jardim, e uma das populares parou em frente a mim.


— Olá Jimin, esperamos que compareça. - Disse JiSoo enquanto me entregava o mesmo bilhete que vi mais cedo.


Ok, não era um bilhete. E eu estou surtando, por dentro é claro.


Vi os meninos e Lee sentados em baixo de uma árvore e segui até lá.


— Vocês também receberam? - Pergunto.


— Claro Jimin, todo mundo recebeu. - Falou Tae como se fosse a coisa mais óbvia do mundo.


— Cara, vai ser a festa do ano! - Disse Hoseok empolgado.


— É hoje a noite, você vai, né? - Continuou Hoseok.


— Ah Hobi, não sei, eu tô cansado e é o últim…


— Nada disso! Você vai sim, nem que eu tenha que te arrastar pelo cabelo, senhor Park Jimin!


— Ok, ok. Eu vou. Vocês passam lá em casa? - Perguntei.


— Claro, eu e Tae passamos lá às 8. Hoseok, você busca a Lee? - Falou Jungkook.


— Uhum. Agora vamos, o sinal já vai bater. - Disse Hoseok se levantando.


Algumas horas depois:


Finalmente!

Agora posso ir pra casa, tomar um banho e dormir!

Ah! Tem a festa!

Bato em minha testa.


Cheguei em casa, já avisei minha omma que vou dormir no Hoseok hoje. Agora, são quase 7 horas e nem comecei a me arrumar.

Subi as escadas, jogando a mochila e o celular na cama, indo direto para o banheiro.

Alguns minutos depois, já totalmente arrumado, roupa, perfume, cabelo, dentes escovados, desci as escadas.


— Omma, estou saindo, estão me esperando. Amo você.


— Juízo! Também te amo! - Gritou da cozinha.


Abri a porta da frente e fui direto para o carro, entrando na parte de trás.


— E aí, prontos pra festa do ano? - Falou Jungkook.


— Claro! - Eu e Taehyung respondemos em uníssono.


Jungkook deu a partida no carro. A festa seria na casa de JiSoo, uma das populares. Ela dava as melhores festas de Seoul! Mas era uma puta, claro. Não podia se esperar algo diferente de uma das namoradas de Min Yoongi.


Estávamos quase chegando e eu já via uma grande quantidade de pessoas por ali.

Jungkook parou o carro ali mesmo e descemos. Assim que entramos na casa, eu já tinha perdido Tae e Kook, devem estar se pegando em algum canto.

Achei um copo de bebida em cima de uma mesa e sem pensar duas vezes, bebi. O álcool descendo por minha garganta é uma sensação incrívelmente dolorida.

Fui até a piscina, sem nem saber como cheguei lá. Acho até que já estou bêbado. Melhor eu entrar.


— Aí filha da puta! - Exclamei com uma dor gigante no pé, após bater na quina da porta.


Senti um corpo me jogando contra a parede. Hm, reconheço esse perfume doce.

— Já bêbado, docinho?


— Cala sua boca! Seu babaaaca! - Falei com a fala um pouco arrastada.


— Vem calar!


Apenas lhe beijei. Ele me levantou, pra que eu pudesse entrelaçar minhas pernas em sua cintura, deixando suas mãos explorarem minha bunda.


— Ei, se querem se comer, não aqui, por favor. Tem quartos lá em cima. Não quebrem nada. - Falou Jeongin, amigo de Yoongi.


  Subimos as escadas da casa com pressa, a certa quantidade de álcool atrapalhava minha visão me fazendo enxergar dobrado e tropeçar nos próprios pés. Yoongi me puxava pelo pulso, abrindo a primeira porta que encontrou e me jogando no colchão da cama.

   A visão embaçada não me atrapalhava em muita coisa, as mãos atrapalhadas desciam e subiam por todo o corpo do Min, eu apertava cada canto daquela pele branquinha. Por algum motivo eu parei, sentindo os dedos grandes adentrarem minha roupa até os meus mamilos, apertando eles entre os dedos.


— Hey Park? – Ouvi ele me chamar, a voz meio baixa já que eu não estava prestando muita atenção no que acontecia, minha cabeça estava girando.


  Ouvi a risada baixa do mais velho, aos poucos sentindo o quarto mais frio. O vento batia na minha pele desnuda, os lábios quentes desciam e subiam pelo meu pescoço e ombros. Senti algo quente e úmido descer do meu peito até o meu abdômen, deduzi que aquilo fosse sua língua já que ele falava alguma coisa sobre gosto que eu não estava nem um pouco afim de ouvir.

  Abri minhas pernas já completamente entregue à ele, soltando murmúrios enquanto as mãos grandes apertavam minhas coxas por cima das calças.


— Eu vou... – O esverdeado subiu, ficando entre as minhas pernas e enchendo meu rosto de beijos – Te fazer o melhor boquete que alguém já te fez! – Disse o Min, selando meus lábios – Mas duvido que vá lembrar...


  Mais uma vez aquela risada convencida, resmunguei arrancando outra risada do mesmo. Yoongi tinha uma voz rouca, levemente baixa e meio presa; dando a impressão que estava naturalmente bêbado. Extremamente sexy na minha opinião.

   O esverdeado novamente desceu até minhas calças, tentando tirar aquilo de mim rapidamente, mas eu não quero... Eu não quero tirar as calças.


— Oppa! – Resmunguei – Eu não quero tirar as calças.


— Vai ser rápido, prometo. – Ele disse em tom de riso, próximo à minha orelha.


   Deixei com que ele tirasse minhas calças, ficando apenas com a camiseta no corpo. O Min desceu uma das mãos parar o inferior da minha coxa, me forçando a levantar e abrir as pernas.

  Foi só isso que eu senti antes de me entregar de vez aos prazeres da boca alheia que subia e desciam em meu membro, a sensação de ser abrigado no lugar quentinho e molhado me faziam ter espasmos e tremores por todo o corpo.


— Gosta? não gosta, Park? – Perguntou o mais velho, as mãos subindo e descendo por meu membro.


— Chim...– Disse meio enrolado.


— Tá morto de bêbado! – Ele apertou meu rosto, me forçando a aumentar o bico que eu tinha em meu rosto – Vira e fica de quatro pra mim.


  Me levantei, ficando de quatro para ele.


— Mete... Com força! – Disse meio lento.


— Toda a força do mundo. – Senti as mãos grandes em minha cintura e seu membro ser forçado contra a minha entrada.


   O membro do esverdeado já parecia estar inteiro em mim, anestesiado pelo álcool eu mal conseguia sentir dor, grunhi um pouco pedindo para que ele se mexe-se.

  Aos poucos as estocadas iam ficando mais fortes, eu não gemia a cada vez que ele se enterrava com força em mim, na verdade eu gritava! Sem me importar se alguém estava escutando, naquele momento eu estava amando ser fodido pelo Min babaca.


— Isso! Vai, Yoongi... – Pedi, ondulando o quadril em busca de mais contato.


  As estocadas iam aumentando, as mãos de Suga seguravam minha cintura me mantendo parado enquanto o quadril do Min se chocava contra a minha bunda.

   O Min deitou o peito em minhas costas, ficando próximo a minha orelha. A voz rouca de prazer e a pequena diminuída na velocidade das estocadas fizeram meu corpo tremer, o Min permaneceu parado sussurrando em meu ouvido.


— Seu cuzinho tá’ me apertando tanto... – Ele dizia baixo em meu ouvido – Fala para mim que gosta, bebê? Fala que o meu pau é o melhor que você já provou?


  Consciente eu não falaria nada ou mandaria tomar no cu, mas como eu já não estava pensando bem eu apenas fiz o que qualquer pessoa bêbada faria.

   Eu dormi, dormi naquela cama com Yoongi ainda dentro de mim e em uma posição extremamente desconfortável.

     As últimas coisas que ouvi antes de entrar em coma foi alguns xingamentos, barulhos estranhos como se alguém estivesse batendo em água e algo quente atingir o meio da minha bunda, escorrendo pela minha coxa.






Acordei todo dolorido, e com uma puta dor de cabeça. Mas que porra é essa?

Senti alguém se mexendo do meu lado e resolvi me virar para ver.



— Min Yoongi? Nós… O QUE CARALHAS TÁ ACONTECENDO?


— Sim, sim, Park, agora cale a boca e durma, ou eu te jogo pela janela.




Notas Finais


Gostaram?? Comentem o que acharam!
Então, eu sumi pq não deu mais tempo pra nada na minha vida. Peço desculpas por ter prometido o capítulo, e não ter postado. São problemas pessoais que não posso evitar ;-;
Desculpem a demora, e ignorem os erros.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...