História Doctor,I feel. (Changlix, Chanlix) de - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Stray Kids
Personagens Bang Chan, Han Ji-sung, Hwang Hyun-jin, Kim Seung-min, Kim Woo-jin, Lee Felix, Lee Min-ho, Seo Chang-bin, Yang Jeong-in
Tags Changlix, Chanlix, Obrigadowoojin, Ot9
Visualizações 19
Palavras 731
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: LGBT, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 1 - Shit


Naquelas noites, onde a minha única saída dessa vida turbulenta, era sentar na beira de um precipício e apreciar as flores.

Me perguntei ainda a pouco, se era por tais motivos, que me pus a questionar. Ainda sou um homem? Um ser humano em carne e osso? Ou sou apenas pueira?

Doutor, eu só sei que eu sinto, tudo aquilo que não devia.



-Changbin? O que faz ai está hora?- Em meio a minha conhecida neblina, um ruído grave coma uma voz, aparece nos meios. Respiro fundo, pressentindo que não seria fácil a partir de agora. Era para ser um segredo.

-Nada.- disse seco, querendo o espantar como pássaro. Mas, senti seus passos apertados chegarem mais pertos, juntos aos pares de olhos vridrantes e perdidos em minha imagem. É difícil ver alguém fazendo algo errado, ainda mais quando se mora com ela e se vive dia após dia ao seu lado.

- Cara, você tá fumando?? Changbin! Você não pode fazer isso!- pulou o banco, parando em minha frente, roubando o cigarro de meus lábios e pisando com seu tênis favorito, deixando apenas as cinzas.

- Como se apagar este cigarro não me faz comprar outro maço. Vai dormir, Felix.- O olhei entediado. Ninguém pode mandar em mim, em um homem de 20 anos. Se cada um fez e faz o que quiser, por que eu não posso?

- Até quando ia esconder isso? Imagina se os managers descobrem,hyung!- Suas mãos foram em direção a suas mechas, as levando para atrás da orelha. Rolei os olhos. Esse papo de managers para lá e para cá. Eles não são deuses capazes de controlar tudo.

- Seria muito hipócrita da sua parte cobrar que alguém conte seus segredos, não é? Você ainda finge, mas eu sei, que por trás dessas portas você não é o mesmo,Félix.- Assim que joguei na roda, fui capaz de ver a ansiedade e o desespero surgir no mais novo.

- Do que está falando?- Surpreso. E como numa pesca, usei minha rede para capturar mais uma vez as verdades do Lee.

- A quanto tempo você e o Bang Chan estão transando?






                               .


-  Nós temos 5 minutos para sair, se não vamos perder o Vôo. Sejam rápidos.- Os staffs comunicaram que nosso vôo foi adiantado. Todos estávamos acabados, cansados e com sono. A vida de um ídol sempre foi um desafio,nunca uma brincadeira.

Bem, fizemos tudo o que podíamos. Assim que voltamos ao encontro dos staffs, senti falta de duas figuras. 

Não é de hoje que as coisas andam estranhas, bom, estão assim dês do dia em que o Bang Chan se assumiu Bissexual para nós. Todos estivemos do seu lado, sabemos que não é fácil e sempre fomos cabeça aberta. Mas parece, que alguém entre nós já sabia disso, e não de uma forma formal.

Resolvi procurar pelos quartos os dois ausentes, de porta em porta. Até que em um momento pequenos susurros foram ouvidos do quarto dos australianos, especificamente de seu banheiro. Não teria escutado pela porta, como um maldito curioso, se os barulhos não fossem estranhos o suficiente para interromper.

Ao encostar minha orelha esquerda na porta de madeira, mal passava pela minha cabeça escutar gemidos e tais palavras.

- Bang Chan, nós temos que ir.- Respirando pesado, eu ouvia a voz rouca do ruivo.

- Obrigado Félix, eu precisava aliviar. Porra, tenho que admitir que você tem uma puta de uma boquinha boa.- Riu. Minha mente estava girando e minha visão perdendo o foco, eu não sabia o que caralhos estava acontecendo por alí, mas, era estranho! Eu repreendi em minha cabeça a cena em que essas palavras me faziam imaginar. É nojento e horrível, dois caras, amigos, vivendo juntos dia pós dia!

Corri ao ouvir passos, e fiquei do lado de fora do quarto. Ainda com a cabeça girando, com os pensamentos fora de eixo e um puta nojo. Olhei estreito para o reflexo do espelho e pude ver enfim algo que confirmasse minha dúvida.

Quando o mais velho beijou feroz os lábios do mais baixo, os mordendo e ainda respirando pesado. Como dois corpos que se necessitavam exagerados. Como dois de meus irmãos que mentiam e omitiam tantas coisas.

E minha pressão caiu mais ainda, quando o pecado chegou a mim. Um incômodo, a me atiçar por de baixo dos panos.


Eu estava de pau duro, para dois caras.


Notas Finais


Foi procurar e encontrou ne não?

Galera, eu estou escrevendo essa fic por puro fogo. Não sei exatamente onde quero parar, mas sinto que vi dar certo.

Obrigada por ler 😘


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...