História Doces ou travessuras - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias TWICE
Tags Twicehalloween Jihsana
Visualizações 27
Palavras 1.802
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Festa, Ficção Adolescente, Musical (Songfic), Orange, Terror e Horror, Universo Alternativo, Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sadomasoquismo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


oi nova fictwshot

Capítulo 1 - SWEET, HOT KISS


Fanfic / Fanfiction Doces ou travessuras - Capítulo 1 - SWEET, HOT KISS

Pov. Sana

 

Nossa! E hoje finalmente chegou! Meu feriado favorito o Halloween. Me levanto da cama com o sono me perturbando ainda, mais eu estava eufórica vinha preparando minha fantasia a tempos. Hoje conCertesa eu ia arrasar no baile da escola. Onde sempre eu, Momo, Chaeyuong e a Tzuyu aprontávamos com as outras colegas de classe. Principalmente com a gostosa da Jihyo, que eu ainda ei de pegar. A garota é aquela metida se acha a melhor de tudo e vive se fazendo de difícil, mas vive me provocando. Todo mundo sabe que ela pega tanto meninas quanto meninos. Porem quando a interrogam sobre isso ela diz que é hetera. Só que um belo dia durante a aula de educação física ela ficava só me olhando, acho que era pelo short da Momo que ficou super. apertado, assim como extremamente curto.

- filha suas amigas estão aqui! - ouço minha mãe falar enquanto penteava meu cabelo. E a vi pelo reflexo do espelho parada no batente da porta- posso mandar elas entrar?

Claro! Por que não? - perguntei ao me virar para ela, achando estranho a pergunta pois sempre ela deixava elas entrar

- filha você está... está praticamente pelada- disse minha velha indignada

Foi ai que reparei que estava só de roupa de dormir, o que era uma camisola que mais parecia uma camisa de tão curta, com o Pikachu estampado com uma frase bem, digamos, esclarecedora “eu sou pika” e mais nada deixando minhas pernas muito expostas. Mais que depressa corri para o guarda-roupa e peguei uma calça moletom, foi a primeira que achei. Fiz sinal para a omma que assentiu saindo. Tenho que rir do jeito da minha velha, pois ela é toda desconfiada com relação as minhas amigas por serem lesbicas também, não todas a Tzuyu é pansexual. Ao que já andei pescando dela, ela acha que eu só uma daquelas que faz um rodízio com as amigas na cama. O que é mentira porque minhas amigas são como irmãs pra mim. Outro medo é que eu seja abusada por demostrar minha homossexualidade em público, pois desde que a Chae foi abusa ano passado, por homo fóbicos na rua ela tem esse medo.

 

- eai gata? - cumprimenta Chae ao entrar vestida de policial como aquelas mulheres estripes. Com um cassetete em mãos. – pronta pra hoje à noite- ela veio até mim e meu deu um beijo na Buchecha

    - pronta- disse enquanto ela me cumprimentava,- mas a festa é a noite- apontei pro relógio do meu celular- e é de manhã agora

- foi o que eu vim todo o caminho explicando, mas ela não excuta – concordou Momo vindo e me abraçando e ela sim estava vestida com o uniforme da escola.

- há estraga prazer- reclamou a fantasiada fazendo um bico.

 Tive que rir do biquinho dela

- não tem graça- esbravejou ela sentando na cama – vocês é que estão com inveja porque eu marquei com a Mina e vocês não tem minguem- debochou

- Você que pensa meu bem! - descordou Momo dando um tapa no próprio cabelo

-Quem é essa garota? - perguntei enquanto tentava me lembrar desse nome

- é uma patricinha de outro colégio – informou Tzuyu me dando um abraço

 De repente Choi é atingida por um travesseiro

- ela não é nenhuma patricinha! – grito Chae com outro travesseiro em mãos pronto pra lançar outro.

- ata? Não é né-  começou Hirai Momo – então me explica porque então ela começou a sair com você depois que descobriu que tu era filha do dono do café da cidade? Okay ela é mais interesseira que patricinha, aí... – ela é atingida por as bombas de penas tão forte que as plumas voam

- pelo menos não é rodada como a Nayeon! - retrucou essa ai até eu já peguei

Okay tenho que concordar pois, eu mesma já dei uns pegas com ela no banheiro da escola, mas a Momo não precisa saber, porque as duas estão loucas uma pela outra. O amor das duas é lindo. No dia do aniver de sua namorada a Nay preparou uma surpresa perante toda a escola. Organizou a festa e no final preparou uma declaração para com direito a buque de rosas vermelhas e serenata ao som de violão. Confeço que aquela ação foi inesperada, pois até onde eu sabia a garota não era daquelas que se amarrava a uma só pessoa.

- ela mudou oquei? - disse momo – ela disse que só eu sei fazer do jeito que ela gosta, sabe né ninguém chega a meus pés - sorriu por fim

- Ata! Você, a melhor? Até eu sei que EU sou a melhor na cama! Se a própria jih...

Ela parou assim que olhei pra ela. Brava

- desculpinha! - falou ela juntando as mãos

 

A minha amiga que era rival tempos atrás, por causa que nós duas crushavamos a Park. Sendo que eu era digamos, apaixonada e vamos ser sinceros eu ainda sou. Mesmo que não demostre, morro de ciúmes dela. Mas não dou meu braço a torcer, pôr o simples fato da mesma, se achar, depois que descobriu isso. Park Jihyo acha que sou facinho. Não vou dar esse gostinho a ela. Como sei disso? Simples, a Nayeon é melhor amiga dela então a Mô me contou. O que me deixou meio chateada que a mesma diz coisas assim quando está bêbada. E como disse antes ela se denomina A senhora hetero, mas não por muito tempo pois desta noite ela não me escapa. Sei como provoca-la. De repente vejo Choi Tzuyu sentada no chão abraçando as pernas enquanto olhava o celular com lágrimas nos olhos. Já sabia o que era, ou melhor, quem era Jeongyeon sua namorada. Que vivia iludindo minha amiga e a traia aos montes.

- vocês brigaram de novo? - perguntei depois que me sentei ao lado dela e ela deitou a cabeça em meus ombros.

- terminamos- disse ela ao mostrar a o status do facebook “solteira” - cansei de ser trouxa e ter a fama de corno manso. Declarou por fim

Até que enfim! Aleluia! Ela acordou

- já estava na hora! Miga, ela não te merece uma pessoa tão mara quanto você! - se manifestou Chaeyuong vindo a nós duas e sentando a nosso frente.

- mas o problema é que ainda gosto dela- confessou a ruivinha ao levantar a cabeça e olhar com olhinhos tristes para a outra.

- sei um ótimo remédio para isso – falou a japa vindo e se juntando a nós, pelo visto a discussão delas durou pouco hoje.

- não vem disser que é sorvete ou chocolate, pelo amor-  chutou a policial

            - não, melhor que isso. - deu a pista para adivinharmos

         - sexo? - chutei, afinal se não era nem sorvete nem chocolate, qual outro remédio que é usado contra o mal do coração arrasado? 

     Elas me olharam com sorriso malicioso até a Tzuyu

- que? – perguntei sentindo meu rosto queimar- não era isso que você queria dizer?

- Não exatamente isso, queria dizer pegar umas minas, mas sexo também serve.

- okay! então vamos arrasar essa noite!!! – gritou Chae dando um pulo fazendo com que o vestido subisse mostrando sua calcinha rosa – haaaaaaaaaaaaaaaaaaa! – gritou ela abaixando o vestido depressa toda vermelha.

E nós caímos na risada

 

                                [*******]

 

 

Depois da escola fomos para a casa da Chae, porque tínhamos combinado de nos aprontamos lá. Outro motivo era que o motorista ia nos levar de limusine para a festa, sei é meio exagerado, mas o nosso plano é causar já de chagada, o que seria melhor do que uma limusine. A dona da mansão não largava do wattssap só de papo com a tal Mina. Ficou o intervalo inteiro tirando fotinhas vestida de polícia e mandando pra ela. Momo estava na secretaria conversando com a diretora, pois uma zeladora as pegou transando no banheiro, mas não resultou em algo grave porque elas só saíram com uma advertência. Tzuyu estava ainda meio abalada com o fim do relacionamento e por azar pegou a ex falando coisas horríveis dela. O que resultou na Choi dando uma surra daquelas nela. Agarota lavou a alma e nós também.

Hoje eu peguei a minha paixãozinha me espiando no banheiro enquanto trocava de roupa depois da aula de educação física. Jih ficou toda assustada quando abri a porta só de top. Junto com um short jeans. Tentou se explicar, mas não deixei a empurrei contra a parardes. Há ela estava super. gostosa, com uma saia bem justa que valorizava suas coxas, assim com a bunda, que minha mão coçou para bater nela e uma camisa que a mesma tinha feito um laço onde mostrava barriga sarada, fez minha boca salivar. Sem falar nos seios fartos. Com ela presa na parede indefesa, me causava mais excitação principalmente quando ela tentava se libertar e seus seios, colados contra os meus, se rosavam.

- você estava me espiando trocar de roupa? – perguntei falando bem perto dela tão perto que sentia a respiração acelerada dela, tal como o coração.

- N-nao eu estava apenas vendo se o box não estava ocupado- falou meio nervosa como se procurasse uma explicação cabível, que no final pareceu acha-la enfatizou convicta

Não pude disfarçar a vontade de rir do jeito dela e dei um sorriso

- à é? – não resisti em provoca-la e coloquei meus cabelos para o lado deixando meus peitos mais visíveis- mas não acredito- ela arregalou os olhos e engoliu em seco ao vê-los-, admita que você estava me olhando- disse pôr fim a apartando mais seu corpo fazendo ela arfar o que fez um calor lá embaixo presente.

Ela deu um sorriso tentando se demostrar forte contra seu desejo

- eu não curto meninas. E agora me larga! – ordenou nervosa forçando pra se libertar  

 O que agora ela quer lutar? Então vamos lá

Usei toda a minha força abrindo seus braços e o prendendo na parede

- não é o que parece-  sussurrei no seu ouvido- ela se irisou toda-  e além do mas você é muito gostosa- declarei mordendo o lóbulo de sua orelha. O que fez um gemido/ suspiro brotar de sua garanta.

Então foi traçando beijos deste a orelha até o pescoço. Há aquele pescoçinho macio vou mordendo vendo seu corpo se contorcer de prazer. De repente me avanço naquela boca suculenta onde a exploro todinha enquanto sinto a Sra. Hetera se converter na minha frente pegando na minha nuca pra aprofundar o beijo. Ella começou a deslizar a mãos pelo meu corpo me fazendo ferver. Fiz o mesmo e dei um baita tapa na bunda dela que gemeu entre os dentes.

Mas como não sou fácil parei o beijo se mais nem menos, pegue meu casaco e me pus pra fora deixando a garota lá sedenta     

-        

   

 

 

 

-

 

 

        

 

   

 


Notas Finais


que acharam ate o proximo
tive espiraçao depois que li a fic do exo meu namorado é um zumbi


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...