História Dois corações, um destino... - Capítulo 25


Escrita por:

Postado
Categorias Henrique & Juliano, Léo Santana
Personagens Henrique, Juliano
Tags Amor, Cantor, Casamento, Drama, Musica
Visualizações 280
Palavras 1.982
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Musical (Songfic), Romance e Novela, Suspense
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 25 - Henrique vai me comer viva!


Fanfic / Fanfiction Dois corações, um destino... - Capítulo 25 - Henrique vai me comer viva!

POV HENRIQUE

—Quinze minutos para subir ao palco!- disse Emil entrando no camarim, infelizmente a maior parte das pulseiras do camarim foram para os contratantes, posso dizer que eu e meu irmão não gostamos quando isso acontece, a gente sente falta daquele abraço caloroso de fã, daquela emoção transmitida por eles.

—Vou deixar os pombinhos a sós!- disse minha mãe que deu a mão ao meu pai e saiu juntamente com Emil e parte da equipe que estava ali. Juliano estava conversando com Mohana no canto do cômodo e eu estava sentado no sofá com a minha ruivinha no meu colo.

—Temos alguns minutos...- falo mordendo sua bochecha, ela sorriu me olhando nos olhos.

—Sabe o que eu estava pensando?- falou acariciando meu rosto. —Você está preparado para assumir tudo?

—Eu estou, você está?- pergunto encarando seus olhos.

—Eu estou com medo, mas eu confio em você, confio no nosso amor e sei que vamos passar por todas as dificuldades...- ela disse me fazendo sorrir.

—Então não se preocupe com isso, deixa as coisas acontecerem no momento certo. Tá?- ela assentiu e eu a abracei apertado beijando seus cabelos em seguida. —Eu te amo, ok?

—Eu te amo muito mais!- ela disse sorrindo e me beijando em seguida, eu a beijaria por horas seguidas e não enjoaria nunca... Mas pude aproveitar por pouco tempo já que ouvimos batidas na porta, Emil voltou para colocar os aparelhos em mim e no Juliano, Yas seguiu para o canto do palco juntamente com Mohana.

Assim que estávamos totalmente prontos seguimos para o palco, a banda já estava posicionada e esperamos o momento certo para iniciar o show. Após cantar a primeira música fiquei perdido com tantas pessoas nos olhando, me dá orgulho saber que depois de tantos anos a gente tem uma proporção maior de público, é algo inacreditável!

—Henrique, só um abraço, por favor!- disse uma das menina, seus olhos transbordavam lágrimas e isso mexeu bastante comigo.

Olhei para seus olhos e com a mão pedi ela para esperar, ela assentiu, olhei para o segurança que estava a sua frente e pedi que ele o ajudasse ela a subir ao palco, em segundo as garota estava pendurada em meu pescoço, ela chorava, me apertava, cheirava... Ela pareceu sair do transe e enquanto eu cantava ela ficou seus olhos nos meus, enxuguei suas lágrimas e ela pegou em minha mão beijando-a em seguida, sorri com seu ato e beijei sua testa... Ela me soltou e foi abraçar o meu irmão, ao ver o sorriso enorme em seus lábios eu tive a certeza que o meu pequeno ato de deixá-la subir ao palco foi algo na qual ela nunca vai se esquecer na vida, ela agradeceu pela terceira vez e nos deu um último abraço, em seguida se retirou.

—Eu queria apenas deixar a minha indignação...- falo e meu irmão me olha com a testa franzida, o público estava totalmente calado, todos prestando atenção no que viria a seguir. —Hoje mais cedo eu fui vítima de uma palhaçada!- quando falo isso o público vai ao delírio, eles já sabiam sobre o que eu estava me referindo e as gargalhadas foram inevitáveis. Meu irmão me olhou e riu negando com a cabeça. —Eu queria dizer que eu não sou um unicórnio barbudo!- falo revirando os olhos, me assusto quando a plateia começa a fazer um coral gritando “unicórnio barbudo” e eu olho para o canto do palco vendo Yasmin vermelha de tanto rir, Mohana não estava diferente. —Ah, você acha isso engraçado?- pergunto para ela que me olha assustada, as meninas que estavam na frente esticavam o pescoço para conseguir ver quem estava no canto do palco. Caminhei lentamente até a Yas e pedi que entregassem um microfone á ela.

—Eu não vou!- disse ela ainda me olhando.

—Gente, por favor dá para vocês gritarem pela Yas? Ela está fazendo charminho aqui!- falei e em segundos seu nome foi ecoado pelo público, Yas me fuzilou com os olhos e sem alternativa andou até o centro do palco.

—Oi genteeeeee!- disse ela dando. Sorriso largo e balançando sua mão. —Tudo bem com vocês?- perguntou ela, todos gritavam e eu fiquei feliz.

—Entrou no palco tem que cantar!- disse meu irmão e Yas olhou para ele rindo e assentindo.

—Qual música vocês querem?- perguntou, ela se ajoelhou na beira do palco e estendeu o microfone para uma das meninas de um fã clube que estava ali.

—Canta Evidências!- gritou ela.

—Qual seu nome?

—Larissa!

—Ok!- Yas sorriu. —Larissa, essa música é para você!- ela se levantou e veio até o centro do palco, olhou para Juliano que já estava com o violão em mãos.

—Quando eu digo que deixei de te amar, é porque eu te amo!- comecei a cantar e peguei a mão de Yas levando ela até o meu irmão. —Quando eu digo que não quero mais você, é porque eu te quero...- Yas sorriu para mim, tudo que eu queria era parar a música e me declarar para ela, dizer ao mundo que estamos juntos. —Eu tenho medo de te dar meu coração e confessar que eu estou nas tuas mãos... Mas não posso imaginar o que vai ser de mim se eu te perder um dia!

—Eu me afasto e me defendo de você, mas depois me entrego. Faço tipo, falo coisas que eu não sou, mas depois eu nego!- cantarolou Yas fazendo o público ir a loucura. — Mas a verdade é que eu sou louco por você e tenho medo de pensar em te perder... Eu preciso aceitar que não dá mais para separar as nossas vidas!- disse ela olhando em meu olhos, senti meu corpo se arrepiar e em seguida desviamos nossos olhares.

—E nessa loucura de dizer que não te quero, vou negando as aparências, disfarçando as evidências, mas para que viver fingindo se eu não posso enganar meu coração?- cantamos eu e Juliano. — Eu sei que te amo, chega de mentira, de negar o meu desejo, eu te quero mais do que tudo, eu preciso do seu beijo, eu entrego a minha vida para você fazer o que quiser de mim... Só quero ouvir você dizer que sim!

— Diz que é verdade, que tem saudade!- Yas continuou. —Que ainda você pensa muito em mim! Diz que é verdade, que tem saudade, que ainda você quer viver pra mim...

— Diz que é verdade, que tem saudade!- eu e meu irmão repetimos. —Que ainda você pensa muito em mim! Diz que é verdade, que tem saudade, que ainda você quer viver pra mim...

— Diz que é verdade, que tem saudade!- nós três finalizamos a música ouvindo todos aplaudindo. —Que ainda você pensa muito em mim! Diz que é verdade, que tem saudade, que ainda você quer viver pra mim...

Cantamos mais cinco músicas e infelizmente já era hora de finalizar o show, não queria parar mas tínhamos que deixar o local na hora certa. Voltamos ao camarim ate terminar de arrumar as coisas e depois seguimos para casa novamente, Yas estava quieta e pensativa é estranho vê-la assim, geralmente é a que faz gracinhas...

—Amor?- chamo por ela que me olha de canto. —O que houve?-Perguntei, ela negou sorrindo e beijou minha mão. —Vai negar para mim?- perguntei a encarando.

—Eu só estou cansada!- disse ela se aconchegando no banco. Eu sabia que não era esse o motivo, mas não quis insistir, não queria brigar então apenas a abracei.

—Tudo bem, depois você me conta!- falei beijando sua cabeça. Fomos em silêncio durante todo o percurso, até arriscaria dizer que ela havia dormido, todos pareceriam estarem cansados já que nem mesmo o meu irmão estava falando.

Assim que chegamos em casa, eu e Yas fomos direto para o quarto e já entramos para o banheiro, enquanto eu me despia, ela estava apoiada na pia se olhando no espelho enquanto retirava sua maquiagem, assim que seu rosto não tinha mais nenhum vestígio, ela retirou sua roupa e entrou no box, sorriu e juntos tomamos um banho relaxante, sem malícias mas com muitas carícias. Em seguida vesti minha boxer e ela pegou uma blusa minha após vestir sua calcinha, deitamos na cama e fomos dormir.

—Boa noite ruivinha!- falei beijando seus lábios rosados.

—Boa noite, meu amor!- sorriu e virou de lado me fazendo a envolver nos braços, dormimos de conchinha.


POV YAS

Uma semana depois.

21h34min - Salvador, Bahia.

Depois de um dia inteirinho de gravação de clipe com o Léo, eu estava jogada na poltrona esperando pela sessão de fotos que iríamos fazer para a divulgação, eu estava exausta, ele me fez dançar até não querer mais. Havíamos gravado e regravado a música diversas vezes, aprendi a coreografia e reproduzi, estava desde cedo, trocando minha folga pelo trabalho mas estava feliz, todo esforço havia dado certo, ou pelo menos é o que me parece.

—Yas, vamos?- Lore chamou e eu assenti os seguindo até o estúdio.

—Aceita uma bebida?- perguntou o empresário do Léo e eu neguei. —Um suco, uma água?

—A água eu aceito!- falo sorrindo e ele assentiu indo pegar.

—Bom, vamos fazer uma sessão de fotos e vamos escolher pelo menos cinco para a divulgação nas redes sociais. Já conversei com o empresário de vocês sobre o marketing e eu espero que esteja tudo bem para vocês!- assenti, Léo também. —Eu quero que vocês fiquem naquele fundo verde para que eu posso editar o fundo depois!- caminhei até o meio do cenário esverdeado e Léo me acompanhou. Foto atrás de fotos, não queria nem ser eu quando Henrique visse, como a música era sensual automaticamente as fotos também eram, logicamente eu usei todo o meu profissionalismo assim como Léo. —Agora você vai abraçar ele de lado e vai subir sua perna esquerda até a barriga dele, Léo, segura a perna dela e Yas, olha para mim!- assim eu fiz. —Ok, por hoje é só!- disse ele eu me soltei de Léo e caminhei até Lore.

—Henrique vai me comer viva!- bufei.

—É profissional, amiga!- Lore disse me dando a garrafinha de água. —Não tem porque ele ficar com ciúmes...

—Não?- perguntei rindo. —Você viu as poses? Ele vai me matar! Principalmente depois das notícias que saíram semana passada falando sobre um suposto envolvimento entre eu e o Léo!- suspirei. —Mas me conta...—E vocês dois?

—Trocamos o número, ele me chamou para um jantar hoje...- bateu palminhas e sorriu. —Agora vai!

—Seria tudo tão mais fácil se vocês se envolvessem mesmo, sério Lore, eu fico feliz por você e ficaria ainda mais feliz por salvar minha pele!- falo e ela ri.

—Ei!- ela disse fechando a cara. —Não estou querendo salvar sua pele, só quero ficar com esse homão!- olhou para Léo que conversava com o fotógrafo. —Minha nossa, já viu o tamanho daquela mão? Aqueles dedos...- sorriu maliciosa. —Imagina...

—Pelo amor de Deus!- fiz careta. —Não me venha com esse assunto!- ela riu e eu joguei a tampinha nela. —Mas quero saber de tudo quando você voltar!

—Só amanhã, querida!- falou como se fosse o óbvio. A encarei boquiaberta. —O que? Acha que vou deixar essa oportunidade passar? Nem se eu fosse louca...- gargalhei. Lore não é desse tipo de mulher interesseira, longe disso, mas sabe aproveitar as oportunidades, como por exemplo ir para a cama com o Léo... 

Ela não se importa se é no primeiro encontro ou não, sempre me disse que se ela estiver a vontade e estiver afim ela parte para cima, independente se a pessoa que está com ela vai achar ela “rápida” demais. A admiro por isso, por fazer as coisas que quer e quando sente desejo, ela sempre foi discreta e mesmo sendo doidinha -como eu- ela sempre foi responsável e ajuizada, por mais que não pareça.

—Safada!- bato em seu braço e ela manda beijo rindo em seguida. —Tudo bem, amanhã você me conta!- ela assentiu recuperando o fôlego.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...