História When We Were Young - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Jihope, Taekook, Yoonjin
Visualizações 32
Palavras 3.591
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Fluffy, LGBT, Romance e Novela
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 6 - Sexta combina com delegacia?


Fanfic / Fanfiction When We Were Young - Capítulo 6 - Sexta combina com delegacia?

Primeira prova do segundo semestre.

Sim.

Já se passou duas semanas da volta as aulas.

O que eu fiz durante esse tempo, senhor?

É, eu não fiz nada, mas certas coisas mudaram nesse tempo.

Cho e Hoseok não se veem desde que ela deu um fora - inexplicável - nele. Em casa, quando ele vai lá, ou ela sai antes dele chegar, ou ela se tranca no quarto evitando contato. Na escola, ela se sentou mais afastada de nós, e ao tocar os sinais para intervalo e saída, ela é sempre a primeira a sair da sala.

Meu excelentíssimo pai - ironia - não deu as caras desde aquele dia na lanchonete, Hoseok diz que a mãe não o falou nada.

Ah, essa é outra novidade, a mãe do Hobi se aproximou mais dele, apesar de achar estranho, o hyung está tão feliz e calmo pela aproximação, que nem pergunta para a mãe sobre a situação.

Vou me encontrar sábado com Yoongi hyung, com o Hobi. Ele disse que finalmente vai nos apresentar o hyung misterioso que ele esconde desde que nos conhecemos, e eu não poderia estar mais empolgado com esse encontro.

Se não fosse a prova de física sexta feira.

Tento evitar esses pensamentos do senso comum que se perguntam o porque de estar estudando cada matéria no ensino básico, mas desde que me encontrei com esta bendita matéria, não consigo pensar muito longe do uso da mesma.

Eu me mato de estudar, estudo mais até que minhas matérias favoritas, mas sempre consigo um simples 6.0 na nota final. É bom estar na média, mas do tanto que estudo, eu deveria ter um conhecimento igual a Eisten, não como um simples Park Jimin.

Fazer o que. Já desisti de conseguir algo a mais nessa matéria, então sempre estudo com Cho e Hoseok, que trazem revisões que complementam a matéria. Bom, eles trariam, se estivessem no mínimo dando um bom dia para o outro, mas nem isso.

Como sou um otimo amigo e irmão, decido deixar o tempo deles, e estou estudando com os dois separadamente, gravando cada revisão. Cada um complementa o áudio do outro. Não deixo de reparar na expressão triste e pensativa de cada um cada vez que aperto o play.

- Eu sei que tenho insistido demais, mana. Mas você anda tão triste, por favor, não exite em me explicar o porque de desistir do Hobi assim. Não estou aguentando mais ver você sofrendo.

Decido perguntar pela centésima vez em duas semanas para Cho, que insiste em desconversar sobre o assunto.

Nós estamos em seu quarto, ficamos a tarde inteira repassando sobre as três leis de Newton, e eu não aguentava mais.

- Ah, Chim -  Ela diz suspirando e eu dou uma risada fraca ao lembrar do apelido que Jin hyung me deu. - Tá bom, eu vou explicar. - Ela disse, largando o material na mesa e se jogando na cadeira, olhando para o teto. - Mas por favor, me prometa que não vai me interromper e vai aceitar minha decisão final - Ela me olhou com uma intensidade feroz nos olhos, e eu sabia que teria que fazer exatamente o que ela estava pedindo.

- Claro, respeito sua decisão. Sou todo ouvidos - Eu disse pegando na sua mão, fazendo um carinho. Ela voltou a fitar o teto e começou a falar.

- Não sei por onde começar... Mas veja bem, isso tudo é errado desde o inicio, a mamãe está estranha, nervosa, desde que eu comecei a falar da possibilidade de eu namorar o Hoseok. Algo está realmente estranho, meu sexto sentido diz que tem merda pra ser tacada no ventilador, e você sabe que meu sexto sentido nunca falha. Não posso deixar de pensar em você, também. Eu não posso ser egoísta mais uma vez e me entregar a ele, sabendo que você ama ele tanto quanto eu...

- Cho...

- Por favor, deixa eu terminar de falar - Ela me olhou sério e eu respirei fundo.

- Ok.

-Eu me arrependo profundamente do caso com nosso pai, Minnie, do dia em que ele te bateu. Por minha culpa - Nesse momento ela já estava chorando, e eu com meu instinto protetor, a abracei e a balancei um pouco, tentando passar todo meu amor neste singelo gesto. Ela ficou assim por alguns minutos, até recobrar um pouco o fôlego e continuar a falar - Eu sinto, no fundo do meu coração, que este sentimento é errado, e você sabe que quando sinto algo errado, é melhor não se aprofundar. E eu estava tão cheia com esse sentimento, não aguentava mais guarda-lo, então a única coisa que posso fazer é me desfazer dele.

- Ai, Cho - Eu disse suspirando, fazendo um carinho em suas costas. Não sabia o que dizer. Nada do que eu falasse, parecia diminuir a dor dela de ver meu pai me bater. - Você não tem culpa alguma do nosso pai, se é que ele merece ser chamado disso, ter me batido e saído de casa. Ele é um homem sem escrúpulos, e isso ia acontecer mais cedo ou mais tarde. Eu te agradeço muito pelo empurrão, sem você do meu lado, você sabe que eu nem estaria aqui te abraçando - Agora eu estava chorando.

- ChimChim - Ela disse e nós dois sorrimos fracos por toda a situação - Muito obrigada por tentar diminuir meu fardo, eu não sei o que faria sem você também. Eu te amo tanto.

- Eu também te amo, minha caçula.

Nós nos apertamos mais, uns nos braços do outro e ficamos assim até minha barriga roncar - o que gerou uma risada entre nós -  e nos dirigimos a cozinha para comer algo.

                                 ...

E finalmente a bendita sexta feira chegou. Eu queria que este dia chegasse e não ao mesmo tempo, mas já que estamos aqui, eu estava ansioso para terminar a prova logo e gastar todo meu conhecimento aplicado na prova, em um belo buffet de sorvetes.

Hoseok também estava animado para ir na sorveteira depois da prova. A pressão era tanta, que até Cho topou ir, mesmo com o hyung estando lá. Ela disse que ia com uma amiga e nós nem iríamos reparar na sua presença.

Até os intrusos do primeiro ano iriam junto. As provas deles iam começar só no fim do mês. A bênção de estar no primeiro ano ainda.

- Alguém chamou o Jin hyung? Eu já chamei o Yoongi Hyung - Eu disse.

Nosso grupinho estava na nossa mesa, na cantina. Era intervalo, a prova seria na última aula, e eu precisava jogar papo fora, se não minha cabeça ia explodir de tanto conteúdo.

- Eu chamei - Jeonkook disse, sentado na minha frente. Ele não exitou em dar um largo sorriso ao falar do seu novo amigo. - Ele disse que vai tentar ir, pois tem uma prova na faculdade, a tarde, e tem que trabalhar hoje. Mas disse que iria, nem que ficasse dez minutos.

- Ah, que bom - Eu disse, sorrindo, deixando de lado meu caderno com o conteúdo da revisão aberto.

- Bom demais - Hobi disse do meu lado, se espreguiçando, também deixando de lado seu caderno.

- Bom só se for para vocês. Porque o Jeonkook me largou nessa última semana, e só fala do Jin hyung. Parece até que são um casal já - Tae disse, revirando os olhos.

Eu sabia que essa manha toda tinha algo por trás. Não sabia se era o único a saber, mas Taehyung gostava do menino sentado ao lado dele. Para mim ele não fazia a menor questão de esconder isso, mas o garoto é tão lerdo - até parece certo hyung do meu lado - que os dois nunca passaram de segundas intenções. Eu teria que dar um toque de realidade no meu vizinho, se não esse grupo rumaria caminhos diferentes, e eu não gostava daquilo.

- Falo mesmo, conheci ele agora, queria que eu falasse do que? Dessa sua cara emburrada? - O mais novo do grupo falou, eu e o Hoseok não aguentamos e explodimos em risada, enquanto Tae socava o ombro do amigo, indignado. Ele ia falar algo que não devia, mas parou assim que o toque do sinal foi ouvido.

- Você me paga, menino.

- Tá, tá, vamos - O mais novo empurrou o mais novo loiro do grupo em direção as suas salas, mas antes se despediram e marcaram o local de encontro na saída.

- É.... Tá chegando a hora - Eu disse, realmente feliz de a hora estar chegando, e eu puder terminar a prova logo.

- Graças, não aguento mais isso tudo - Hobi disse, já com os cadernos nas mãos, indo em direção a nossa sala.

                                ....

- É sério, gente, eu estou rindo de nervoso, essa prova tava impossível. Se eu tirar metade da nota, vai ser milagre - Eu disse. Graças a prova terminou, e a gente estava indo para a sorveteira, Yoongi já estava lá esperando a gente. - Acho que ele pegou umas questões do mestrado dele, não pode ser.

- Olha gente, o Jimin costuma ser dramático, mas dessa vez eu concordo com ele, essa prova estava impossível. - Hobi disse, suspirando cansado.

- Estão vendo, se até o aluno que disputa o primeiro lugar da classe, disse que estava difícil, imagine eu, que só sobrevivo de média.

- Sinto muito por vocês - Jeonkook disse, olhando com pesar para nós dois.

Quando ele terminou de falar, eu empurrei a porta da sorveteira, e só o sino que identificava novo clientes, já fez eu esquecer do que estávamos falando. Eu dei um largo sorriso ao entrar no local, já indo em direção aos sorvetes. Não queria perder tempo.

- Até esqueceu da prova - Escutei Hobi falar atrás de mim, e os meninos deram risada, inclusive eu. Até eu me espantava da maneira que a comida me fazia esquecer o pior dos problemas.

- Fala, galerinha - Escutei a voz do Yoongi em uma das mesas, e todos nos viramos para ele. Fomos em sua direção e os mais novos deram um abraço no hyung. - Estou assustado como vocês cresceram.

- E eu assustado como você não cresceu, hyung - Kook disse e todos rimos.

- É, você tem razão - Yoongi disse dando aquele sorriso maravilhoso, matador de corações despreparados por aí. - Como foram de prova? - Ele disse olhando para mim e Hobi.

- Uma merda, mas acontece - Eu disse, já concentrado no meu agradável pote de sorvete.

- Eu estou perdido, tenho prova de física semana que vem, e ainda tenho que pegar o conteúdo perdido. - Yoongi disse, suspirando fundo, apoiando seu rosto em mãos, olhando para o movimento da rua.

- Já pediu ajuda para o seu hyung?

- Sim, e graças ele vai me ajudar esse fim de semana, se não eu estaria perdido.

- Entendi, estou ansioso para conhecer ele amanhã.

- Na verdade, vocês podem conhecer ele hoje. Vocês não vão acreditar na incriv...- Yoongi foi interrompido por uma barulho dentro do estabelecimento.

Todos olhamos em direção ao barulho, e eu me assustei com a cena que estava presenciando, já largando o sorvete de lado e indo em direção a mesa do outro lado da loja.

Como minha irmã disse, eu nem reparei quando ela chegou aqui. Mas agora eu estava notando, pois o barulho vinha justamente da sua mesa.

Ela estava de pé, ao lado da mesa, encarando um menino mais alto até que o Hoseok, mas ela não exitava em encara-lo demonstrando que não tinha medo. Sua amiga estava sentada olhando assustada para a situação. Eu me aproximei, tentado conter a raiva que estava se acumulando em meu interior.

- Algum problema aqui, Cho? - Eu disse, e quando olhei melhor para o menino, me surpreendi ao reconhecer seu rosto - Leo? O que está fazendo para minha irmã?

- Isso não é da sua conta, tampinha - Eu respirei fundo e olhei de novo para Cho.

- Ele está te incomodando? Posso tirar ele daqui - Eu disse, já com os punhos fechados ao meu lado. Leo deu uma gargalhada e eu o empurrei. Ele se desequilibrou e caiu no chão.

Eu teria ido para cima dele, se Cho não ficasse na minha frente e falasse.

- Não vale a pena, Chim. Deixa esse lixo aí, ele não consegue bater em nenhuma mosca.

Ela disse se virando para mim, e por reflexo eu me meti em sua frente, ao ver uma mão surgir em suas costas, e sentir o soco em seu lugar. Nem deu muito tempo para pensar na dor, pois eu logo levantei meu pé e acertei o peitoral do menino, fazendo com que ele caísse novamente.

- Você está morto - Eu disse, indo em sua direção, mas senti meu corpo ser empurrado para o lado.

Hoseok surgiu do nada na minha frente, e agora estava em cima do menino, acertando diversos socos em sua cara e seu estômago. Eu não fiz nada, pois ele merecia. Hoseok só se soltou do menino com a ajuda de Tae, Jeonkook e Yoongi, e mesmo assim foi difícil separa-los. As duas únicas funcionárias do local estavam escolhidas no caixa, não acreditando na cena a frente delas.

Com muita dificuldade - eu sorri com isso - o menino se sentou no chão, cuspindo sangue, ele olhou para nós com fúria nos olhos e teve dificuldade em falar.

- Isso não vai ficar assim, vocês vão pagar por isso, principalmente você Cho.

Eu não me conti e avancei para o menino, mas fui impedido pelo grupo, e o máximo que consegui fazer, foi acertar um chute no seu rosto, fazendo ele desmaiar.

                                  ...

- Pois eu teria feito pior se os meninos não tivessem me separado. - Eu disse para minha mãe.

Nós estamos na delegacia, em uma sala de espera, eu estou com gelo no rosto pelo soco que eu levei, e agradeço por o ter levado no lugar de Cho.

Minha mãe está como responsável por mim, Cho e Hobi, pois sua mãe está em uma reunião importante, não podendo estar presente. Ele está em um sofá, jogado no canto da sala, resmungando baixinho pela dor nas mãos. Os meninos estão aqui também, como testemunha, fora as meninas do caixa. Leo estava no hospital, um policial acabou de avisar que ele já está acordado, aparentemente bem, e passa por observação. Um funcionário abriu a porta do delegado e nos olhou com desprezo.

- Só falta ouvir a parte do menino no hospital, mas ao que tudo indica, não passou de uma briga de adolescentes. Estão liberados - Ele apontou para os meninos e as funcionárias, eles suspiraram aliviados e foram deixando a sala. Eu estava me levantando, quando o delegado me interrompeu -  Você e o outro que ajudou a bater no hospitalizado, vão ficar mais um pouco para assinarem a ata. Se forem fichados mais uma vez, seus pais serão chamados e correrão o risco de ir para o internato de menores infratores. Esperem um pouco, que os papéis estão sendo concluídos - Ele disse já fechando a porta novamente.

Eu me joguei na cadeira e suspirei fundo pela situação.

- Pois vocês merecem um belo de um castigo. Aonde já se viu, dois marmanjos arranjando briga por aí,  eu não criei você pra isso Park Jimin - Minha mãe disse. Ela estava realmente furiosa com a situação, não deixando eu me explicar direito.

- Ele estava mechendo com a Cho, mãe. Queria que a gente fizesse o que?

- Chamasse a polícia, sei lá. Violência nunca leva a nada Jimin, já te ensinei isso.

Eu não disse mais nada, pois sabia que de nada adiantaria argumentar com ela nessa situação.

Cho entrou na pequena sala com outro saco de gelo e foi em direção a Hobi, que estava cochilando. Ele resmungou ao sentir algo gelado em sua mão, mas Cho logo o fez parar, dizendo que aquilo iria ajudar. Depois disso eles ficaram cochichando um ao outro, sorrindo ao final de algumas falas. Eu estava achando aquilo fofo.

- Não gosto de ver esses dois tão próximos - Minha mãe disse ao meu lado.

- Por que? - Perguntei para ela incrédulo.

- Tenho meus motivos - Ela disse simplesmente e o delegado surgiu novamente, levando todos nós para sua sala e nos fazendo assinar a ata a ocorrência.

Antes de sairmos, ele avisou a Cho que fosse falar diretamente com ele se Leo a incomodasse de novo e todos agradecemos sua atenção. Saímos da delegacia e fomos para minha casa, até dar a hora da mãe de Hobi ir buscar ele e eu ficar sozinho no meu quarto.

                                  ...

Apesar do ocorrido de ontem, Yoongi não desmarcou nosso encontro, mandando uma mensagem no grupo mandando seu próprio endereço como o local do encontro.

Depois de muito insistir, eu convenci minha mãe de ir, dizendo que o encontro estava marcado faz semanas. E ela não exitou em falar que estava me deixando ir, pois confiava no Yoongi hyung.

Combinei de encontrar Hobi hyung no caminho, pois eu estava com medo de me perder, mesmo a casa sendo na região.

Agradeci por em 15 minutos andando, acharmos o apartamento, e não demorei em tocar a campainha do apartamento do hyung. Escutei um movimento dentro e logo o hyung apareceu na porta em seu melhor estilo: Uma camiseta branca larga, e uma calça jeans preta rasgada, descalço. Eu ri do seu jeito.

- Você continua desleixado - Eu disse ainda sorrindo, entrando no apartamento, e no momento em que ele fechou a porta eu coloquei as mãos em seus cabelos, ele deu um pulo de susto - Deixa eu arrumar isso aqui - Ele acenou e fechou os olhos, sentindo meus dedos passando pela sua cabeça. No meio do processo eu me distraí e comecei a reparar melhor na sua expressão, nos seus olhos cansados, seu nariz, sua boca... Eu não me conti e passei meu polegar em seus lábios, ele suspirou entre meu dedo e acariciou minha bochecha.

- Minnie... - Ele começou a falar, mas logo foi interrompido pelo toque da campainha. - Preciso falar com você depois - Ele me disse com uma expressão séria, eu acenei com a cabeça e me virei em direção a sala. Hobi estava no sofá, olhando atentamente a cena na porta, e me lançou o pior de seus olhares maliciosos, eu revirei meus olhos e me joguei ao lado dele.

- Achei que iam tirar a roupa alí mesmo e iam esquecer que eu estava aqui - Ele disse rindo.

- Ah, cala a boca, vai - Eu disse pegando a almofada do meu lado e enfiando no seu rosto, fingindo não ouvir seus protestos. Continuei assim até 3 seres na porta me interromperem.

- Será que devemos dar espaço ao casal? - Yoongi disse parecendo pensativo.

- Acho que sim, vamos jantar fora - Jeonkook disse fingindo querer ir embora, tirando uma gargalhada dos meninos loiros ao seu lado.

- Deixem de ser besta - Eu disse arremessando a almofada na direção de jeonkook, mas acertando em cheio Taehyung. Nós todos rimos pela minha pontaria de meda e ao normalizarmos a respiração, o mais novo do grupo perguntou.

- Tá legal, a janta está pronta? Tô com fome já.

- Pois eu estava procurando um voluntário para finalizar o prato, ainda bem que se manifestou kook - O menor disse já empurrando Kook para a cozinha, e nós rimos de seus resmungos.

- Alguém abre para mim? Deve ser o hyung, só falta ele - Yoongi disse assim que a campainha voltou a tocar.

Ansioso, fui o primeiro a me levantar e ir em direção a porta, abri meu melhor sorriso e puxei a maçaneta para o lado, abrindo a porta.

- Você? - Olhei com uma expressão confusa ao ver o rosto conhecido na minha frente. Ele deu uma gargalhada e pediu passagem para entrar e eu fiz meio automático, ainda confuso. Vi a expressão de Tae e Hoseok e esses de encontravam tão confusos quanto eu.

- Yoongi-Chi, cadê você? - Jin hyung perguntou no centro da sala. Da cozinha foi ouvido um palavrão.

- Puta que pariu, hyung, já falei para parar com esse apelido. - Yoongi surgiu com Kook em deu enlaço, que assim que viu Jin, ficou com a mesma expressão que nós. Os dois hyungs riram da gente e Jin falou.

- Eu estava ansioso para ver o rosto de vocês ao me verem aqui.

- Não estou entendendo nada - Eu disse me sentando novamente no sofá.

- Sim Jimin, esse é o hyung que eu falo desde o ensino fundamental. Você não imagina a surpresa que eu tive quando ele falou que conheceu vocês. Uma puta coincidência.

- Não acredito - Kook disse se sentando, parecendo zonzo.

- Pois é isso mesmo crianças. Seus hyungs aqui se conhecem desde o saco dos nossos pais - Jin disse e deu gargalhada que saiu com um som parecido com um pano limpando o vidro. Eu comecei a rir da situação e fui abraçar Jin.

- Nunca iria acreditar numa coincidência dessas, bem vindo de volta ao grupo hyung.

- Obrigado ChimChim, estou feliz que todos nos conhecemos.

- A janta está pronta seus maricas -  Yoongi disse rompendo nosso abraço, e nós fomos para cozinha nos servir. Pelo espaço pequeno, alguns ficaram no sofá e outros no chão comendo, mas ninguém protestou sobre isso, pois não vimos nada demais.

Depois da janta, assistimos um filme de ação e rimos das cenas de pegação, que mais se constituía em dois atores novatos que não tinham a mínima ideia de como dar um beijo técnico.

Acabado o filme, nós jogamos diversos jogos e bebemos algumas cervejas do estoque do Yoongi, que disse que pegava as cervejas do restaurante em que trabalhava junto com o Jin.

A noite foi acabando e eu só queria congelar o tempo com meus amigos. Nós estávamos realmente felizes com a companhia um dos outros.

E eu sentia que nada poderia estragar esse momento.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...