1. Spirit Fanfics >
  2. Doces Hibridas - Imagine Jennie, Lisa, Rosé e Jisoo (BP) >
  3. A Híbrida

História Doces Hibridas - Imagine Jennie, Lisa, Rosé e Jisoo (BP) - Capítulo 2


Escrita por:


Notas do Autor


perdão pelo demora, mais ta aí.

capítulo não foi revisado.

boa leitura <3

Capítulo 2 - A Híbrida


Fanfic / Fanfiction Doces Hibridas - Imagine Jennie, Lisa, Rosé e Jisoo (BP) - Capítulo 2 - A Híbrida

- Você acordou? - ouvi as voz de Jungkook assim que consegui abrir meus olhos, me sentei onde chutei ser uma cama e cocei os olhos.

- Oque? - forcei um pouco minha vista, Jungkook me olhava preocupado, mais algo em específico me chamou atenção, Irene estava me olhando receosa enquanto uma garota de orelhas caninas me olhava assustada escondia atrás dela.

Ta, calma, QUE?!

Dou um pulo ficando em pé na cama. - OQUE E ISSO?! - aponto para a garota atrás de Irene.

- ____ calma! - Irene pediu, a garota atrás de si se encolheu ao ouvir meu grito.

- Isso e uma tiara não é? Muito cara, porque e tão real! - desci da cama, tentando me aproximar da garota mas Irene pôs um braço em sua frente me impedindo de fazer tal ato.

- ____ porfavor, preste atenção, isso não e uma tiara! São as orelhas dela! - Irene choramingou parecendo cansada.

Fiquei alguns minutos olhando a garota, como, como aquilo? Uma cirurgia talvez? Ela tinha orelhas como humanos! As duas orelhas caninas estavam levemente abaixadas, seus cabelos bagunçados, ela usava um pijama de Irene.

Suspirei pesadamente, passando as mãos pelos cabelos, e pude me lembrar do que Jungkook me disse ontem na cozinha de meu apartamento, me virei para ele rapidamente, o mais alto apenas deu de ombros.

- Eu falei que era sério. - sorriu ladino, me virei novamente para Irene e a possível, híbrida.

- Mais como?! Porfavor me deixe tocar! - me referi a suas orelhas, a garota arregalou os olhos e se virou de costas. Soltei um grito assustado quando vi que além das orelhas, a garota tinha uma calda peludinha, da mesma cor que as orelhas, castanho escuro. - Uma cauda! - apontei para a cauda da garota, Irene revirou os olhos.

- Para ____! Vai assustar Seulgi! - Irene se virou para a garota e sussurrou algo em seu ouvido.

Eles não tinham noção daquilo?! Era um híbrida! Uma garota provavelmente cão!

- Irene encontrou Seulgi no jardim de madrugada ____. - Jungkook informou, o olhei por segundos e voltei a olhar a híbrida.

- Eu pensava que era um mito, definitivamente qualquer um pensa nisso! - tentei de alguma forma analisar o corpo da garota buscando por alguma parte animalesca, mas Irene estava em minha frente. - Alguém mais sabe disso?

- Não! - Irene gritou, assustando a híbrida. - Desculpe Gi... - acariciou a cabeça da garota, sua cauda automaticamente começou a remexer para lá e pra cá.

- Céus, acho que irei desmaiar outra vez. - me abanei com minhas mãos. - Você e uma louca Irene! Olha no que você se meteu! - esbravajei olhando feio para Irene, que me olhava confusa. - Tinha alguma coisa com essa garota quando a achou? Sei lá, um documento? E se ela tiver uma casa! Devemos achar algum parente dela talvez? - a híbrida se virou com os olhos arregalados e assustados.

- C-Casa na-ão! - disse com dificuldade, arqueei uma sobrancelha.

- Você falou Seulgi! - Jungkook saltitou da cama eufórico. - Fale outra vez! - pediu sorridente, a híbrida se encolheu mais atrás de Irene que sorria adoravelmente para ela.

- Não tinha nada com ela ____, ela veio, sozinha e sem nada, só com uma roupa, velha. - informou entristecida, olhando para híbrida.

- Ela deve ter alguém! Ei, Seulgi? Pode me dizer se você conhece alguém para que possamos ligar para ele? - inclinei um pouco a cabeça para olhar a híbrida, ela rapidamente negou com a cabeça.

- N-Não tem n-ninguém! - gaguejou timidamente. - Ficar c-casa Iren-ne! - fez um bico adorável nós lábios, Irene a abraçou, fazendo com que a cauda da garota voltasse a se remexer.

- Isso e uma loucura, ela não tem nenhum registro? Já tentaram ir para alguma delegacia? E se ela tiver sofrido um acidente e perdido a memória? - questionei, isso tudo era uma loucura, híbridos para mim sempre foram mitos, céus.

- Não seja estúpida ____ Seulgi e uma híbrida, não podemos leva-lá para passear por aí, oque as pessoas irão pensar?! - Jungkook esbravejou, é, eu não pensei nisso.

- E oque você pretende fazer com ela Irene? - cruzei os braços.

Irene olhou para a garota agarrada em seus braços, parecendo pensar, antes de responder. - Ela vai ficar comigo.

Dia Seguinte

    9:36; Cafeteria

- Você ta bem? Tipo, você já pediu três xícaras de café é essa e sua quarta! - Namjoon me olhava preocupado.

- Eu, apenas estou pensando demais no caso do sequestro. - suspirei bebendo outro gole do café recém pedido, Namjoon suspirou encostando as costas na cadeira.

- O caso não e nosso ____, já disse Shawn está trabalhando nele! - repetiu novamente sua frase de mais cedo, revirei os olhos. - Olha sua cara! Você ficou acordada a noite inteira?

Sim, fiquei, porque é impossível dormir tranquilamente, depois de saber que sua amiga agora irá dividir sua casa com uma híbrida de cão, era isso que eu queria responder.

- Fiquei, mais eu tava... - pensei em alguma mentira decente. - Jogando call of duty. - tomei outro gole de meu café, olhando para o lado, evitando olhar Namjoon.

- ____, que mentira horrível, não irei te pressionar a falar nada, e hoje temos um caso pra resolver. - avisou, pegando uma rosquinha com canela, a mordendo em seguida.

- Ugh, qual caso? - perguntei, assim que havia terminando de tomar o café, o deixei encima do pequeno pratinho branco que fazia parte do conjunto da xícara.

- Hnm, alguns moradores de um bairro isolado, denunciariam um suposto... ladrão de animais domésticos. - Namjoon mordeu os lábios provavelmente temendo minha resposta.

- Ok, Shawn fica com um caso super mega intrigante, e nós dois, ficamos responsáveis por um ladrão de animais?! - acho que minha voz saiu alta demais, algumas pessoas nós olharam curiosos, me encolhi na cadeira envergonhada.

- ____ ainda sim e um caso, e nosso trabalho, e isso é errado também. - tirou seu dinheiro de sua carteira e o deixou encima da mesa, tínhamos um acordo, sempre quando víamos tomar nosso café, um pagava um dia e outro no outro.

- Certo. - suspirei, me levantando após Namjoon se levantar. - Que horas podemos ir, nesse bairro? - peguei meu casaco que estava na cadeira, e o vesti.

- Bem, não recebemos mais nenhuma denúncia além dessa, então...

- Vamos logo Namjoon, aish. - andei na direção da porta de saída da cafeteria.

Quebra de Tempo

Bairro Water; 9;36

- Ok senhora, porfavor se acalme, nós faremos o possível para pegar o ladrão. - garanti, tentando acalmar a idosa que não parava de falar que seu gato foi roubado noite passada. - Você pode por favor, me dizer alguma informação sobre algum suspeito? - a idosa confirmou rapidamente com a cabeça, Namjoon estava ao meu lado anotando minhas perguntas e as repostas da senhora, sobre o caso.

- Sim sim! Meu marido e nossos vizinhos viram uma van rondando nosso bairro! E também viram homens de jaleco saindo da van e olhando para os quintais de nossos outros vizinhos, que deixam os cachorros soltos a noite. - confirmei com a cabeça e olhei Namjoon anotar sua resposta.

- Certo, mais alguma coisa? - sorri fracamente para a idosa que me olhou indignada.

- Meu bebê foi sequestrado! E pouco para você?! - esbravejou, iria avançar em mim mais Namjoon entrou na frente.

- Senhora estaremos aqui amanhã a noite! Você afirmou que os suspeitos aparecem a noite correto? - Namjoon forçou um sorriso para a senhora que ainda me olhava feio, engoli em seco.

- Sim, isso mesmo, eu espero mesmo que vocês achem esses ladrões sem vergonha! - fechou o punho enraivecida.

- Ok, muito obrigado senhora, nos vemos amanhã! - se despediram, Namjoon guardou sua caneta e sua caderneta.

- Só pode ser brincadeira, que, bizarro? Oque está acontecendo em Seattle ultimamente? - neguei com a cabeça tentando caminhar mais rápido para fora daquele bairro.

- Isso e estranho mesmo, mais infelizmente teremos que vir aqui amanhã a noite, as dez, já que geralmente as pessoas ficam acordadas até as sete. - apenas confirmei com a cabeça. - Mais oque você acha que os ladrões fazem com os animais? - Namjoon perguntou me olhando esperando uma resposta.

- Sei lá, talvez a chefe deles seja a cruela, e ela talvez mandou eles irem atrás de animais, para sua nova coleção. - brinquei, Namjoon me encarou por alguns segundos antes de explodir em uma gargalhada.

- ____ por isso eu amo trabalhar com você! - secou os cantos de seus olhos, que escorriam fracas lágrimas, ri do seu exagero.

- Alguém tem que animar tudo!

Quebra de Tempo

    18:35; Casa da Irene

- Afinal você costuma correr atrás de sua cauda como os outros cães? - perguntei curiosamente para a híbrida que estava encolhida no sofá da sala de Irene, me fitando feio.

- ____! Pare de atormentar Seulgi com essas perguntas idiotas! - Irene berrou da cozinha, me fazendo revirar os olhos.

- Talvez, você possa me falar de onde você veio? - Seulgi me olhou com um olhar extremamente receoso, suspirei com sua desconfiança. - Ei! Eu sou amiga da Irene! Desde pequenininha! - Seulgi levantou as sobrancelhas surpresa com oque eu havia dito, isso deve ter a passado confiança pois ela se sentou reta no sofá.

- E-Eu vim d-do labo...labo...arg! - se jogou para trás derrotada, por não ter conseguido falar a palavra.

- Deixe-me ver. - pensei por alguns segundos, só podia ser uma palavra. - Laboratório? - Seulgi me olhou surpresa novamente e voltou a se sentar no sofá.

- Sim! - disse confiante, ela praticamente já sabia falar corretamente.

- Seulgi, eu fiz hambúrgueres com aquela carne que você gostou! - Irene entrou na sala segundo uma bandeja em mãos, nela tinha três hamburguês e dois copos de refrigerante. - Seulgi não gostou muito de refrigerantes, ela prefere não tomar nada enquanto come. - deixou a bandeja encima da mesa que ficava em frente ao sofá, e se sentou ao lado de Seulgi, que ergueu as orelhas caninas, eufórica.

- Obrigada? - ri de sua cara quando eu peguei um dos hamburguês.

- Eu deveria ter deixar com fome por fazer perguntas bobas a Seulgi. - a híbrida já estava devorando seu hambúrguer.

- Eu não sabia que híbridos eram reais, ainda estou em choque, me de um bônus. - mordi o hambúrguer.

- Gosto de saber que ela se sente confortável aqui, ela já está falando normalmente! - acariciou os cabelos de Seulgi, e sua cauda se agitou novamente.

- Ela não tem registros, isso e um problema, além de vários. - lembrei Irene, a morena suspirou e me olhou entediada.

- Não estraga o momento.

- Não se apegue a ela.

- Não se meta na minha vida ____.

- Não fique animada com isso.

- Não estraga o momento!

- Alguém vai vir atrás dela. - finalizei aquela mini discussão de nãos, Seulgi nós olhava com um sorriso nós lábios, mais o mesmo se desmanchou quando disse isso.

- N-Não podem vir me buscar! - esbravejou, se aproximando mais de Irene, que a envolveu com um braço.

- Apenas come sei hambúrguer pequena. - beijou sua testa, isso era um problema, Irene conheceu essa garota em três dias e já esta encantada por ela, será um efeito nós híbridos?

Parei de pensar nisso, quando me surgiu uma dúvida.

- Só existe você de híbrida Seulgi? - Irene me olhou confusa, Seulgi me olhou negando rapidamente com a cabeça.

- Doutor Jun t-tem mais como eu! - o modo com que Seulgi disse aquilo, parecia que ela havia se lembrado disso agora.

- Mesmo? Uou...isso e um problema. - Irene roeu as unhas apreensiva.

- Tudo já está estranho demais, principalmente o fato de que Seulgi veio de um laboratório. - respondi, terminando de comer o hambúrguer com uma mordida.

- Não e só isso, quando encontrei Seulgi ela estava com alguns machucados pelo corpo, e suas roupas não eram das melhores, ela foi maltratada ____. - Seulgi olhou para Irene, parecendo envergonhada e entristecido, Irene rapidamente agarrou Seulgi num abraço.

- Ok. - suspirei. - Você acha que tem outros como ela, sendo maltratados?

- Híbridos são extremamente raros de acordo com os livros, são usados para diversos experimentos, não me impressionaria, que sim. - respondeu, respirando fundo em seguida.

- Bem, não podemos fazer nada não é? - sorri brincando com Irene, que me olhou séria.

- Você pode investigar isso!

- Não Irene!

- Sim você pode! Secretamente, mais pode! - sorriu eufórica.

Não Irene, eu nem preciso te responder, eu não posso ir atrás de uma coisa que u nem sei direito como funciona e se e verdade.


Notas Finais


sem pressa >:c


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...